Páginas

terça-feira, 19 de maio de 2009

QUEM SOU EU?


"Possuímos em nós mesmos, pelo pensamento e a vontade, um poder de ação que se estende muito além dos limites de nossa esfera corpórea."
Allan Kardec


Penso em Deus, penso na vida, penso em tudo que me cerca e me interrogo a respeito da função de tudo quanto vibra, de tudo quanto existe sob os céus e guardo grande ansiedade de saber sobre mim mesmo.
Quem sou eu no contexto do universo?
Serei, tão-somente, um corpo que desfila inteligentes quão misteriosas habilidades?
Serei um caminhante solitário, em meio à gigantesca massa humana, destinado a encarar complicados problemas, a enfrentar desafios?
Serei um átomo excitado diante dos esplendores das incontáveis galáxias?
Serei, porventura, produto da casualidade sem projeto, sem programa, sem razão de ser?
Como explicar-me a mim próprio como um itinerante aprendiz das pautas do infindo cosmo?
Serei alguém fadado ao sofrimento, a chorar de pesar em todos os momentos?
Serei um ser destinado à intensa dor, duradoura, sem esperança de tempos melhores, de felicidade?
Serei um indivíduo levado pelas mãos do desencanto à estalagem das ansiedades e das frustrações?
Somente há dor e fel por onde eu possa trilhar, como se toda a existência não passasse de um fumo entediante, asfixiante, a sugar-nos a vontade de avançar, de sorrir, de louvar?
Retorno à fonte do meu senso interno e vejo que há lucidez em cada coisa que existe, em cada ser que erra.
Sinto que não nascemos pra ser tristes e viver entre dor, gemido e pranto, mas, aqui estamos para alcançar o bem mais santo, e avançar para o progresso e conquistar o encanto de agir com Deus nas lutas do mundo, de vibrar na alegria, no júbilo fecundo, até o tempo longínquo da áurea plenitude.
Sinto que sou caminhante do infinito, e, não obstante o horror, a amargura, o choro, o grito, embora estando na terra entre teimosias, aflito, o meu destino é sem dúvida estelar.
Agora sei que nasci para servir, pra ser feliz, crescer e amar.
Cheguei ao mundo nos planos do Criador, que espera que me faça um lavrador a semear nos corações, em redor dos meus passos, as sementes de esperança, de alegria e de paz, que onde eu vá me transforme num servidor da verdade, do trabalho e da harmonia.
Sei que sou cidadão universal, irmão da humanidade, indubitavelmente, filho do Deus altíssimo, bom, justo e clemente, dotado do melhor recurso para fazer brilhar a divina luz em mim.
E, ante os desafios terrenos, dizer não ou dizer sim, com responsabilidade, com razão e com ternura.
Sou caminhante da eternidade.
Sou dedicado aprendiz buscando disciplina, revestido de um manto de matéria fina, quintessência, formosura que impulsiona para Deus.
E agora que me vejo repleto de certezas que me asseguram a estabilidade na consciência do que sou, sei que imerso no hálito paterno do Criador da vida me completo, a cada dia vivendo virtudes, transformando em ternuras gestos rudes, suavizando o que sou para o futuro, obra-prima de Deus, luz coagulada, a galgar a evolução em toda estrada, o que é do senhor sagrado fim, ver-me, astro a brilhar, nas rotas do infinito.

Nesta bela página ditada pelo Espírito Ivan de Albuquerque, através da mediunidade de Raul Teixeira, encontramos a resposta transcendente para a pergunta que cala fundo em nós: "quem sou eu?"
Equipe de Redação do Momento Espírita, adaptação de mensagem do Espírito Ivan de Albuquerque, psicografada em 03.7.2002, na Sociedade Espírita Fraternidade, em Niterói-RJ, pelo médium Raul Teixeira.

AMOR DE RECOMEÇAR...


Antes que o seu relacionamento acabe, antes que o casamento vire um "caso de amigos", antes que o amor se transforme em lembranças, ligue para a pessoa amada e diga o quanto a ama, repare nas roupas que ela veste,
beije-a mais vezes, leve pequenos presentes diários, uma bala ou um bombom, deixe recado no Orkut dela,
mande um scrap apaixonado, cheio de boas e "más intenções"...
Relembre velhos códigos, aqueles toques, pequenos gestos ou palavras que só para vocês dois é que fazem algum sentido.
O amor pede cumplicidade, e pode ser alimentado, mesmo na relação mais desgastada, mesmo depois de tantos anos juntos, o amor pode ser revivido, desde que haja sonhos em cada um...
Mas, se o amor acabou, se não há mais chama, nem chance alguma, é fundamental que as lições, desse amor que não deu certo, sejam gravadas na alma, e sirvam de referência.
Que cada um busque um novo amor, sem amarras, sem rancor, livres de verdade, pois o amor, para ser amor, para durar, tem que ter detalhes para marcar, para sempre recomeçar...
Não deixe de abraçar as pessoas que você ama, nem de renovar o seu amor a cada novo dia!
Paulo Roberto Gaefke

PEDIU...


Pediu um amor, encontrou, mas não soube reconhecer, perdeu-se em meio as paixões fúteis...
Pediu uma oportunidade de vida, encontrou trabalho, desistiu, preferiu o emprego fácil.
Pediu uma bênção, recebeu a própria vida, mas não a reconheceu, nos vícios quase a perdeu.
Pediu para aumentar a fé, recebeu uma provação, no meio da noite chorou, desistiu de Deus.
Pediu um sonho, sonhou e ficou esperando, os dias se passaram e de braços cruzados nada aconteceu.
Acabou pedindo um pedaço de pão; uma migalha de amor; um tostão de fé; uma nota qualquer; virou mendigo de si mesmo.
Eis que o dia pede ação!
Os sonhos correm na frente, estão sempre adiantados.
Para alcançá-los é preciso esforço.
Pare de lamentar-se pelo que não foi, lute para ser o que deseja ser, ou ter.
Na vida não há espaço para o desânimo.
Pediu para ver Deus, encontrou-o caído na calçada, outro dia estava internado no hospital, mais tarde na cela de uma prisão, e no final da noite, bateu à sua porta e pediu pão.
Ele viu, mas não reconheceu, pois onde está o teu irmão, ai está Deus.
Paulo Roberto Gaefke

FORÇA DESCONHECIDA...


Que força é essa tão desconhecida?
Que poder é esse de transformar uma vida?
Que valor é esse que não podemos calcular?
O pensamento é a grande arma que o homem ainda não domina, é a força transformadora que ainda corre solta, ora nos leva a vitória, ora a derrota de nós mesmos.
Qual o médico que pode operar uma gravidez psicológica?
Qual o analista que pode alterar um sonho pessoal?
Qual o cientista que pode transportar às ondas cerebrais?
Quem pode fazer você fazer aquilo que você não quer?
Quem pode convencer um drogado à largar o vício?
Quem pode dar um motivo alegre para o deprimido sair?
Tudo está dentro de nós!
Nossos deuses, nossos anjos e nossos demônios, atraímos a paz e por vezes criamos a guerra.
Queremos falar de amor e acabamos odiando, levantamos para trabalhar e enrolamos, admiramos e nos decepcionamos.
Tudo muito rápido, instantâneo…
O que falta não é felicidade, nem companhia, O que falta é objetivo, meta.
Quando tudo está muito vago; tudo é relativo, tudo é parte, é pouco.
Mas, quando determinamos, quando ousamos sonhar, tudo é muito completo, rico, cheio de uma porção mágica, que é o tesão pela vida, a descoberta de nós mesmos.
Por isso, neste dia que o sol pode estar escondido, lembre-se de fazer escolhas, de decidir.
De parar um minuto e pensar em você, de desejar mais do que viver na cidade, pense em conquistar a felicidade.
Porque se alguém merece ser feliz, Esse alguém é você!
Paulo Roberto Gaefke

ENTRE ESCOLHAS...


Entre os erros descobri acertos, entre o desânimo encontrei forças, entre destruição vi paredes aproveitáveis, entre ruas perdidas, encontrei saídas, entre a miséria eu vi esperança, e no meio do caos, uma direção.
Quando o céu escureceu e a noite caiu, a solidão me fez companhia, e no meio do silêncio da noite perdida, eu conversei com o vazio, e chorei, e entre as lágrimas eu vi um riso, e entre rir ou chorar, preferi a gargalhada seca de quem espera, e agora faço o meu caminho sem medo.
Entre o meu sonho e a realização; um fio, uma tênue linha que nos separa, um esforço a mais que eu tenho que realizar, e entre o ficar e o ir, eu vou, entre o amar ou o ficar, eu amo, entre o mar e rio, eu navego, entre o doce e o amargo, eu me lambuzo.
E se tenho tanta confiança, é porque no fundo no fundo, vive em mim uma criança, que neste momento sorri, e diz sim para vida, porque sabe perdoar e recomeçar, sempre...
Liberte a criança que mora em você, antes que ela envelheça e se esqueça, de que amar vale a pena, sempre!
Paulo Roberto Gaefke

sexta-feira, 15 de maio de 2009

OS 12 SINAIS DO SEU DESPERTAR DIVINO...


“Shaumbra” significa Família e Amizade Interior profunda.
Os Sintomas de Shaumbra:
Dores no corpo e sofrimentos, especialmente no pescoço, ombros e costas. Isto é o resultado de intensas mudanças no seu nível de DNA, enquanto a "semente Crística" é despertada interiormente. Isto também passará.

Sentimento de profunda tristeza interna sem aparente razão. Você está soltando seu passado (dessa vida e de outras) e isto causa o sentimento de tristeza. Isto é semelhante a mudar-se de uma casa na qual você viveu por muitos, muitos anos para uma nova casa. Por muito que você queira mudar-se para uma nova casa, existe uma tristeza por deixar as memórias para trás, energias e experiências da velha casa. Isto também passará.

Chorar sem razão aparente. Semelhante ao item 2 acima. É bom e saudável deixar as lágrimas fluírem. Isto ajuda a soltar a velha energia interna. Isto também passará.

Repentina mudança no trabalho ou carreira. Um sintoma muito comum. Como você muda, coisas a sua volta igualmante mudarão. Não se preocupe em achar o emprego "perfeito" ou carreira agora. Isto também passará. Você está em transição e poderá fazer várias mudanças de empregos até se estabelecer em algum que caiba sua paixão.

Afastar-se das conexões familiares. Você está conectado com sua família biológica via velho carma. Quando você sai do ciclo cármico, os vínculos das antigas conexões são soltos. Vai parecer que você está afastando-se de sua família e amigos. Isto também passará. Depois de um período de tempo, você pode desenvolver uma nova conexão com eles, se isso for apropriado. Porém, a conexão será baseada na nova energia sem elos cármicos.

Padrões de sono pouco comuns. É provável, que você acorde muitas noites entre duas e quatro horas da manhã. Há muito trabalho sendo feito em você, e isso muitas vezes faz você acordar para dar uma respirada" . Não se preocupe. Se você não puder voltar a dormir, levante-se e faça alguma coisa. É melhor do que deitar na cama e preocupar-se com coisas humanas. Isto também passará.

Sonhos intensos. Nestes podem ser incluídos sonhos de guerra e batalhas, sonhos de caçadas e sonhos com monstros. Você está literalmente soltando a velha energia interna, e estas energias do passado são muitas vezes simbolizadas como guerras, corridas para escapar e o "bicho papão". Isto também passará.

Desorientação física. Em tempos você sentirá muito sem chão. Você estará "mudando espacialmente" com a sensação de que você não pode por os dois pés no chão, ou que você está andando entre dois mundos. Conforme sua consciência muda para a nova energia , seu corpo algumas vezes "atrasa-se" e "fica para trás", isto é, ele não acompanha. Gaste mais tempo na natureza para ajudar a aterrar a nova energia interior. Isto também passará.

Aumento da "conversa consigo mesmo". Você encontrar-se-á conversando com seu "Eu" mais freqüentemente. Você de repente perceberá que esteve batendo papo com você mesmo pelos últimos 30 minutos. Existe um novo nível de comunicação tomando lugar dentro do seu ser, e você está experimentando a "ponta do iceberg" com a "conversa consigo mesmo". As conversas aumentarão, e se tornarão mais fluídas, mais coerentes e com mais visões interiores. Você não está ficando maluco. Você é apenas Shaumbra movendo-se para a nova energia.

Sentimentos de solidão, mesmo quando em companhia de outros. Você pode sentir-se sozinho e longe dos outros. Você pode sentir desejo de evitar grupos e multidão. Como Shaumbra, você está percorrendo um caminho sagrado e solitário. Tanto quanto os sentimentos de solidão causem ansiedade, é difícil, neste tempo, contar sobre isto a outros. Estes sentimentos de solidão estão associados ao fato de seus Guias terem partido. Eles estiveram com você em todas as suas jornadas, em todos os cursos de suas vidas. Era tempo deles se afastarem, assim você ocuparia esse espaço com sua própria divindade. Isto também passará. O vazio interior será ocupado com amor e energia de sua própria consciência Crística.

Perda da paixão. Você pode sentir-se totalmente desapaixonado, com pouco ou nenhum desejo de fazer qualquer coisa. Isto está certo, e isto é apenas parte do processo. Pegue este tempo para fazer nada mesmo.
Não lute com você mesmo por isso, porque isto também passará. É semelhante a reprogramar um computador. Você precisa fechar por um breve período de tempo para poder carregar com o novo e sofisticado software, ou neste caso, a nova energia da semente Crística.

Um profundo desejo de ir para Casa. Esta talvez seja a mais difícil e desafiante de qualquer uma das condições. Você pode experimentar um profundo e irresistível desejo de voltar para Casa. Isto não é um sentimento suicida. Não é baseado numa frustração ou raiva. Você não quer fazer um grande negócio disto ou causar drama para você mesmo ou para outros. Tem uma quieta parte de você que quer ir para Casa. A raiz que origina isto é bastante simples. Você completou seus ciclos cármicos. Você completou seu contrato para esta duração de vida. Você está pronto para começar uma nova vida enquanto ainda está neste corpo físico. Durante este processo de transição você tem lembranças interiores do que é estar do outro lado. Você está pronto para alistar-se para outra viagem de serviço aqui na Terra? Você está pronto para um contrato de desafios de mudanças em direção à Nova Energia. Sim, na verdade você pode ir para Casa agora mesmo. Mas, você veio até aqui, e depois de muitas, muitas vidas seria um pouco frustrante ir embora antes de ver o final do filme. Além disso, O Espírito precisa de você aqui para ajudar outros na transição para a nova energia. Eles precisarão de um guia humano, como você, que fez a jornada da velha energia para a nova. O caminho que você está percorrendo agora fornece as experiências que te habilita a vir a ser um Professor para o Novo Humano Divino. Tão solitária e escura que sua jornada possa ser às vezes. Lembre que você nunca está só.

Direitos de cópia 2006 de Geoffrey Hoppe, Golden,CO

quinta-feira, 14 de maio de 2009

A COMPLICADA ARTE DE VER...


Ela entrou, deitou-se no divã e disse: "Acho que estou ficando louca". Eu fiquei em silêncio aguardando que ela me revelasse os sinais da sua loucura. "Um dos meus prazeres é cozinhar. Vou para a cozinha, corto as cebolas, os tomates, os pimentões _é uma alegria! Entretanto, faz uns dias, eu fui para a cozinha para fazer aquilo que já fizera centenas de vezes: cortar cebolas. Ato banal sem surpresas. Mas, cortada a cebola, eu olhei para ela e tive um susto. Percebi que nunca havia visto uma cebola. Aqueles anéis perfeitamente ajustados, a luz se refletindo neles: tive a impressão de estar vendo a rosácea de um vitral de catedral gótica. De repente, a cebola, de objeto a ser comido, se transformou em obra de arte para ser vista! E o pior é que o mesmo aconteceu quando cortei os tomates, os pimentões... Agora, tudo o que vejo me causa espanto."
Ela se calou, esperando o meu diagnóstico. Eu me levantei, fui à estante de livros e de lá retirei as "Odes Elementales", de Pablo Neruda. Procurei a "Ode à Cebola" e lhe disse: "Essa perturbação ocular que a acometeu é comum entre os poetas. Veja o que Neruda disse de uma cebola igual àquela que lhe causou assombro: 'Rosa de água com escamas de cristal'. Não, você não está louca. Você ganhou olhos de poeta... Os poetas ensinam a ver".

Ver é muito complicado. Isso é estranho porque os olhos, de todos os órgãos dos sentidos, são os de mais fácil compreensão científica. A sua física é idêntica à física óptica de uma máquina fotográfica: o objeto do lado de fora aparece refletido do lado de dentro. Mas existe algo na visão que não pertence à física.

William Blake sabia disso e afirmou: "A árvore que o sábio vê não é a mesma árvore que o tolo vê". Sei disso por experiência própria. Quando vejo os ipês floridos, sinto-me como Moisés diante da sarça ardente: ali está uma epifania do sagrado. Mas uma mulher que vivia perto da minha casa decretou a morte de um ipê que florescia à frente de sua casa porque ele sujava o chão, dava muito trabalho para a sua vassoura. Seus olhos não viam a beleza. Só viam o lixo.
Adélia Prado disse: "Deus de vez em quando me tira a poesia. Olho para uma pedra e vejo uma pedra". Drummond viu uma pedra e não viu uma pedra. A pedra que ele viu virou poema.

Há muitas pessoas de visão perfeita que nada vêem. "Não é bastante não ser cego para ver as árvores e as flores. Não basta abrir a janela para ver os campos e os rios", escreveu Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa. O ato de ver não é coisa natural. Precisa ser aprendido. Nietzsche sabia disso e afirmou que a primeira tarefa da educação é ensinar a ver. O zen-budismo concorda, e toda a sua espiritualidade é uma busca da experiência chamada "satori", a abertura do "terceiro olho". Não sei se Cummings se inspirava no zen-budismo, mas o fato é que escreveu: "Agora os ouvidos dos meus ouvidos acordaram e agora os olhos dos meus olhos se abriram".

Há um poema no Novo Testamento que relata a caminhada de dois discípulos na companhia de Jesus ressuscitado. Mas eles não o reconheciam. Reconheceram-no subitamente: ao partir do pão, "seus olhos se abriram". Vinícius de Moraes adota o mesmo mote em "Operário em Construção": "De forma que, certo dia, à mesa ao cortar o pão, o operário foi tomado de uma súbita emoção, ao constatar assombrado que tudo naquela mesa _garrafa, prato, facão_ era ele quem fazia. Ele, um humilde operário, um operário em construção".

A diferença se encontra no lugar onde os olhos são guardados. Se os olhos estão na caixa de ferramentas, eles são apenas ferramentas que usamos por sua função prática. Com eles vemos objetos, sinais luminosos, nomes de ruas _e ajustamos a nossa ação. O ver se subordina ao fazer. Isso é necessário. Mas é muito pobre. Os olhos não gozam... Mas, quando os olhos estão na caixa dos brinquedos, eles se transformam em órgãos de prazer: brincam com o que vêem, olham pelo prazer de olhar, querem fazer amor com o mundo.

Os olhos que moram na caixa de ferramentas são os olhos dos adultos. Os olhos que moram na caixa dos brinquedos, das crianças. Para ter olhos brincalhões, é preciso ter as crianças por nossas mestras. Alberto Caeiro disse haver aprendido a arte de ver com um menininho, Jesus Cristo fugido do céu, tornado outra vez criança, eternamente: "A mim, ensinou-me tudo. Ensinou-me a olhar para as coisas. Aponta-me todas as coisas que há nas flores. Mostra-me como as pedras são engraçadas quando a gente as têm na mão e olha devagar para elas".

Por isso _porque eu acho que a primeira função da educação é ensinar a ver_ eu gostaria de sugerir que se criasse um novo tipo de professor, um professor que nada teria a ensinar, mas que se dedicaria a apontar os assombros que crescem nos desvãos da banalidade cotidiana. Como o Jesus menino do poema de Caeiro. Sua missão seria partejar "olhos vagabundos"...

Rubem Alves

terça-feira, 12 de maio de 2009

ASSUMA A SUA VIDA...


Assumir a sua vida é dizer: basta!
É jogar fora o cigarro que te envenena, quebrar o copo da bebida que aparenta ser inocente.
Desfazer mal-entendidos, reatar laços, perdoar.
É se aproximar da família, ser mais amigo.
Ser presente, para não viver do passado.
Assumir a sua vida é amar.
Sem peso e sem medidas para qualificar o amor, amar com entrega total, sem reservas, sem esperar nada em troca, mas se respeitar.
Fuigir das facilidades da reclamação fútil, olhar para o tempo e sorrir, ver na natureza, a perfeição Divina:
cada folha está em seu lugar, assim como você.
Assuma a sua vida!
Tome controle da direção que ela segue.
Seja o Senhor do Seu Destino.
assumindo o que você tem de melhor, tendo a mais absoluta certeza, que Deus está sempre presente, e o que você mais precisa, Ele já lhe deu: a vida, o dia de hoje, o poder de sonhar e realizar.
Assuma a sua vida!
Paulo Roberto Gaefke

sexta-feira, 8 de maio de 2009

APAIXONE-SE...

AS DUAS FACES...


Sempre duas estradas, sempre dois pólos, sempre uma saída, sempre uma esperança.
Se os teus olhos forem bons...
Alimente a sua capacidade de enxergar os dois lados da situação, existem muitos doces de plástico nas vitrines das docerias, enganando os olhos e os desejos, mostrando que o que parece ser, nem sempre é verdadeiro.
Assim, algumas situações que parecem insolúveis, mas, são apenas um ângulo da nossa visão.
Por isso, saudade não é apenas a distância que nos separa, mas a lembrança gostosa de quando estivemos juntos.
A dor do rompimento da nossa relação, não quer dizer que um de nós errou, É apenas a certeza de que somos capazes de amar.
O emprego onde nos despediram, não é um atestado da nossa incapacidade, mas a falta de compatibilidade com os nossos talentos.
Aquela prova onde tiramos a pior nota, não indica burrice, nem incapacidade, é um alerta de que não nos dedicamos bastante ao assunto.
Aquela montanha lá na frente, que parece alta demais, vai ser muito pequena depois que atingirmos a sua metade.
Seus problemas deste dia podem parecer o fim do mundo, mas são apenas oportunidades de um recomeço, pode ser a sua ressurreição para nascer de novo, mais forte, mais capacitado para a vida.
E a vida, que hoje pode parecer cinza demais, tem um céu azul deslumbrante te esperando, mandando um recado em cada nuvem que passa: "nada como um dia após o outro, para quem já aprendeu a enxergar o mundo com os óculos do amor".
Que o seu dia seja de portas abertas e janelas escancaradas, que o sol entre por todas as frestas, que os anjos digam amém para cada sonho que brotar em seu coração, que Deus ilumine seus passos, te dê confiança, e confiante siga em frente, rumo ao futuro, futuro que começa agora, quando você diz: Amém.
Paulo Roberto Gaefke

quarta-feira, 6 de maio de 2009

A LOJA DE DOCES...


O rabino Yitzchak de Kamarna usava uma loja de doces como metáfora para a busca espiritual.

Se uma pessoa entra numa loja de doces, que é repleta de balas e bombons, a primeira coisa que o baleiro faz é dar-lhe uma provinha de cada produto, para ver se alguma lhe agrada.
Depois de degustar um pouco de tudo, o cliente seleciona algo, então o vendedor lhe diz: “agora você pagará para comer o que lhe deu tanto prazer”.
Todos nós, no início de qualquer jornada, temos o que se chama de “sorte de principiante”. A amostra grátis da Luz Divina está plantada no coração, acordando ao menor sinal.
Na medida em que escolhemos o caminho, cabe a nós pagar seu preço, se desejamos seguir adiante.
Paulo Coelho

DA SURPRESA...


Williams descreve uma situação muito curiosa:

“Vamos imaginar que a vida seja perfeita. Você está num mundo justo, com pessoas íntegras. Tem tudo o que quer. Os seres humanos fazem tudo adequadamente, nas horas certas. Imagine que neste mundo você tenha tudo o que deseja – apenas o que deseja – exatamente como sonhou, vivendo quantos anos queira”.
“Imagine que depois de 100 ou 200 anos você se sente num banco imaculadamente limpo, diante de um cenário magnífico e pense: ‘Que chato! Falta emoção!’”
Neste momento, você repara num botão vermelho à sua frente escrito: “SURPRESA!”
“Depois de considerar todas as possibilidades da palavra, você aperta o botão. De repente você entra por um túnel negro e sai exatamente no mundo em que você está vivendo agora”.
Paulo Coelho

A FILOSOFIA DO EU...


Melhor é dar uma volta no quarteirão, que ficar presso sempre às mesmas ruas.
Melhor é ouvir o coração, que se perder em filosofias.
Melhor seria a decisão, firme e forte de seguir adiante.
Melhor ainda é acreditar mas POSSIBILIDADES, abrir brechas na sua vocação, descobrir talentos.
Melhor fazer pastel bem feito que prédio torto, fazer cortes em tecido que instalação elétrica perigosa.
Descubra o que te faz bem, e o que você faz bem.
O que a sua alma pede.
Não é simples, requer atenção, carinho, pois normalmente descuidamos de nós mesmos.
Olhe ao seu redor, mas não deixe de conferir no espelho, é nesse "quadro mágico" onde encontramos nosso melhor amigo.
É nesse amigo que podemos observar as marcas do tempo, o que as nossas idéias e ideais andam fazendo com a gente.
Tem gente tão sofrida que mal se olha no espelho, gente que se maltrata, acreditando em pedras,
vigiando o que não precisa, cuidando da vida dos outros.
Ah! quanto tempo perdido.
Quando você está bem, faz o bem naturalmente.
Espalha boas sementes pelos campos.
Afinal de contas, só pode espalhar sementes, aqueles que cultivam a terra, os que semeam, e não os que observam.
Olhe para dentro de você, ainda dá tempo.
O que você tem plantado de bom?
Alias, o tempo é o que menos importa, importa é a sua decisão de fazer algo novo, uma ATITUDE em prol da sua alegria.
Pode ser uma viagem, um passeio a pé, um corte de cabelo diferente, uma roupa maluca, sei lá, veja em você, sinta-se!
Deus presenteou cada um de nós com um poder: poder de observar e tirar conclusões.
Isso, nós, seres humanos, chamamos de "pensamento", Deus chama de "reflexão", tempo de mudanças.
Não desista dos seus sonhos, eu vejo flores em você!
Paulo Roberto Gaefke

segunda-feira, 4 de maio de 2009

COMO É BOM VIVER...


Para os que tem pressa; um por do sol de perder o ar.
Para os que estão sem energia; toda a força do mar.
Para os que estão cheios de dúvidas, o parto de uma vida.
Para os que andam por andar; os passarinhos voando em formação.
Para os que amam e sentem solidão; os olhos de um cão abandonado.
Para os que foram e não voltaram; a brisa da tarde que passa refrescante; Para os que já perderam o sono, o brilho da lua e das estrelas, inebriante...
Em tudo você poderá ter dissabores, em todos poderá enxergar inimigos.
Em qualquer situação, ter o bem e o mal.
Mas a opção, os olhos são seus.
Em tudo, eu vejo Deus!
No imperfeito, eu enxergo a perfeição, e mesmo na dor, na doença ou na morte, sinto a presença de Deus, muito forte, Pois tudo é semente e fruto, tudo é resultado matemático do que fazemos, das nossas escolhas.
Como posso culpar alguém?
Para o dia que começa, uma oração, para o meu corpo, alimento, para a alma, sustento, para a vida; consagração.
Dou Graças ao Senhor, por tudo e por todos.
Principalmente por você, que hoje vai se superar, vai vencer, e no final do dia, saberá agradecer.
Dizendo apenas: Deus, como é bom viver!
Paulo Roberto Gaefke

sexta-feira, 1 de maio de 2009

GUARDEI...


Guardei meus desejos mais revoltados para mais tarde.
Reservei espaço no meu coração para a felicidade; plena, imediata e instantânea, sem pressa e sem idade.
Chega de ficar esperando, eu quero é participar!
Do bolo de chocolate quero o maior pedaço, do creme eu quero passar o dedo, e despudoradamente lamber seu sabor. Chega de amarrar a cara, de passar vontade, de conter emoções, de ficar com a palavra entalada!
Guardei a falsidade na mala antiga, agora ando acompanhada da sinceridade, não daquela que ofende os outros, mas aquela que me liberta:
-agora digo sim quando eu quero, e não, quando eu não quero, não tô afim.
Simples assim.
Guardei para você meu recado final:
ame-se desavergonhadamente!
Olhe-se no espelho e não fique procurando defeitos, procure os detalhes que lhe tornam diferente, bote brilho nos olhos, um sorriso na estampa, deixe-se enamorar pelo seu melhor, e eu garanto; as pessoas vão perceber que você mudou, mudou para melhor, para uma outra etapa.
É tempo de florescer, de remoçar, de tomar coragem e amar, de ser mais do que uma passagem, ser um caminho, um lugar de se chegar.
Paulo Roberto Gaefke

SUPERMERCADO DAS DESCULPAS...


Escolha a sua desculpa para não ser feliz.
Estamos no "supermercado das lamentações" e aqui você encontra prateleiras recheadas de ofertas, desculpas e mais desculpas como as mais vendidas:
-"Sou infeliz porque meu marido não gosta mais de mim"
- “Não dá para ser feliz com este chefe que eu tenho”
- "Depois que arrumou uma namorada, meu filho não me ama mais como antigamente"
- "Acho que meu namorado não gosta mais de mim ,já não me trata como antes..."
Em super oferta, em até 10 x no cartão, a campeã de vendas:
-"Meus pais não me entendem, por isso sofro demais"
Mas, tem mais, aproveite o "bacião de ofertas":
-"Não consigo firmar nenhum relacionamento, o problema deve ser comigo"
-"Minha saúde vive debilitada desde que me separei"
Quer levar alguma desculpa em oferta?
Ou quem sabe quer aproveitar e descobrir o óbvio: sua felicidade está nas suas mãos.
Ninguém pode decidir por você, por isso o médico pergunta para você onde dói, ao invés de tentar descobrir por adivinhações.
Vai, crie coragem e assuma as suas deficiências apre de jogar a culpa das suas frustrações nos outros. Procure dentro de você a libertação das possibilidades que habitam em você e acabe descobrindo essa verdade:
-Todo mundo tem um dom, um talento!
Então, é só aplicar-se naquilo que você tem de melhor. Não precisa inventar nada, nem fantasiar, nem querer ser o que você não é. Faça direitinho o básico, e alimente-se dos bons pensamentos, das boas energias, espelhe-se nas pessoas de sucesso, mas não se compare, você é único, e isso é muito bom, pois o mundo precisa de pessoas como você, que sabem fazer o que você faz, mesmo que você não acredite que fazer crochê vale a pena, varrer rua bem varrida é uma maravilha, aquele bolo de fubá que só você faz, aquela planilha no Excel que você simplificou, aquela cirurgia que você reinventou, e qualquer coisa que você faça com amor.
Por falar em amor, quanto você se ama?
Se você ainda está procurando culpados pelo seu fracasso, pela sua infelicidade, pode apostar que você não se ama o suficiente, pois aquele que descobre o amor próprio consegue amar o próximo, o distante, o longínquo e qualquer outra pessoa.
Chega de desculpas, a vida pede uma atitude, não uma desculpa.
Ame-se, encontre-se e seja feliz!
Paulo Roberto Gaefke
Ocorreu um erro neste gadget