Páginas

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

MATE SUA CURIOSIDADE SEM QUE ELA TE MATE!!! DROGA É UMA DROGA MESMO!!!

¨As drogas roubam da vida as sensações e alegrias que são de certo modo, as únicas razões de se viver" (L.Ron Hubbar)
Todos os dias Deus nos dá um momento em que é possível mudar tudo que nos deixa infelizes.
O instante mágico é o momento em que um "sim" ou um "não" pode mudar a nossa existência!!!
"NÃO SÃO OS PROBLEMAS QUE NOS DERRUBAM... MAS SIM NOSSAS ATITUDES FRENTE A ELES".
"Tenha bons pensamentos, escolha bons amigos, faça coisas boas, já que você vai ser você para sempre!"

Se chover, seja feliz com a chuva que molha os campos e varre as ruas
Se fizer sol, aproveite o calor
Se houver flores em seu jardim, aproveite o perfume
Se tudo estiver seco, aproveite para plantar

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim. (Chico Xavier)

"Não devemos ter medo dos confrontos. Até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas."
Viver é enfrentar um problema atrás do outro.
O modo como você encara os problemas é que faz a diferença!

Os defeitos dos outros não devem nos incomodar, mas sim nos ensinar.
O primeiro passo, para se realizar um objetivo, é ter a convicção de que é possível alcançá-lo, não importando em quantas tentativas.

Diante de uma situação que você se sentir incapaz de resolver, não invente desculpas para aliviar sua frustração. Busque novas soluções.
A vitória de alguém que luta e labuta e, apesar de tudo, consegue chegar a um objetivo.
Vontade... determinação e disciplina, eis a receita dos verdadeiros campeões, sejam eles atletas ou não.
E você, o que tem feito para atingir seus objetivos?

Pense...

SENHOR, FAZEI-ME INSTRUMENTO DE VOSSA PAZ...

Senhor, fazei de mim instrumento de vossa paz.
e que eu encontre primeiro, em mim, a harmoniosa aceitação de meus opostos.

Onde houver ódio, que eu leve o amor.
Aceitando o ódio que possa existir em mim e compreendendo todas as faces com as quais o amor pode se expressar.

Onde houver ofensa que eu leve o perdão e que me permita ofender para ser perdoado.

Onde houver discórdia que eu leve a união.
E que eu aceite a discórdia como geradora da união.

Onde houver dúvidas que eu leve a fé.
Podendo humildemente, encarar minhas próprias dúvidas.

Onde houver erros, que eu leve a verdade.
E que a "minha verdade" não seja única, nem os erros sejam alheios.

Onde houver desespero, que eu leve a esperança.
E possa, primeiro, conviver com o desânimo sem me desesperar.

Onde houver tristeza, que eu leve alegria.
E possa suportar a tristeza minha e dos outros sendo alegre ainda assim.

Onde houver trevas que eu leve a luz.
Após ter passado pelas "minhas trevas" e ter aprendido a caminhar com elas.

Oh, divino mestre...
fazei que eu procure mais: consolar que ser consolado.
E que eu saiba pedir e aceitar consolo quando precisar.

Compreender que ser compreendido, e me conhecer antes, para ter melhor compreensão do outro.
Amar que ser amado, podendo me amar em princípio, para não cobrar o amor que dou.

Pois é dando que recebemos.
E sabendo receber é que se aprende a doar.
É perdoando que se é perdoado.
E não se perdoa a outro enquanto não há perdão por si mesmo.
E é morrendo que se nasce para a vida eterna.
E é bem vivendo e amando a vida que se perde o medo de morrer!

LIMITAÇÕES...

A única coisa que limita nossas conquistas é o pensamento de que não podemos conquistar. Realmente não é novidade para ninguém que as pessoas que dizem que podem, podem, e as que dizem que não podem, não podem.


Um homem diz: “Acho que sempre serei um batalhador”. Aí, ele pára de aprender, ignora as oportunidades, não trabalha até mais tarde, não economiza e não tenta porque “não adianta mesmo....”. Dito e feito! Sua profecia se torna verdadeira e ele nunca vence na vida.

Já outro homem diz: “Eu vou vencer, e farei o que for preciso para isso. Trabalharei tanto quanto for necessário; aprenderei tudo que puder e serei tão diferente quanto precisar ser. Eu posso!”. E o homem consegue!

Vale a pena lembrar que há lucros em ambos os casos. O primeiro indivíduo consegue evitar a responsabilidade. Ele sempre pode dizer: “É tudo tão difícil! Faça isso por mim”. Ele foge da oportunidade de exercitar a disciplina pessoal que geraria seu sucesso. E pode até conquistar alguma simpatia, afinal, bancar o bobo e incapaz pode ser muito proveitoso e conveniente.

Já os frutos colhidos pelo segundo indivíduo são mais evidentes. Ele alcança seu objetivo. Portanto, vamos reconhecer que há vantagens em ambos os casos.

Em poucas palavras: somos responsáveis pelas limitações que impomos a nós mesmos. Jogar fora os rótulos que colocamos em nós é o primeiro passo para ter uma vida melhor.

Andrew Matthews, no livro "Seja Feliz"

domingo, 30 de janeiro de 2011

PEGADAS NA AREIA (Uma História de Amor e Confiança)

A HISTÓRIA

Há certas coisas que acontecem de uma forma tão alheia ao nosso controle que não sabemos explicá-las. Um desses casos é o do poema conhecido como "Pegadas na Areia", que geralmente acredita-se ser anônimo, mas que na verdade foi escrito há 47 anos atrás pela canadense Margaret Fishback Powers.
É este poema um dos mais conhecidos em todo o mundo e já foi reproduzido em diversas formas: folhetos, calendários, quadros, cartões, entre outras tantas formas. São inúmeras as pessoas que testemunham terem sido confortadas, em momentos difíceis, ao lerem esse poema.
Mas quem é Margaret Fishback Powers e como surgiu esse poema? Ela é uma cristã que mantém um ministério, a nível internacional, para evangelização de crianças. Segundo sua autora, o poema surgiu em um momento de muita expectativa e poucas certezas em sua vida. Ao ir para um retiro de sua igreja ela foi dar uma volta na praia com seu namorado Paul, um dos responsáveis pela organização do evento, que lhe havia pedido em casamento. Porém ele tinha um passado de envolvimento com drogas, e isso, em conjunto com a falta de perspectivas profissional e financeira gerava insegurança em Margaret.
Quando voltavam do passeio os dois perceberam que as ondas haviam apagado algumas pegadas, deixando apenas um par visível. Margaret interpretou isso como um prenúncio de que seus sonhos não se realizariam; porém Paul, tomando-a em seus braços, disse que se confiassem no Senhor Ele os tomaria assim nos seus braços. As palavras de Paul falaram fundo ao coração da jovem Margaret. Durante aquela noite ela orou muito e no dia seguinte, além da certeza de querer casar-se com Peul, ela apresentou-lhe também o poema, naquela ocasião com o título "Eu Tive um Sonho", que foi declamado por Paul no final do retiro.
Margaret e Paul não tinham a menor noção das proporções que isso tomaria, o quanto aqueles versos se difundiriam. Margaret teve sua autoria reconhecida devido às 200 pessoas do retiro que ouviram e receberam cópias do poema e por o terem escrito na abertura do álbum de casamento em 1965.
Paul é um pastor batista, no Canadá. Ele e Margaret criaram e dirigem a Little Peoplle Ministry Association (ministério que promove assistências à crianças de todo o mundo), que tem parte dos seus recursos gerados pelos direitos autorais das obras de Margaret.



O POEMA

Uma noite eu tive um sonho.
Sonhei que estava andando na praia com o Senhor e, através do céu, assavam-se cenas de minha vida.
Para cada cena que se passava, percebi que eram deixados dois pares de pegadas na areia; um era meu e o outro, do Senhor.

Quando a última cena de minha vida passou diante de nós, olhei para trás, para as pegadas na areia, e notei que muitas vezes, no caminho de minha vida, havia apenas um par de pegadas na areia.


Notei também que isso aconteceu nos momentos mais difíceis e
angustiosos do meu viver. Isso entristeceu-me deveras, e perguntei,
então, ao Senhor: "Senhor, tu me disseste que, uma vez que eu
resolvera te seguir, tu andarias sempre comigo em todo o caminho,
mais notei que, durante as maiores tribulações de meu viver, havia na areia
dos caminhos da vida apenas um par de pegadas. Não compreendo
por que, nas horas em que mais necessitava de ti, tu me deixaste".


O Senhor me respondeu:
"Meu precioso filho. Eu te amo e jamais te deixaria nas horas de tua
prova e de teu sofrimento: Quando viste na areia apenas um par de
pegadas, foi exatamente aí que eu, nos braços, te carreguei".

Margaret Fishback Powers

COMPROMISSO COM A VIDA...

Compromisso com a vida... (Você tem?)


Não importa a dor ou o momento que você está passando, você tem um compromisso com a vida.
Esse compromisso ultrapassa essa fase, essa hora ruim que você pode estar passando.


Tem coisas que nós não podemos evitar.
Você constrói uma bela casa na praia, com muitos quartos, varandas e piscina com vista para o mar.


Chega um furacão e leva toda a sua casa, seus móveis e seus sonhos em questão de minutos.
Será que você poderia evitar esse furacão?


Assim, nós construímos castelos dourados em nossas fantasias e sonhos.
Reunimos os melhores móveis de nossa existência e decoramos as nossas casas do jeitinho que nós queremos.
As vezes os engenheiros da vida avisam que nosso projeto está errado, que vamos quebrar a cara, mas nós escutamos?


Claro que não!
Somos teimosos, tinhosos e orgulhosos demais para seguir conselhos...
Seguimos em frente contra tudo e contra todos e algumas vezes, fechamos os olhos para não ver o que todo mundo já viu.


Então, o furacão da vida chega e sem cerimônia, sem pedir licença, arranca nossos sonhos e joga tudo no chão.
Resta o choro, o pranto e a dor.

Quanto mais rápido, você trabalhar na reconstrução da sua "casa", mais rápido a felicidade volta para sua vida.
Nesses momentos de reconstrução, os amigos são os melhores ajudantes e apoiadores que precisamos.
Amigos são vigas sólidas que qualquer casa necessita.
Não demore para tomar a decisão de reconstruir a sua casa, digo, a sua vida.

A dor se torna menor quando não deixamos muitas lembranças em nossa porta.
Normalmente a porta da nossa vida é o coração.
Que tal limpar a sua porta?


Paulo Roberto Gaefke

CONCORRENTES...

Benditos sejam meus Concorrentes
Que me fazem levantar cedo e me render mais o dia;
Que me obrigam a ser mais atencioso, competente e correto;
Que me fazem avivar a inteligência para melhorar meus produtos e meus serviços;
Que me impõem a atividade, pois se não existissem, eu seria lânguido, incompetente e retrógrado;
Que não dizem minhas virtudes e gritam bem alto meus defeitos e assim posso corrigir-me;
Que quiseram arrebatar-me o negócio, forçando-me a desdobrar-me para conservar o que tenho;
Que me fazem ver em cada cliente um homem a quem devo servir e não explorar, o que faz de cada um meu amigo;
Que me fazem tratar humanamente meus vendedores, para que se sintam parte de minha empresa e assim vendam com mais entusiasmo;
Que provocaram em mim o desejo de superar-me e melhorar meus produtos;
Que por sua concorrência me converteram em um fator de progresso e prosperidade para meu país.

Salve, concorrentes! Eu vos saúdo... Que o Senhor lhes dê vida longa.


Comandante Rolim Amaro

sábado, 29 de janeiro de 2011

OUSE FAZER...

O passo a mais que damos a cada caminhada é o que nos coloca mais próximos de tudo que podemos ser.
A tentativa além, um pouco mais além de todas as que já fizemos, é a que mais claramente revela do que somos capazes e até onde poderemos chegar.
Quantos de nós nos entregamos antes mesmo de tentar, pela simples dificuldade de perceber que é possível ultrapassar o limite do círculo que traçamos em torno de nós e ao longo da vida?
Quantas vezes estivemos na iminência de girar a maçaneta da porta que nos levaria da escuridão à claridade e não o fizemos, simplesmente por não aceitar o impulso livre, soberano e intuitivo que conduzia nossas mãos a girar?
Quantas vezes hoje você ouviu seu coração? Sem temer, sem limitar, sem pré-conceber, prejulgar, sem se prender, deixando-se levar pelo prazer de descobrir, correr riscos e realizar.
Pobre de quem põe a nuvem do medo diante dos olhos, que prefere fugir em vez de dar-se o direito de praticar o sonho.

Tem aquele que, sem saber que era possível, foi lá e fez.
Esta é a sua vez. O verdadeiro poder é de quem ousa. Ouse fazer e alcance seu sucesso!

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

O RIO E O OCEANO...


Diz-se que, mesmo antes de um rio desaguar no oceano, ele treme de medo.

O rio olha para trás, durante toda a jornada, vendo os cumes, as montanhas, o longo caminho sinuoso através das florestas, através dos povoados, e vê à sua frente um vasto oceano. Entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre.

Mas não há outra maneira. O rio não pode voltar. Ninguém pode voltar.
Voltar é impossível na existência. Você pode apenas ir em frente. O rio precisa arriscar-se e entrar no oceano.
E somente quando ele entra no oceano é que o medo desaparece, porque apenas nesse momento o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano. Mas tornar-se oceano.

Por um lado é desaparecimento. Por outro, renascimento. Nós também só podemos ir em frente e arriscar.
Vamos avançar firme e tornar-nos oceano.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

SUCESSO É CONSEQUÊNCIA DE TALENTO...


Às vezes, o brilho do sucesso deixa algumas pessoas nervosas, mas mesmo assim o nosso brilho tende a ser um guia para outras pessoas.

Graças ao talento e brilho de Emerson Fittipaldi, hoje existem vários pilotos na Formula 1. Graças ao brilho de Guga, atualmente existem muitas pessoas praticando o tênis. Por isso não tenha medo de brilhar.

Nosso maior medo não é sermos inadequados... Nosso maior medo é sermos poderosos além da medida. É nossa luz, e não nossa sombra, que nos amedronta.

Se você se pergunta “quem sou eu para ser brilhante, magnífico, talentoso e fabuloso?”, eu pergunto: “quem é você para não o ser?” Se você se anular, isso não vai adiantar nada para o mundo. Não é nada bom "encolher-se" para que as pessoas ao seu redor se sintam seguras.

Nascemos para manifestar a grandeza que está dentro de nós. Ela não está apenas em alguns de nós, está em todos - e, quando deixamos nossa própria luz brilhar, conscientemente damos permissão às outras pessoas para fazerem o mesmo.

Quando nos libertamos de nossos temores, nossa presença automaticamente liberta os outros. Rejeite convicções limitadoras.

E brilhe... pois tem muita gente torcendo por você!

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

DUAS HISTÓRIAS, DOIS DESTINOS...


Primeira história

Certa vez, um garoto era levado à sala de emergência de um hospital, após ter sido atropelado. O motorista que o socorreu, ao ser interpelado para efetuar o depósito necessário ao atendimento, informou que não possuía, naquele momento, dinheiro ou cheque que pudesse oferecer em garantia, mas certamente, se o hospital aceitasse, poderia efetuar o depósito na primeira oportunidade. O atendente, na impossibilidade de liberar o atendimento, mas com a vantagem de estar próximo de um dos diretores do hospital, que também era médico, de plantão naquele momento, resolveu consultá-lo. Todavia, por não ter dinheiro nem garantias para o tratamento, não liberou o atendimento, fato que levou a criança atropelada a falecer. O diretor, novamente chamado para assinar o atestado de óbito do garoto, descobre que este era seu filho, que poderia ter sido salvo se tivesse recebido atendimento.

Segunda história

Antonio, pai de família, certo dia, quando voltava do trabalho, dirigindo num trânsito bastante pesado, deparou com um senhor que dirigia apressadamente. Vinha cortando todo mundo e, quando se aproximou do carro de Antonio, deu-lhe uma tremenda fechada, já que precisava atravessar para a outra pista. Naquela hora, a vontade de Antonio foi de xingá-lo e impedir sua passagem, mas logo pensou: "Coitado...! Se ele está tão nervoso e apressado assim, vai ver que está com um problema sério e precisando chegar logo ao seu destino". E pensando assim, foi diminuindo a marcha e deixou-o passar. Chegando em casa, Antonio recebeu a notícia de que seu filho de três anos havia sofrido um grave acidente e fora levado ao hospital pela sua esposa. Imediatamente seguiu para lá e, quando chegou, sua esposa veio ao seu encontro e o tranqüilizou-o, dizendo: "Graças a Deus está tudo bem, pois o médico chegou a tempo para socorrer nosso filho. Ele já está fora de perigo". Antonio, aliviado, pediu que sua esposa o levasse até o médico para agradecer-lhe. Qual não foi a sua surpresa quando percebeu que o médico era aquele senhor apressado para o qual ele havia dado passagem!

Esteja sempre alerta para ajudar o próximo, independentemente de sua aparência ou condição financeira. Procure ver as pessoas além das aparências. Imagine que, por trás de uma atitude, existe uma história, um motivo que leva a pessoa a agir de determinada forma.

PARA QUEM VOCÊ TRABALHA?


Recentemente fui servido por um garçom mal-educado. Sua linguagem corporal dizia mais ou menos o seguinte: “quem mandou você vir a este restaurante?”. Ele demorou 20 minutos para me trazer um cappuccino e, quando chegou, metade estava no pires. Conversando, eu lhe perguntei sobre seu trabalho e seu patrão. Aí ele disse: "É claro que não quero trabalhar para esse cretino o resto da vida”.

Infelizmente o nosso garçom esqueceu um aspecto importantíssimo da vida no local de trabalho: a gente não trabalha para o patrão; trabalha para si mesmo.

Nenhum empregador é perfeito, e pode ser que seus colegas sejam preguiçosos. Mas quando você se candidata a um emprego, o seu dever é dar o melhor de si e não prejudicar o cara que assina os cheques no fim do mês.

Quando você só dá 50 por cento do seu esforço, acaba sofrendo muito mais do que o patrão. Este, quando muito, sai perdendo algum dinheiro. Você perde o entusiasmo e a auto-estima, além de um bom pedaço da vida.

Algumas pessoas acreditam que há coisas “boas” e coisas “ruins” para fazer na vida. Não é assim. Uma pessoa interessante pode tornar interessante um trabalho tedioso... Gostar do trabalho é uma escolha. Há pessoas que são capazes de transformar as piores atividades num prazer! Elas simplesmente partem do princípio de que o trabalho deve ser interessante, e pronto!

Em poucas palavras: você dá o melhor de si não porque precisa impressionar as pessoas. Dá o melhor porque é a única maneira de gostar do trabalho.

Andrew Matthews, no livro "Siga seu coração"

QUEM VAI CEDER?


Num sonho, desses que se sonha acordado, me vi diante de Deus, e Ele em uma única pergunta me desconcertou e começou uma das mais belas lições que já ouvi.
Sua pergunta ainda ecoa na minha mente: Ele simplesmente indagou:
- Quem vai ceder?
E eu sem entender, retruquei: - Como?
Ele em voz poderosa, mas ao mesmo tempo suave, repetiu:
- Quem vai ceder!
- Quem de nós dois vai ceder, ou deve ceder as exigências que um e outro fazem?

Eu peço humildade,
você pede a conquista de cargos, salários, bens e mais bens materiais, como se isso trouxesse contentamento.

Eu peço amor ao próximo,
você vive pedindo pelo amor de uma pessoa específica, dizendo que não vive sem fulano, sem ciclana, não como quem ama alguém, mas como quem possui algo.

Eu peço serenidade nas atitudes,
você me pede paciência para "não matar" alguém que simplesmente contrariou o seu "pensar".

Eu peço justiça,
e você por vezes, tem me pedido decisões favoráveis para a sua situação, sempre vendo somente o momento, sem analisar o passado e sem nenhum olhar para o futuro.

Eu peço a paz,
e muitas vezes tenho visto você criando guerras estúpidas, pela posse de um pedaço de terra, por uma vaga em um estacionament. Por coisas tão banais que me desespero, e olhe que eu sou Deus!

Eu lhe peço merecimento,
mas volta e meia, ao invés de estudar, de trabalhar um pouco mais, você tenta colar numa prova, leva um atestado de doença ao trabalho, atestado mais fajuto que a sua cara de pau naquele dia...

Eu peço honestidade,
e você, as vezes quer me "enrolar", se fingindo de santo, de anjo de candura, quando lá no fundo, até a sua "consciência" sabe que você não está certo.

Eu peço bondade,
e olha, se tudo acima falhar, se todas as qualidades ainda não estão em você, você sabe, eu perdôo, mas falta de caridade é a representação de tudo o que há de "secura" na "semente" que é o ser humano. Por isso, Jesus, este filho amado, falou palavras tão duras para a figueira que coberta de folhas, não tinha um fruto sequer.

Então, volte e aprenda...
Faça florescer os frutos da caridade na sua vida. Por onde for espalhe boas sementes, seja gentil até com aqueles que querem o seu mal. Tudo na vida da carne é passageiro. Os anos da sua vida são fagulhas no tempo, poeira que fica na sandália do sábio que tudo vê, observa e faz um julgamento que ultrapassa o seu tempo. Tempo que não pode ser medido com diplomas, conjecturas, dogmas e nem ensaios vãos.

Quem vai ceder?
Serei eu, será você?

De todas as minhas leis, a que Eu mais gosto, é a do livre arbítrio, você é livre para decidir, é livre para agir, pode plantar o que quiser, mas uma única coisa eu institui, e nem Eu mesmo posso mudar, por isso fique ciente que o que plantares, terás que colher, e comerás do fruto, seja amargo ou doce, até o seu final.
Deixo-lhe então, um recado amoroso do amado filho:

“Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus” (Mt 5.16).
Que assim seja!

Paulo Roberto Gaefke

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

É PROIBIDO...


É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.
É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,
Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos
Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,
Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,
Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,
Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,
Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,
Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,
Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

Pablo Neruda

À DESCOBERTA DO AMOR...


Ensaia um sorriso
e oferece-o a quem não teve nenhum.
Agarra um raio de sol
e desprende-o onde houver noite.
Descobre uma nascente
e nela limpa quem vive na lama.
Toma uma lágrima
e pousa-a em quem nunca chorou.
Ganha coragem
e dá-a a quem não sabe lutar.
Inventa a vida
e conta-a a quem nada compreende.
Enche-te de esperança
e vive á sua luz.
Enriquece-te de bondade
e oferece-a a quem não sabe dar.
Vive com amor
e fá-lo conhecer ao Mundo.

Mahatma Gandhi

FELIZ ENCONTRO...


Quando foi a última vez que você comprou um doce e comeu sem culpa?
Quando foi a última vez que entrou em uma loja de brinquedos e ficou maravilhado com todos aqueles sonhos e comprou um brinquedo para você?
Quando foi a última vez que leu um gibi do Cebolinha ou Garfield e "rachou o bico"?
Quando foi a última vez que ficou fazendo careta no espelho e foi pego de surpresa?
Quando foi a última vez que gargalhou, morreu de rir até perder o fôlego?
Quando foi a última vez que sentiu-se criança e feliz por assim estar?

Comportamentos impossíveis de realizar, sentir ou viver. Afinal de contas somos e devemos ser adultos e precisamos nos mostrar assim.

A fisionomia rude, cansada, velha. Andar com a cara amarrada, enrugada, demonstrando que temos vários, e velhos, problemas para resolver.

Sermos egoístas, maduros, individuais, chatos, "profissionais", infelizes, capitalistas, e, muitas vezes, ruins. Isso é ser adulto. Matar nossa criança interior, deixar de respirar e sentir o aroma da Vida.

Pro inferno com os padrões de comportamento, onde devemos nos podar e ser o que querem que sejamos.

Veja, ouça, fale, sinta, pense, goste de você.
Aceite-se! Sorria, cante, grite!
Solte-se! Seja livre! Seja criança! Seja você!

Seja feliz!!!

MULHERÃO...


Peça para um homem descrever um mulherão.
Ele imediatamente vai falar no tamanho dos seios, na medida da cintura, no volume dos lábios, nas pernas, bumbum e cor dos olhos...
Ou vai dizer que mulherão tem que ser loira, 1,80 m, siliconada e com um lindo sorriso.
Mulherões, dentro desse conceito, não existem muitas: Vera Fisher, Malu Mader, Adriane Galisteu, Letícia Spiller, Lumas e Brunas.

Agora, pergunte para uma mulher o que ela considera um mulherão e você vai descobrir que tem uma em cada esquina...
Mulherão é aquela que pega dois ônibus para ir ao trabalho e mais dois para voltar e, quando chega em casa, encontra um tanque lotado de roupa e uma família morta de fome.
Mulherão é aquela que vai de madrugada para a fila garantir matrícula na escola e aquela aposentada que passa horas em pé na fila do banco para buscar uma pensão de R$ 240,00.
Mulherão é a empresária que administra dezenas de funcionários de segunda a sexta e uma família todos os dias da semana.
Mulherão é quem volta do supermercado segurando várias sacolas depois de ter pesquisado preços e feito malabarismo com o orçamento.
Mulherão é aquela que se depila, que passa cremes, que se maquia, que faz dietas, que malha, que usa salto alto, meia-calça, ajeita o cabelo e se perfuma, mesmo sem nenhum convite para ser capa de revista.
Mulherão é quem leva os filhos na escola, busca os filhos na escola, leva os filhos na natação, busca os filhos na natação, leva os filhos para a cama, conta histórias, dá um beijo e apaga a luz.
Mulherão é aquela mãe de adolescente que não dorme enquanto ele não chega. É quem, de manhã bem cedo, já está de pé, esquentando o leite.
Mulherão é quem leciona em troca de um salário mínimo, é quem faz serviços voluntários, é quem colhe uva, é quem opera pacientes, é quem lava a roupa para fora, é quem bota a mesa, cozinha o feijão e, à tarde, trabalha atrás de balcão.
Mulherão é quem cria os filhos sozinha, é quem dá expediente de 8 horas e enfrenta menopausa, TPM e menstruação.
Mulherão é quem arruma os armários, coloca flores nos vasos, fecha a cortina para o sol não desbotar os móveis, mantém a geladeira cheia e os cinzeiros vazios.
Mulherão é quem sabe onde cada coisa está, o que cada filho sente e qual o melhor remédio para azia.
Lumas, Brunas, Carlas, Luanas e Sheilas: mulheres nota 10 no quesito lindas de morrer, mas mulherão é quem mata um leão por dia!

Martha Medeiros

sábado, 22 de janeiro de 2011

FAÇA SUA VIDA VALER A PENA...


"As melhores histórias jamais serão escritas, assim como os melhores momentos jamais retornarão.
Por isso, quando estiveres feliz, tire o máximo de proveito desta felicidade, pois o tempo arrastará tudo e só ficarão as lembranças".

Não guarde mágoas, Guarde lembranças.
Não chore lembranças, Recorde alegria.
Não viva do passado, Aproveite o presente.
Não fuja do agora, Prepare o amanhã.
Você pode, e deve, escolher o roteiro da sua vida. Apague o que já passou que não retorna mais. Refaça seu acervo de lembranças. As más, relegue ao esquecimento, Às boas dê ainda mais brilho. Faça a dieta da alegria: Um sorriso a cada manhã; Um agradecimento ao final do dia...

Faça sua vida valer a pena... Escute sempre seu coração... Lute pelo seus objetivos... Ignore o que te faz mal... Centralize suas metas... Idealize seus sonhos... Dê mais de você a você mesmo... Ame quem te ama... Deixe de lado as coisas ruins... E assim, será feliz!!!
Valorize cada dia, hora, minuto, segundo...
Valorize cada momento com alguém especial, especial o suficiente para gastar o seu tempo junto com você.
Lembre-se: O tempo não espera por ninguém, a vida é muito curta...
Ontem é história; O amanhã é um mistério; O hoje é uma dádiva, por isso é chamado “PRESENTE!“
Aproveite esse presente que Deus lhe deu...“A VIDA...

PORTAS...


Se você abre uma porta, você pode ou não entrar em uma nova sala. Você pode não entrar e ficar observando a vida. Mas, se você vence a dúvida, o medo e entra, dá um grande passo: nesta sala vive-se. Mas também tem um preço. São inúmeras outras portas que você descobre. Às vezes quebra-se a cara, às vezes curte-se a mil e uma.

O grande segredo é saber quando e qual porta se deve abrir. A vida não é rigorosa. Ela propicia erros e acertos. Os erros podem se transformar em acertos quando são aprendidos. Não existe a segurança do acerto eterno.

A vida é generosa. Cada sala em que se vive, descobrem-se tantas outras portas. A vida enriquece quem se arriscar a abrir novas portas. Ela privilegia quem descobre seus segredos e, generosamente, oferece afortunadas portas.

Mas a vida também pode ser dura. Terá sempre a mesma porta pela frente. É a repetição perante a criação, é a monotonia monocromática perante a multiplicidade das cores, é a estagnação da vida.

Para a vida, as portas não são obstáculos, mas diferentes passagens.

CUIDAR DE SI MESMO...


Como é que você vê o mundo ao seu redor?
Se, de vez em quando, o mundo lhe parecer um tanto escuro, preste muita atenção, pois pode não ser bem assim.
E para que você perceba que tudo depende do jeito que a gente vê, vamos contar uma pequena história.

O jovem casal mudou-se para um bairro muito tranquilo. Na primeira
manhã que passavam em sua nova casa, enquanto tomavam café, a mulher reparou no varal no qual a vizinha pendurava os lençóis lavados e comentou com o marido:
Que lençóis sujos ela está pendurando no varal! Está precisando de um sabão novo. Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!
O marido observou calado. Três dias depois, também durante o café da manhã, a vizinha pendurava seus lençóis e novamente a mulher comentou com o esposo:
Nossa vizinha continua pendurando os lençóis sujos! Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!
E assim, a cada três dias, a mulher repetia seu discurso, enquanto a vizinha pendurava suas roupas no varal.
Passado um mês, a jovem esposa se surpreendeu ao ver os lençóis muito brancos sendo estendidos e, empolgada, foi dizer ao marido:
Veja! Ela aprendeu a lavar as roupas! Será que a outra vizinha lhe deu sabão? Por que você não fez nada, não é mesmo?
O marido lhe respondeu calmamente:
Não, eu não lhe dei sabão nem fui ensiná-la a lavar roupas, meu bem. Acontece que hoje eu levantei mais cedo e lavei a vidraça da nossa janela! Creio que era a sujeira que impedia você de ver a brancura dos lençóis da nossa vizinha.

Pois bem, se você estiver vendo apenas coisas negativas nas pessoas ao seu redor, talvez seja interessante dar uma olhada na sua vidraça.

Tantas vezes o que pensamos ser uma mancha escura no vizinho, não passa de um ponto de vista equivocado ou de uma visão distorcida.

A nossa visão de mundo, portanto, depende da janela através da qual observamos os fatos. Ela pode estar manchada pelo lodo da inveja, pela poeira da incompreensão, pelos respingos do orgulho, ou algumas nódoas de mágoa.

Seria interessante que, antes de criticar, olhássemos primeiro a nossa situação: se estamos fazendo alguma coisa para contribuir ou se apenas nos limitamos a falar mal de coisas e pessoas.

E podemos começar olhando para os nossos próprios defeitos e limitações para poder entender e compreender as deficiências do semelhante.

Jesus chamou-nos a atenção dizendo que enxergamos facilmente o cisco no olho do próximo, mas não vemos a trave que tem no nosso.

Por essa razão é importante que, antes de lançar qualquer comentário infeliz sobre os outros, olhemos primeiro se a nossa janela está bem limpa e transparente.

Todas as criaturas, sem exceção, estão mergulhadas nas Leis Divinas.

Por isso, não devemos nos preocupar com as questões que não nos dizem respeito.

Deus, que é a Inteligência Suprema do Universo, tudo vê e a tudo provê.

Assim, se cuidarmos bem das nossas obras, da nossa semeadura, estaremos garantindo para nós mesmos um amanhã feliz.

Redação do Momento Espírita, com base em história que circula pela Internet, sem menção a autor.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

MAIS BONITAS DO QUE SARDAS...


Aconteceu num dia em que estava com meu filho no zoológico. Vi uma avó com uma garotinha cujo rosto era todo salpicado de sardas vermelhas e brilhantes.
As crianças estavam esperando numa fila para que um artista pintasse suas faces com patinhas de tigre.
- Você tem tantas sardas que ele não vai ter onde pintar - gritou um menino na fila.
Sem graça, a menininha abaixou a cabeça. A avó ajoelhou perto dela e disse:
-Adoro suas sardas.
- Mas eu detesto - ela replicou.
- Quando eu era menina, sempre quis ter sardas - disse a senhora, passando o dedo pela face da neta - Sardas são tão bonitas!

A menina levantou o rosto:
- São mesmo?
- Claro - disse a avó - Quer ver? Me diga uma coisa mais bonita que sardas.

A garotinha, olhando para o rosto sorridente da senhora, respondeu suavemente:
- Rugas.
Aquele momento me ensinou para sempre que, se olharmos para os outros com os olhos do amor, não veremos o que possam ter de feio. Apenas o que têm de bonito.

As rugas deviam indicar apenas onde os sorrisos estiveram.

SER FELIZ OU TER RAZÃO?


Oito da noite, numa avenida movimentada.
O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos.
O endereço é novo e ela consultou no mapa antes de sair.
Ele conduz o carro.
Ela orienta e pede para que vire, na próxima rua, à esquerda.
Ele tem certeza de que é à direita.
Discutem. percebendo que além de atrasados, poderiam ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida.
Ele vira à direita e percebe, então, que estava errado.
Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno.
Ela sorri e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados.
Mas ele ainda quer saber:
- Se tinha tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, devia ter insistido um pouco mais...
E ela diz:
- Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz.
Estávamos à beira de uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite!

Moral da história:

Esse fato foi contado por uma empresária, durante uma palestra sobre simplicidade no trabalho.
Ela usou a cena para ilustrar quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independentemente, de tê-la ou não.
Diante disso me pergunto:
'Quero ser feliz ou ter razão?'
E lembrei de um outro pensamento parecido, diz o seguinte:
“Nunca se justifique. Os amigos não precisam e os inimigos não acreditam."

ONTEM E AMANHÃ...


Hoje vou apagar do meu calendário dois dias:
Ontem e amanhã!
Ontem foi para aprender!
Amanhã será uma conseqüência do que posso fazer hoje...
Hoje enfrentarei a vida com a convicção de que este dia nunca mais retornará.
Hoje é a última oportunidade que tenho de viver intensamente...
Hoje terei coragem para não deixar passar as oportunidades que se apresentam, que são as minhas chances de triunfar!
Hoje vencerei cada obstáculo que surgir no meu caminho!
Resistirei ao pessimismo e conquistarei o mundo com um sorriso...
Com uma atitude positiva...
Esperando sempre o melhor!
Hoje usarei o tempo para ser feliz!
Se você carimbar em si mesmo a idéia de que as coisas são difíceis, provavelmente elas serão.
Quando se repete continuamente 'eu não posso' ou 'eu não vou conseguir', as chances de que isso realmente aconteça são bem grandes. portanto, para permanecer longe da influência dos comentários e visões pessimistas dos outros, ative o seu potencial otimista.
Uma pequena chama em uma sala escura é muito mais forte do que toda a escuridão.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

ALMA HUMANA...


De todos os desejos reunidos na alma humana, o sonho da felicidade abstrata é o mais visível.
É aquele sonho onde nos vemos com algo que agora que não possuímos, e quando conquistamos aquele "tesouro", já estamos pensando em um outro mais distante.

É como aquela cenoura colocada diante dos olhos do cavalo, amarrada por uma corda que não o deixa alcançá-la.
A cenoura está ali, mas tão perto e tão distante...

A alma humana, sonhadora e infeliz, busca encontrar em alguma coisa externa a alegria, o contentamento que não encontra em si mesma.

É uma procura inútil, viagem sem mapa, férias sem roteiro, fuga sem rota...
O que buscamos e o que não encontramos, é a nossa própria ausência, é o distanciamento da nossa realidade, o aceitar-se!

Descubra suas capacidades e necessidades, reveja seus conceitos que lhe fazem mal, pare de agredir a sua própria condição, de menosprezar o real valor que você tem.

Encontre-se antes de sair por ai jurando que ama essa ou aquela pessoa.
Isto só trará dor e sofrimento, e aumentará a sensação de que você nasceu para sofrer.
Nem o "Aleijadinho" nasceu para sofrer, muito menos você, alma querida.

O que está errado é o foco, é a direção.
Corrija o rumo da sua vida, respeite-se, valorize-se e com certeza, aquelas portas fechadas vão se abrir de par em par, motivadas pela energia poderosa que habita em você, nesse dia, além de encontrar-se, saberá que Deus existe, e nunca te abandonou.

Muita paz!

Paulo Roberto Gaefke

A ERA DOS DESCOBRIMENTOS...


Há mais de quinhentos e cinqüenta anos, o Brasil e o mundo entravam na rota dos grandes descobrimentos. Naquela época, o melhor instrumento para a descoberta de novos continentes eram apenas as caravelas levadas ao vento.

Hoje o grande descobrimento passa a ser você, e um dos instrumentos a serem utilizados é o autoconhecimento aplicado à sua vida diária. Para que isso ocorra de forma eficaz, é preciso determinação e coragem na transformação do seu eu interior refletindo no seu eu exterior. É preciso praticar todos os dias, pois esta é uma boa maneira de você se entender e, ao mesmo tempo, compreender as coisas que ocorrem à sua volta.

Com o autoconhecimento, o mundo fica mais tranqüilo e você entenderá com maior clareza os mistérios e os segredos mágicos da vida. É sempre bom lembrar que, às vezes, escondemos segredos no nosso inconsciente que, mais tarde, viram traumas e bloqueios no mundo consciente. Quando temos a oportunidade de nos conhecermos melhor, abrimos um campo fértil para a correção de rotas para a nova vida, dando um norte mais preciso e brilhante em nossa trajetória de luz.

Está na hora de você se descobrir e ter uma vida mais feliz, pilotando o destino com suas próprias mãos.

Adonai Zanoni de Medeiros - Conferencista e Consultor

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

PRAZER PELA METADE...


Não há nada que me deixe mais frustrada do que pedir sorvete de sobremesa, contar os minutos até ele chegar e aí ver o garçom colocar na minha frente uma bolinha minúscula do meu sorvete preferido - uma só. Quanto mais sofisticado o restaurante, menor a porção da sobremesa. Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência, comprar um litro de sorvete bem cremoso e saborear em casa com direito a repetir quantas vezes a gente quiser, sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação.

O sorvete é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano. A vida anda cheia de meias porções, de prazeres meia-boca, de aventuras pela metade. A gente sai pra jantar, mas come pouco. Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons. Conquista a chamada liberdade sexual, mas tem que fingir que é difícil (a imensa maioria das mulheres continua com pavor de ser rotulada de 'fácil'). Adora tomar um banho demorado, mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta. Quer beijar aquele cara 20 anos mais novo, mas tem medo de fazer papel ridículo. Tem vontade de ficar em casa vendo um DVD, esparramada no sofá, mas se obriga a ir malhar. E por aí vai.

Tantos deveres, tanta preocupação em 'acertar', tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação... Aí a vida vai ficando sem tempero, politicamente correta e existencialmente sem-graça, enquanto a gente vai ficando melancolicamente sem tesão. Às vezes, dá vontade de fazer tudo 'errado' - deixar de lado a régua, o compasso, a bússola, a balança e os 10 mandamentos. Ser ridícula, inadequada, incoerente e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam a nosso respeito. Recusar prazeres incompletos e meias porções.

Até Santo Agostinho, que foi santo, uma vez se rebelou e disse uma frase mais ou menos assim: 'Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora'.
Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem, podemos (devemos?) desejar várias bolas de sorvete, bombons de muitos sabores, vários beijos bem dados, a água batendo sem pressa no corpo, o coração saciado. Um dia a gente cria juízo. Um dia. Não tem que ser agora.

Por isso, garçom, por favor, me traga: dez bolas de sorvete de chocolate, um sofá pra eu ver 10 episódios do CSI, Grey´s Anatomy, House ou 'Law and Order', uma caixa de trufas bem macias e o Richard Gere, nu, embrulhado pra presente. OK!
Não necessariamente nessa ordem.

Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago.

Leila Ferreira
é uma jornalista que adora colecionar histórias das loucuras e das manias femininas.
É autora do livro Mulheres: Por que Será que Elas...?, da Editora Globo

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

SEMENTES E COLHEITAS...


"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará" Gálatas 6:7

Quando um portal na jurisdição de Nova Iorque e Nova Jersey publicou um anúncio procurando eletricistas com especialização em conectores Sontag, recebeu 170 respostas embora conectores Sontag não existam. O portal publicou o anúncio para saber quantos candidatos falsificam currículos. (Peter LeVine - 15 de julho de 1993)

Até que ponto estamos dispostos a fraudar, enganar e mentir, para alcançar os nossos objetivos?

Poderemos esperar algum tipo de sucesso quando andamos pelo caminho da desonestidade? Podemos contar com as bênçãos de Deus se não somos sinceros em nossas atitudes?

Muitas vezes questionamos a nossa "falta de sorte" quando, na realidade, apenas colhemos os frutos da indiferença ao Senhor, semeados ao longo de nossa existência.

Se semeamos mentiras, colhemos tristeza e ilusão.
Se semeamos verdades, colhemos alegria e bênçãos.

O nosso Deus é Verdade e para contar com as janelas abertas do Céu, necessitamos viver em sinceridade e retidão.

Às vezes pensamos que uma pequena informação falsa em um currículo ou em qualquer outra transação comercial não tem problema algum. É apenas uma "mentirinha"! E como poderemos pedir a Deus que abra as portas para nós? E como poderemos pedir a bênção naquela situação?

Deus não nos abençoa nas mentiras, não nos dá vitórias nos atos desonestos, não nos sustenta quando agimos enganosamente.

Ele sempre estará de braços abertos para nos guardar, para nos socorrer, para nos edificar, para nos abençoar, quando firmamos nossos pés na verdade e na pureza.

O que você tem semeado?
O que espera colher?

A ESTRADA DO SUCESSO...


A estrada para o sucesso não é uma reta.
Há uma curva chamada fracasso.
Um trevo chamado confusão.
Quebra-molas chamados amigos.
Faróis de advertência chamados família.
Pneus furados chamados empregos.

Mas se você tiver um estepe chamado determinação, um seguro chamado fé e um motorista chamado consciência, você chegará a um lugar chamado sucesso.

domingo, 16 de janeiro de 2011

TENHA FÉ EM VOCÊ MESMO...


É justamente quando as coisas vão mal que as suas habilidades podem fazer a diferença. A melhor hora para tomar atitudes que manterão as coisas fluindo a seu favor é quando tudo está contra você.

A melhor cura para o desencorajamento é a ação. Não fique sentado sentindo pena de si mesmo, faça algo! Você entrou nesta situação. Você pode sair dela e seguir em frente para uma vida de sucesso e conquistas. Todas essas coisas acontecem quando você começa a tomar o controle do seu próprio destino. Tenha consciência de que suas ações determinam seu futuro.

Você já não agüentou o suficiente? Comece a sair dessa situação agora mesmo. Algumas das maiores conquistas acontecem quando atitudes corajosas são tomadas em meio à situações desencorajantes.
O que você pode fazer ainda hoje, agora mesmo, para chegar mais longe? Vislumbre o futuro e comece a agir já. Tenha fé em você mesmo e cresça!

PROSSEGUIR...


Quando tudo aponta o caminho da derrota, quando tudo diz: desiste; uma névoa de lágrimas é removida, e a gente que aposta no amor, insiste...

Queremos prosseguir, ainda que sem rumo, sem ter para onde ir, perdido no mundo.

Nesta hora em que todos somem, olhamos para o céu todo acinzentado, e buscamos uma réstia de nuvem branca, um pedacinho de céu azul, para ali, firmarmos o pensamento, pedirmos ajuda, e acreditar, que podemos um pouco mais, que nada está terminado, que tudo pode ser transformado.

E, movidos por uma força maior, vencemos às barreiras, pulamos obstáculos, enfrentamos os leões na arena, os acusadores, os difamadores, e sem pedras na mão, sem revolta, oferecemos o nosso melhor, de coração, oferecemos o perdão...

Passamos pela estrada sem dar volta, sentindo no vento a esperança, no luar, a luz que guia a nossa criança, no dia que nasce, a verdadeira oportunidade de crescer.

E é assim, diante da superação das próprias dificuldades, que deixamos para trás o medo da luta,
para dor, damos adeus, e finalmente, saindo dos espinhos, descobrimos o quão maravilhoso é Deus.
Não desista dos seus sonhos.
Jamais!

Paulo Roberto Gaefke

sábado, 15 de janeiro de 2011

TORNANDO-SE UM GERENTE PESSOAL...


Para conseguir gerenciar bem o seu tempo e conquistar a administração pessoal, é preciso levar em conta quatro atividades-chave:

- Identificar papéis: ou seja, pensar seriamente nos papéis que desempenha na vida, primeiro como indivíduo - marido ou esposa, pai ou mãe, filho ou filha -, depois os papéis no trabalho e na sociedade. A partir daí, anote o tempo que vem gastando com cada um deles ao longo de uma semana;

- Estabelecer metas: é o segundo passo, ou seja, pense em dois ou três resultados que pretende alcançar em cada um dos seus papéis, nos próximos sete dias;

- Planejar: dados os dois primeiros passos, você pode olhar para a sua próxima semana com as metas em mente e o tempo reservado para atingi-las. Por exemplo, se uma dessas metas é melhorar sua forma física, é bom reservar uma hora durante 3 ou 4 dias – ou quem sabe todos os dias – para atingir esse objetivo.

- Adaptar-se diariamente: é a última atividade-chave. A partir da organização da semana, o planejamento diário torna-se uma questão de estabelecer prioridades. Dedicar alguns minutos, todas as manhãs, para repassar seus compromissos pode colocá-lo em contato com as decisões baseadas em valores que você tomou quando organizou a semana, além de fatores inesperados que podem ter surgido. Conforme você revê o dia, percebe que seus papéis e metas implicam o estabelecimento de prioridades naturais.

Aprendendo a gerenciar seu tempo, você consegue organizar sua própria vida e o seu tempo com uma diferença qualitativa positiva. E mais, quanto mais as suas metas semanais estiverem ligadas à sua missão pessoal, maior será o aumento da sua eficácia.

Stephen R. Covey, no livro "Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes"

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

TRANSMISSÃO DA RIQUEZA...


É bastante comum nos pais o desejo de amealhar patrimônio para assegurar uma vida tranquila para seus filhos.
Esse desejo é louvável, mas não pode ser levado a extremos.

Sabe-se que os Espíritos nascem na Terra para aprender as lições de que necessitam.
Entretanto, eles não são da Terra.

Ao final da experiência terrena, não podem conduzir consigo nada do que seja material.
Apenas virtudes, conhecimentos e mérito de boas ações praticadas constituem o patrimônio que conseguem levar.

De outro lado, o mal feito, o bem não realizado e as injustiças não impedidas, embora podendo, representam uma pesada carga para a consciência.
Embora o patrimônio material seja relevante, a herança mais importante que os pais podem deixar é outra.
Essa herança consiste nas lições de vida reta e nos exemplos de solidariedade e compaixão.

Em termos de vida imortal, não tem sentido querer tornar os filhos ricos, mas egoístas.
A riqueza frequentemente muda de mãos.
As empresas mais sólidas vão à falência.
A vontade de um homem é impotente para conservar nas mãos de seus filhos a fortuna que construiu.

Se a Providência Divina decidir que os herdeiros devem experimentar a prova da miséria, eles a experimentarão.
Tudo o que compõe o mundo pertence a Deus.
O homem é mero usufrutuário, mais ou menos fiel, conforme compreende a finalidade do que lhe vem às mãos.
Os bens materiais são sempre instrumentos, neutros em sua essência.

Os pais devem ser conscientes de que sua tarefa não consiste apenas em educar os filhos para que sejam felizes, segundo os padrões mundanos.
O sucesso material pode ser efêmero e enganoso.
Para ser bem sucedido na tarefa paterna, é preciso ciência de que se está a educar Espíritos para Deus.

O mundo tem sua importância e representa variados desafios.
É válido e necessário estudar, trabalhar e esforçar-se para viver bem.
Só não vale a pena perder o foco e inverter os valores.

Assim, ensine seu filho a valorizar todos os bens que a família possui.
Diga-lhe que deve estudar e ser um excelente profissional.
Oriente-o para ser responsável e jamais se converter em um peso para os semelhantes.
Diga-lhe da prudência e o ensine a ser moderado em gastos, desfrutes e paixões.
Mas também o eduque para ser bondoso e solidário.

Mostre-lhe que é sublime prestar serviços desinteressados, dar para quem não pode retribuir, gastar tempo com os enfermos e idosos.
Ao assim agir, você colaborará para que seu filho se torne um ser humano de qualidade.

Se a vida mais tarde resolver experimentá-lo, ele terá méritos e valores para se sair bem.
Não achará que a riqueza diz do valor de um homem e não se imaginará sem valia por enfrentar dificuldades materiais.

Pense nisso.

Redação do Momento Espírita com base no item 15 do cap. XVI de O evangelho segundo o espiritismo, de Allan Kardec, ed. Feb.

QUANDO SUA VIDA COMEÇA...


Quando sua vida começa, você tem apenas uma mala pequenina de mão.
À medida que os anos vão passando, a bagagem vai aumentando, porque existem muitas coisas que você recolhe pelo caminho, por pensar que são importantes.
A um determinado ponto do caminho, começa a ficar insuportável carregar tantas coisas, pesa demais, então você pode escolher.

Se escolher ficar sentado à beira do caminho, esperando que alguém ajude, dificilmente conseguirá auxílio, pois todos que passarem por ali já terão sua própria bagagem. Você pode ficar a vida inteira esperando, até que seus dias acabem.
Mas você também pode aliviar o peso, esvaziando a mala. Mas o que tirar?

Você começa tirando tudo. Veja o que tem dentro: Amor, Amizade... Nossa! Tem bastante e, curioso, não pesa nada...
De repente, encontra algo pesado. Você faz força para tirar. É a Raiva, e como ela pesa!

Aí, você começa a tirar, tirar, e aparecem outros: Incompreensão, Medo, Pessimismo... Nesse momento, o Desânimo quase te puxa pra dentro da mala. Mas você puxa-o para fora com toda a força. No fundo da mala, aparece um sorriso, que estava sufocado no fundo da sua bagagem. Pula para fora outro sorriso, e mais outro, e aí sai a Felicidade.

Aí você coloca as mãos dentro da mala de novo e tira um monte de Tristeza.
Agora, você vai ter que procurar a Paciência dentro da mala, pois vai precisar bastante.
Procure então o resto: Força, Esperança, Coragem, Entusiasmo, Equilíbrio, Responsabilidade, Tolerância e o bom e velho Humor.

Tire a Preocupação também. Deixe de lado: depois você pensa o que fazer com ela.
Bem, sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo. Mas, desta vez, pense bem o que vai colocar dentro da mala. Agora é com você.

E não se esqueça de fazer essa arrumação mais vezes, pois o caminho é muito, muito longo, e sua bagagem poderá pesar novamente.

FÁBRICA DE CALÇADOS...


"Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados." Lucas 6:37

Conta-se que uma fábrica de calçados, com a intenção de expandir suas vendas, decidiu que deveria exportar para a África e mandou para um país daquele continente dois vendedores para que eles pudessem verificar o potencial do mercado e iniciar as vendas.
Aos dois foram dadas as mesmas condições: hospedagem, locomoção, diárias, tabelas de preços e informações sobre os produtos, e ao final da primeira semana eles deveriam emitir um relatório a matriz no Brasil.
Um dos vendedores, antes de mandá-lo ligou para o escritório da matriz, completamente abatido, fazendo o seguinte comentário:
"Vocês devem suspender os planos de expansão e rever nossos investimentos neste país. Já comprei minha passagem de volta, pois vir para cá foi a maior roubada. Por aqui não vamos vender nada porque ninguém usa sapatos, todo
mundo anda descalço!!!"
O outro vendedor também ligou, mas ao contrário do primeiro, estava eufórico, quase não se continha e totalmente entusiasmado, foi assim falando:
"Vocês devem ampliar os planos para nossos investimentos neste país. Podem contratar mais funcionários e aumentar a produção. Foi brilhante a idéia de vender nossos produtos por aqui. Vamos vender como nunca, porque aqui ninguém usa sapatos, todo mundo anda descalço... por enquanto! Basta começar a oferecer!".

O que você acabou de ler serve para ilustrar o quanto faz diferença a atitude de fé.

Nos baseamos naquilo que achamos, em nossos preconceitos e impressões, constantemente "rotulamos" as pessoas, julgando por elas, e com isso perdemos excelentes possibilidades.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

SINAL DOS TEMPOS...


Não posso acreditar que fizemos isso. Olhando para trás, é duro acreditar que estejamos vivos até hoje.
Nós viajávamos em carros sem cintos de segurança ou air-bag. Não tivemos nenhuma tampa à prova de crianças em vidros de remédios, portas ou armários, e andávamos de bicicleta sem capacete, sem contar que pedíamos carona.
Bebíamos água direto da mangueira, e não da garrafa. Nós gastamos horas construindo nossos carrinhos de rolimã para descer ladeira abaixo, e só então descobríamos que tínhamos esquecido dos freios. Depois de colidir com algumas árvores, aprendemos a resolver o problema.
Saíamos de casa pela manhã e brincávamos o dia inteiro, só voltando quando se acendiam as luzes da rua. Ninguém podia nos localizar, pois não havia telefone celular.
Nós quebramos ossos e dentes, e não havia nenhuma lei para punir os culpados. Eram acidentes. Ninguém para culpar, só a nós mesmos. Nós tivemos brigas e esmurramos uns aos outros, e aprendemos a superar isto.
Nós comemos doces e bebemos refrigerantes, mas não éramos obesos. Estávamos sempre ao ar livre, correndo e brincando. Compartilhamos garrafas de refrigerante e ninguém morreu por causa disso.
Não tivemos Playstations, Nintendo 64, videogames, 99 canais a cabo, filmes em vídeo, surround sound, celular, computadores ou Internet. Nós tivemos amigos. Nós saíamos e os encontrávamos. Íamos de bicicleta ou caminhávamos até a casa deles e batíamos à porta. Imagine tal coisa! Sem pedir permissão aos pais, por nós mesmos! Lá fora, no mundo cruel! Sem nenhum responsável!

Como fizemos isso?
Nós fizemos jogos com bastões e bolas de tênis.
Nos jogos da escola, nem todo mundo fazia parte do time. Os que não fizeram, tiveram que aprender a lidar com a decepção.
Alguns estudantes não eram tão inteligentes quanto os outros. Eles repetiam o ano! Que horror! Não inventavam testes extras.
Éramos responsáveis por nossas ações e arcávamos com as conseqüências. Não havia ninguém que pudesse resolver isso. A idéia de um pai nos protegendo, se desrespeitássemos alguma lei, era inadmissível! Eles protegiam as leis! Imagine só isso!
Esta geração produziu alguns dos melhores compradores de risco, criadores de soluções e inventores. Os últimos 50 anos foram uma explosão de inovações e novas idéias.

Tivemos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade, e aprendemos a lidar com isso.
Você se identificou com tudo isso? Parabéns: você sobreviveu à felicidade!

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

MARCAS DE BATOM...


Numa escola pública estava ocorrendo uma situação inusitada: meninas de 12 anos que usavam batom, todos os dias beijavam o espelho para remover o excesso de batom.
O diretor andava bastante aborrecido, porque o zelador tinha um trabalho enorme para limpar o espelho ao final do dia. Mas, como sempre, na tarde seguinte, lá
estavam as mesmas marcas de batom...
Um dia o diretor juntou o bando de meninas no banheiro e explicou pacientemente que era muito complicado limpar o espelho com todas aquelas marcas que elas faziam. Fez uma palestra de uma hora.

No dia seguinte as marcas de batom no banheiro reapareceram...

No outro dia, o diretor juntou o bando de meninas e o zelador no banheiro, e pediu ao zelador para demonstrar a dificuldade do trabalho. O zelador
imediatamente pegou um pano, molhou no vaso sanitário e passou no espelho.

Nunca mais apareceram marcas no espelho!

Moral da história: Há professores e há educadores...
Comunicar é sempre um desafio!
Às vezes, precisamos usar métodos diferentes para alcançar certos resultados.
Por quê?

•Porque a bondade que nunca repreende não é bondade: é passividade.
•Porque a paciência que nunca se esgota não é paciência: é subserviência.
•Porque a serenidade que nunca se desmancha não é serenidade: é indiferença.
•Porque a tolerância que nunca replica não é tolerância: é imbecilidade.

A RECOMPENSA DO PENSAMENTO SÃO OS RESULTADOS...


Se há alguma coisa que você não quer na vida, pare de se preocupar com ela e para de falar nela! É a energia que você investe que a mantém viva. Retire essa energia, e o problema desaparecerá. A briga é o exemplo perfeito: se o seu companheiro voltar para casa procurando briga e você se recusar a discutir, o que acontecerá? Só restará ao companheiro brigar consigo mesmo!

Sempre que você estiver preocupado, constrangido ou simplesmente pensando em alguma coisa, as outras pessoas continuarão falando nela. Quando a gente de fato abre mão de uma coisa emocionalmente, ela se evapora. Isso leva a outro princípio: quando largamos uma coisa, ela nos larga. Ou seja: enquanto você estiver se defendendo, as pessoas o atacarão. Por quê? Porque nós só nos defendemos quando estamos inseguros quanto à nossa situação. Verdade!

Quer um exemplo? Digamos que você seja objeto de fofocas no escritório. Se começar a fazer declarações públicas afirmando a sua inocência, só estará botando lenha na fogueira. Basta não fazer caso para que tudo passe. Não estou dizendo que você não deva se defender. Não. O que quero dizer é que, enquanto protestamos e sofremos, enquanto estivermos saltando de um lado para outro, manteremos o problema vivo. Eu me lembro de ter visto passeatas de protestos nos anos 60. Perguntei ao meu pai: “Por que eles se espancam assim?”. E ele respondeu: “Porque querem a paz!”. A gente não combate a guerra. Concentra-se na paz.

Em poucas palavras: se você transformar a vida numa campanha contra o que quer que seja, as coisas que combate se expandirão. Decida do que você está a favor.

Andrew Matthews, no livro "Siga seu coração"

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

NÃO ESPERE CHEGAR AOS 90 PARA DESCOBRIR ISSO...


Escrito por Regina Brett, 90 anos de idade, que assina uma coluna no The Plain Dealer, Cleveland, Ohio.

“Para celebrar o meu envelhecimento, certo dia eu escrevi as 45 lições que a vida me ensinou. É a coluna mais solicitada que eu já escrevi.”

Meu hodômetro passou dos 90 em agosto, portanto aqui vai a coluna mais uma vez:

1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiver em dúvida, dê somente o próximo passo, pequeno.
3. A vida é muito curta para desperdiçá-la odiando alguém.
4. Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e familiares cuidarão. Permaneça em contato.
5. Pague mensalmente seus cartões de crédito.
6. Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar.
7. Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho.
8. É bom ficar bravo com Deus. Ele pode suportar isso.
9. Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.
10. Quanto a chocolate, é inútil resistir.
11. Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente.
12. É bom deixar suas crianças verem que você chora.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que é a jornada deles.
14. Se um relacionamento tiver que ser um segredo, você não deveria entrar nele.
15. Tudo pode mudar num piscar de olhos. Mas não se preocupe; Deus nunca pisca.
16. Respire fundo. Isso acalma a mente.
17. Livre-se de qualquer coisa que não seja útil, bonito ou alegre.
18. Qualquer coisa que não o matar o tornará realmente mais forte.
19. Nunca é muito tarde para ter uma infância feliz. Mas a segunda vez é por sua conta e ninguém mais.
20. Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como resposta.
21. Acenda as velas, use os lençóis bonitos, use roupa chic. Não guarde isto para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Prepare-se mais do que o necessário, depois siga com o fluxo.
23. Seja excêntrico agora. Não espere pela velhice para vestir roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém mais é responsável pela sua felicidade, somente você..
26. Enquadre todos os assim chamados “desastres” com estas palavras ‘Em cinco anos, isto importará?’
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe tudo de todo mundo.
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo..
31. Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará.
32. Não se leve muito a sério. Ninguém faz isso.
33. Acredite em milagres.
34. Deus ama você porque ele é Deus, não por causa de qualquer coisa que você fez ou não fez.
35. Não faça auditoria na vida. Destaque-se e aproveite-a ao máximo agora.
36. Envelhecer ganha da alternativa — morrer jovem.
37. Suas crianças têm apenas uma infância.
38. Tudo que verdadeiramente importa no final é que você amou.
39. Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os lugares.
40. Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos todos os outros como eles são, nós pegaríamos nossos mesmos problemas de volta.
41. A inveja é uma perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
42. O melhor ainda está por vir.
43. Não importa como você se sente, levante-se, vista-se bem e apareça.
44. Produza!
45. A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente.

Regina Brett

Ocorreu um erro neste gadget