Páginas

quinta-feira, 29 de março de 2012

CONHECIMENTO E SABEDORIA...

Dois jovens monges se aproximaram do mestre que em silêncio apreciava o sol que se espreguiçava no vale se preparando para mais um dia.
O mestre ao vê-los apenas sorriu sem alterar sua posição.


O mais velho dos monges cumprimentou-o com gentileza e indagou:


- Mestre, estamos discutindo e não chegamos a nenhuma conclusão sobre a diferença entre conhecimento e sabedoria. Para ele não existe diferença, para mim sim, porém, não consigo expressar em palavras o que sinto e assim convencê-lo destas diferenças.


O mestre sorriu mais uma vez e olhando para o horizonte apontou para a montanha mais alta e disse:


- Para saber a diferença, coloquem um punhado de grãos de feijão em seus sapatos e subam até o alto daquela montanha, depois conversaremos.


Ambos saíram e seguiram as orientações do mestre, não sem antes passar em seus aposentos e se preparar para a subida.


No final da tarde retornaram e encontraram o mestre esperando-os pacientemente.


O mais jovem reclamando das dores que sentia uma vez que os grãos criaram bolhas deixando inchados seus pés.


O outro monge parecia nada sentir e seus pés estavam perfeitos sem nenhum problema.


E o mestre olhando para o mais jovem dos monges que havia se sentado para aliviar a dor disse:


- Percebeu a diferença entre conhecimento e sabedoria? Seu amigo colocou os mesmos grãos de feijão em seus sapatos, porém, tomou o cuidado de cozinhá-los antes.


Aprendi que conhecimento é tudo e muitos dizem que no mundo de hoje o conhecimento é imprescindível, já que vivemos na Era do Conhecimento.


Concordo plenamente, uma vez que o conhecimento é a base daquilo que chamamos cultura.


Se nos enclausuráramos em uma biblioteca por alguns meses e nos concentrar na leitura das melhores obras literárias com certeza aumentaremos em muito nosso rol de conhecimento.


Em resumo podemos concluir que conhecimento é poder.


Discordo!


Conhecimento é poder, porem...
Atitude é poder.
Postura é poder.
Valores éticos e morais são poderes.
Respeito é poder.


Tudo isso somado é o que chamamos de sabedoria e o que conta hoje não é o saber, mas, a sabedoria.


Podemos deter muito conhecimento, porém, se o conhecimento não vir acompanhado de tudo isso acima ele não tem valor algum.


Neste sentido, sabedoria é o reflexo da utilização do conhecimento, assim, uma pessoa culta não é necessariamente sábia, e uma pessoa sábia é, sem dúvida, relativamente culta.


Por outro lado o conhecimento por si só não tem valor, a não ser que seja colocado em prática.


Que o diga o jovem monge que tinha conhecimento das conseqüências de caminhar com grãos de feijão nos sapatos, mas não tomou nenhuma atitude para se proteger.


Aceite esta verdade, o que vale no mundo de hoje é a sabedoria não o conhecimento.

quarta-feira, 28 de março de 2012

AMIGO É COISA PARA COMPARTILHAR...


Diz uma linda canção:
- Amigo é coisa pra se guardar...
E eu te afirmo: Amigo é coisa para compartilhar.
Para ser e estar sempre que possível, juntos.
Um famoso palestrante sem nome afirmava que:
- Passar o tempo com um amigo é tão importante para a nossa saúde quanto o exercício físico.
Por isso eu te digo, sempre vejo muito perigo,
quando uma mulher se relaciona com alguém e abandona as amigas.
E olha que tem muito disso, o relacionamentos as vezes nos cega.
E as mulheres, mais do que os homens, precisam das amigas.
As mulheres conseguem se fazer entender pelas poucas,
ou muitas palavras.
Só outra mulher para entender aquele drama tão imenso,
que para os homens é "nada", ou quase nada. Tenso!

Então para poder continuar com a canção que diz:
- Pois seja o que vier, venha o que vier...
É preciso ter amigos, pois as vezes o que vem não é fácil de se segurar.
Não fuja das amizades que tanto fazem falta.
Aproxime-se, apareça, não se esqueça.

O amor é tão bom que permite o compartilhar.
Você pode ficar com a pessoa amada,
mas não pode abandonar os amigos na estrada.
Nunca se sabe, mas o amor pode acabar na esquina,
já os amigos, permanecem além da vida.


Paulo Roberto Gaefke

FAÇA...

Faça do sofrimento um motivo a mais para sair caminhando.
Faça das tristezas, das agruras do dia-a-dia, aquela alavanca que faltava para o impulso que leva à felicidade.
Faça do desânimo um motivo a mais para encontrar a vontade escondida, deixada num canto, esquecida.
Faça com que sua vida tenha verdadeiros motivos para ser levada a sério e não apenas que seja vivida por viver.
Faça de tudo para levar felicidade às outras pessoas e, principalmente, levar a felicidade a você mesmo.
Afinal de contas, nunca é demais ser feliz.

A VIDA É UMA ESCOLA...

A vida é uma escola onde cada um tem a sua escolha. Precisamos crescer, cada vez mais, aprendendo coisas boas e passando para os outros. Faça com que cada dia seja de paz, amor, alegria e caridade.
Elimine as coisas que não prestam e faça para os outros aquilo que você gostaria que fizessem para você.


Olhe ao seu redor e procure sempre o lado positivo das coisas. Ajude aqueles que precisam, seja alegre, sorria, faça uma higiene mental. Os passos rumo à felicidade dependem muito de você.

VIVA COM PRAZER...

Saia de casa para dar um passeio e sorria para as pessoas. Reveja um álbum de família, conte estrelas, telefone aos amigos e diga a quem quiser o seguinte: "Gosto de você".


Converse com Deus, volte a ser criança, apague totalmente a palavra "rancor" do seu coração. Diga muitas vezes "sim", dê uma boa risada, leia um bom livro, peça ajuda, cumpra uma promessa, cante uma canção.


Mude sua aparência, ajude alguém doente, retribua um favor, deixe seu pensamento viajar, quebre a rotina. Escute os sons da natureza, aceite um elogio, perdoe, principalmente a si mesmo, e demonstre que é feliz.


Enfim, viva o simples prazer de... viver.

CEDO OU TARDE!

Cedo ou tarde tudo vai mudar, cedo ou tarde serei feliz. Cedo ou tarde caminharei em busca de todos os meus objetivos, grandes ou pequenos, pois tudo almejo na ânsia de crescer, saindo do lugar comum.


Não medirei esforços, nem tão pouco me queixarei. Em nome de todos os homens que mereceram reconhecimento por seus feitos, vou dar tudo de mim, pois sei que minha missão não é em vão, e a vida de todos nós é um bem mais que precioso.


Por enquanto, ainda é cedo, mas isso pode se transformar e virar tarde demais. Tarde demais, poderei não mais ter tempo de chegar aonde quero.

PERSEVERANÇA...

"... Orar sempre e nunca esmorecer" Lucas 18:1

"Vai ter com a formiga" Provérbios 6:6


Tamerlane costumava contar aos amigos uma estória de sua mocidade:


Certa vez, para escapar de inimigos, fui forçado a me esconder nas ruínas de um edifício, e passei ali sentado muitas horas.
Desejando distrair a mente da triste situação em que me achava, fique olhando uma formiga que subia por uma parede, carregando um grão de trigo maior do que ela;
Contei todas as suas tentativas para alcançar o objetivo.
O grãozinho caiu sessenta e nove vezes, mas o inseto perseverou, e, ao completar setenta vezes, alcançou o topo.
Aquela cena me deu coragem no momento, e nunca esqueci a lição.
(The King's Business)


A oração que toma como razão para desânimo o fato de orações passadas não ter sido respondida, já deixou de ser a oração da fé.


Para a oração da fé, a ausência de resposta é apenas evidência de que o momento da resposta está muito mais perto.


De princípio o fim, as lições e os exemplos do Senhor nos ensinam:


A oração que não persevera, não insiste no pedido e não se renova mais e mais, tomando forças de cada petição anterior, não é a oração que prevalece


(William Arthur)



Certa vez o grande músico Rubenstein disse: "Se passo um dia sem praticar, eu noto a diferença; se passo dois dias, meus amigos notam a diferença; se passo três dias, o público nota a diferença."


É como se costuma dizer:


a perfeição vem da prática. Assim, pois, continuemos crendo, continuemos orando, continuemos a fazer a Sua vontade.


Em qualquer ramo da arte, por exemplo, se alguém deixar de praticar, sabemos qual será o resultado.


Se apenas usássemos em nossa vida religiosa o mesmo tipo de sendo comum que usamos em nosso viver diário, caminharíamos para a perfeição.


Este era o modo de Davi Livingstone:


"Eu resolvi nunca parar sem ter chegado ao fim e cumprido o meu propósito"


Com firme persistência, e confiante em Deus, ele venceu.

terça-feira, 27 de março de 2012

NUNCA DISSE O QUANTO AMEI...

A coisa começou por causa de uma mariposa que estava se debatendo na pia, provavelmente queimada depois do choque com a lâmpada – o inevitável encontro entre mariposas e luzes. Uma das asas desaparecera - nunca mais o vôo ao encontro da chama – sempre na direção da luz, como se ali, engolida por ela, pudesse voltar a ser lagarta, como se ali encontrasse outra vez a segurança do casulo. Achei que deveria abreviar-lhe o sofrimento e atirei um jato de inseticida sobre seu corpo. A agonia demorou mais do que supunha e acabei sendo espectador de seus últimos espasmos.
Isso, é claro, mudou definitivamente o rumo da crônica que, a princípio, assim eu acreditava, versaria sobre alguém que cavalgava na direção do sol. O insólito momento, entretanto - eu, nu, prestes a entrar no banho, e a mariposa morrendo na bacia de pedra polida – afastou a lembrança de quem cavalgava em silhueta para longe, que era a história que eu iria contar, antes do assassinato.
Parado, olhando o estranho balé do inseto na pia clara, eu pensei que o medo começa no desencanto da tarefa incompleta. Ou na raiva da palavra nunca dita. Ou ainda no desespero do amor que foi se embora. E por isso nos assombram o breu, a solidão e a paz fria do esquecimento – só porque acreditamos, em algum momento da história, que o amor nos traria a eternidade. Mas os nossos pequenos e cotidianos assassinatos estão sempre trazendo a lembrança da finitude dos dias – como os dessa mariposa que se contorce envenenada. Quando enfim desfez-se a miragem na areia, lembramos do tempo e sentimos medo. Depois que a porta se fechou e fez-se silêncio no aposento. Depois que você olhou pelo olho mágico e percebeu que o saguão já estava vazio. Depois que a sua respiração soou como um soluço quebrado. Depois de tudo, vem o medo.
Era nisso que eu pensava, testando a temperatura da água com as mãos, antes de entrar no banho, um pé no tapete, o outro na pedra fria. Debaixo d'água, ultimamente, tenho tido lembranças de medos futuros, eu esfregava a pele e reconhecia a carne. O momento existencialista no chuveiro não quis que eu murmurasse as canções de sempre, não permitiu que a intimidade do banho liberasse o canto – aliás, os banhos de inverno têm me trazido imagens estranhas que não descem pelo ralo com a espuma, ficam sentadas nas prateleiras, protegidas dos respingos, ao lado das essências. Alguns instantâneos, entre os frascos, vêm surgindo no meio da bruma em que o banheiro fica mergulhado. Alguns pedaços do mosaico, algumas portas que se abrem.
Há uma grande quantidade de estampas, no quarto que visito – a capa de um romance para moças, a heroína com os cabelos ao vento, amparada pelo galã de casaca. A novela tinha sido abandonada por uma moça de cabelos negros, sobre o banco da praça. Ela trabalhava na farmácia, vivia pendurada no balcão e tinha o olhar assustado de quem se apercebeu da velocidade com que a vida corre, quando se está atrás de um balcão de subúrbio e a cabeça cheia de amores impossíveis. Pois era sobre isso o livro que a moça esquecia. Corcéis selvagens, damas e cavalheiros, embriagados de um amor tão sublime, tão cheio de adjetivos e beijos de intensa paixão sob o teto florido de madressilvas. Alguma coisa do gênero.
Eu estava brincando por ali, correndo, e encontrei o exemplar. Ainda sacudi o livro nas mãos, tentando lhe chamar a atenção, mas ela não percebeu e entrou no ônibus. Levei o livro para casa, uma edição ordinária, meio ensebada, as páginas de papel barato manchadas aqui e ali. Chamava-se Nunca disse o quanto amei e o desenho da capa parece que brilha por entre a névoa, recortado na cerâmica da parede. Li algumas partes, não consegui ir adiante e, no dia seguinte, devolvi à moça, que me agradeceu e ponto final.
Não sei quanto tempo depois disso, mas, um dia, eu estava subindo no ônibus e alguém comentou que a moça da farmácia tinha morrido. Tinha comido formicida. Lembro que deixei o olhar ficar para trás, enquanto o ônibus avançava, buscando a porta da farmácia, como se ela pudesse aparecer ali, os cabelos ao vento como a moça da capa da novela romântica. Ficou comigo, portanto, essa imagem de mulher debruçada sobre o balcão, o olhar perdido em terras que ela jamais conheceria. Eu era muito menino. O ônibus sacolejava e eu pensava na agonia da moça da farmácia, sabedor de que jamais conheceria sua história. Pensava nela e na formicida. Meu avô tinha um saco no galpão das ferramentas. A moça comera o veneno, disseram que ela encheu a mão com o granulado vermelho e engoliu um punhado. Dela, só sei que nunca disse o quanto amou e que corria na direção de seu amado, gritando juras de amor, numa linguagem rebuscada, enquanto o sol morria num crepúsculo faiscante. Deve ter morrido de sonhar. De certo, foi esse o motivo. As coisas que a gente é capaz de pensar depois de matar uma mariposa.

Ah, sim! Só agora me lembrei de quem cavalgava na direção do sol. Mas essa história fica para a próxima semana. Tem dias que mais difícil do que dizer o quanto amamos é dizer adeus. Por enquanto, fiquemos no até breve. Mas é preciso aprender. Antes que seja tarde.


Miguel de Sousa-Aguiar (Falabella)

CARÍCIA DA VIDA...

“Todo mundo pensa em Mudar o mundo, mas ninguém pensa em Mudar a si mesmo. “ Leo Tolstoy


Mostre-me alguém que não tenha uma receita para a felicidade "dos outros", e eu te direi que esse ser veio de outro planeta.
Todo mundo tem sempre alguma opinião para dar sobre a vida dos outros.
Tem sempre uma "certeza", uma indicação, um conselho "bão"...
Mas, quando se trata da própria vida, o que vemos são olhos perdidos.
Gente que na hora da dor, da angústia pessoal, fica sem saber o rumo.
E nenhum dos seus conselhos que ele dava para os outros lhe serve.


Quando o seu calo aperta e dói, a dor passa a ser uma conhecida real.
Ninguém pode viver a sua dor e cada pessoa experimenta a mesma dor de maneiras diferentes...


Por isso, neste dia que a vida te chama para viver, agradeça o fato de estar acordado e vivo!
Antes de começar a reclamar de algo, sorria.
Você driblou a morte e sabe-se lá porque, ganhou mais um dia!.
Só isso já bastaria para muito defunto trocar de lugar com você.
Ainda que fosse para encarar o maior problema do mundo...
Já pensou nisso?
Claro que não...
Nós não pensamos na morte, nem esperamos por ela.
Vivemos como se fossemos imortais.
Como se fossemos eternos adolescentes onde a dor de um simples problema, vira uma tragédia grega ou mexicana...


Troque tudo que você sente agora pelo prazer de um respirar profundo.
Dessas respiradas onde até o ar fica com sabor.
E encha a sua vida de alegria e amor.
Porque este é o seu dia, um único e decisivo dia para construir.
E não dá para ficar se lamentando, nem aconselhando ninguém.
Faça errado, mas faça por você mesmo!
Sorria que a vida está te acariciando.


Paulo Roberto Gaefke

segunda-feira, 26 de março de 2012

COMECE DE NOVO...

Se você fez planos que não deram certo, se você tentou dar o melhor de si e não há mais o que tentar, se você falhou consigo mesmo sem saber por quê...


Comece de novo. Se você falhou com seus familiares, se você já não é tão importante para eles, se eles perderam a confiança em você, se você se sente um estranho em seu próprio lar, comece de novo.


Se os anos passam tão depressa e os sucessos são poucos, se chega dezembro e você se sente triste, Deus dá um novo janeiro a você.

COMECE DE NOVO!

FAÇA!

Faça do sofrimento um motivo a mais para sair caminhando.
Faça das tristezas, das agruras do dia-a-dia, aquela alavanca que faltava para o impulso que leva à felicidade.
Faça do desânimo um motivo a mais para encontrar a vontade escondida, deixada num canto, esquecida.
Faça com que sua vida tenha verdadeiros motivos para ser levada a sério e não apenas que seja vivida por viver.


Faça de tudo para levar felicidade às outras pessoas e, principalmente, levar a felicidade a você mesmo. Afinal de contas, nunca é demais ser feliz.

A VIDA É UMA ESCOLA...

A vida é uma escola onde cada um tem a sua escolha. Precisamos crescer, cada vez mais, aprendendo coisas boas e passando para os outros. Faça com que cada dia seja de paz, amor, alegria e caridade.


Elimine as coisas que não prestam e faça para os outros aquilo que você gostaria que fizessem para você.


Olhe ao seu redor e procure sempre o lado positivo das coisas. Ajude aqueles que precisam, seja alegre, sorria, faça uma higiene mental. Os passos rumo à felicidade dependem muito de você.

PROJETO PARA HOJE!

Hoje é o dia especialmente criado por Deus para a realização de um sonho. O seu sonho. Afinal, que idéias existem que você anda guardando secretamente?


Qual o projeto ao qual você tem, nos últimos tempos, dedicado mais horas dos seus pensamentos?


Pois hoje é o dia de, pelo menos, dar início às obras. Este dia está para você hoje, como esteve uma manhã para Beethoven, quando acordou com as notas básicas da Quinta Sinfonia na cabeça.


Apesar de já se dedicar ao seu talento, ele certamente não imaginava que 200 anos depois, quase todos os habitantes do planeta, mesmo crianças, conheceriam aquelas poucas notas que iriam se repetir durante toda a sua sinfonia.


O dia de hoje está para você exatamente como esteve para Chopin na tarde em que, escutando o tamborilar de uma goteira na sacada de sua casa, correu ao piano e compôs uma valsa.


É um dia com todas as horas semelhantes àquelas que levaram Michelangelo a esboçar o projeto de pintura da Capela Sistina, em Roma. Projeto que levaria meses sobre meses para ficar pronto.


Projeto que lhe valeu quase a perda da visão e o deixou doente, pelas condições precárias de trabalho, tanto quanto pela posição incômoda que a pintura da abóbada exigia.


Pense que todos os gênios e pessoas importantes da História da Humanidade tiveram o mesmo tempo que você tem para colocar suas idéias em prática.

Mesmo grandes pessoas de sucesso, que não estão nos livros de História da Humanidade, vêm fazendo as coisas com o mesmo número de horas disponíveis que você tem.


Naturalmente, cada pessoa vive dentro de uma circunstância. Mas, a partir de sua realidade, o que você vai fazer, hoje, para realizar o seu projeto pessoal?

Ele pode ser grandioso e ser dirigido para muitas pessoas. Ele pode ser especial e ser dedicado a alguém em particular ou até a você mesmo.

O seu projeto pode ser ter a coragem de apanhar o telefone e discar o número daquele amigo com o qual você se desentendeu e pedir-lhe desculpas.

O seu projeto pode ser reatar um namoro, retornar para o lar, que você acabou de descobrir ser um ninho de aconchego.

O seu projeto pode ser se matricular no curso de culinária, jardinagem ou de pós-graduação, de Mestrado ou Doutorado. O seu projeto pode ser uma viagem para o Oriente ou a velha Europa, ou simplesmente até a casa de sua mãe, para lhe dizer, sorrindo: Oi, como vai a velhinha mais amada do meu coração?


Está no ar um novo dia. Programe já o que você vai fazer. O tempo está a seu favor.
Use bem a sua inteligência, o seu talento, a sua força de vontade, a sua emoção.
Este será um dia para você subir um degrau a mais na escada do progresso.
Exatamente hoje, você pode criar as condições para chegar lá.
Por isso, escolha bem os seus pensamentos. Não perca tempo com o que lhe traz aborrecimentos. Não perca tempo com maus pressentimentos.
Entregue-se a Deus. Confie Nele, na sua capacidade, e vá em frente.

Redação do Momento Espírita, com base em texto de autoria ignorada.

domingo, 25 de março de 2012

VENCEREI!

Pediu um novo sonho e esqueceu-se de tantos que nem realizou.
Olhou para o dia de hoje e pensou no dia de ontem.
Acreditou que o passado foi melhor e nele se enterrou.
Não viu a noite chegar, não aspirou o perfume das flores.
Ficou como se fosse um retrato em cima de uma mesa.
Parado no tempo, vítima de si mesmo,
fruto da sua falta de vontade de lutar.
Acomodado no tempo e no esquecimento.

Quanta gente anda vivendo assim?
Os pés estão aqui, mas o pensamento está lá no passado.
Naquele tempo que não volta mais e que a pessoa jura que foi melhor.
Como saber o que é o melhor se só conhecemos uma parte do tudo?
Como saber qual é o melhor mel se só provamos um tipo?
A vida pede engajamento e no meio das lutas e até do sofrimento,
a força que tanto precisamos está dentro de cada um de nós mesmos.
Não espere o céu derramar nada.
Nem o mar se abrir para você passar.
Faça você mesmo o seu milagre, seja o próprio milagre.

Aquele que se abre para o dia e diz:
- Hoje eu vou conquistar!
- Hoje eu vou arrebentar!
- Hoje eu serei abençoado pelo esforço que carrego comigo.
- Não me faltarão amigos, saúde, paciência, amor e esperança.
E se faltar qualquer um dos itens acima, ainda assim,
Deus é comigo e eu vencerei!

Paulo Roberto Gaefke

sábado, 24 de março de 2012

A COBERTURA DE DEUS...

A cobertura de Deus é maior que a sua imaginação pode alcançar.
Mas os problemas que ora te afligem,
podem ser frutos da sua semeadura errada no passado.
E por isso, esse sentimento de impotência diante das dificuldades.


Quantas vezes, ao depararmos com 2 caminhos diferentes,
"deixamos de conversar com Deus" e seguimos qualquer um,
Normalmente aquele caminho que parece mais florido, mais fácil.
E Deus, em sua infinita misericórdia,
permite que façamos nossas escolhas.
Mas, a colheita das nossas escolhas é obrigatória.


Poderá o homem que fuma por muitos anos reclamar do enfisema pulmonar?
Poderá o homem ou mulher que trai a pessoa amada reclamar de solidão?
Poderá o homem que rouba no seu trabalho reclamar da punição?
Poderá o homem que plantou jiló esperar abacaxis doces?
Ainda assim, diante das mazelas humanas,
dos erros cometidos por cada um de nós, Deus se apieda,
e envia anjos de todas as espécie; médicos, enfermeiros,
doadores, irmãos, amigos, evangelistas e desconhecidos,
que através do círculo de amor divino,
envolvem a pessoa necessitada em carinho que cura.
Em amor que restaura.
Em generosidade que alivia dores e restaura caminhos.
Assim, seja o problema que for.
Causado pela sua escolha errada do passada,
ou sem nenhuma compreensão nos dias atuais.
Saiba que Deus não desiste de ninguém.
Tudo vê, tudo ampara quando pode intervir.
Quando você pede socorro e deixa Ele agir.
A cobertura de Deus é exatamente do seu tamanho,
e pode socorrer agora a sua alma aflita, sem nada pedir.
Somente creia e deixe Deus agir.

Paulo Roberto Gaefke

quinta-feira, 22 de março de 2012

DEIXE A VIDA FLUIR...

Quando sorrimos, levamos a alguém bem próximo, ou até distante, a certeza de que, por pior que seja o momento, o futuro nos espera.


Quando choramos, mostramos que somos frágeis e sensíveis e que precisamos, mais do que nunca, de consolo e palavras de carinho.


Quando amamos, nos sentimos felizes por ter encontrado a pessoa que julgamos ser a nossa metade, onde sentimentos e desejos se completam de tal forma que nos transformamos numa só pessoa.


Por isso, deixe a vida fluir normalmente. Sorria, chore, ame, sofra e lembre-se, sempre, que a cada amanhecer renascemos.

COMECE...

Comece seu dia como se fosse o primeiro de sua vida. Comece fazendo dele o mais perfeito e querido de todos, o mais ideal, mais certo, mais condizente com o curso de sua vida.
 Comece sorrindo, se ontem você esteve chorando. Comece perdoando, se ontem você nutriu sentimentos de ódio. Comece orando, se ontem você apenas esteve preocupado com seu mundo material e esqueceu completamente da importância da espiritualidade. Comece fazendo tudo ao contrário do dia de ontem, pois a chance de acertar é cem por cento maior.

SER MAIS VOCÊ...

O desejo pede sempre uma atenção especial.
Imagine você realizando aquele velho sonho sem prestar atenção?
Comer abacaxi e sentir gosto de limão.
Beijar uma boca ardente como se estivesse com dor de dente.
Não dá!
O desejo pede atenção...


E sabe que muita gente anda por ai desligada de tudo?
Perdida em seu mundinho de reclamações inúteis.
E quando você pergunta: como vai?
Lá vem a resposta: problemas e mais problemas.
Parece que a vida da pessoa é um novelão mexicano.
E você fica pensando: - pra que que eu fui perguntar...


Mas, não se preocupe, a vida pode e deve seguir.
A não ser que a pessoa que vive reclamando de tudo seja você!
É porque alguém tem que ser essa pessoa não é?
Se for você, eu lhe aconselho a parar.
Olhar um pouco para a realidade de outras pessoas.
Deixe de lado o próprio umbigo repare na dor dos outros.
para notar que tudo está no seu devido lugar.
Ainda que agora não esteja.


Talvez você esteja sem andar travado na cadeira de rodas,
sem um braço ou faltando uma perna.
Quem sabe uma doença paralisante,
daquelas que não permitem andar, falar, se mexer...
Talvez você perdeu a visão e não pode mais enxergar.
Acredite, tem gente que não tem nada disso e só sabe reclamar!
Gente que perdeu a confiança em si mesma.
Deixou de lado a vontade de lutar para apenas reclamar.
E reclamam tanto que se acostumam com a ausência da alegria.
Por isso, reclamação é tormento noite e dia.


É falta de respeito e atenção com o próprio ser.
É tempo de fazer alguma coisa, de deixar o querer,
para simplesmente ser!


Confie nas suas possibilidades.
Trave a língua solta que insiste em reclamar.
Deixe o amor próprio falar mais alto.
Deixe de ser vítima e volte a ser capaz.
A vida te espera todos os dias com amor e paz.
E ainda que tudo lhe falte, não perca a força de amar.
Pois sempre é possível, recomeçar.


Paulo Roberto Gaefke

TRANSPARENTE...

“Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.” Salmos 30.5


Ás vezes, fico me perguntando por que é tão difícil ser transparente...


Costumamos acreditar que Ser Transparente é simplesmente ser sincero, não enganar os outros.


Mas “Ser Transparente” é muito mais do que isso...


É ter coragem de se expor, de ser frágil, de chorar, de falar do que a gente sente...


Ser transparente é desnudar a alma, é deixar cair as “máscaras”, baixar as armas,


...Destruir os imensos e grossos muros que insistimos tanto em nos empenhar para levantar...


Ser transparente é permitir que toda a nossa doçura aflore, desabroche, transborde...


Mas, infelizmente, quase sempre, a maioria de nós decide não correr esse risco. Preferimos a dureza da razão à leveza que exporia toda a fragilidade humana....


Preferimos o “nó na garganta” às lágrimas que brotam do mais profundo de nosso ser...


Preferimos nos perder numa busca insana por respostas imediatas a simplesmente nos entregar diante de Deus e admitir que não sabemos, que temos medo!


Por mais doloroso que seja ter de construir uma ‘máscara’ que nos distancia cada vez mais de quem realmente somos e até do nosso Deus... preferimos assim: manter uma imagem que nos dê a sensação de proteção...


E assim vamos nos afogando mais e mais em falsas palavras, em falsas atitudes, em falsos sentimentos...


Não porque sejamos pessoas mentirosas!...


Mas porque, como folhas secas, nos perdemos de nós mesmos e já não sabemos onde está nossa brandura, nosso amor mais intenso e não-contaminado...


Com o passar dos anos, um vazio frio e escuro nos faz perceber que já não sabemos dar e nem pedir o que de mais precioso temos a compartilhar com os irmãos... doçura, compaixão... compreensão...


...de que todos nós sofremos e às vezes nos sentimos sós, imensamente tristes e choramos baixinho antes de dormir...


Num silêncio que nos remete à saudade de “nós mesmos”


...daquilo que pulsa e grita dentro de nós, mas que não temos coragem de mostrar àqueles que mais amamos!


Porque, infelizmente, aprendemos que é melhor revidar, descontar, agredir, acusar, criticar e julgar do que simplesmente dizer:


“você está me machucando... Pode parar, por favor!”


Porque aprendemos que dizer isso é ser fraco, é ser bobo, é ser menos do que o outro...


Quando, na verdade, se agíssemos deixando que a nossa razão ouvisse também o nosso coração, poderíamos evitar tanta dor... Tanta dor!...


"Não devemos ter medo dos confrontos.... Mas sugiro que deixemos explodir toda a nossa doçura! "


Que consigamos não prender o choro, não conter a gargalhada, não esconder tanto o nosso medo, não desejar parecer tão invencíveis... Que consigamos tentar não controlar tanto, responder tanto, competir tanto... Mas confiar na Graça do Senhor Jesus Cristo , que nos basta...


“Ame, simplesmente ame!"


A beleza sem amor nos faz fúteis.
A autoridade sem amor nos faz tiranos.
A inteligência sem amor nos faz perversos.
A justiça sem amor nos faz implacáveis...
A diplomacia sem amor nos faz hipócritas.
O êxito sem amor nos faz arrogantes...
A riqueza sem amor nos faz avaro...
A pobreza sem amor nos faz orgulhosos...


“Ame, simplesmente ame!"


O trabalho sem amor nos faz escravos.
A simplicidade sem amor nos deprecia.
A lei sem amor nos oprime.
A política sem amor nos deixa egoístas.
A fé sem amor nos deixa fanáticos.
A cruz sem amor se converte em tortura.


E quando, algumas vezes, NÃO encontramos as palavras adequadas
para expressar o que sentimos; seja por timidez ou porque os sentimentos nos avassalam; nesses casos podemos contar com o idioma dos abraços...


A vida sem amor...
... não tem qualquer sentido!


“Lembrando que “a vida é tão curta e a tarefa de vive-la é tão difícil que quando começamos a aprende-la, já é hora de partir... “


Sigamos na certeza de que... TUDO PASSA...


Que consigamos docemente viver... Sentir... Amar... Ser Transparentes!...
…certo de que esse momento que você vive, seja ele de muita alegria ou de dor…


Que consigamos docemente viver... Sentir... Amar... Ser Transparentes!...
…certo de que esse momento que você vive, seja ele de muita alegria ou de dor…


…Vai passar! E você deverá seguir em frente, sem olhar para trás, rumo à eternidade, sempre transparente, porque tudo passa, mas você é eterno...


“…no favor do Senhor está a vida; o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã” Salmos 30:5.


“Quanto ao mais, irmãos, regozijai-vos, sede perfeitos, sede consolados, sede de um mesmo parecer, vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco.” II Coríntios 13:11

terça-feira, 20 de março de 2012

UM SOL DIFERENTE...

Que apesar de todas as dificuldades,
apesar de algumas tristezas que insistem,
mesmo com essa montanha erguida,
o sol possa ser seu presente mais doce.


Desejo ao seu coração o querer que ele quer.
Que dentre as palavras que ele sussurra em seu peito sejam ouvidas aquelas que cantam a liberdade.


Que você esteja atento para o sopro da sua vontade e jamais desista dos seus passos em direção à verdade.
Desejo que a sua percepção acorde mais plena no calor de um sol novo e renovador.
Que ele encoraje as atitudes que estão querendo respirar.
Aquelas que sempre são substituídas.
Aquelas que não se arrojam por ter os pesos de conceitos por demais antigos.


Desejo que você aceite seu tempo, seja ele qual for.
Que sinta serenidade na espera necessária para que a semente plantada brote no tempo certo.
Desejo que sua flor seja inteira,
e mesmo que inicialmente pequena e frágil,
ela lhe traga as luzes de uma estrada azul.
Que a sua sabedoria esteja desperta, aguardando com tranqüilidade o desabrochar da sua flor.


Desejo a você um sol diferente.
Espalhando seu sorriso pela densidade das nuvens, simplificando o aspecto complicado de alguns momentos e mostrando-lhe a fonte essencial para sua sede.


Desejo que, a cada instante, você desnude mais seu coração e deixe que nele vibre em tom maior o amor.

O TEMPO DE CADA UM...

A tolerância é uma virtude ainda rara na atualidade.
Ela permite viver em harmonia junto a quem pensa e age de forma diferente.
Não se trata apenas de suportar um modo distinto de ver e entender a vida.
O exercício da tolerância engloba também o esforço em perceber o que possa haver de admirável na conduta alheia, especialmente quando difere da nossa.
Mesmo perante equívocos, não criticar gratuitamente, pelo simples gosto de denegrir.

Por certo, a título de ser tolerante não vale adotar conduta omissa e conivente.
Na defesa de um bem maior, de um inocente, do patrimônio público, não é lícito deixar de agir.

Mas ainda aí é preciso ter não apenas energia, mas também doçura, para não se converter em um carrasco.

Muitas pessoas se angustiam porque seus amores não lhes compartilham os ideais.

Incontáveis pais estimariam que seus filhos tivessem padrão de conduta mais digno.

Entre esposos, costuma haver descompasso no entendimento de questões capitais da existência.

Essa dificuldade em compreender o ritmo alheio se manifesta em incontáveis setores.

Às vezes, notícias sobre determinados crimes despertam o desejo generalizado de exterminar os seus responsáveis.

Notícias de desmandos na política produzem grande desencanto.

Tem-se a sensação de que a Humanidade está perdida e de que nada mais há para fazer.

Entretanto, embora de forma lenta, tudo se aprimora.

A reencarnação é a chave que permite vislumbrar a lenta sofisticação de todos os Espíritos.
Quem hoje parece lamentável amanhã será um anjo radioso.

Os seres de grande virtude, cujos atos tanto encantam, igualmente cometeram erros em sua jornada milenar.

Assim, o desencanto e o esmorecimento traduzem incompreensão dos mecanismos superiores da vida.

Certamente não é possível e nem desejável alegrar-se perante indignidades de qualquer ordem.

Mas é necessário compreender que cada criatura tem o seu ritmo e o seu momento de transformação.

Perante os equivocados, é necessário exemplificar o bem, mas sem violências e arrogância.
Não vale ser conivente e omisso, mas também não cabe a imposição das próprias idéias.

Se criaturas difíceis estão presentes em sua vida, há uma razão para isso.
Na grande oficina da vida, você foi considerado digno do bom combate.
Os levianos e rudes são os mais necessitados de amor.
Afinal, como afirmou o Divino Amigo, os sãos não necessitam de remédio.


Se os valores cristãos iluminam o seu íntimo, rejubile-se.
Exemplifique-os mediante uma vida laboriosa e digna.
Mas não os imponha a ninguém.
Afinal, Deus a todos assegura o livre arbítrio e pacientemente espera o lento desabrochar das virtudes dos anjos.


Pense nisso.


Redação do Momento Espírita

segunda-feira, 19 de março de 2012

CICATRIZANTE DO TEMPO...

O tempo é o maior reparador de erros,
cicatrizante de feridas sejam elas novas ou antigas.
O tempo vai levando dores e aliviando o peso das mágoas.
Segue seu curso com a normalidade dos dias,
que para os aflitos parece não ter fim,
e para os apaixonados, ele voa, acaba muito rápido.


Se você está vivendo um momento de dor,
seja pelo luto sofrido, ou pelo romance rompido.
Pelo emprego perdido,
pelo amigo fingido,
seja pelo que for, não tome decisões repentinas.
Nem culpe o tempo pelo seu infortúnio.
Ele apenas segue a sua jornada,
sem escolher em qual morada,
irá se fixar, demorar ou voar...


Antes, deixe os dias passarem.
Espere as lágrimas secarem.
Não diga nunca mais, nem jamais.
Nunca mais é muito tempo,
jamais é fruto do seu ressentimento.


Para tudo, o tempo é sábio conselheiro,
você dorme no mar agitado e acorda sonhando em um veleiro.
O tempo não manda sinais, não faz barulho pela manhã,
e nem se esconde na noite escura.
Simplesmente reveste a vida com fina armadura,
despindo a verdade, que aparece assim,
finalmente, nua e crua.


Há tempo para tudo debaixo do céu...
Eu acredito em você.


Paulo Roberto Gaefke

sábado, 17 de março de 2012

O SEU OLHAR...

Fala agora para o tempo que você quer dar um tempo.
Parar com a mania de perseguição, de incapacidade,
e modificar a maneira de como você vê a vida,
não importa a sua idade.


A vida é bela e pede uma fita amarela.
Alias, a vida tem mil cores possíveis.
Depende apenas do seu estado, da maneira que vê essa vida.


Há quem veja beleza diante do mar,
e há quem tem fobia de tanta água.
Há quem ande pela areia e sente "energias",
outros, apenas "alergias".


Tudo depende do seu olhar.
É ele, o seu olhar, que muda caminhos,
aceita provocações, se acalma ou se agita.
O mundo continua o mesmo,
o tempo, anda da mesma maneira.
E isso fica claro, quando você vai para o campo,
deita na rede e espera o tempo passar.


Fala agora para o tempo que você quer amar.
Que você precisa receber o amor.
Que você quer mudar e perceber a mudança nos outros.


Fala agora para o tempo que o desejo não pode esperar.
É tempo de encontros e de reencontrar.


A fórmula da felicidade não é o conquistar,
nem pense que é o "ter".
A felicidade passa antes pelo "ser".
Seja então, mais você.


Fala para o tempo agora que é hora de encantar,
e dele poder roubar o melhor que a vida pode lhe dar.
Ser feliz, agora e sempre,
com o tempo que lhe restar...
Eu acredito em você


Paulo Roberto Gaefke

NO FRIGIR DOS OVOS...

Quando comecei, pensava que escrever sobre comida seria sopa no mel, mamão com açúcar. Só que depois de um certo tempo dá crepe, você percebe que comeu gato por lebre e acaba ficando com uma batata quente nas mãos. Como rapadura é doce mas não é mole, nem sempre você tem idéias e pra descascar esse abacaxi só metendo a mão na massa.
E não adianta chorar as pitangas ou, simplesmente, mandar tudo às favas. Já que é pelo estômago que se conquista o leitor, o negócio é ir comendo o mingau pelas beiradas, cozinhando em banho-maria, porque é de grão em grão que a galinha enche o papo.
Contudo é preciso tomar cuidado para não azedar, passar do ponto, encher linguiça demais. Além disso, deve-se ter consciência de que é necessário comer o pão que o diabo amassou para vender o seu peixe. Afinal não se faz uma boa omelete sem antes quebrar os ovos.
Há quem pense que escrever é como tirar doce da boca de criança e vai com muita sede ao pote. Mas como o apressado come cru, essa gente acaba falando muita abobrinha, são escritores de meia tigela, trocam alhos por bugalhos e confundem Carolina de Sá Leitão com caçarolinha de assar leitão.
Há também aqueles que são arroz de festa, com a faca e o queijo nas mãos, eles se perdem em devaneios (piram na batatinha, viajam na maionese… etc.). Achando que beleza não põe mesa, pisam no tomate, enfiam o pé na jaca, e no fim quem paga o pato é o leitor que sai com cara de quem comeu e não gostou.
O importante é não cuspir no prato em que se come, pois quem lê não é tudo farinha do mesmo saco. Diversificar é a melhor receita para engrossar o caldo e oferecer um texto de se comer com os olhos, literalmente.
Por outro lado se você tiver os olhos maiores que a barriga o negócio desanda e vira um verdadeiro angu de caroço. Aí, não adianta chorar sobre o leite derramado porque ninguém vai colocar uma azeitona na sua empadinha, não. O pepino é só seu, e o máximo que você vai ganhar é uma banana, afinal pimenta nos olhos dos outros é refresco…
A carne é fraca, eu sei. Às vezes dá vontade de largar tudo e ir plantar batatas. Mas quem não arrisca não petisca, e depois quando se junta a fome com a vontade de comer as coisas mudam da água pro vinho.
Se embananar, de vez em quando, é normal, o importante é não desistir mesmo quando o caldo entornar. Puxe a brasa pra sua sardinha, que no frigir dos ovos a conversa chega na cozinha e fica de se comer rezando. Daí, com água na boca, é só saborear, porque o que não mata engorda.
Ocorreu um erro neste gadget