Páginas

terça-feira, 30 de agosto de 2011

A FLAUTA MÁGICA...

Era uma vez um caçador que contratou um feiticeiro para ajudá-lo a conseguir alguma coisa que pudesse facilitar seu trabalho nas caçadas. Depois de alguns dias, o feiticeiro entregou-lhe uma flauta mágica que, ao ser tocada, enfeitiçava os animais, fazendo-os dançar.



Entusiasmado com o instrumento, o caçador organizou uma caravana com destino à África, convidando dois outros amigos. Logo no primeiro dia de caçada, o grupo se deparou com um feroz tigre. De imediato, o caçador pôs-se a tocar a flauta e, milagrosamente, o tigre começou a dançar. Foi fuzilado à queima roupa.

Horas depois, um sobressalto. A caravana foi atacada por um leopardo que saltava de uma árvore. Ao som da flauta, contudo, o animal transformou-se: de agressivo, ficou manso e dançou. Os caçadores não hesitaram: mataram-no com vários tiros.

E foi assim até o final do dia, quando o grupo encontrou um leão faminto. A flauta soou, mas o leão não dançou, mas atacou um dos amigos do caçador flautista, devorando-o. Logo depois, devorou o segundo. O tocador de flauta, desesperadamente, fazia soar as notas musicais, mas sem resultado algum. O leão não dançava. E enquanto tocava e tocava, o caçador foi devorado. Dois macacos, em cima de uma árvore próxima, a tudo assistiam. Um deles observou com sabedoria:

- Eu sabia que eles iam se dar mal quando encontrassem um surdinho...


Não confie cegamente nos métodos que sempre deram certo, pois um dia podem não dar. Tenha sempre planos de contingência, prepare alternativas para as situações imprevistas, analise as possibilidades de erro. Esteja atento às mudanças e não espere as dificuldades para agir.
Cuidado com o leão surdo.

VISTA CANSADA...

Acho que foi o Hemingway quem disse que olhava cada coisa à sua volta como se a visse pela última vez. Pela última ou pela primeira vez? Pela primeira vez foi outro escritor quem disse. Essa idéia de olhar pela última vez tem algo de deprimente. Olhar de despedida, de quem não crê que a vida continua, não admira que o Hemingway tenha acabado como acabou.


Se eu morrer, morre comigo um certo modo de ver, disse o poeta. Um poeta é só isto: um certo modo de ver. O diabo é que, de tanto ver, a gente banaliza o olhar. Vê não-vendo. Experimente ver pela primeira vez o que você vê todo dia, sem ver. Parece fácil, mas não é. O que nos cerca, o que nos é familiar, já não desperta curiosidade. O campo visual da nossa rotina é como um vazio.


Você sai todo dia, por exemplo, pela mesma porta. Se alguém lhe perguntar o que é que você vê no seu caminho, você não sabe. De tanto ver, você não vê. Sei de um profissional que passou 32 anos a fio pelo mesmo hall do prédio do seu escritório. Lá estava sempre, pontualíssimo, o mesmo porteiro. Dava-lhe bom-dia e às vezes lhe passava um recado ou uma correspondência. Um dia o porteiro cometeu a descortesia de falecer.

Como era ele? Sua cara? Sua voz? Como se vestia? Não fazia a mínima idéia. Em 32 anos, nunca o viu. Para ser notado, o porteiro teve que morrer. Se um dia no seu lugar estivesse uma girafa, cumprindo o rito, pode ser também que ninguém desse por sua ausência. O hábito suja os olhos e lhes baixa a voltagem. Mas há sempre o que ver. Gente, coisas, bichos. E vemos? Não, não vemos.

Uma criança vê o que o adulto não vê. Tem olhos atentos e limpos para o espetáculo do mundo. O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que, de fato, ninguém vê. Há pai que nunca viu o próprio filho. Marido que nunca viu a própria mulher, isso existe às pampas. Nossos olhos se gastam no dia-a-dia, opacos. É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença.

Texto publicado no jornal “Folha de S. Paulo”, edição de 23 de fevereiro de 1992.

O PODER DA LÍNGUA...

“A língua porém nenhum dos homens é capaz de domar é mal incontido carregado de veneno mortífero” Tiago 3:8


Por volta do ano 2000 a.C.um mercador grego rico queria dar um banquete com comidas especiais.
Chamou seu escravo e ordenou-lhe que fosse ao mercado comprar a melhor iguaria.
O escravo voltou com belo prato coberto com fino pano.
O mercador removeu o pano e assustado disse:
Língua? Este é o prato mais delicioso?
O escravo sem levantar a cabeça respondeu:
A língua é o prato mais delicioso sim senhor. É com a língua que você pede água diz “mamãe” faz amizades conhece pessoas distribui seus bens perdoa. Com a língua você conquista, reúne as pessoas se comunica diz “meu Deus” ora, canta, conta histórias guarda a memória do passado, faz negócios diz “eu te amo”.

O mercador não muito convencido quis testar a sabedoria do seu escravo e o enviou novamente ao mercado ordenando-lhe que trouxesse o pior dos alimentos.

Voltou o escravo com lindo prato coberto por fino tecido que o mercador retirou ansioso para conhecer o alimento mais repugnante.

Língua? Outra vez? Diz o mercador espantado.

Sim língua diz o escravo agora mais altivo. É a língua que condena, separa, provoca intrigas e ciúmes. É com ela que você blasfema e manda para o inferno. A língua expulsa, isola, engana o irmão, responde para a mãe, xinga o pai... A língua declara guerra! É com ela que você pronuncia a sentença de morte.

Não há nada melhor que a língua.
Não há nada pior que a língua.
DEPENDE DO USO QUE SE FAZ DELA.


“Honroso é para o homem o desviar-se de contendas mas todo insensato se mete em rixas” Provérbios 20:3

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

CADA VEZ MAIS FORTE...

Quanto mais você faz uma coisa, melhor fica nisso.
Quanto mais você levanta pesos, mais fortes ficam seus músculos.
Quanto mais você reclama, melhor fica em reclamar.
Quanto mais você aprende, melhor fica em aprender.
Quanto mais você inventa desculpas, melhor fica em se desculpar.
Quanto mais coisas você realiza, mais realizações consegue.

Quais são seus talentos? Quais você gostaria que fossem?
Hábitos negativos podem ser muito fortes, porque foram praticados por tanto tempo.
Em comparação, qualquer nova ação positiva vai parecer fraca no começo. Cultive-a e ela ficará mais forte.
Decida no que você quer ser forte, faça e continue repetindo.


É impossível transformar-se num campeão de musculação com apenas um treino. Você precisa de tempo e repetição para desenvolver-se.
Comece hoje mesmo a fortalecer-se nas áreas que melhor lhe servirão.

domingo, 28 de agosto de 2011

FITOTERAPEUTA DÁ DICAS DE ERVAS E CHÁS CONTRA A TPM E ENXAQUECA.



As alterações hormonais na TPM ou o mal estar na menopausa atrapalham o cotidiano das mulheres. O fitoterapeuta e naturopata André Resende apresenta várias opções de ervas e chás para combater os sintomas da tensão pré-menstrual, da enxaqueca e até para quem está acima do peso.

NUTRICIONISTA REVELA AS PROPRIEDADES BENÉFICAS DO CAFÉ.



O consumo regular do café pode trazer benefícios para a saúde. Mas qual a dose diária recomendada por especialistas? Para responder essa pergunta, a apresentadora Amanda Françozo conversou com a nutricionista Vanderli Marchiori. Assista!

sábado, 27 de agosto de 2011

NÃO TE DEMORES...

Não te demores no bem que deseja fazer,
nem no perdão que ensaia pedir.
Não espere o sol se por, nem a lua chegar,
porque ainda é tempo de se movimentar.
Porque o amanhã pode não chegar...
Se é a favor de alguém, corre!
Se é contra uma pessoa, espera.
O Bem é o único que não pode esperar,
deve ser a sua prioridade sempre,
e o Bem, aquele que devemos começar,
é na nossa Casa, que não pode esperar.

Organiza o teu lar!
Ama os teus pais, ainda que tenha divergências,
que a sua maneira de ver as coisas seja tão diferente,
ainda assim, ame-os sem medidas, pois são importantes,
e houve uma época em que você não podia fazer nada,
tudo deles dependia e só por isso, estás aqui hoje.

Não se perca em manobras de vingança.
Cresça, amadureça, isso é coisa de criança,
com uma grande diferença: criança briga agora,
e faz as pazes em poucos horas,
os adultos, emburrecidos pelo tempo,
esquecem como é perdoar.
Soltamos palavras de raiva no vento...

É tempo de viver a plenitude da infância na idade madura.
Ser o aprendiz do dia que insiste em te dar uma nova oportunidade,
independente do tempo e da sua idade,
importando-se apenas com o que habita dentro de você:
- a pessoa mais importante que o seu espelho pode ver.
É tempo de amar-se sem nenhum pudor,
pois de tudo o que fica da sua vida,
o maior tesouro, é o amor.

Paulo Roberto Gaefke

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

10 MANEIRAS DE MELHORAR O RELACIONAMENTO…

1) Tem que haver amor (quando confundimos amor e paixão)
Base de qualquer relacionamento, o amor às vezes é confundido com uma euforia momentânea chamada paixão, que na verdade é uma emoção com lente de aumento que amplia mais de mil vezes o que a pessoa sente, tornando-a quase “cega”, sem vontade própria, capaz de fazer as maiores besteiras em nome de um sentimento equivocado. A Paixão, inclusive, é uma palavra do verbo latino, patior, que significa sofrer ou suportar uma situação difícil, já define bem o que você pode esperar da paixão: dor, sofrimento e decepção.

2) Tem que haver respeito
Impossível existir amor onde não há respeito. Se você não consegue respeitar os limites que a pessoa amada tem direito, esqueça, você está no barco errado. Ciúme, desconfianças diárias, perseguições, vistorias em roupas, carteira e objetos pessoais são indícios claros de absoluta falta de confiança, e sem confiança não há respeito e sem respeito, não há amor.


3) Diálogo sim! Discussão Não!
O amor pede muito diálogo, as vezes até um diálogo silencioso, desses que beijos e abraços falam mais que mil palavras. Mas, brigas e discussões devem ser mantidas longe do relacionamento. Claro que, duas pessoas com ideias e visões diferentes do mundo vão entrar em conflito qualquer hora dessas, mas isso não significa que devem entrar em luta corporal ou verbal para defender seus pontos de vista. Se a coisa começa a esquentar, é melhor ceder, parar, respirar, dar uma volta…
Discussões frequentes revelam insatisfações. Procurem se abrir sem ofensas.

Admiração é fundamental!

4) Tem que haver admiração
Admiração (do latim admirari) é aquela surpresa, aquele espanto diante de um fato. Gostamos de alguém porque admiramos nela alguma qualidade que é agradável para nós. O amor vive da admiração, e superamos problemas, dúvidas, desgostos através dessa admiração que nutrimos pelo outro. Sem admiração, o amor seca, não tem como se desenvolver.

5) Tem que ter tempo para amadurecer
O amor precisa de tempo para criar raízes, para desenvolver no casal marcas únicas, conhecimento de emoções até um ponto em que as palavras quase não são mais tão necessárias, pois o olhar, o toque, a expressão facial fala mais que todas as palavras reunidas. Por isso, é impossível dizer “eu te amo” com alguns dias, semanas ou poucos meses de relacionamento. O amor é mais profundo, precisa de tempo para que a sintonia se afine que diferenças sejam igualadas ou confirmadas. O amor pede tempo para acontecer.

Sonhos em comum.

6) Tem que haver sonhos em comum
Quando o relacionamento vai se firmando, o casal começa a ter planos para um futuro em comum. Esses “sonhos” são fundamentais para unir e sedimentar a relação. Sem objetivos comuns, não haverá continuidade no relacionamento, não se cria a cumplicidade tão necessária para a união que pretende ser longa.


7) Tem que haver paciência
Paciência, como você sabe não se vende em farmácias, muito menos em supermercados. Por isso, deve ser uma conquista pessoal diária, um esforço que cada um deve fazer no sentido de melhorar-se como pessoa. A paciência se exercita nos momentos de tribulação, onde normalmente, nossas ideias são confrontadas com as ideias do próximo. Quase sempre, o entrar em discussão defendendo apenas as nossas ideias, acabam gerando mágoas e ressentimentos, por isso, a melhor técnica é enxergar nas ideias do próximo um ponto de vista que apesar de não concordarmos, é digno de respeito. Respirar, pensar e só depois falar, sempre levando em conta que ali está alguém que merece no mínimo, respeito.


8) Tem que haver reconhecimento das qualidades.
Reconhecer defeitos e aponta-los é a tarefa mais fácil que o ser humano consegue fazer diariamente. Apontar erros nos outros então, é uma sentimento que para algumas pessoas parece ser até um ato de “direito”, como se estivesse fazendo o bem maior! Gente que machuca a alma alheia com suas indicações, quase sempre maldosa ao ponto de fazer com que a pessoa se sinta humilhada. Reconhecer qualidades, elogiar alguém é sempre mais difícil, por causa do nosso “ORGULHO”, por isso, preste atenção nas suas palavras. Que elas sejam justas na medida e carregadas de amor, elevando a autoestima da pessoa amada, encorajando-a ao esforço para ser uma pessoa melhor a cada dia.

9) Tem que se preservar a individualidade
Muita gente se esquece de que a pessoa amada tinha amigos antes de começar o relacionamento, tinha uma vida social, escola, trabalho, família e relacionamentos que precisam ser mantidos, principalmente os amigos que não devem jamais serem esquecidos. É natural que o casal busque mais amigos que também tem um relacionamento, esquecendo aqueles “solteiros da farra”, mas amigos não devem ser abandonados, cursos devem ser finalizados, empregos devem ser mantidos e assim por diante.


10) Tem que existir o prazer
Acredite se quiser: tem muita gente mantendo relacionamentos onde o sexo é deixado para um terceiro plano! Pessoas se suportam em nome de “sabe-se lá que conceitos” para manter aparência de família feliz e respeitada, mas o prazer ou está morto, sacrificado em marcas pelo corpo(doenças nervosas, insônia, irritação constante), ou, realizado fora do lar, através da traição pura e simples. Sem prazer o amor não sobrevive. Alias, você já viu amor sem prazer? Só se for sadomasoquismo, e olhe lá, porque o masoquismo envolve um prazer, ainda que estranho para os mais comuns.


http://www.meuanjo.com.br/

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

10 ATITUDES PARA PROSPERAR...

10 atitudes que atraem a Prosperidade.

1) Pense que a riqueza é boa para todos
Muita gente ainda cultiva a idéia de que riqueza atrai o orgulho, a avareza, afasta da religiosidade e assim, cultiva a idéia do pobre, mas honesto e se sente feliz com essa “situação”. A riqueza é uma porta aberta para gerar progresso, novos empregos, novas oportunidades para famílias e mais famílias viverem com dignidade.

2) Tenha uma missão
Não adianta apenas querer um emprego melhor, ganhar mais dinheiro, passar num concurso público apenas para “estabilizar” e pensamentos tolos como esse. Tenha uma missão de fato: “eu vou ajudar meus pais”, “vou comprar uma casa própria para sair do aluguel”, “vou continuar meus estudos”, vou financiar a faculdade dos meus filhos”, vou trabalhar em uma ONG nas horas que vão sobrar… ou seja, você deixa de perseguir uma ideia para ter uma DIREÇÃO, uma MISSÃO a cumprir.

3) Aprenda a economizar.
Isso você já deve ter ouvido milhões de vezes, mas com certeza ainda não anda praticando e se já começou a praticar, já nota uma diferença na sua vida financeira: Controle o seu dinheiro. Anote cada centavo recebido e cada centavo gasto. Anote as despesas fixas, como aluguel, água, luz, gás, etc e as eventuais, não deixe passar um centavo…

4) Aprenda a POUPAR.
Para virar um investidor, comece aprendendo a POUPAR. Poupar não é guardar uma sobra, é programar-se para com chuva ou com sol, guardar determinado valor para realizar algo em determinado tempo. Por exemplo, você sonha com um carro zero e não pode comprar um a vista. Divida o valor do seu carro dos sonhos por 70, 80, 100 prestações sem juros e poupe aquele valor mensalmente, sem furar e em menos de 100 meses terá o seu carro zero sem estresse. Lembre-se o tempo passa tão rápido…

5) Nutrir pensamentos de abundância.
Não custa nada pensar como rico! Não precisa nem sair para gastar nas lojas, mas mentalizar onde iria, que casa compraria, que carro vai ter, que lugar vai passar nas férias, onde vai estar em janeiro do ano que vem e assim por diante, ajuda e muito na confecção dessa pessoa que você deseja ser. Afinal de contas, uma pessoa deprimida, cheia de medos e recalques pode chegar até onde?

6) Sou uma pessoa de sorte!
Diga para si mesmo(a) todos os dias: Sou uma pessoa de sorte! O que será que vou ganhar hoje?
Sei que algo de bom já está vindo! Sou uma pessoa de sorte!!!

7)Fale de coisas boas!
Fuja de bate-papos onde as pessoas falam mal uma das outras, ou onde só se falam de problemas, doenças, miséria. Miséria atrai miséria, pode apostar nisso! Pensamento voltado para sua missão, foco na meta.

8)Cultive a alegria!
Sem alegria é melhor nem ganhar muito dinheiro pois você nem saberá o que fazer com ele. Pessoas amargas o destino nem quer premiar, pois vão ficar insuportáveis. O mundo precisa de gente alegre, que saiba conversar e principalmente, que tenha uma palavra que ajude, levante, impulsione o mundo para frente. Mesmo com dor de dente, sorria… nem que seja para entrar um ventinho e acalmar a dor…rsss

9) Seja Leal!
Ser leal é respeitar horários, tratos, contratos até onde for possível dentro de uma ética que nem precisa estar escrita. Querer dar “tombo” nos outros é atrair a “rasteira” do Destino que segue a velha cartilha do “Colhe-se o que aqui se planta”.

10) Invista em você.
Se tiver que investir em alguma coisa de útil e duradoura , invista em você, na sua educação, na sua apresentação. Melhor ter apenas 1 boa camisa que 10 vagabundas. Melhor um terno de excelente caimento que 100 de liquidação dos anos 50.
Faça cursos grátis pela Internet, ao vivo ou via rádio. Queira sempre aprender.
Não fique parado no seu conhecimento. A qualquer momento, tudo o que você já aprendeu será superado.


Paulo Roberto Gaefke

O AMOR CABE EM QUALQUER LUGAR...

Prova única de que o amor tem poder.
O amor cabe em qualquer cantinho...

Sempre dá um jeito de dividir, de ser cúmplice...
Divide dúvidas, desejos e sonhos...
Se mantém por anos e anos, e pode acontecer em qualquer tempo.
As vezes, bate uma saudade, mesmo estando pertinho, meia hora depois do último beijo...
O amor é assim: uma forma de compartilhar sentimentos, doar-se...
Dizer muito em poucas, ou nenhuma palavra.

E por ser amor...
Pede esforço para permanecer,
pede compreensão para entender,
pede carinho para manter-se.
Pede gestos solidários para fortalecer-se,
pede atenção sempre, ainda que distante,
pede aproximação, manutenção...

Uma palavra, uma rosa, um bombom, um beijo demorado, apanhar uma lágrima, arrepiar a pele, deixar a noite chegar; esperar o dia amanhecer, e por fim, por ser amor:
superar obstáculos, sempre!
Porque se é amor, sempre valerá a pena!


Eu acredito no amor, e você?
Paulo Roberto Gaefke

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

A CASA DOS MIL ESPELHOS...

Tempos atrás em um distante e pequeno vilarejo, havia um lugar conhecido como a casa dos 1000 espelhos. Um pequeno e feliz cãozinho soube deste lugar e decidiu visitar. Lá chegando, saltitou feliz escada acima até a entrada da casa. Olhou através da porta de entrada com suas orelhinhas bem levantadas e a cauda balançando tão rapidamente quanto podia. Para sua grande surpresa, deparou-se com outros 1000 pequenos e felizes cãezinhos, todos com suas caudas balançando tão rapidamente quanto a dele. Abriu um enorme sorriso, e foi correspondido com 1000 enormes sorrisos.
Quando saiu da casa, pensou:
- Que lugar maravilhoso! Voltarei sempre, um montão de vezes.

Neste mesmo vilarejo, um outro pequeno cãozinho, que não era tão feliz quanto o primeiro, decidiu visitar a casa. Escalou lentamente as escadas e olhou através da porta. Quando viu 1000 olhares hostis de cães que lhe olhavam fixamente, rosnou e mostrou os dentes e ficou horrorizado ao ver 1000 cães rosnando e mostrando os dentes para ele.
Quando saiu, ele pensou:
- Que lugar horrível, nunca mais volto aqui.

Todos os rostos no mundo são espelhos.

Provérbio Japonês.

UM MEIO OU UMA DESCULPA...

Não conheço ninguém que conseguiu realizar seu sonho, sem sacrificar feriados e domingos pelo menos uma centena de vezes, da mesma forma, se você quiser construir uma relação amiga com seus filhos, terá que se dedicar a isso, superar o cansaço, arrumar tempo para ficar com eles, deixar de lado o orgulho e o comodismo. Se quiser um casamento gratificante, terá que investir tempo, energia e sentimentos nesse objetivo.

O sucesso é construído à noite! Durante o dia você faz o que todos fazem.

Mas, para obter um resultado diferente da maioria, você tem que ser especial. Se fizer igual a todo mundo, obterá os mesmos resultados, não se compare à maioria, pois infelizmente ela não é modelo de sucesso, se você quiser atingir uma meta especial, terá que estudar no horário em que os outros estão tomando chopp com batatas fritas. Terá de planejar, enquanto os outros permanecem à frente da televisão. Terá de trabalhar enquanto os outros tomam sol à beira da piscina.

A realização de um sonho depende de dedicação, há muita gente que espera que o sonho se realize por mágica, mas toda mágica é ilusão, e a ilusão não tira ninguém de onde está, em verdade a ilusão é o combustível dos perdedores, pois...

'Quem quer fazer alguma coisa, encontra um MEIO'. 'Quem não quer fazer nada, encontra uma DESCULPA'.


Roberto Shinyashiki

É MAIS GRATIFICANTE...

Paul ganhou de seu irmão, como presente de Natal, um automóvel novo.
No dia de Natal, quando Paul saiu de casa, percebeu que um moleque de rua estava andando em volta de seu brilhante carro zero, admirando-o.


Este carro é seu? Perguntou o menino.
Paul confirmou com a cabeça. Meu irmão me deu de presente no Natal.
O garoto estava maravilhado. Quer dizer que seu irmão deu a você e você não gastou nada? Cara, eu queria...


Paul julgou saber como o garoto completaria a frase. Por certo iria dizer que queria um irmão como o dele.
Mas o que o moleque disse deixou Paul perplexo.
Eu queria, continuou o garoto, poder ser um irmão assim.
Paul olhou para o garoto surpreso e, impulsivamente, lhe perguntou: Você gostaria de dar uma volta no meu automóvel?


Sim, eu adoraria.


Depois de uma voltinha, o menino virou-se e, com os olhos resplandecentes disse: Você se importa de passar em frente à minha casa?
Paul sorriu consigo mesmo, pensando que sabia exatamente o que o moleque queria. Certamente desejava mostrar aos vizinhos que podia voltar para casa num carrão.


Mas Paul se enganara outra vez.
Você dá uma paradinha ali onde estão aqueles dois degraus? Pediu o menino.
O garoto saiu do carro e subiu os degraus correndo. Logo, Paul o viu voltando. Mas não estava mais andando rápido, estava carregando seu irmãozinho paralítico.
Fê-lo sentar no degrau de baixo e, abraçando-o com força, mostrou o carro.


Lá está Buddy, exatamente como eu contei lá em cima! O irmão deu o carro a ele de presente de Natal e isso não lhe custou nem um centavo.
Algum dia eu vou dar a você um como este... Daí, você vai poder ver, por você mesmo, as coisas bonitas. As vitrinas enfeitadas no Natal, as ruas e árvores iluminadas, as belezas enfim, sobre as quais eu tenho tentado contar a você.


Paul saiu do carro, pegou o garotinho no colo e o colocou no banco da frente, a seu lado.


O irmão mais velho, com olhos brilhantes, sentou-se ao lado dele e os três começaram um inesquecível passeio de Natal.
Naquele momento, Paul compreendeu que é mais gratificante dar...]


Uma história, uma lição...
Nesses tempos de tanto egoísmo, de individualismo e indiferença para com o sofrimento alheio, vale a pena refletirmos um pouco sobre esses pequenos gestos, que tanto engrandecem o homem.


Nesses tempos em que as criaturas estão ávidas por ter, e ter cada vez mais, vale pensarmos em conjugar o verbo ser.
Ser atencioso, ser caridoso, ser afetuoso, enfim, romper a concha do egoísmo e descobrir na doação aos semelhantes, a alegria de viver.


Pense nisso!


Diz um sábio provérbio chinês:
Se há luz na alma, haverá beleza na pessoa.
Se há beleza na pessoa, haverá harmonia no lar.
Se há harmonia no lar, haverá ordem na nação.
Se há ordem na nação, haverá paz no mundo.
Pensemos nisso!


Redação do Momento Espírita, com base em texto de autoria desconhecida.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL...



Para especialistas, um dos segredos para o sucesso está na inteligência emocional, já que não adianta a pessoa estar preparada e não conseguir lidar com emoções e situações do cotidiano. O terapeuta Tadashi Kadomoto explica como se pode desenvolver a inteligência emocional e como ela pode ser, em alguns casos, mais relevante que a inteligência intelectual.

SÍNDROME DA EXAUSTÃO...

FOTOGRAFIA...

Pare!

Vou tirar uma foto da sua vida.
Não se mexa. Olha o passarinho!
Clique.
Prontinho...pera aí...deixa eu ver essa foto instantânea.


Credo!
Cadê o seu sorriso?
O que é essa coisa amarela no rosto?
Você está feliz? Não parece!!!


Vamos por partes, eu vejo olheiras em volta dos seus olhos, você não anda dormindo direito?
Ou andou chorando feio? Ou pior, os dois problemas ao mesmo tempo?
Calma, essas marcas no rosto, essa expressão, você comeu jiló?
Chupou limão?


Não entendo, uma pessoa tão bonita, tão cheia de vida, e se fizermos um balanço, entre perdas e danos, eu acho que você é a própria vitória.
Não vou nem falar nada, nem vou comentar que se você está em pé, sua saúde ainda é boa.
Eu disse ainda porque não existe saúde que segure o "mau humor" , a desconfiança, o ciúme excessivo, a mágoa e o rancor então, esse eu nem comento, esse mata mesmo.


Pelo menos você não anda fumando né?
Nem bebendo não é?
Drogas então nem pensar, estou certo?
Sim, porque você pode até estar sofrendo, passando dificuldades, sentindo humilhado, mas tonto você não é, você gosta de você não gosta?
Vai responde logo: você gosta de você?


Nessa foto isso não parece.
Parece que você anda mais preocupado com outras pessoas do que com você mesmo.
Olha, fica com a foto, vai lá no banheiro e analisa seu rosto, compare com essa foto que eu tirei, quem olhar para você vai notar a sua felicidade?


Se alguém quiser se aproximar de você agora, vai se apaixonar ou vai sair de perto com medo de ser contagioso (o mau humor).
Olha, assim como a foto que eu tirei agora, daqui a alguns anos, essa foto vai estar amarelada, a imagem vai até desaparecer, e você vai ficar ai parado com essa cara de pamonha esperando sei lá quem aparecer, sei lá quem voltar, sei lá que emprego cair do céu?


Vamos lutar.
Vamos vencer, a estrada só termina com passos, e sem o primeiro passo, ninguém chega a lugar nenhum, por amor a você, dê o primeiro passo para sua liberdade, para sua felicidade agora mesmo, comece rasgando essa foto e colocando seu melhor sorriso no rosto.
Isso, olha como você se transforma quando sorri!
Agora eu quero bater outra foto, a foto da vitória, que agora eu tenho certeza, já é sua.


Parabéns!
Você é tudo de bom!
Paulo Roberto Gaefke

30 GESTOS DE APROXIMAÇÃO COM ANJOS…

30 gestos de bondade aproximam você de seu anjo guardião e melhoram sua vida.

1.Dê um prato de comida a uma criança carente.
2.Ajude um idoso de sua família a ir ao banco ou a fazer compras.
3.Doe um livro usado para uma biblioteca.
4.Ajude uma pessoa necessitada a comprar um remédio ou alimentos.
5.Coloque um calçado nos pés de uma criança.
6.Faça um trabalho voluntário, mas não deixe que conhecidos fiquem sabendo. Sua bênção será maior.
7.Sempre tenha flores em sua casa.
8.Distribua doce para seus colegas de trabalho.
9.Dê um botão de rosa para um amigo íntimo.
10.Compre um livro infantil para uma criança.
11.Saia de casa com um perfume suave.
12.Diga: “Te amo” a uma pessoa que não ouve isso há muito tempo.
13.Uma vez por mês doe uma parte do lucro do dia de seu comércio.
14.Queime um incenso em sua casa.
15.Cante para seu anjo ao amanhecer.
16.Leia o salmo 23 em voz alta sempre.
17.Visite um amigo que estiver doente.
18. Doe uma cesta básica para uma familia carente.
19) Não discuta com pessoas de sua família.
20) Reze sempre um Pai Nosso todas as manhãs.
21) Acenda uma vela perfumada de vez em quando.
22) Dê sempre uma esmola a um mendigo na rua.
23) Visite um asilo ou orfanato.
24) Nunca deixe de ler um bom livro.
25) Ajude dois amigos a se reconcliarem.
26 Coloque flores e plantas num altar de igreja ou templo religisoso.
27. Cultive flores e plantas em sua casa.
29. Nunca diga não, antes de pensar duas vezes.
30. Mantenha sua casa sempre limpa e iluminada.


http://www.meuanjo.com.br/

UNIR O ÚTIL AO AGRADÁVEL

" Eu li em um dos livros do Ruy Castro que, ainda mais legal do que unir o útil ao agradável, é unir o agradável ao agradável."


A exaltação do desfrute.


Há tempos venho ruminando sobre isso.


Conheço muitas pessoas que vão ao cinema, a boates e restaurantes e parecem eternamente insatisfeitas.


Até que li uma matéria com a escritora Chantal Thomas na revista República e ela elucidou minhas indagações internas com a seguinte frase:


"Na sociedade moderna há muito lazer e pouco prazer"
.
Lazer e prazer são palavras que rimam e se assemelham no significado, mas não se substituem.


É muito mais fácil conquistar o lazer do que o prazer.


Lazer é assistir a um show, cuidar de um jardim, ouvir um disco, namorar, bater papo.


Lazer é tudo o que não é dever. É uma desopilação.


Automaticamente, associamos isso com o prazer: se não estamos trabalhando, estamos nos divertindo.


Simplista demais.


Em primeiro lugar, podemos ter muito prazer trabalhando, é só redefinir o que é prazer.


O prazer não está em dedicar um tempo programado para o ócio. O prazer é residente.


Está dentro de nós, na maneira como a gente se relaciona com o mundo.


Chantal Thomas aborda a idéia de que o turismo, hoje, tem sido mais uma imposição cultural do que um prazer.


As pessoas aglomeram-se em filas de museus e fazem reservas com meses de antecedência para ir comer no lugar da moda, pouco desfrutando disso tudo.


Como ela diz, temos solicitações culturais em demasia. É quase uma obrigação você consumir o que está em evidência.


E se é uma obrigação, ainda que ligeiramente inconsciente, não é um prazer.


Complemento dizendo que as pessoas estão fazendo turismo inclusive pelos sentimentos, passando rápido demais pelas experiências amorosas, entre elas o casamento.


Queremos provar um pouquinho de tudo, queremos ser felizes mediante uma novidade.


O ritmo é determinado pelas tendências de comportamento, que exigem uma apreensão veloz do universo.


Calma. O prazer é mais baiano.


O prazer não está em ler uma revista, mas na sensação de estar aprendendo algo.


Não está em ver o filme que ganhou o Oscar, mas na emoção que ele pode lhe trazer. Não está em faturar uma garota, mas no encontro das almas.


Está em tudo o que fazemos sem estar atendendo a pedidos.


Está no silêncio, no espírito, está menos na mão única e mais na contramão.


O prazer está em sentir.


Uma obviedade que merece ser resgatada antes que a gente comece a unir o útil com o útil, deixando o agradável pra lá.


José Arreguy Pimentel

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

VENCENDO AS MÁS INCLINAÇÕES...

É possível ao homem, pelos seus próprios esforços, vencer suas más inclinações?

Sim, e, por vezes, fazendo pequenos esforços. O que lhe falta é a vontade.

A pergunta foi feita por Allan Kardec, e a resposta foi dada pelos Espíritos Superiores.

É do nosso feitio dizer que as más inclinações são mais fortes que nós. Mas, pela resposta dos Benfeitores, fica claro que a vontade é a alavanca de que necessitamos para vencê-las.

Importa salientemos que vencer as más inclinações não é o mesmo que reprimi-las.

Quando nós as reprimimos elas adquirem mais força e, quando eclodem, fazem estragos ainda maiores.

E assim como não devemos reprimi-las também não devemos deixar que essas paixões extravasem sem controle, senão corremos o risco de sermos tragados por elas.

É certo que não podemos controlar o primeiro impulso, assim como não controlamos certos movimentos corporais como, por exemplo, a abertura e o fechamento das pupilas. Ninguém as abre ou fecha voluntariamente.

No entanto, podemos fazê-las se abrir ou fechar indiretamente, voltando nossos olhos para uma região mais escura ou mais clara.

Assim também ocorre com os impulsos negativos que brotam da nossa intimidade, que podem ser excitados ou inibidos indiretamente.

Dessa forma, se o medo surge, podemos considerar as razões, os objetos ou os exemplos que nos convençam de que o perigo não é grande; que há mais segurança na defesa do que na fuga; que conquistaremos a alegria por termos vencido.

Em contrapartida, poderemos sentir vergonha por termos fugido ou pesar por não termos tentado.

Se diante de uma ofensa surge a mágoa, podemos agir de forma semelhante. O sentimento de mágoa não podemos evitar, mas poderemos inibir a sua ação destruidora em nossa intimidade, combatendo-o.

Para tanto, temos que nos lembrar de coisas que sabemos estar unidas ao perdão e que são contrárias à mágoa.

Podemos, por exemplo, ponderar que o ofensor é uma pessoa infeliz que ainda não conquistou melhores sentimentos; que pode ter agido sob o peso de problemas que desconhecemos; que pode não ter encontrado, na infância, pais devotados e bons que lhe ensinassem a virtude por palavras e atos; que ele colherá frutos amargos de sua ação, sem que sejamos um dissabor a mais em sua vida.

Se agirmos dessa forma diante dos impulsos negativos que nos tomam de assalto, estaremos conquistando a nossa melhoria moral, por nós mesmos, através da substituição dos velhos hábitos.

A proposta Espírita para a Humanidade não é a de proibição ou de repressão das más inclinações, mas a de sublimação dos sentimentos através do autoconhecimento.

Faz-se necessário que nos libertemos, despindo-nos dos hábitos infelizes e dos sentimentos que nos escravizam, deixando-nos arrastar pelos rios perfumados das emoções nobres e deslizar no barco tranquilo da esperança.

Redação do Momento Espírita com base no artigo As paixões, de Sílvio Chibeni, colhido na Internet.

O TÉDIO E A TEMPESTATE…

Tem dias que são assim mesmo, dias de desencontro perfeito;
o que eu sonho, se distancia, e o que eu menos quero, é o que mais se aproxima…


As tardes são caminhos monótonos para a noite, que é uma estrada de linhas retas, sem fim.
O sonho não chega, e quando vem, é sem cor.
Dias onde as noites são sempre assim, cinzas, como céu sem estrelas, praia sem ondas, rio sem marolas…
E quando começa acreditar que nada vai mudar, chega uma chuva de emoções, uma tempestade de novos sentimentos,
uma ventania de razões que destoa de tudo, é o amor, a paixão fulminante, que tudo transforma, torna tudo tão vibrante.
Assim, seu jardim, outrora seco e sem vida, se enche de flores, nesse peito de amores, onde o nada é tudo, e o tudo, apenas uma partícula.


Quando estamos amando, as noites se enchem de perfume, os dias são preenchidos pela esperança, a alma fica doce, com jeito de criança.
Que o amor tome conta da sua vida, e antes que você reclame, ou diga, que já sofreu demais, que não acredita no amor,
deixe de lado esse sentimento bobo, esse rancor.
Prepare-se para viver a plenitude.
O amor não pede para entrar, ele invade, não é mansidão, nem quietude.
Prepare-se!
O amor está onde não o procuramos, está onde sempre esteve, tão perto e tão longe, ao alcance das mãos aflitas, bocas sedentas, de corpos ansiosos, coração que esquece a razão, é pura emoção…


Se as mãos tremerem, o coração disparar, se não conseguir desviar o olhar, se não conseguir esquecer, não adianta correr, nem tentar se esconder, o amor te pegou e agora é só viver…
Seja feliz!


Eu acredito em você
Paulo Roberto Gaefke

MÁGRAMÁTICA...

Todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser
Todo verbo é livre para ser direto ou indireto
Nenhum predicado será prejudicado
Nem tampouco a frase, nem a crase
Nem a vírgula e ponto final
Afinal, a má gramática da vida
Nos põe entre pausas
Entre vírgulas
E estar entre vírgulas
Pode ser aposto
E eu aposto o oposto
Que vou cativar a todos
Sendo apenas um sujeito simples
Um sujeito e sua visão
Sua pressa e sua prece
Que enxerguemos o fato
De termos acessórios para a nossa oração
Adjuntos ou separados
Nominais ou não
Façamos parte do contexto
Sejamos todas as capas de edição especial
Mas, porém, contudo, todavia, não obstante
Sejamos também a contracapa
Porque ser a capa e ser contracapa
É a beleza da contradição
É negar a si mesmo
E negar-se a si mesmo
É muitas vezes encontrar-se com Deus
Com o teu Deus
Sem horas e sem dores
Que nesse momento em que cada um se encontra agora
Um possa se encontrar no outro
E o outro no um
Até por que
Tem horas que a gente se pergunta…
Porque é que não se junta tudo numa coisa só?


Teatro Mágico

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

CORAGEM...

Saia da casca, saia do quarto escuro, a vida te espera de braços abertos, se é o passado que te assombra, sossegue, esse é um fantasma que só tem a força que você empresta, esse é um monstro fraquinho, que depende de você, então, abandone-o, tranque-o no armário e saia…
Venha ver o dia lindo, as flores que insistem em crescer mesmo no asfalto, espremidas em pouca terra, olha para esse rio que corre com força, quase morto com a nossa ignorância de tanta poluição, olhe para os campos verdes e floridos, nem o homem consegue matar essa força divina, e veja os animais que andam em liberdade, não lhes faltam alimentos, nem água,
e qual o arquiteto que faz uma casa como o João de Barro?
Coragem!

Deus lhe entrega o dia não como castigo, mas como presente, e a falta de ânimo é uma recusa, é um desprezo pelo presente tão precioso.
Alma querida, o dia escorre pelas mãos, passa rápido e quando queremos, o perdemos, não dá para voltar atrás, então eu te peço:
esqueça o que passou e não tente adivinhar o amanhã, viva o dia de hoje, sem medo, sem receios, se tiver que voar, voe, se tiver que atravessar a ponte, atravesse, se for em meio a noite escura, vá sem medo, se ficar sem coragem, confie nessa força Maior, nesse “Poder” que vem através do sol, da força misteriosa das chuvas e dos ventos, te convidando para o grande baile da vida, e é o próprio Criador quem lhe tira para dançar, motivado pelo amor, amor por você, alma querida, que recebe agora esse convite:

vem viver, vem!
Eu acredito em você.

Paulo Roberto Gaefke

A VERDADEIRA PAZ...

"Em paz também me deitarei e dormirei, porque só tu, SENHOR, me fazes habitar em segurança." Salmos 4:8


Certa vez houve um concurso de pintura e o primeiro lugar seria dado ao quadro que melhor representasse a paz.
Ficaram, dentre muitos, três finalistas igualmente empatados.
O primeiro retratava uma imensa pastagem com lindas flores e borboletas que bailavam no ar acariciadas por uma brisa suave.
O segundo mostrava pássaros a voar sob nuvens brancas como a neve em meio ao azul anil do céu.
O terceiro mostrava um grande rochedo sendo açoitado pela violência das ondas do mar em meio a uma tempestade estrondosa e cheia de relâmpagos.
Mas para surpresa e espanto dos finalistas, o escolhido foi o terceiro quadro, o que retratava a violência das ondas contra o rochedo.
Indignados, os dois pintores que não foram escolhidos, questionaram o juiz que deu o voto de desempate:
Como este quadro tão violento pode representar a paz, Sr. Juiz?
E o juiz, com uma serenidade muito grande no olhar, disse:
Vocês repararam que em meio à violência das ondas e à tempestade há, numa das fendas do rochedo, um passarinho com seus filhotes dormindo tranqüilamente?
E os pintores sem entender responderam: sim, mas...
Antes que eles concluíssem a frase, o juiz ponderou:
Caros amigos, a verdadeira paz é aquela que mesmo nos momentos mais difíceis nos permite repousar tranqüilos.
Talvez muitas pessoas não consigam entender como pode reinar a paz em meio à tempestade, mas não é tão difícil de entender.
Considerando que a paz é um estado de espírito podemos concluir que, se a consciência está tranqüila, tudo à volta pode estar em revolução que conseguiremos manter nossa serenidade.
Fazendo uma comparação com o quadro vencedor, poderíamos dizer que o ninho do pássaro que repousava serenamente com seus filhotes, representa a nossa consciência.
A consciência é um refúgio seguro, quando nada tem que nos reprove.
E também pode acontecer o contrário: tudo à volta pode estar tranqüilo e nossa consciência arder em chamas.
A consciência, portanto, é um tribunal implacável, do qual não conseguiremos fugir, porque está em nós.
É ela que nos dará possibilidades de permanecer em harmonia íntima, mesmo que tudo à volta ameace desmoronar, ou acuse sinais de perigo solicitando correção.
Sendo assim, concluiremos que a paz não será implantada por decretos nem por ordens exteriores, mas será conquista individual de cada criatura, portas à dentro da sua intimidade.
Um dia, a paz vestiu-se de homem e conviveu com a humanidade sofredora e aflita.
Conservava-se em paz mesmo diante das situações mais turbulentas e assustadoras.
Agredido, manteve-se sereno.
Caluniado, exemplificou tranqüilidade.
Diante da tempestade no mar, pediu calma.
Pregado na cruz, permaneceu em paz.
Todavia, antes de partir teve ensejo de dizer:


"Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize." João 14:27

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

PROBLEMAS X METAS...

Era uma vez um cocheiro que dirigia uma carroça cheia de abóboras. A cada solavanco da carroça, ele olhava para trás e via que as abóboras estavam todas desarrumadas. Então ele parava, descia e colocava-as novamente no lugar. Mal reiniciava sua viagem, lá vinha outro solavanco e... tudo se desarrumava de novo.

Então ele começou desanimar e pensou: "Jamais vou conseguir terminar minha viagem!
É impossível dirigir nesta estrada de terra, conservando as abóboras arrumadas!". Enquanto divagava, passou à sua frente outra carroça cheia de abóboras, e ele observou que o cocheiro seguia em frente e nem olhava para trás: as abóboras que estavam desarrumadas organizavam-se sozinhas no próximo solavanco.


Foi quando ele compreendeu que, se colocasse a carroça em movimento na direção do local onde queria chegar, os próprios solavancos da carroça fariam com que as abóboras se acomodassem em seus devidos lugares.

MENSAGENS OCULTAS...

A pesquisadora norte-americana Deborah Tannen dedicou dois anos de sua vida a uma tarefa curiosa: ouvir diálogos familiares.

Referência internacional no estudo da linguagem humana, ela queria entender por que se briga dentro de casa.
 Com o auxílio de sua equipe, escutou centenas de conversas cotidianas. Em alguns casos, casais, filhos, pais e mães carregaram um gravador durante uma semana.

A partir desse material, Deborah analisou como as palavras ditas e as não ditas podem disfarçar movimentos para aprisionar o outro ou exercer poder sobre ele. Quando o ‘não’ quer dizer ‘sim’, e vice-versa.

Ela acredita que, ao entender essas mensagens ocultas, é possível desfazer conflitos persistentes e driblar novas crises domésticas.
 Evitar, principalmente, que o diálogo evolua para a hostilidade e provoque mágoas.

O resultado está no livro só estou dizendo isso porque gosto de você, best-seller nos Estados Unidos.


Deborah Tannen foi entrevistada por uma revista brasileira, e deu respostas muito oportunas, das quais reproduzimos algumas:


Por que as conversas familiares podem ficar tão ásperas?

Deborah responde: "porque há muito em jogo. Nós esperamos mais consideração dos parentes do que de amigos ou colegas.


Reagimos mais aos julgamentos da família porque sentimos como se fossem da suprema corte, avaliações inquestionáveis de nosso valor. As conversas são carregadas pela herança de todos os diálogos que tivemos antes.


Isso é transmitido pelo tom de voz, pela expressão facial e pelos pressupostos não ditos."


Como eles nos atingem?

A resposta de Deborah: "imagine um casal diante do menu, no restaurante. Quando o homem anuncia que vai escolher um filé com fritas, a mulher diz: ‘reparou que eles também têm salmão?’ o homem protesta: ‘pare de criticar o que eu como’.

Ela se defende: ‘eu não critiquei. Só mostrei um prato que podia lhe agradar’. A razão do desentendimento, ao nível do que é dito, é que a sugestão da mulher não era uma crítica.

Mas o homem sabe que ela está falando de seus excessos com carne vermelha.

A impressão de desaprovação vem da mensagem oculta, baseada na história comum do casal. Entender isso evita que discussões repisem os mesmos pontos."

Podemos evitar as mensagens ocultas?

"É impossível", diz Deborah. "o mais importante é aprender a pesar como nossas intervenções poderão ser interpretadas pelos outros.

Quando você oferece um conselho ou uma orientação, mesmo repleto de boas intenções, o que é dito arrisca ser recebido como crítica.

Boas intenções não mudam um pressuposto básico: se a outra pessoa não estivesse fazendo algo errado, não precisaria de conselho.

A crítica está implícita no ato de oferecer a sugestão. Não há como escapar quando o conselho parte do pai para o filho, da mãe para a filha ou do irmão mais velho para o caçula."

Ainda sobre mensagens ocultas, a escritora diz: "costumo citar uma conversa travada por um casal em uma viagem de carro. Num certo momento, a mulher pergunta: ‘você gostaria de parar para beber algo?’

O marido responde, com toda sinceridade: ‘não’. E segue adiante. Mais tarde, ele fica frustrado ao descobrir que a mulher queria ter parado e estava aborrecida. Pensa: ‘por que ela simplesmente não disse o que queria?’

Mas a mulher estava chateada, não porque tinha ficado com sede, mas porque sua preferência não foi levada em conta. Ela havia mostrado consideração com a opinião do marido, mas ele não tinha feito o mesmo com ela.

Para entender o que deu errado, o homem deve aprender que, quando uma mulher pergunta o que ele quer, não está pedindo uma informação, mas dando início a uma negociação sobre o que os dois gostariam de fazer.

Por outro lado, a mulher deve saber que, quando o marido responde sim ou não, ele está apresentando uma vontade negociável."

Analisando as considerações de Deborah Tannen, podemos entender alguns dos motivos de desentendimentos familiares e buscar saber mais sobre como podemos evitá-los.

Importante é saber que sempre existe uma solução para quem deseja encontrá-la.

Pensemos nisso!

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base em matéria de Alexandre Mansur, publicada na revista Época de 06/12/2004.
Ocorreu um erro neste gadget