Páginas

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

"Hoje eu só verei a bondade e a virtude de todos à minha volta.
Quando vejo e aprecio as especialidades nos outros, torna-se fácil e natural ver e apreciar minhas próprias especialidades.
Isto me torna uma pessoa fácil e leve.
Às vezes eu posso achar difícil ou literalmente impossível ver as especialidades em algumas pessoas.
Isto acontece porque temos o hábito de julgar e rotular.
Ao julgar, deixamos de aceitar e amar.
Aceitação é a chave para encontrar especialidades nos outros e em mim."


Brahma Kumaris

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

CONFUSÕES DO AMOR...

A palavra "amor"pode ser resumidamente classificada e facilmente identificada: amor é tudo o que é positivo e que faz bem. O resto é alienação, medo e muita, muita confusão.
Tem gente que diz: amo quem não me quer. Desculpe, mas há dois pontos aí: quem não aprendeu a se amar não ama ninguém; e quem se ama, não aceita quem lhe faça mal. É claro! Se eu me amo, só quero ao meu lado quem me respeite e que divida bons sentimentos comigo, para o meu próprio bem.

Quando penso que amo quem não me quer, quem não me quer sou eu.
Quando digo que amo quem me priva de minha liberdade, sou eu, prisioneiro de mim.
Em outras, somos nós os responsáveis por tudo o que aceitamos em nossas vidas, que nos faça mal ou bem.
Há quem diga também: estou sofrendo por amor.
Você pode sofrer por carência, inaceitação, egoísmo e também por inflexibilidade. Mas por amor, ninguém sofre.
Amor só faz bem. Amor só acontece quando aprendemos a nos amar. E aí, somos nós os responsáveis pelas confusões constantes que fazemos com nossos sentimentos.
Somos mestres em criar expectativas e, quando a pessoa que julgamos amar não corresponde a elas, achamos ruim, nos fazemos de vítima, dizemos que não queremos mais amar ninguém e que as pessoas sempre nos decepcionam.
Quando confundimos amor com ciúme, obsessão, possessividade, egoísmo, alienação, submissão e outras coisas mais, que geram dor e sofrimento a nós e aos outros, melhor nos lembrarmos de que amor só faz bem, e aquilo que não fizer, amor não será.
Há quem diga: tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Falso dito.
Devemos ser responsáveis é na forma de amar, e não por sermos amados.
Tendo sido honesto e autêntico, quem é amado não tem que se preocupar em agradar para merecer afeto.
Amor não combina com sedução. Combina com autenticidade.
Precisamos ter a coragem de sermos nós mesmos, certos de que a colheita virá, bem em acordo com o que plantamos.
Então, se algo não vai bem, será bom repensarmos o amor em nossas atitudes e o que desejamos mudar para que, num futuro que começa no próximo segundo, tudo fique diferente.


Victor Chaves

NOTAS SOBRE A HUMILDADE...

Não se cobra humildade de ninguém. Isso já é soberba.
-A palavra "humildade" não sai da boca do humilde. Quem diz "eu sou humilde", com isso, já não está sendo.
-Às vezes, por nos sentirmos pequenos, julgamos que o outro se sente maior.
-Excelente exercício de humildade vem das abelhas. Colaborar é ungir-se de união, abstenção e subserviência.
-Quem precisa demonstrar grandeza é apenas quem não a possui. E quem não a possui, ainda está pequeno.
-Quando nos incomodamos com a soberba alheia, é bom prestarmos atenção em nós mesmos. Quem se sente inferiorizado, ainda não entendeu que não há superiores. E se não há, porque nos incomodarmos? O outro está no caminho do aprendizado, assim como nós, ainda que em diferentes estágios.
-Quem cumprimenta, sorri, faz-se simpático e receptivo, está agindo apenas educadamente, sorridentemente, simpaticamente e receptivamente. Humildade é outra coisa. É a consciência de saber que você é apenas você. Nem mais e nem menos, nem acima e nem abaixo de ninguém.

Há políticos corruptos em busca de votos, mestres em cumprimentar a todos.
Há gente que recebe bem e fala pelas costas após a despedida.
Quando chamamos alguém de humilde, pelo fato de termos sido atendidos em algum propósito, estamos julgando sem conhecimento, dentro de um contexto em que, por nosso egoísmo e carência, nos deixamos levar por quem nos mima.
Age com humildade aquele que não se preocupa em agradar, mas com a educação e o amor que aprendeu a ter ao próximo, sabe que todos temos choro e riso suficientes, nem acima e nem abaixo de ninguém, nem mais e nem menos do que plantamos.


Victor Chaves

AFIRMAÇÕES...

Faço do pouco aparente, realidade suficiente para superar a necessidade do obsoleto.
Já não sou tão crítico, para não esquecer-me de quem sou quando o criticado for eu.
Imagino-me melhor e mais puro a partir de agora, para que neste próximo segundo, meu agora seja mais feliz e mais sóbrio.
Respeito a ordem das coisas e a dos outros para não ficar tentando entender o que não é de minha ordem.
Não mais tento convencer o mundo a ceder às minhas verdades. O mundo muda, eu mudo e minhas verdades mudarão.
Vivo sem preocupar-me com a morte. Uma parte de mim nasce e outra morre, a cada segundo, e isso é viver.
Ajo com amor, pois basta-me a intenção para que nada seja quase e tudo seja vitória.


Victor Chaves

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

PENSAR É COISA SÉRIA...

Não se deixe impressionar pela palavra dessa ou aquela pessoa.
Ainda que essa pessoa diga que te ama muito e está falando mal para o seu bem.
Antes de mais nada, use o seu poder de reflexão. 
Deixe de lado essa forte emoção, e por alguns momentos,
reflita usando a razão.
Você insiste nessa situação porque tem uma certeza que é o seu desejo,
ou é o orgulho que anda te cegando e deixando sem visão?

Muitas vezes queremos porque queremos tal coisa,
apenas para não deixar o gostinho de derrota ou fracasso na boca.
Somos orgulhosos demais para levar um não para casa.
Ensinamos até caminho errado só para não dizer que não conhecemos tal endereço.
Imagine quando se trata de amor, de paixão?

Apaixonados por uma "visão", por uma idealização, somos vítimas de nós mesmos.
Nos vendemos barato. Nos entregamos por nada.
Caímos em ciladas tão tolas, que depois de um tempo, ficamos até com vergonha.
Por isso, a razão é aquela amiga que cutuca e fica forçando uma atenção.
Pense!

Use o cérebro, coloque no papel. 
Converse com outras pessoas.
Não acredite nessa besteira de que sabemos tudo ou que podemos tudo.
Devemos ir até onde a dor seja pelo menos suportável.
Porque depois de errar, chorar é o que menos resolve.
Pense!

Paulo Roberto Gaefke

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

A VIDA CABE EM APENAS 1 DIA...

Na incerteza que é a Vida,
resta-nos a certeza dos poucos dias.
Temos pouco tempo para realizarmos tantos sonhos.
E nos perdemos em discussões tolas, em reuniões chatas.
Nos agarramos a amores mesquinhos, e por pura vaidade,
permanecemos onde não queremos, nos apegamos a idade
e no meio de tanta discriminação, esquecemos a razão,
e deixamos falar mais alto a tola emoção.
Olhar para o futuro é ver a tarde de hoje, a noite que se aproxima,
e ter a absoluta certeza de que estamos fazendo
algo que não fere a nossa alma.
Trabalhar para o bem coletivo.
Ter uma visão global do mundo.
Amar sem medo, sem esperar recompensas.
Viver sem cobrar nada e nem se cobrar.
Tomar o sorvete até o fim sem pensar nas calorias,
por puro prazer, por pura alegria.
A vida inteira cabe apenas nesse dia.
Aproveite-o!


Paulo Roberto Gaefke

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

JÁ PASSOU...

Não pense que a vida é um maço de flores lindas e perfumadas.
Que os amigos virtuais serão presenças marcantes no seu tempo.
Que os seus relacionamentos serão eternos e melados.
Que o Papai Noel existe e trará presentes de verdade...
Sinto lhe dizer que as coisas não são bem assim.
As rosas tem espinhos e podem machucar.
Os carros, quando batem, podem matar.
Bebidas alcoólicas podem viciar.
Cigarro mata, e se não mata, brocha.
Então, pare de acreditar em tudo o que você ouve.
Pare de se lamentar por tão pouco.
A sua dor não vai sair no Jornal Nacional, nem vai virar tema do filme do Jabor: pobre de mim, ai a minha dor...
Por isso, é extremamente recomendável que você acorde.
Viva a sua realidade com desejo de transformá-la.
Já que o que está ruim, pode ficar pior...
Nada de desanimar no meio do caminho.
Voltar pode ser mais doloroso, e avançar pode revelar caminhos maravilhosos.
As frutas amargas de hoje podem amadurecer, e no processo do tempo, ficarem docinhas.
Nada é definitivo, nem o fermento e nem o pão.
Nem a dor que hoje machuca, nem a alegria que faz rir.
Por isso, só por isso, vale a pena lutar.
Ser pelo menos neste instante, a transformação real que você tanto sonha.
Amar-se como nunca imaginou ser possível.
Gostar do seu cheiro, ter misericórdia de você.
Não se maltratar, não se culpar.
Simplesmente amar.
Hoje, e somente por hoje, nada mais do que hoje, você vai dizer diante do espelho: eu mereço o melhor!
Eu não aceito migalhas.
Eu sou a própria alegria.
E decidi ser feliz, sem levar em conta os outros.
Sem me importar com os problemas.
E atire a primeira pedra aquele que nunca errou, porque o tempo de sofrer, já passou!

Eu acredito em você!


Paulo Roberto Gaefke

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

NÃO CARREGUE O VELHO COM VOCÊ...

Infelizmente, tenho visto muita gente apegada ao sofrimento. Não por vontade consciente, mas por repetição mecânica da mesma forma de agir e pensar.
Aparentemente todas as pessoas sabem onde nasce o sofrimento. Alguns sofrem por amor, uma boa parcela sofre por conta de desacertos familiares, outros porque não conseguem uma colocação no mercado de trabalho ou ainda porque não têm as condições financeiras necessárias para sustentar o padrão de vida que acham que merecem. Seguindo neste raciocínio parece que temos todas as justificativas necessárias para sofrer. Parece mesmo que não tem outra saída porque quando está tudo errado não há conserto e, por conta disso, nem adianta procurar uma terapia e a solução soa como algo irreal. Será que é mesmo assim que a vida acontece?

Será que não temos uma atitude frente às impossibilidades ou poderíamos mudar de foco? Pensar de um outro jeito, criando um espaço para o novo?
Porém, não podemos esquecer que fazer uma abertura para algo novo exige coragem e desapego. E, infelizmente, tenho visto muita gente apegada ao sofrimento. Não por vontade consciente, mas por repetição mecânica da mesma forma de agir e pensar. Na verdade, muitas vezes a pessoa quer fazer diferente, no entanto, não consegue como no caso que vou usar para ilustrar a importância de uma mudança consciente de padrão.

Roberto, um jovem desenhista, após fazer vários cursos, inclusive no exterior, sentia-se sugado pela empresa em que trabalhava. Recebia um bom salário, embora não se sentisse livre para criar... e, é claro, achava que deveria ganhar mais já que reconhecia em si mesmo um grande talento.
Como ele veio me procurar para um tratamento, não me cabia avaliar se de fato ele tinha um talento especial ou se ele julgava a si mesmo com mais valor do que realmente tinha. Porque isso costuma acontecer quando não temos a consciência expandida. Às vezes, as pessoas ficam tão autocentradas que não reconhecem no mundo à sua volta as capacidades das outras pessoas. Passam, então, a competir até com a sombra e esse comportamento vai gerando tanta insegurança que anula a autoestima. Assim, a pessoa se fecha e, para se proteger, vê apenas aquilo que quer ver. Diz para si mesma que é ótima e que o mundo é que não reconhece o seu talento e esforço... e, seguindo por esse caminho, cai no papel de vítima...
Foi exatamente o que apareceu na história de Vidas Passadas do meu cliente Roberto. Ele havia sido um artista sem o talento reconhecido, criado por pais exigentes que cobraram muito dele. Hoje, ele assumiu autocobrança e não se permitia errar, o que o tornou taciturno na convivência e afastou amigos e relacionamentos, e o trabalho que era o ponto luminoso de sua vida estava pesado e sem a luz da realização.

Como dizer para este moço que ele sofria por ser muito orgulhoso?
Claro que ele se sentindo não respeitado e ferido não conseguia se ver como orgulhoso. Mas era esse desvio que estava atrapalhando tudo. Inclusive, quando conversamos, ele reconheceu que não aceitava críticas porque sentia muita vergonha e raiva ao mesmo tempo. Reclamava também que mesmo tendo mudado de emprego algumas vezes, apesar de ser em lugares bons, a história se repetia... Persistia o desrespeito, a solidão e o não-reconhecimento. Novas pessoas, novas oportunidades e o mesmo comportamento...

O que fazer, então, senão mudar o jeito de agir? Expliquei que era preciso aprender a conviver com as pessoas, ouvir a opinião alheia sem achar que a crítica teria o poder de destruir tudo...
Claro que nem sempre agradaremos a todos à nossa volta e quanto mais você se expõe, mais será alvo de amor ou de crítica, mas a vida é assim... Precisamos caminhar, encontrar com as pessoas e usar as experiências para nos transformarmos porque, de outro modo, teremos que nos contentar com a solidão e a mesmice das mesmas pessoas e paisagens.

Falando do coração: Acho que você merece mais que isso! Então, meu amigo, ouse ser você mesmo, renovando-se sempre, assumindo seus enganos e crescendo com a vida.

Maria Silvia Orlovas


http://somostodosum.ig.com.br/

VOCÊ ACREDITA?

É interessante como é uma questão de acreditar ou não. Você simplesmente acredita, e tem uma alma. Você não acredita, e, portanto, não tem uma alma. O difícil é que ocorre uma questão de impor crendices e sentimentos que movem o crescimento humano de cada um, que torna o crer e não crer, algo sujeito a julgamentos negativos e preconceituosos.

Acreditar em Deus é uma escolha, não uma obrigação.
Acreditar que os gatos são criaturas iluminadas espiritualmente, é uma escolha, não necessariamente uma verdade.
Assim como acreditar que se é amado, é uma maneira de ver, não necessariamente uma realidade. Afinal, é tão bom acreditar naquilo que faz bem...

Julgar-se certo por ter um raciocínio voltado para o ceticismo, é julgar-se melhor do que os outros ou mais inteligente, por simplesmente acreditar em algo que os outros não escolheram acreditar, e que você, por algum motivo específico, julga ser o certo.
Julgar-se mais evoluído por acreditar no poder do pensamento positivo, não o torna melhor do que ninguém.
O julgar-se pode ser perigoso. 
É como enxergar somente aquilo que se pode entender e aceitar. É limitar-se ao próprio raciocínio.

Se alguém acredita em alma, em energias positivas e negativas, ou se alguém acredita que o Sol e a Lua são Deuses, não importa. Muito menos importa se alguém escolhe não acreditar em nada, e ter o universo como inspiração para seus pensamentos e escolhas.

O que importa é saber que não se deve impor uma crença ou opinião. Mas sim que se deve saber aceitar e conversar sobre, utilizando-se do raciocínio que Deus, o Sol, os Gatos, Buda, ou/e a genética, a vivência, entre outros demais que possam ser a origem de tudo para cada um, nos “deu”.

Uma pessoa que sabe ouvir, sem dúvida sabe falar também.

Mas uma pessoa que não sabe ouvir, falará somente aquilo que for fruto da sua imaginação, aquilo que mantém a sua ilusão de que tudo que ela fala é certo, não importa o que o outro diga.

Afinal, o que é a vida, se não uma miragem daquilo que cada um carrega em seu deserto pessoal?

Vamos viver cada um a sua miragem, vamos acreditar naquilo que melhor mantém a pouca água que nos resta?
Não dá para forçar o outro a beber da sua água cética.
Não dá para forçar o outro a beber da sua água feita de fé.
Mas dá para viver em acordo, cada um com a sua água, seja ela como for.
O necessário é que ela o mantenha vivo.

Cada um só para se viver.

Mas que não falte amor.
Que não falte paz.
Que não falte sabedoria para ouvir e falar.
Que não falte um “terceiro olho” capaz de ver o que os dois que temos, muitas vezes, não conseguem.

Que as miragens não sejam destrutivas, e que água de cada um nunca se esgote.
Que o deserto de cada um possa ser habitado por outras águas, que estas águas sejam céticas, que sejam feitas de fé, mas que principalmente, não causem doenças, não impeçam a evolução, e que demonstrem que viver é mais do que saber, é também acreditar, saber ouvir e falar.

Agarre-se ao que você acredita, mas não permita que o seu raciocínio o impeça de caminhar por outros desertos.

Assista ao vídeo abaixo, e imagine-se agarrando somente aquilo que julga ser o necessário e correto. Veja o final, e pense sobre.


Um feliz mês dezembro.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

12 SINAIS DE QUE VOCÊ ESTÁ AMANDO...


Doze: Você anda realmente devagar quando está com ele.
Onze: Você fica tímida sempre que ele está por perto
Dez: Você sorri quando escuta a voz dele
Nove: Quando você olha para ele, não vê as outras pessoas que estão em volta, só ele.
Sete: Ele é tudo em que você pensa.
Seis: Você percebe que está sempre sorrindo quando está olhando para ele.
Cinco: Você faria qualquer coisa só para encontrar com ele
Quatro: Enquanto lia isso, tinha uma única pessoa na sua mente.
Três: Você simplesmente sorriu pois é verdade.
Dois: Você estava tão ocupada pensando nele que nem percebeu que o número oito está faltando.

Um: Você subiu até onde deveria estar o oito e agora está silenciosamente rindo de si mesmo.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

O SENHOR É BOM!


"O SENHOR é bom para todos e as suas misericórdias são sobre todas as suas obras." Salmos 145.9

Coisas de DEUS...
Tudo o que Deus faz é bom ! 

Há muito tempo num Reino distante havia um Rei que não  acreditava na bondade de Deus.

Tinha porém um súdito que sempre lhe lembrava dessa verdade. Em todas situações dizia:

Meu Rei não desanime porque Deus é bom! 

Um dia o Rei saiu para caçar juntamente com seu súdito e uma fera da floresta atacou o Rei.

O súdito conseguiu matar o animal porém não evitou que sua Majestade perdesse o dedo mínimo da mão direita.

O Rei furioso pelo que havia acontecido e sem mostrar agradecimento por ter sua vida salva pelos esforços de seu servo perguntou a este:

E agora o que você me diz? Deus e bom? Se Deus fosse bom eu não teria sido atacado e não teria perdido o meu dedo. 

O servo respondeu: 

Meu Rei apesar de todas essas coisas somente posso dizer-lhe que Deus é bom e que mesmo isso perder um dedo é para seu bem! 

O Rei indignado com a resposta do súdito mandou que fosse preso na cela mais escura e mais fétida do calabouço.

Após algum tempo o Rei saiu novamente para caçar e aconteceu dele ser atacado desta vez por uma tribo de índios que vivia na selva. 
Estes índios eram temidos por todos pois sabia-se que faziam sacrifícios humanos para seus deuses.

Mal prenderam o Rei passaram a preparar cheios de jubilo o ritual do sacrifício.

Quando já estava tudo pronto e o Rei já estava diante do altar o sacerdote indígena ao examinar a vitima observou furioso:

Este homem não pode ser sacrificado pois é defeituoso!  .......Falta-lhe um dedo! 

E o Rei foi libertado. 
Ao voltar para o palácio muito alegre e aliviado libertou seu súdito e pediu que viesse em sua presença.

Ao ver o servo abraçou-o afetuosamente dizendo-lhe: 

Meu Caro, Deus foi realmente bom comigo! Você já deve estar sabendo que escapei da morte, justamente porque não tinha um dos dedos, mas ainda tenho em meu coração uma grande duvida:  Se Deus e tão bom por que permitiu que você fosse preso da maneira como foi? ....Logo você que tanto O defendeu!? 

O servo sorriu e disse: 

Meu Rei se eu estivesse junto contigo nessa caçada certamente seria sacrificado em teu lugar pois não me falta dedo algum!


Desconheço o Autor

DEUS NÃO É RELIGIÃO...

"Crê no Senhor Jesus e será salvo, tu e tua casa"  Atos 16.31

Há uma grande diferença entre religião e salvação, há muitas religiões, mas só um Evangelho.

Religião vem do homem; Evangelho e salvação é revelação de Deus por meio de Jesus Cristo.

Religião é o ópio do povo; salvação é presente de Deus ao homem perdido.

Religião é história do homem pecador, que precisa fazer alguma coisa para seu deus imaginado. 

O Evangelho nos diz o que o Deus Santo fez pelo homem pecador.

Religião procura um deus; o Evangelho são as Boas Novas de que Jesus Cristo procura o homem que se encontra em caminho errado."Porque o Filho do homem veio salvar o que estava perdido" Mateus 18.11.

A religião dá ênfase em fazer alguma coisa, boas obras; o Evangelho muda o homem por dentro, através da presença do Espírito Santo em seu coração.
"...E assim habite Cristo nos vossos corações, pela fé" Efésios 3.17.

"Não sabeis que sois santuário de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós?" I Coríntios 3.16.

Nenhuma religião tem um Salvador ressuscitado, que dá perdão dos pecados e vida eterna, só Jesus Cristo ressuscitou.

Por isso, meu amigo, dirija-se só a Jesus Cristo. Ele é o único que pode perdoar os seus pecados e lhe dar vida nova aqui e vida eterna no porvir.

"Crê no Senhor Jesus, e serás salvo" Atos 16.31


"...E o sangue de Jesus, Seu Filho, nos purifica de todo pecado" I João 1.7

QUAL É MESMO O SEU PROBLEMA?

As vezes acreditamos piamente,
que temos um problema.
E por acreditar nesse problema,
damos lhe um tamanho maior que a nossa capacidade de resolvê-lo.
Por isso, perdemos valioso tempo em lamentações e pedidos inúteis.

Muitos são os que neste dia que se inicia,
não terão o alimento á mesa,
e para piorar verão seus entes queridos, na angústia da fome.
E nada pior que a dor da fome.

Outros, abandonados apenas as forças da Divina Providência,
vão se resignar com  a dor que carregam.
Tendo como remédio, uma prece, um benzimento.
Deixados de lado, em puro esquecimento.

Alma querida, nunca se esqueça que Deus não se esquece de ninguém
As aves, os repteis, o solo e a planta mais indesejada,
reconhecida como praga,
receberá das Mãos de Deus, as mesmas gotas de água
que a orquídea mais rara.

Por isso, faça do seu problema, seja ele do tamanho que for,

não uma fonte de lamentação e dor,
mas uma ponte para seguir adiante, sem olhar para o tamanho,
ou mesmo para sua proporção.
Gigante mesmo é o poder que cada ser humano tem de conseguir,
através da sua determinação, superar suas próprias deficiências.

É hoje, é agora, é este o momento de mudar.
De pegar outra estrada, de começar um novo trabalho.
De fazer qualquer outra coisa para não ser a mesma pessoa.
Porque essa mesma pessoa já não te agrada mais.
Então, esqueça o problema, pense na solução.
E assim, com amor e dedicação,
você vai vencer, com equilíbrio entre a emoção e a razão.
A vitória te espera. 
Acredite em você.


Paulo Roberto Gaefke

O PASSADO É UM DEFUNTO...

Sim, tem muita coisa boa que eu fiz um dia.
Tem amores vividos inesquecíveis.
Tem dias do passado que eu nem consigo esquecer.
Coisas que eu conquistei, escrevi, vivi.
Mas, a minha vida é o "hoje",
e eu sou o acúmulo das experiências do passado,
criando o meu futuro com as atitudes que tomo agora.

Por isso, o amor da minha vida é o de hoje,
ou poderá ser o de amanhã.
Nunca o que não aconteceu, ou o que ficou no passado.
O passado normalmente é um defunto que esquecemos de enterrar.
Mas, como todo defunto, depois de algum tempo, fede mesmo.
Então, foco no hoje, no agora, no que dá para fazer.

É esse foco que nos tira o nó da garganta, a vontade de chorar.
Nos prepara para a vitória pessoal, para conquistar, viver e amar.
O presente é o agora, esse dia que te pertence, só isso.
Aproveite-o bem e seja feliz.
Simples assim!


Paulo Roberto Gaefke

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Do meu telescópio, eu via Deus caminhar! A maravilha, a harmonia e a organização do universo só pode ter se efetuado conforme um plano de um ser todo-poderoso e onisciente.

Posso pegar meu telescópio e ver milhões de quilômetros de distância no espaço; mas também posso pôr meu telescópio de lado, ir para o meu quarto, fechar a porta e, em oração fervorosa, ver mais do Céu e me aproximar mais de DEUS do que quando estou equipado com todos os telescópios e instrumentos do mundo.


Isaac Newton

segunda-feira, 25 de novembro de 2013



"A cada novo minuto você tem a liberdade

e a responsabilidade de escolher para

onde quer seguir, mas é bom lembrar
que tudo na vida tem seu preço."




Zíbia Gasparetto
Quando refletimos sobre a condição humana e reconhecemos que estamos todos "no mesmo barco" perdemos o direito de reivindicar mais para nós!

Pessoas com mais maturidade emocional buscam soluções para suas sensações de carência e desamparo que não onerem seus parentes, parceiros...

Não creio que caiba uma postura pessimista ao perceber que a condição humana envolve dores inevitáveis: elas são um estímulo para a evolução.

Penso que se nos sentíssemos completos e em harmonia não existiria o amor, nossos vínculos seriam precários e estaríamos na idade da pedra.

Ao invés de me lamentar, penso cada vez mais no quão fascinante é a vida: temos enormes desafios e cabe a cada um dar resposta aos dilemas.

Não é bom terceirizar os dilemas existenciais: ou seja, tentar se encostar em alguém para que eles resolvam nossas carências e dificuldades.

Buscar um parceiro para, juntos, lidarmos com os problemas da vida é enriquecedor. Buscar alguém para nos carregar nas costas é imaturidade.


Flávio Gikovate

BOA NOTÍCIA SE ESPALHA RÁPIDO...

“Logo depois, aproximando-se os que ali estavam, disseram a Pedro: Verdadeiramente, és também um deles, porque o teu modo de falar o denuncia.” Mateus 26.73

Há algum tempo atrás eu vi uma reportagem em um canal de documentários sobre uma mina de ouro na África, um lugar que, para nós brasileiros, lembraria muito bem a famosa Serra Pelada. 

O repórter perguntou ao dono da mina se ele não tinha receio de que algum funcionário pudesse encontrar uma pepita de ouro e não entregá-la para vender fora dali.

Aquele homem olhou nos olhos do repórter e disse: “é impossível alguém me roubar aqui... Se qualquer empregado meu achar uma pedra de ouro, por menor que seja, ele ficará tão contente que não conseguirá esconder a felicidade, muito menos a pedra de ninguém, ele vai mostrá-la para alguém mais cedo ou mais tarde e eu vou ficar sabendo.”

Isto me fez refletir sobre o modo como a alegria do Evangelho deveria e deve atuar em nós. O encontro com Jesus precisa marcar nossas vidas a tal ponto que nosso modo de viver e andar “denuncie” nosso encontro com Ele.

No texto que serve de base para esta nossa reflexão, Pedro foi posto à prova, a firmeza do testemunho e da convicção do Apóstolo foi desafiada. Embora ele tenha “amarelado” e negado ao Senhor, e teve oportunidade de fazer isto por três vezes antes do galo cantar, o que eu quero destacar aqui não é o medo que Pedro teve no início de se dizer quem e o que ele era, mas o que eu quero que você perceba é o que acontece no entorno deste versículo. Perceba que Pedro queria apenas acompanhar os momentos finais de Jesus, talvez mais por curiosidade de saber o que poderia acontecer de fato com o Senhor do que propriamente por fé. O surpreendente é que, no meio de toda aquela situação, ele foi “denunciado” pela forma como falava. Não somente o sotaque o entregava, mas algumas pessoas conseguiram reconhecer nele um seguidor daquele que estava sendo condenado.

O Evangelho pregado em alguns lugares anda tão desacreditado, tão moldado aos interesses de alguns homens sem escrúpulo, tão morno, conivente com as mazelas humanas e distante da proposta transformadora de Jesus, que já está mais do que na hora de resgatar alguns valores fundamentais da Fé.

Este é o momento em que ou nós cristãos decidimos voltar de verdade à mensagem da Cruz, “Arrependei-vos e crede no Evangelho” Marcos 1.15 ou seremos mais uma dentre tantas religiões do mundo que se tornaram meramente clubes de uma espiritualidade vazia voltada para o seu próprio benefício e interesse. Algumas conseguem se aproximar de uma pseudo revelação e descortinar do oculto, mas enganam-se pensando que encontrarão salvação fora do Verbo de Deus que se fez carne.

Precisamos tomar ciência sobre qual é o propósito que direciona nossas vidas. O que nos move é a curiosidade ou é a Fé no Evangelho? Certamente sempre seremos conhecidos muito mais pelo nosso modo de vida do que necessariamente pelo que falamos. É assim por toda a História e em todos os lugares.

O testemunho foi e sempre será o centro da missão, logo não há Evangelho sem testemunho, mesmo porque a palavra “Evangelho”, no grego original, significa boa notícia, uma maravilhosa novidade para ser compartilhada e espalhada com toda a humanidade. O Evangelho precisa pulsar em nós com a mesma naturalidade da felicidade de uma criança que ganhou um doce ou um presente do pai que acaba de chegar em casa, esta é a condição para que o nosso testemunho alcance bom êxito.

O que anunciamos então é a salvação em Jesus Cristo. Nele afirmamos convictos não só pelo que ouvimos e aprendemos, mas pelo que experimentamos, de fato, em nós mesmos, que “não há salvação em nenhum outro, porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.” Atos 4.12

Qualquer coisa anunciada fora disto não é Evangelho, muito menos, salvação para quem se encontra perdidamente ofuscado por toda a fascinação e envolvimento espalhados pela terra. Pode ser confissão positiva, pode ter aparência de religiosidade, sabedoria e piedade, pode até ter todo um aparato sobrenatural, mas não é a Boa Notícia de Deus para o homem.

Em Jesus tudo se fez e se faz novo todos os dias. As cadeias da depressão, opressão, pecado e maldade são facilmente arrebentadas simplesmente por Sua palavra. Sem barganha, sem preço, sem troca, somente pela fé. Permita que o Evangelho lhe transforme hoje, mude suas percepções de mundo, então você conseguirá mudar o que está à sua volta. Deixe o testemunho de Jesus falar em você e através de você.

Hoje vou encerrar esta reflexão com o testemunho de João, o apóstolo, que também teve um profundo encontro com a verdade que anunciamos aqui:

"O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida (e a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada), o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo." I João 1.1-3

O Deus que se fez carne em Jesus Cristo te abençoe rica, poderosa e sobrenaturalmente!


Site Ovelha Magra

INSATISFAÇÕES...

122 pares de sapatos e ela não encontrava um que servisse para aquela festa.
20 ternos e ele estava achando todos um lixo.
Geladeira cheia e o menino batia a porta da geladeira por não encontrar uma coisa gostosa.
Calmante forte, com tarja preta e e receita, mas eles não conseguiam dormir.
Carro do ano na garagem, mas não sabiam para onde ir.
Casa de luxo na praia, mas estava fechada havia muitos meses... Celular último tipo...
DVD, Karaokê, Notebook, Câmera digital, Vídeo Game In Box, jogos de última geração, e muita, muita insatisfação.

Estamos nos armando de tudo o que é tipo de tranqueira material para suprir o vazio que nada preenche. Vamos ao supermercado esperando encontrar felicidade nas prateleiras, mas voltamos frustrados, com o carro cheio e a alma vazia.

Nunca o homem teve tanto acesso a Deus e nunca ficou tão distante como agora, tantos templos, tantas religiões, tantas definições e ideologias, e mesmo assim, o homem se afasta cada vez mais do seu Criador. Por isso a carência afetiva, as doenças nervosas, a violência que se espalha, o consumismo que gera as diferenças sociais tão brutais. E nada sacia o homem, quanto mais ele acumula, quanto mais possui, mais vazio vai se tornando.

Aproveite seu dia, busque encontrar Deus pelo caminho, na pessoa que sentou-se ao seu lado no ônibus, no vizinho que você não cumprimenta já faz tempo, no animal abandonado que você quase atropela, na árvore que seca bem em frente a sua casa, no cidadão deitado no banco da praça, no filho que se embriaga e você nem vê, na filha que sofre a desilusão do primeiro amor e você não sabe.

Quantos gritam onde está Deus? Cegos pelo orgulho que não permite ver que Ele nunca se ausentou, sempre esteve na sua vida, no seu dia, na sua família, mas nunca foi chamado, a não ser nas desgraças e nos momentos de dor e sofrimento.

Você convidou Jesus para almoçar com você hoje? No dia do seu casamento você mandou o primeiro convite para Ele? Na sua formatura Ele estava presente?
Hoje ao levantar-se você falou com Ele?
Você contou do seu amor, da sua alegria no trabalho?

Você quer saber onde está Deus?
Olhe para a sua vida, como você trata os seus, olhe para a sua casa, reveja suas atitudes diárias. Os atos falam mais do que as palavras e tudo o que fazemos, são as verdadeiras orações que levamos até Ele.

Por isso, antes de fazer sua oração repetida, velha e cansada, coloque um "fogo novo" na sua vida: Convide Jesus para participar de todos os seus momentos, e assim, você será preenchido, saciado, envolvido pelo amor que nunca acaba, pela água que sacia a tua sede, e então, mesmo com muito pouco, será plenamente feliz, porque Ele veio para que todos tenham vida, e tenham vida com abundância.

Paulo Roberto Gaefke

EMPREGUEI MEU TEMPO...

Empreguei meu tempo em criar um relacionamento.
Eu amava e me entregava, e no desespero de sentir esse amor,
não percebia que só havia um lado, um só coração.
Muita emoção, nenhuma razão e a triste conclusão:
Solidão!

Empreguei meu tempo em um emprego massacrante.
Salário baixo, chefia exigente, ambiente ruim.
Na cegueira de ser o o melhor que poderia ser,
perdi tempo com quem não me valorizava.
Muita dedicação sem razão e a triste conclusão:
Demissão!

Empreguei meu tempo em uma escola que prometia.
Tinha bom nome, mas em tudo devia.
Professores desinteressados, didática antiga.
Na cegueira da busca do diploma, me esforcei.
Perdi tempo, pois não tinha vocação para o vazio.
Muitas horas de estudo vago, falta de tesão e a triste conclusão:
Diploma não é profissão!

Empreguei meu tempo em algo que eu gostava.
Fiz um curso simples na área que eu mais admirava.
Sem me importar com o que iriam dizer, ou quanto iria render.
Apenas me esforcei com desejo de vencer.
Ganhei vida, elogios e um caminho seguro.
Até um amor de verdade eu encontrei.

Foi simples assim, no dia em que realmente eu me amei.
E levei em conta os meus sonhos, desejos e me admirei.
Sentindo-me uma pessoa merecedora do melhor,
encontrei com facilidade, 
esse caminho tão simples,
que me trouxe Felicidade.


Paulo Roberto Gaefke

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

VOCÊ CRER?

"Fé é o firme fundamento das coisas que… se não veem" Hebreus 11.1.

Ainda posso ouvir meu professor me perguntando: “Onde fica Nápoles”?

Como não estava bem certo, respondi hesitante: “Acredito que fica na Itália”.

A resposta foi contundente: “Acreditar é para questões de igreja; você tem de saber”.

De certa forma ele estava correto.

Acreditar obviamente está relacionado a questões religiosas, mas não se resume apenas a isso.

Quem crê tem de agir e viver na fé em todos os lugares e em todo tempo, não somente quando está na igreja, mas também em casa, no trabalho, no cotidiano.

Quem limita a crença à igreja torna sua fé inútil e morta.

Uma fé viva é o poder dinâmico que envolve todos os aspectos da vida de um crente.

Contudo, meu professor quis dizer algo diferente.

Quis enfatizar a diferença entre crer e saber de fato.

Ele deduziu a partir da minha resposta o quão inseguro eu estava.

Geralmente usamos as palavras “crer” ou “acreditar” quando expressamos incerteza.

“Será que vai fazer sol hoje”?

– “Ah, eu creio que sim”.

Existe claramente uma dúvida nessa resposta.

O uso bíblico da palavra “crer” expressa exatamente o oposto: uma confiança firme e inabalável.

Quando dizemos que cremos em Deus e em Sua Palavra, a dúvida está fora de questão.

Porque confiamos nEle, sabemos com certeza que Ele cumpre Suas promessas e que o que Ele diz é verdadeiro.

Deus jamais decepcionou ou enganou alguém.

Se você tem dúvidas, incertezas ou inquietações em seu coração, você deve se refugiar em Deus e em Sua Palavra.

Crer em Deus é abrir mão de nossas próprias crenças e inseguranças e confiar nEle inteiramente.


Desconheço o Autor
Ocorreu um erro neste gadget