Páginas

quinta-feira, 30 de abril de 2009

A VITÓRIA...


Uma porta estará sempre aberta para aquele que se dispõem a trabalhar.
Muitos ficarão de braços cruzados e reclamando da sorte, dos anjos ou dos seus deuses e nada conseguirão. Muitos estarão pensativos ou de joelhos, como penitência, fazendo uma lista de pedidos e repetindo incansavelmente a sua lista de desafetos, de intenções e lamentações e nada conseguirão.
Existem aqueles que já acordarão com raiva de outra pessoa, o fígado ressentido trará um gosto amargo na boca.
O intestino em descompasso estará constipado e nem no banheiro o infeliz terá momentos de paz. Vai passar um dia inteiro "ligado" á pessoa que odeia, e quanto mais quiser esquecer, mais se lembrará, até que o perdão venha libertá-los.
Até lá, nada conseguirão.
Algumas pessoas vão se esconder nas "profundezas de um quarto".
Fugindo da vida e das responsabilidades que ela cobra, vão assumir uma postura de "vítimas infelizes do destino". Sacrificados pelos outros, sofrendo pelos outros, machucadas pelos outros. Não conseguem assumir a sua parte em qualquer coisa que seja diferente do que imaginaram, desconhecem o poder que possuem de modificar qualquer situação, e assim como a avestruz, escondem a cabeça em um buraco, deixando a vida passar, e nada conseguirão.
A vida é poderosa instrutora e severa com aqueles que não escutam as suas lições porquê só deseja o melhor para cada um de nós. Pobre daqueles que não aprenderem a lição de valorizar a sua experiência, de valorizar o seu cheiro, a sua coragem, a sua capacidade de amar. Insatisfeitos que somos, procuramos nos comparar a outras pessoas, como se cada um de nós fossemos apenas cópias uns dos outros.
Mas, a vida também é "instrutora amorosa".
Para aqueles que escutam a lição, trabalham e carregam a esperança dentro de si, a vida sorri e distribui as suas melhores notas. Se você quer passar de ano com louvor na escola da vida, é preciso saber ouvir, calar e executar.
Descruze os braços e vá atrás dos seus sonhos.
Não importa o tamanho da pedra que você vai ter que remover, importa sim, o tamanho da sua disposição para vencer cada um dos obstáculos que estarão no seu caminho.
Ame, perdoe e siga em frente, a luz que você já enxerga é a sua vitória.

"Nós estamos em constante evolução, somos hoje o fruto colhido do dia de ontem e seremos amanhã, a semente madura do que plantarmos ainda hoje."
Paulo Roberto Gaefke

quarta-feira, 29 de abril de 2009

QUESTIONE-SE...


Quando tudo for um turbilhão de problemas, e você quiser apenas fugir, subir a montanha, virar ermitão no meio do nada, é este o momento de parar.
"É o momento em que a vida pede uma resposta, cobra uma solução para o que você anda deixando de lado,
aquilo que te incomoda e você não cuida!"
Pode ser o amor que anda desgastado, a família que está virando um peso, o trabalho que está além das suas forças,
a falta de oportunidades que te emperra.
Em todos esses casos, há uma só solução: entender o "pra quê"?
Normalmente entendemos o porque estamos fazendo isso, porque andamos por ali, porque queremos ficar com essa pessoa, mas você já se perguntou pra quê?
As vezes a resposta é tão cruel aos olhos dos outros, e até surpreendente para você mesmo, que não queremos a resposta.
Estamos acostumados a não nos questionar.
"Acreditamos no que acreditamos" e vamos "tocando a boiada" Por isso, se a vida está te encurralando,
questione-se: pra quê estou vivendo essa situação?
Pra quê estou correndo, comendo, gastando, fumando, bebendo tanto?
Vai, tome coragem!
Pergunte-se no espelho, olho no olho, frente a frente, você e você, e não tenha medo de mudar, a vida vive em eterna mudança, até as pedras rolam.
Pergunte-se então: por que não eu?
Mude!
Paulo Roberto Gaefke

quinta-feira, 23 de abril de 2009

PROCURAÇÃO...


Cobramos do "céu", mudanças na nossa vida, dizemos que não aguentamos mais a situação.
Choramos e nos lamentamos diante da dor, mas poucos mudam sequer um vício, poucos estão dispostos a renúncia,
seja de um palito, seja de um bem maior.
Fazemos o impossível por quem acreditamos, e que as vezes nem vale a pena!
Mas por vezes, pulamos o caído na calçada, indiferentes a dor humana, nem reparamos, seguimos pensando nos nossos problemas.
Arranjamos tempo para o salão de beleza, conseguimos horas livres para o futebol, criamos o "happy hour" para estar com os amigos, mas desconhecemos o caminho da visita nos hospitais, muitos parentes desconhecem o nosso paradeiro,
nos asilos pais abandonados, mães sonhadoras, No banco de sangue a ausência da nossa cota.
"Queremos a parte boa da fruta, o doce, e se bobear, jogamos o caroço no chão."
Assim, seguimos nossa marcha de lamentações, chorando pela doença que nos atingiu "do nada", do desemprego que nos pegou "desprevenido", das dívidas que acumulamos sozinhos, das cobranças das nossas atitudes erradas ou ausentes.
E nos revoltamos contra Deus...
Não é hora de repensar atitudes?
Mudar caminhos, alterar a rota?
Nem sempre voltar significa perder, e nem sempre perder significa derrota.
Reveja seus passos, dê um tempo para o seu pensar, descubra-se, encontre-se, revele-se de verdade, as vezes, somos apenas cópia de nós mesmos agindo em nosso nome, derrubando nossos sonhos, deixando de viver...
A vida é sua, não passe procuração para ninguém.
Ser feliz é mais do que meta, é obrigação.
Paulo Roberto Gaefke

sábado, 18 de abril de 2009

HORTA DA VIDA...


Não adianta só cultivar bons pensamentos, melhor é cultivar a terra com boas sementes.
Fazer do dia uma “horta” onde você possa colher: ervas frescas para temperar o seu amor, frutas para adoçar o seu dia, alimentos para alimentar a sua alma.
Chegou o tempo de fazer!
Descruzar os braços, abandonar a lamentação, seguir pela estrada, ainda que com os pés feridos, com aquela certeza que só os vitoriosos e os malucos tem: eu estou cada dia melhor!
Vai!
Vai ser o que você sempre sonhou!
Vai amar o tanto que sempre desejou ser amado!
Ser o seu melhor amigo, o que entende, abraça, concilia, perdoa, respeita e ama, porque aquele que se ama, se doa,
e aquele que se doa é sempre lembrado, não passa pela vida invisível, antes, vira lenda, se torna inesquecível.
Repita sem medo de errar: “Hoje, como em todos os dias, eu vou cada vez melhor!“
Paulo Roberto Gaefke

sexta-feira, 17 de abril de 2009

A PORTA MAIS LARGA DO MUNDO...


"A prudência é a filha mais velha da sabedoria."
Victor Hugo


Conta-se que um dia um homem parou na frente do pequeno bar, tirou do bolso um metro, mediu a porta e falou em voz alta: dois metros de altura por oitenta centímetros de largura. Admirado mediu-a de novo.
Como se duvidasse das medidas que obteve, mediu-a pela terceira vez. E assim tornou a medi-la várias vezes.
Curiosas, as pessoas que por ali passavam começaram a parar.
Primeiro um pequeno grupo, depois um grupo maior, por fim uma multidão.
Voltando-se para os curiosos o homem exclamou, visivelmente impressionado: "parece mentira!" esta porta mede apenas dois metros de altura e oitenta centímetros de largura, no entanto, por ela passou todo o meu dinheiro, meu carro, o pão dos meus filhos; passaram os meus móveis, a minha casa com terreno.
E não foram só os bens materiais. Por ela também passou a minha saúde, passaram as esperanças da minha esposa, passou toda a felicidade do meu lar...
Além disso, passou também a minha dignidade, a minha honra, os meus sonhos, meus planos...
Sim, senhores, todos os meus planos de construir uma família feliz, passaram por esta porta, dia após dia... gole por gole.
Hoje eu não tenho mais nada... Nem família, nem saúde, nem esperança.
Mas quando passo pela frente desta porta, ainda ouço o chamado daquela que é a responsável pela minha desgraça...
Ela ainda me chama insistentemente...
Só mais um trago! Só hoje! Uma dose, apenas!
Ainda escuto suas sugestões em tom de zombaria: "você bebe socialmente, lembra-se?"
Sim, essa era a senha. Essa era a isca. Esse era o engodo.
E mais uma vez eu caía na armadilha dizendo comigo mesmo: "quando eu quiser, eu paro".
Isso é o que muita gente pensa, mas só pensa...
Eu comecei com um cálice, mas hoje a bebida me dominou por completo.
Hoje eu sou um trapo humano... E a bebida, bem, a bebida continua fazendo as suas vítimas.
Por isso é que eu lhes digo, senhores: esta porta é a porta mais larga do mundo! Ela tem enganado muita gente...
Por esta porta, que pode ser chamada de porta do vício, de aparência tão estreita, pode passar tudo o que se tem de mais caro na vida.
Hoje eu sei dos malefícios do álcool, mas muita gente ainda não sabe. Ou, se sabe, finge que não, para não admitir que está sob o jugo da bebida.
E o que é pior, têm esse maldito veneno, destruidor de vidas, dentro do próprio lar, à disposição dos filhos.
Ah, se os senhores soubessem o inferno que é ter a vida destruída pelo vício, certamente passariam longe dele e protegeriam sua família contra suas ameaças.
Visivelmente amargurado, aquele homem se afastou, a passos lentos, deixando a cada uma das pessoas que o ouviram, motivos de profundas reflexões.

Você sabia que, segundo o Ministério da Saúde, no ano de 2001 foram internados 84.467 brasileiros por transtornos mentais e comportamentais devido ao uso do álcool, demandando um gasto de mais 60 milhões de reais?
Ainda segundo o Ministério da Saúde, o álcool é a droga mais usada pelos jovens no Brasil.
Segundo pesquisa realizada em 14 capitais brasileiras em 2001, pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), o consumo começa cedo: em média, aos 13 anos. E o pior é que o álcool é a porta principal de acesso às demais drogas.
E você sabia que a influência da TV e do Cinema nos hábitos de crianças e adolescentes foi recentemente comprovada por pesquisadores da Escola de Medicina de Dartmouth, nos Estados Unidos?
Por todas essa razões, vale a pena orientar nosso filho para que não seja mais um a aumentar essas tristes estatísticas.
Equipe de Redação do Momento Espírita, com base em história de autoria desconhecida e em matéria publicada pela Folha de São Paulo em 24/03/2002, intitulada “Nunca se bebeu tanto na TV".

quinta-feira, 16 de abril de 2009

ENTENDENDO O RIO...


“Um rio nunca passa duas vezes pelo mesmo lugar” diz um filósofo. “A vida é como um rio”, diz outro filósofo, e chegamos à conclusão que esta é a metáfora mais próxima do significado da vida. Por conseqüência, é sempre bom lembrar durante todo o tempo:

A] Sempre estamos diante da primeira vez. Enquanto nos movimentamos entre a nossa nascente (o nascimento) e o nosso destino (morte), as paisagens serão sempre novas. Devemos encarar todas estas novidades com alegria, e não com medo – porque é inútil temer o que não se pode evitar. Um rio não deixa de correr jamais.

B] Em um vale, andamos mais devagar. Quando tudo à nossa volta fica mais fácil, as águas se acalmam, nos tornamos mais amplos, mais largos, mais generosos.

C] Nossas margens sempre são férteis. A vegetação só nasce onde existe água. Quem entra em contato conosco, precisa entender que estamos ali para dar de beber a quem tem sede.

D] As pedras precisam ser contornadas. Evidente que a água é mais forte que o granito, mas para isso é preciso tempo. Não adianta deixar-se dominar por obstáculos mais fortes, ou tentar bater-se contra eles; gastaremos energia à toa. O melhor é entender por onde se encontra a saída, e seguir adiante.

E] As depressões necessitam paciência. De repente o rio entra em uma espécie de buraco, e para de correr com a alegria de antes. Nestes momentos, a única maneira de sair é contar com a ajuda do tempo. Quando chegar o momento certo, a depressão se enche, e a água pode seguir adiante. No lugar do buraco feio e sem vida, agora existe um lago que outros podem contemplar com alegria.

F] Somos únicos. Nascemos em um lugar que estava destinado para nós, que nos manterá sempre alimentados de água o suficiente para que, diante de obstáculos ou depressões, possamos ter a paciência ou a força necessária para seguir adiante. Começamos nosso curso de maneira suave, frágil, onde até mesmo uma simples folha para nosso curso. Entretanto, como respeitamos o mistério da fonte que nos gerou, e confiamos em sua Eterna sabedoria, aos poucos vamos ganhando tudo que nos é necessário para percorrer nosso caminho.

G] Embora sejamos únicos, em breve seremos muitos. À medida que caminhamos, as águas de outras nascentes se aproximam, porque aquele é o melhor caminho a seguir. Então já não somos apenas um, mas muitos – e há um momento em que nos sentimos perdidos. Entretanto, como diz a Bíblia, “todos os rios correm para o mar”. É impossível permanecer em nossa solidão, por mais romântica que ela possa parecer. Quando aceitamos o inevitável encontro com outras nascentes, terminamos por entender que isso nos faz muito mais fortes, contornamos os obstáculos ou preenchemos as depressões em muito menos tempo, e com muito mais facilidade.

H] Somos um meio de transporte. De folhas, de barcos, de ideias. Que nossas águas sejam sempre generosas, que possamos sempre levar adiante todas as coisas ou pessoas que precisarem de nossa ajuda.

I] Somos uma fonte de inspiração. E portanto, deixemos para um poeta brasileiro, Manuel Bandeira, as palavras finais:

“Ser como um rio que flui
Silencioso no meio da noite
Não temer as trevas da noite
Se há estrelas no céu, refleti-las.
E se o céu se enche de nuvens
Como o rio, as nuvens são água;
Refleti-las também sem mágoa
Nas profundidades traqüilas.”
Como o rio, as nuvens são água;
Refleti-las também sem mágoa
Nas profundidades traqüilas.”
“Ser como um rio que flui” (Editora Agir), é inspirado em um poema de Manuel Bandeira.
Paulo Coelho

quarta-feira, 15 de abril de 2009

ENQUANTO OS VENTOS SOPRAM...


Conta-se que, há muito tempo, um fazendeiro possuía muitas terras ao longo do litoral do Atlântico.
Horrorosas tempestades varriam aquela região extensa, fazendo estragos nas construções e nas plantações.
Por esse motivo, o rico fazendeiro estava, constantemente, a braços com o problema de falta de empregados. A maioria das pessoas estava pouco disposta a trabalhar naquela localidade.
As recusas eram muitas, a cada tentativa de conseguir novos auxiliares.
Finalmente, um homem baixo e magro, de meia-idade, se apresentou.
Você é um bom lavrador? Perguntou o fazendeiro.
Bom, respondeu o pequeno homem, eu posso dormir enquanto os ventos sopram.
Embora confuso com a resposta, o fazendeiro, desesperado por ajuda, o empregou.
O pequeno homem trabalhou bem ao redor da fazenda, mantendo-se ocupado do alvorecer ao anoitecer.
O fazendeiro deu um suspiro de alívio, satisfeito com o trabalho do homem.
Então, numa noite, o vento uivou ruidosamente, anunciando que sua passagem pelas propriedades seria arrasadora.
O fazendeiro pulou da cama, agarrou um lampião e correu até o alojamento dos empregados.
O pequeno homem dormia serenamente. O patrão o sacudiu e gritou:
Levante depressa! Uma tempestade está chegando. Vá amarrar as coisas antes que sejam arrastadas.
O empregado se virou na cama e calmo, mas firme, disse:
Não, senhor. Eu não vou me levantar. Eu lhe falei: posso dormir enquanto os ventos sopram.
A resposta enfureceu o empregador. Não estivesse tão desesperado com a tempestade que se aproximava, ele despediria naquela hora o mau funcionário.
Apressou-se a sair para preparar, ele mesmo, o terreno para a tormenta sempre mais próxima.
Para seu assombro, ele descobriu que todos os montes de feno tinham sido cobertos com lonas firmemente presas ao solo.
As vacas estavam bem protegidas no celeiro, os frangos estavam nos viveiros e todas as portas muito bem trancadas.
As janelas estavam bem fechadas e seguras. Tudo estava amarrado. Nada poderia ser arrastado.
Então, o fazendeiro entendeu o que seu empregado quis dizer. Retornou ele mesmo para sua cama para também dormir, enquanto o vento soprava.

Se os ventos gélidos da morte lhe viessem, hoje, arrebatar um ser querido, você estaria preparado?
Se reveses financeiros, instabilidade econômica levassem seus bens de rompante, você estaria preparado?
A religião que professamos, a fé que abraçamos devem nos preparar o Espírito, a mente e o corpo para os momentos de solidão, pranto e dor.
Enquanto o dia sorri, faz sol em sua vida, fortifique-se, prepare-se de tal forma que, ao chegarem as tsunamis, soprarem os ventos e a borrasca lhe castigar, você continue firme, sereno.
Pense nisso e comece hoje a sua preparação.
Equipe de Redação do Momento Espírita

terça-feira, 14 de abril de 2009

FILMAGEM


Tem uma coisa que você pode fazer por você, e não custa tanto assim, alias, não custa nada, apenas o esforço de querer mudar.
Isso mesmo, se tudo anda tão chato, tão ruim, se nada dá certo, se você só leva fora, se pede laranja e te mandam um limão, mude a sua cara!
Mude as suas roupas, mesmo que seja um novo remendo na velha calça desbotada, se puder, mude o estilo, mas sempre com um sorriso.
A diferença não está na roupa, está no rosto.
Tem gente que não vai suportar te ver feliz, outros vão comemorar como se fosse Natal, mas ninguém vai ficar indiferente, o seu sorriso é mais do que um gesto, é uma afirmação: -eu me adoro, me amo e quero ser feliz!
Sorria, desfrute o poder de abrir a boca, expressar o contentamento de poder estar aqui.
Só por acordar já és feliz!
Se puder caminhar com suas pernas, é um abençoado!
Pode recomeçar, fazer novo cada novo dia, transformar dificuldades em oportunidades.
Esse é o segredo, a magia da vida, aquele adicional que falta para você impor um novo estilo, um novo tempo,
tempo de você, tempo de ser mais você.
Sorria, a vida está te filmando, e a oportunidade, te esperando!
Corra para o abraço da felicidade.
Paulo Roberto Gaefke

13 DE ABRIL (DIA DO BEIJO)


O dia 13 de abril celebra o mais emblemático símbolo do amor no Brasil. É o Dia do Beijo. Não se sabe quem foi o responsável por conceber uma data para a principal expressão de carinho.
Dizem até que beijo não tem dia nem hora certa. Vale a qualquer hora.
Um pouco de história: Ao longo dos séculos, no entanto, beijar representou muito mais do que um gesto de carinho. Entre os hebreus, o beijo era afetuoso e realizado nas saudações. Também marcava reconciliação ou perdão. Foi também com um beijo que Judas identificou Jesus aos seus perseguidores. ("Jesus, porém, lhe disse: Judas, com um beijo trais o Filho de Deus?" – Lucas, 22:48)

O beijo entre os persas simbolizava a classe social. Homens do mesmo padrão de vida se beijavam na boca. Se um dos homens era de classe inferior, o beijo era dado no rosto. Se a diferença de classe era muito grande, o mais pobre se ajoelhava diante do mais rico. Na Idade Média (séculos V a XV), o "beijo da paz", que simbolizava caridade, era usado em muitos rituais como um gesto elitista e exclusivo aos homens. Também marcava o acordo entre senhores feudais e seus vassalos.

A partir do Renascimento, o beijo na boca deixou de fazer parte dos ritos oficiais e sagrados e se tornou exclusivo dos amantes. Na Igreja Católica, os beijos sagrados ficaram restritos aos dados pelos fiéis ao padre no altar; o beijo entre os recém-casados ao final da cerimônia; e o gesto consagrado pelo Papa João Paulo II de beijar o solo de cada país que desembarcava.

Apaixonado, afetuoso, abençoado, entre namorados, entre amigos, de mãe para filho, da filha para o pai, beijo de bom dia, beijo de adeus, beijo de juras eternas de amor. E tem o beijo sem grandes compromissos de quem trocam o namorar pelo ‘ficar’. Nas festas, danceterias e, especialmente, no carnaval, beijar é praticamente um desfecho do ritual da ‘balada’.
Beijar pode ser alívio rápido para depressão
Terapeuta britânica diz que beijar estimula o bem estar de forma fácil e rápida.Segundo ela, o beijo é um dos primeiros a serem deixados de lado nas horas difíceis.
Anda deprimido? A vida não sorri para você? Está vivendo problemas conjugais? A britânica Denise Knowles tem a resposta: beije na boca. Para a terapeuta e sexóloga do instituto terapêutico Relate, do Reino Unido, o beijo pode ser uma das maneiras para combater a depressão. Infelizmente, no entanto, ele, que faz tão bem, costuma ser uma das primeiras coisas a serem deixadas de lado nos momentos difíceis.
Embora nos casos de depressão clínica, o acompanhamento médico e a medicação não possam ser dispensados, Knowles afirma que o beijo pode ser uma maneira fácil e rápida de obter um pouco de bem-estar a curto prazo. Isso porque beijar, como qualquer atividade física, ativa a liberação de endorfinas no cérebro, substância ligada às sensações de prazer. E beijar é muito mais interessante que correr na esteira.
Para o psicólogo e pesquisador da Universidade de São Paulo Thiago de Almeida, a proposta da terapeuta faz todo o sentido. “A endorfina é o antídoto da depressão e tudo que estimula sua produção vai ajudar a reverter quadros depressivos”, afirmou.
Segundo o psicológo, além do efeito físico, há também um potencial positivo psicológico. “O contexto do beijo na nossa cabeça tem a ver com o amor e relacionamentos amorosos. Mesmo hoje em dia, quando jovens beijam sem envolvimento, ainda assim ele está ligado ao amor e esse sentimento tem o poder de recuperar o bem-estar de alguém.”
Apesar disso, no entanto, o beijo é uma das primeiras ‘atividades’ a serem abandonadas em momentos de crise. “Nosso tempo de lazer está cada vez mais contado, o que diminui o número de horas que os casais passam juntos,” diz Denise Knowles. “Beijar pode ser tão recompensador quanto o sexo e é muito mais fácil e rápido de fazer tanto em casa quanto em público”, diz ela.
Para Thiago de Almeida, o ato de beijar, e o próprio amor, têm sido cada vez mais relegados, criando pessoas mais infelizes. “Hoje em dia, admitir o amor muitas vezes é visto como sinal de fraqueza. Queremos sempre que o outro ame mais, que esteja em nossas mãos,” diz ele. “É preciso beijar mais para sermos mais felizes”, aconselha.
E para quem acha que beijar na boca pode ser perigoso por causa da troca de salivas repletas de bactérias, um aviso dos especialistas: as bactérias do beijo são inofensivas para saúde
Hoje, 13 de Abril, é o 'Dia do beijo'. Você já deu o seu?

sexta-feira, 10 de abril de 2009

REDES...


Crie as oportunidades que você deseja, pare de ficar esperando a loteria, o amigo, o patrão, deixa de sonhar e comece a realizar, através da manifestação do seu desejo, da materialização dos sonhos que você esconde, da força que está dormindo em você.
Pode fazer o teste: fique diante do mar e faça mil orações, implorando para um peixe vir até as suas mãos, e você vai morrer de fome diante da mesa de banquete.
Faça a sua oração e lance a rede no mesmo mar, e veja a fartura voltar para o cesto.
Assim é a sua vida, ou a vida que você deseja ter, é preciso uma nova ação, ter coragem para perseguir os sonhos,
persistir na caminhada até quando os pés estiverem sangrando, poucos vão experimentando seus limites, poucos pedem força para o trabalho, poucos oram uns pelos outros, por isso essa guerra de miséria sem fim pelo mundo.
Vamos!
Levante da cama das lamentações.
Acorde para a realidade que te chama, que pede disposição, coragem, o seu melhor.
Não importa se você é escriturário, gerente ou faxineira, importa a qualidade do seu trabalho, à importância que você dá ao fazer o seu melhor.
Se não notarem, não se preocupe, "os olhos humanos por vezes estão fechados, cegos pela ganância, pela inveja, pelo desamor."
Mas, os olhos de Deus que tudo vêem, sabe do seu esforço, das suas necessidades, e de acordo com o seu merecimento, vai promovendo a fartura de tudo o que você precisa, e fartura não é excesso, é contentamento.
Por isso, eu prefiro a paz na minha casa, o amor entre todos os que habitam aqui, que a despensa vazando de produtos inúteis...
Hoje é o dia perfeito para mudar, para lançar às suas redes ao mar, e pode ter certeza, elas não vão voltar vazias.
Encha-se desse amor que vem do Alto, e faça a diferença no mundo.
Paulo Roberto Gaefke

quinta-feira, 9 de abril de 2009

DENTRO DE VOCÊ...


E se eu disser que dentro de você mora um anjo, que se reveste de luz para fazer novos amigos?
E se eu disser que dentro de você existe uma paz infinita que o torna tão amigo e querido?
E se eu disser que dentro de você existe luz e que essa luz apaga a inveja, a discórdia e a guerra?
E se eu disser que dentro de você existe um cupido que espalha amor e que flecha meu coração?
E se eu disser que você é iluminado pelas estrelas e seus olhos parecem reflexo dessa luz?
E se eu disser que você é divinamente concebido e tem dentro de si tudo o que precisa para viver?
E se eu disser que dentro de você existe uma fera que sabe lutar e defender os seus?
E se eu disser que dentro de você habita uma chama que é capaz de incendiar uma cidade?
E se eu disser que dentro de você mora um inventor capaz de criar mil maneiras de fazer a mesma coisa?
E se eu disser que dentro de você existe um construtor que é capaz de criar novos caminhos?
E se eu disser que dentro de você existe um elo de corrente que o liga ao sobrenatural tão facilmente?
E se eu disser que você é um deus, e que possui a chave da vida eterna...
Da alegria que não acaba, dos sonhos que se realizam, da saúde que se perpetua, dos amigos que nunca o esquecem. Da saudade gostosa, do desejo que realiza, do prazer da vida?
Você é a própria luz!
Acredite nisso e brilhe, por amor a você e a quem o criou.
Construa, viva, conquiste, não aceite as derrotas, os "nãos".
O impossível é apenas uma força te convidando para realizar.
Acredite.
"Dentro de você existe um universo em permanente construção."
Paulo Roberto Gaefke

terça-feira, 7 de abril de 2009

O VALOR DAS PEQUENAS COISAS...


Aprenda a escutar a voz das coisas, dos fatos, e verás como tudo fala, como tudo se comunica contigo.
Em cada indelicadeza, assassino um pouco aqueles que me amam.
Em cada desatenção, não sou nem educado e nem cristão.
Em cada olhar de desprezo, alguém termina magoado.
Em cada gesto de impaciência, dou uma bofetada invisível nos que convivem comigo.
Em cada perdão que eu negue, vai um pedaço do meu egoísmo.
Em cada ressentimento, revelo meu amor-próprio ferido.
Em cada palavra áspera que digo, perdi alguns pontos no céu.
Em cada omissão que pratico, rasgo uma folha do evangelho. Em cada esmola que eu nego, um pobre se afasta mais triste.
Em cada oração que não faço, eu peco.
Em cada juízo maldoso, meu lado mesquinho se aflora.
Em cada fofoca que faço, peco contra o silêncio.
Em cada pranto que enxugo, torno alguém mais feliz!
Em cada ato de fé, eu canto um hino à vida.
Em cada sorriso que espalho, planto alguma esperança.
Em cada espinho, que finco, machuco algum coração.
Em cada espinho que arranco, alguém beijará minha mão.
Em cada rosa que oferto, os anjos dizem: Amém!
Somos todos, anjos com uma asa só.
E só podemos voar quando "abraçados uns aos outros".
Roque Schneider

A CANÇÃO DO ALBATROZ...


"Sobre a superfície cinzenta do mar,
O vento reúne
Pesadas nuvens.
Semelhante a um raio negro,
Entre as nuvens e o mar,
Paira orgulhoso o albatroz,
Mensageiro da tempestade.
E ora são as asas tocando as ondas,
Ora é uma flecha rasgando as nuvens,
Ele grita.
E as nuvens escutam a alegria
No ousado grito do pássaro.
Nesse grito - sede de tempestade!
Nesse grito - as nuvens escutam a fúria,
A chama da paixão,
A confiança na Vitória.
As gaivotas gemem diante da tempestade,
Gemem e lançam-se ao mar,
Para lá no fundo esconderem
O pavor da tempestade.
E os mergulhões também gemem.
A eles, mergulhões,
É inacessível a delícia da luta pela vida:
O barulho do trovão os amedronta...
O tolo pingüim, timidamente
Esconde seu corpo obeso entre as rochas...
Apenas o orgulhoso albatroz voa,
Ousado e livre sobre a espuma cinzenta do mar.
Tonitroa o trovão.
As ondas gemem na espuma da fúria.
E discutem com o vento.
Eis que o vento
Abraça uma porção de ondas
Com força e lança-as
Com maldade selvagem nas rochas,
Espalhando-as como a poeira,
Respingando uma noite de esmeraldas.
O albatroz paira a gritar
Como um raio negro,
Rompendo as nuvens como uma flecha,
Levantando espuma com suas asas.
Ei-lo voando rápido como um demônio;
Orgulhoso e negro demônio da tempestade;
Ri das nuvens, soluça de alegria!
Ele - sensível demônio -
Há muito vem escutando
Cansaço na fúria do trovão.
Tem certeza de que as nuvens não escondem,
Não, não escondem...
Uiva o vento... Ribomba o trovão...
Sobre o abismo do mar,
Um monte de nuvens pesadas
Brilham como centelhas.
O mar pega as flechas de relâmpagos
E as apaga em sua voragem.
Parecem cobras de fogo.
Os reflexos desses raios,
Rastejando sobre o mar e desaparecendo.
_ Tempestade!
Breve rebentará a tempestade!
Esse corajoso albatroz
Paira altivo entre os raios
E sobre o mar furiosamente urrando
Então grita o profeta da Vitória:
QUE MAIS FORTE ARREBENTE A TEMPESTADE!"

Em 1901, Máximo Gorki escreveu este belo poema sentindo o tempo que vivia e do qual se avizinhava poderosa tempestade revolucionária na Rússia heróica de seu tempo. A palavra albatroz (burieviestnik) em russo pode ser traduzida como mensageiro (viéstnik) da tempestade (buria), por ser ele o único animal que sai alegremente a voar e sente-se perfeitamente à vontade em meio a qualquer tormenta. A mensagem é clara: no meio do caos, não devemos temer as tempestades, mas voar com elas e contribuir para que elas transformem efetivamente o mundo!

MEU NOME É CRISE...


Há tempos não se falava tanto de mim como agora. Tudo por causa de uma crise no sistema financeiro. A África anda, também há tempos, em crise crônica - de democracia, de alimentos, de recursos; quem fala disso?

Existe ameaça de crise do petróleo; governantes e empresários parecem em pânico frente à possibilidade de não poder alimentar 800 milhões de veículos automotores que rodam sobre a face da Terra.

No último ano, devido ao aumento do preço dos alimentos, o número de famintos crônicos subiu de 840 milhões para 950 milhões, segundo a FAO; mas quem se preocupa em alimentar miseráveis?

Meu nome deriva do grego krísis, discernir, escolher, distinguir - enfim, ter olhos críticos. Trago também familiaridade com o verbo acrisolar,
purificar. Ao contrário do que supõe o senso comum, não sou, em si, negativa. Faço parte da evolução da natureza.

Houve uma crise cósmica quando uma velha estrela, paradoxalmente chamada supernova, explodiu há 5 bilhões de anos; seus cacos, arremessados pelo espaço, deram origem ao sistema solar. O sol é um pedaço de supernova dotado de calor próprio. A Terra e os demais planetas, cacos incandescentes que, aos poucos, se resfriaram. Daqui a 5 bilhões de anos o sol, agonizante, também verá sua obesidade dilatada até se esfacelar nos abismos siderais.

Todos nós, leitores, passamos pela crise da puberdade. Doeu ver-nos expulsos do reino da fantasia, a infância, para abraçar o da realidade! Nem todos, entretanto, fazem essa travessia sem riscos. Há adolescentes de tal modo submersos na fantasia que, frente aos indícios da idade adulta, que consiste em encarar a realidade, preferem se refugiar nas drogas. E há adultos que, desprovidos do senso de ridículo, vivem em crise de adolescência. ..

Resulto da contradição inerente aos seres humanos. Não há quem não traga em si o seu oposto. Quantas vezes, no trânsito, o mais amável cidadão arremessa o carro sobre a faixa de pedestres; a gentil donzela enfia a mão na buzina; o aplicado estudante acelera além da conveniência! Não é fácil conciliar o modo de pensar com o modo de agir.

Estou muito presente nas relações conjugais desprovidas de valores arraigados. Sobretudo quando a nudez de corpos não traduz a de espíritos e o não-dito prevalece sobre o dito. Felizmente muitos casais conseguem me superar através do diálogo, da terapia, da descoberta de que o amor é um exercício cotidiano de doação recíproca. O príncipe e a fada encantados habitam o ilusório castelo da imaginação.

Agora, assusto o cassino global da especulação financeira. Acreditou-se que o capitalismo fosse inabalável, sobretudo em sua versão neoliberal religiosamente apoiada em dogmas de fé: o livre mercado, a mão invisível, a capacidade de auto-regulação, a privatização do patrimônio público etc.

Dezenove anos após fazer estremecer o socialismo europeu, eis-me a gerar inquietação ao mercado. A lógica do bem-estar não lida com o imprevisto, o fracasso, o inusitado, essas coisas que decorrem de minha presença. Os governantes se apressam em tentar acalmar os ânimos como a tripulação do Titanic, enquanto a água inundava a quilha, ordenou à orquestra prosseguir a música...

Tenho duas faces. Uma, traz às minhas vítimas desespero, medo, inquietação.
Atinge aquelas pessoas que não acreditavam em minha existência ou me encaravam como se eu fosse uma bruxa - figura mitológica do passado que já não representa nenhuma ameaça.

Minha outra face, a positiva, é a que a águia conhece aos 40 anos: as penas estão velhas, as garras desgastadas, o bico trincado. Então ela se isola durante 150 dias e arranca as penas, as garras, e quebra o bico. Espera, pacientemente, a renovação. Em seguida, voa saudável rumo a mais 30 anos de vida.

Sou presença frequente na experiência da fé. Muitos, ao passar de uma fé infantil à adulta, confundem o desmoronar da primeira com a inexistência da segunda; tornam-se ateus, indiferentes ou agnósticos. Não fazem a passagem do Deus "lá em cima" para o Deus "aqui dentro" do coração. Associam fé à culpa e não ao amor.

Acredito que este abalo na especulação financeira trará novos paradigmas à humanidade: menos consumismo e mais modéstia no padrão de vida; menos competição e mais solidariedade entre pessoas e empreendimentos; menos obsessão por dinheiro e mais por qualidade de vida.

Todas as vezes que irrompo na história ou na vida das pessoas, trago um recado: é hora de começar de novo. Quem puder entender, entenda.

Frei Betto
Autor de "Cartas da Prisão" (Agir), entre outros livros.

O SEU FALAR...


Fale com suavidade, cuide do seu tom de voz.
Certas palavras que nada dizem, por vezes ferem, machucam a alma de quem a escuta, pela maneira como foram ditas.
Por isso, evite falar quando não está bem, na discussão, ouça, evite o confronto.
Verdades entaladas, ditas na hora da discussão, podem terminar com um longo relacionamento, aniquilam uma amizade que é muito cara, esvaziam possibilidades de aproximação, cutucam feridas, doem no coração.
Hoje é o dia perfeito para abaixar a voz.
Quem educa não grita, e quem grita não educa.
Não confunda falar com firmeza com ofensa, nem acredite que a intimidação é sinal de respeito.
A fala amorosa, ainda que pareça fraca, marca, deixa uma impressão em quem a ouve, faz a pessoa refletir, e as vezes, envergonhar-se.
Como falar de amor aos gritos?
Isso não existe, é impossível.
O seu falar é o reflexo do que vai na sua alma, se você anda gritando, soltando fogo ao falar, o problema não está com os outros, está ai dentro de você.
Resolva-se.
Cuide-se!
Paulo Roberto Gaefke

sexta-feira, 3 de abril de 2009

O T da vida...


Quantos planos cabem nos seus sonhos?
Qual é a ousadia que você pode fazer neste dia?
Qual é a coisa mais louca que passou pela sua cabeça?
Qual o desejo que mexeu com sua estrutura?
Qual o prato te fez salivar no meio da rua?
Qual a pessoa que te fez virar o rosto para seguir com os olhos?
Quem você desejou estar numa ilha deserta nesta tarde?
O que você achou possível e a realidade disse não?
Não, não pare de sonhar.
A hora que essas coisas não acontecerem mais, pode procurar o analista, deitar no divã ou no caixão, ou você anda vivendo no estresse, na depressão, ou pior, morreu e esqueceu de deitar, não pare de sonhar...
A vida pede desejos, sonhos, interesses pessoais, e por mais que falem para buscarmos a simplicidade, até a simplicidade tem um custo, um preço diferenciado, a sua casinha branca no campo custa caro, a horta pede trabalho forçado, a hora do rush na cidade é um inferno, mas, em qualquer lugar, podemos sonhar...
Sonhe, mas não deixe de correr atrás, não desista de você, das suas idéias, coloque paixão em tudo, até na hora incerta, no medo de errar, na hora de falar, na gagueira nervosa, tudo isso passa, a hora passa, o trem passa,
ihhh...o ônibus passou...
"tem problema não", logo vem outro, o que importa é você.
O ônibus, o trem, o carro, o amor que passou, tudo é passageiro, vai um, vem outro.
Você não, você é especial, podemos perder tudo, menos você.
Você é essencial.
Paulo Roberto Gaefkee

quinta-feira, 2 de abril de 2009

AMBIÇÃO E ÉTICA...


"Erros são, no final das contas, fundamentos da verdade. Se um homem não sabe o que uma coisa é, já é um avanço do conhecimento saber o que ela não é."
Carl Gustav Jung

O consultor de empresas e conferencista Stephen Kanitz escreveu um artigo intitulado "Ambição e Ética", que foi publicado na revista Veja, do qual extraímos algumas reflexões.
Kanitz define a ambição como sendo tudo o que você pretende fazer na vida. São seus objetivos, seus sonhos, suas resoluções.
As pessoas costumam ter como ambição ganhar muito dinheiro, casar com uma moça ou um moço bonito ou viajar pelo mundo afora.
A mais pobre das ambições é querer ganhar muito dinheiro, porque dinheiro por si só não é objetivo: é um meio para alcançar sua verdadeira ambição, como, por exemplo, viajar pelo mundo.
Já a ética são os limites que você se impõe na busca de sua ambição. É tudo que você não quer fazer na luta para conseguir realizar seus objetivos. Como não roubar, não mentir ou pisar nos outros para atingir sua ambição, ou seja, é o conjunto de princípios morais que se devem observar no exercício de uma profissão.
A maioria dos pais se preocupa bastante quando os filhos não mostram ambição, mas nem todos se preocupam quando os filhos quebram a ética.
Se o filho colou na prova, não importa, desde que tenha passado de ano, o objetivo maior.
Algumas escolas estão ensinando a nossos filhos que ética é ajudar os outros. Isso, porém, não é ética, é ambição.
Ajudar os outros deveria ser um objetivo de vida, a ambição de todos, ou pelo menos da maioria. Aprendemos a não falar em sala de aula, a não perturbar a classe, mas pouco sobre ética.
O problema do mundo é que normalmente decidimos nossa ambição antes de nossa ética, quando o certo seria o contrário.
E por quê? Por que dependendo da ambição, torna-se difícil impor uma ética que frustrará nossos objetivos.
Quando percebemos que não conseguiremos alcançar nossos objetivos, a tendência é reduzir o rigor ético, e não reduzir a ambição.
O mundo conheceu a história de uma estagiária na casa branca, que colocou a ambição na frente da ética e tirou o partido democrata do poder, numa eleição praticamente ganha, devido ao enorme sucesso da economia na sua gestão. Não há nada de errado em ser ambicioso, desde que se defina cedo o comportamento ético.
Quando a ambição passa por cima da ética como um rolo compressor, o resultado é o que podemos acompanhar nos noticiários que ocupam as manchetes em nosso país. Assim, para mudar definitivamente essa situação, é preciso estabelecer um limite para nossa ambição não nos permitindo, em hipótese alguma, violar a ética para satisfação pessoal, em detrimento do coletivo.
Conforme ensinou Jesus, "seja o seu falar: sim, sim, não, não". Seja em que situação for.
E se estiver difícil definir se estamos agindo com ética ou não, basta imaginar como julgaríamos esse ato, se praticado por outra pessoa.
Se o condenamos é porque não é ético. Se o aprovamos e julgamos justo, então podemos seguir em frente.

Defina sua ética quanto antes possível. A ambição não pode antecedê-la, é ela que tem de preceder à sua ambição.
Equipe de Redação do Momento Espírita, baseado em artigo de Stephen Kanitz publicado na revista Veja do dia 24 de janeiro de 2001

quarta-feira, 1 de abril de 2009

RECADO DO TEMPO...


Dias de incerteza pedem reflexão, tempo para pensar, mas tudo o que normalmente fazemos é ficarmos agitados,
o medo, a ansiedade e até o desespero tomam conta de nós. A alma aflita fica transtornada, e grita.
Todo o corpo reage mal...
Aprenda com a natureza.Silencie!
Ao agitar a água no barro, ela se turva, mas se deixá-la descansar, ela fica límpida.
Assim somos nós nos momentos de incerteza, naqueles momentos onde não sabemos o que fazer, quanto mais nos afligimos, mais turvo ficamos.
Existem problemas que só o tempo pode resolver.
situações que por maior que seja o nosso empenho, não encontramos uma resposta favorável.
É o convite da Vida, para uma reflexão:
- onde estou caminhando?
- o que estou plantando?
- eu me amo?
- sou feliz?
Reflita e mude o que precisa ser mudado.
As vezes, a vida só está esperando uma atitude, um gesto no caminho da mudança, para que o problema que tanto nos aflige, seja solucionado, até mesmo sem a nossa participação.
"O tempo é a exata medida das nossas atitudes, reflexo direto do que desejamos, consequência do que fazemos e deixamos de fazer, cronometricamente justo, certo e exato."
Paulo Roberto Gaefke
Ocorreu um erro neste gadget