Páginas

domingo, 31 de janeiro de 2010

EM CASO DE DESPRESSURIZAÇÃO...


Eu estava dentro de um avião, prestes a decolar, e pela milionésima vez na vida escutava uma orientação da comissária: "Em caso de despressurização da cabine, máscaras cairão automatically à sua frente. Coloque primeiro uma sua e só então ao seu Auxilie quem Estiver lado. " E uma imagem sem monitor mostrava justamente isso, uma mãe colocando a máscara nenhum filho pequeno, estando ela já com uma dela.
É uma imagem um pouco aflitiva, porque uma tendência de todas as mães é primeiro salvar o filho e depois pensar em si mesma. Um instinto natural da fêmea que há em nós. Sufocadas Mas a orientação dentro dos aviões tem lógica: como Poderíamos ajudar quem quer que seja estando desmaiadas, despressurizadas?
Isso vem ao encontro de algo que sempre defendi, por mais que pareça egoísmo: se quer colaborar com o mundo, comece por você.
Tem gente à beça fazendo discurso pela ordem e reclamando dos outros em nome, mas mantém a própria vida desarrumada. Trabalham naquilo que não gostam, não se esforçam para Manter uma relação de amor prazerosa, não cuidam da própria saúde, não se interessam por cultura e informação e estão mais propensos ROSNAR um que aprender a fazer. Com a cabeça assim minada, vão passar que tipo de tranqüilidade adiante? Que espécie de exemplo? E vão reivindicar o quê?
Quer uma cidade mais limpa, comece pelo seu quarto, banheiro seu e seu jardim.
Quer mais justiça social, respeite os direitos da empregada que trabalha na sua casa.
Um trânsito menos violento, é simples: avalie como você mesmo dirige.
E uma vida melhor para todos? Pô, ajudaria bastante pôr um sorriso nesse rosto, encontrar soluções viáveis para seus problemas, dar uma melhorada em você mesmo.
Simplorio Parece, mas é simples apenas. Não sei se esse é o tal segredo "que andou circulando pelos cinemas e sendo publicado em livro, mas o fato é que dar um jeito em si mesmo já é uma boa contribuição para salvar o mundo, essa missão heróica e tão bem intencionada.
Claro que não é preciso estar com a vida ganha para ser solidário. A experiência mostra que as pessoas que mais se sensibilizam com os dilemas alheios são aquelas que ainda tem muito a resolver na sua vida pessoal. Por outro lado, não praguejam elas, não Gastam seu latim à toa: agem. A generosidade é seu oxigênio.
Tudo o que nos acontece é responsabilidade nossa, tanto a boa quanto a parte ruim parte da nossa história, salvo Fatalidades do destino e abandonos sociais. E, mesmo entre os menos afortunados, há os que viram o jogo, ao contrário daqueles que apenas viram uns chatos. Portanto, nossa parte é fazer o mínimo que se espera.
Antes de falar mal da "Caras", pense se você mesmo não anda fazendo muita fofoca. Coloque sua camiseta pró-ecologia, mas antes lembre-se de não jogar lixo na rua e nem de usar o carro desnecessariamente. Reduza o desperdício na sua casa.
Uma coisa está relacionada com uma outra: você eo universo. Quer mesmo salva-lo? Analise seu próprio comportamento. Não se sinta culpado por pensar em si próprio. Cuide do seu espírito, do seu humor. Arrume seu cotidiano. Agora sim, estando quite consigo mesmo, vá em frente e mostre aos outros como se faz.

Martha Medeiros

AS COISAS EM ORDEM...


Os grandes antigos, quando queriam altas Propagar virtudes, punham seus Estados em ordem.
Antes de porem seus Estados em ordem, punham em ordem suas famílias.
Antes de porem em ordem suas famílias, punham em ordem Próprios si um.
E antes de porem em ordem uma Próprios si, aperfeiçoavam suas almas, procurando ser sinceros consigo mesmos e ampliavam ao máximo seus conhecimentos.
A ampliação dos conhecimentos decorre do conhecimento das coisas como elas são
(e não como queremos que Sejam elas).
Com o aperfeiçoamento da alma eo conhecimento das coisas, o homem se torna completo.
E quando o homem se torna completo, ele fica em ordem.
E quando o homem está em ordem, sua família também está em ordem.
E quando todos os Estados ficam em ordem, o mundo inteiro goza de paz e prosperidade.

Confúcio

AUTO COMPAIXÃO...


Auto compaixão é que um chicote moral Enfraquece o indivíduo de tal maneira, que quanto mais ele se bate, menos se esforça para sair da dor.
Chega-se a um determinado estágio onde uma pessoa se ausenta do mundo, cobra atitudes que, que cobra responsabilidades e parece-lhe que é impossível viver.
Chamamos esse estágio de depressão.

Por isso, devemos procurar Evitar esse estágio, permanecendo alertas contra os pensamentos repetitivos de auto-censura e principalmente, Evitar O papel de vítima das circunstâncias infeliz.

Aquele que perdeu tudo na enchente, pode chorar e DEVE, MAS DEVE em determinado momento, o mais rápido possível, enxugar o piso e as lágrimas.
Buscar soluções, por mais difícil que Parecer POSSA.
Sempre haverá um Estender a mão para amigo, um parente que se importa, uma ajuda do governo ou o que valha para "recomeçar".

Assim, em todas as calamidades, Sejam elas "pequenas", como nossos problemas sentimentais, que não viram manchete nos jornais, a menos crimes passionais virem que, enormes Sejam, como terremotos ou tsunamis, resta aos que sobreviveram, o agradecer pela oportunidade de estar aqui,
de um poder refazer sua história, ainda que mais um faltando pedaços ou ...

Cuide então das palavras que você anda por ai verbalizando:
• Estou desesperado!
• Estou no fundo do poço!
• Não aguento mais a vida!
• Não suporto mais sofrer!
• Ninguém me ama, ninguém me quer.
• Comigo é sempre assim ...


Todas são "poderosas lenhas" para aumentar o fogo do desânimo, que acabam Reduzindo as suas Forças ao nada.
Você realmente se sente o "último biscoito do pacote esmagado", aquela primeira fatia do pão de forma que ninguém quer ...

Em toda e qualquer situação, seja o anúncio de uma doença grave, uma perda de um ente querido, uma ruptura de um relacionamento de anos, em todas, sempre haverá uma nova visão, uma porta que se abre para uma maneira diferente de encarar uma vida ou a morte.

Só não se perca em lamentações, em se fazer de vítima que não é.
Enfrente o problema, vença o desafio de superação que se apresenta, depois da curva da miséria,
uma riqueza de descobrir capacidades que não conhecíamos, força que julgávamos ter Não é isso, por mais incrível que pareça, é a plenitude, a verdadeira felicidade que bate a porta, como arco-íris que surge depois da tempestade, ou cheiro de terra molhada que faz uma alma sonhar ...

Você vai vencer, se já for interiormente feliz, não com o que PODERÁ ter ou conquistar, mas apenas com o que você já é: um ser de luz!
Eu acredito em você e na sua Capacidade de superar-se!

Paulo Roberto Gaefke

sábado, 30 de janeiro de 2010

A MORTE DEVAGAR...


Morre lentamente quem não troca de idéias, não troca de discurso, evita as contradições próprias.

Morre lentamente quem vira escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajeto e como é que é compras no supermercado. Quem não troca de marca, não arrisca vestir uma cor nova, não dá papo para quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru e seu parceiro diário. Muitos Não podem comprar um livro ou uma entrada de cinema, mas también muitos, e ainda assim alienam-se diante de um tubo de imagens que traz informação e entretenimento, mas que não deveria, mesmo com apenas 14 polegadas, ocupar tanto espaço em uma vida.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o preto no branco e os pingos nos é um turbilhão de emoções Indomáveis, justamente as que resgatam nos olhos brilho, sorrisos e soluços, coração aos Tropeços, sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho, quem não se permite, uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.
Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não acha graça de si mesmo.

Morre lentamente quem destrói seu amor-próprio. Pode ser depressão, que é doença séria e profissional ajuda Requer. Então fenece a cada dia quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem não trabalha e quem não estuda, e Na maioria das vezes isso não é opção e, sim, destino: então um governo omisso pode matar lentamente uma boa parcela da população.

Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da Chuva Incessante, desistindo de um projeto antes de iniciá-lo, não perguntando sobre um assunto desconhece e não respondendo quando lhe indagam o que que sabe. Morre muita gente lentamente, e esta é uma morte mais Traiçoeiras e ingrata, pois quando ela se aproxima de verdade, aí já estamos muito destreinados para percorrer o pouco tempo restante. Que amanhã, portanto, demore muito para ser o nosso dia. Já que não podemos Evitar um final repentino, que ao menos evitemos uma morte em suaves prestações, lembrando sempre que estar vivo exige um maior bem Esforço do que simplesmente respirar.

Martha Medeiros

A ESCOLA DOS BICHOS...


Conta-se que vários bichos decidiram fundar uma escola. Para isso reuniram-se e começaram a escolher as disciplinas.
O Pássaro insistiu para que houvesse aulas de
vôo. O Esquilo achou que a subida perpendicular em árvores era fundamental. E o Coelho queria de qualquer jeito que a corrida fosse incluída. E assim foi feito, incluíram tudo, mas... cometeram um grande erro. Insistiram para que todos os bichos praticassem todos os cursos oferecidos.
O Coelho foi magnífico na corrida, ninguém corria como ele. Mas queriam ensiná-lo a voar. Colocaram-no numa árvore e disseram: "Voa, Coelho". Ele saltou lá de cima e "pluft"... coitadinho! Quebrou as pernas. O Coelho não aprendeu a voar e acabou sem poder correr também.
O Pássaro voava como nenhum outro, mas o
obrigaram a cavar buracos como uma topeira. Quebrou o bico e as asas, e depois não conseguia voar tão bem, e nem mais cavar buracos.
SABE DE UMA COISA?
Todos nós somos diferentes uns dos outros e cada um tem uma ou mais qualidades próprias dadas por DEUS.

Não podemos exigir ou forçar para que as outras pessoas sejam parecidas conosco ou tenham nossas qualidades. Se assim agirmos, acabaremos fazendo com que elas sofram, e no final, elas poderão não ser o que queríamos que fossem e ainda pior, elas poderão não mais fazer o que faziam bem feito.

RESPEITAR AS DIFERENÇAS É AMAR AS PESSOAS COMO ELAS SÃO.
Rosana Rizzuti

AMOR A DEUS...


Você ama a Deus?
Ou será que você tem medo de Deus?
Ainda nos dias de hoje se ouve a expressão: Cuidado, Deus castiga.
Ou então: Ele é um homem temente a Deus. Temente quer dizer que teme, que tem medo.
As frases são muito infelizes. E não verdadeiras. Por que temer a Deus?
Se ficarmos com o conceito de Moisés, o grande legislador do povo hebreu, com certeza teremos medo da Divindade.
Porque, ao apresentar a idéia de Deus aos homens daquela época, mais ou menos quatro mil anos atrás, Moisés O apresentou como ciumento, vingativo.
Um Deus injusto, pois punia um povo inteiro pela falta do seu chefe.
Era o Deus dos exércitos que presidia aos combates contra o Deus dos outros povos.
Um Deus que recompensava e punia s pelos bens da Terra. Que fazia se acreditasse que havia felicidade na escravidão dos outros povos.
Mas, depois de Moisés veio Jesus. E uma das partes mais importantes da revelação do Cristo é o ponto de vista pelo qual Ele nos apresentou Deus.
O Pai que ama aos Seus filhos. Soberanamente justo e bom. Cheio de mansidoã e de misericordia.
Pai que perdoa as faltas dos Seus filhos e dá a cada um segundo as suas obras. O Pai de todas as criaturas, que estende a Sua proteção por sobre todos os Seus filhos.
Deus que diz aos homens: A verdadeira pátria não é deste mundo.
Deus de misericrdia que diz: Perdoai as ofensas se desejais ser perdoados, fazei o bem em troca do mal. Não façais o que não quereis que vos façam.
Deus grande que vê o menor pensamento de Seus filhos e que não dá importância à forma com que esses filhos O honram.
Não é um Deus para temer. É um Deus para amar.
Tudo na criação revela o amor de Deus por Seus filhos. O Universo é um poema de beleza e perfeição.
A Terra preparada até os mínimos detalhes para que o homem nela possa viver e progredir.
As sementes que reproduzem segundo sua espécie e saciam a fome.
Os rios, lagos e vertentes que propiciam o líquido precioso.
As estações com suas caractersticas. As variedades infinitas de plantas, de animais.
Deus que cria Espíritos simples e ignorantes e os coloca nas Suas moradas, os mundos, para progredirem, conquistarem sabedoria até a perfeiço.
Deus que ama.

Deus quer o seu progresso. Deus quer o seu bem-estar, que seja fruto de uma vida saudável, que resulta de um aprimoramento moral.
Deus quer a sua paz legítima, depois de acalmados os anseios do seu coração e regularizados os débitos da sua consciência.
Deus quer o seu amor, superadas as instabilidades da sua emoção.
Deus quer o melhor para você.
Se você ainda não descobriu como, guarde a certeza de que Ele concede todos os dias os meios para conseguir tudo isto, em definitivo. Sem chance de perder.

Redação do Momento Espírita com base no cap. 1, itens 23 e 25 do livro A gênese, de Allan Kardec, ed. Feb; no cap. 21 do livro Filho de Deus, do Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal e no texto das páginas 22/23 da Revista O espírita, de out/dez 1995, n 90. Disponvel no CD Momento Esprita, v. 1 , ed. Fep.

IMPRESSIONE-ME!


Impressione-me!
Mostre-me a sua disposição em servir.
Conte histórias para quem perdeu a própria, visite quem não espera mais ninguém, segure na mão de quem está com medo, fale de amor para quem foi esquecido.

Impressione-me!
Faça valer um direito de todos, coletivo não pense, não seja mesquinho.
Jogue o lixo lixo não, ande mais a pé, cuide do parque, plante uma árvore, leve esperança, desperte a fé.
Não deixe rastros de imundice na praia, nem da intolerância no trânsito, porque o mal, facilmente se espalha.
Seja civilizado e todo em qualquer lugar.

Impressione-me!
Guarda a língua na boca emudeça, se é para falar dos outros, que Sejam elogios.
Se é para falar de você, seja humilde, se é para falar de amor, que seja um gesto amoroso.
Se é para ler o Evangelho, é bom pratica-lo.
Menos Sermão, mais ação!

Impressione-me!
Guarda uma reclamação vazia, lute um pouco mais.
Descanse na hora certa, leia um bom livro.
Fale mais com seus filhos, amigos ou irmãos.
Não se isole, não se ausente, não invente.
O mundo é cercado de energias que nem sempre vemos,
sentimos mas em nós mesmos.

Por isso, agarre-se ao amor sem limites, como quem se agarra a um pedaço de madeira em alto-mar.
Ainda que seja pequeno, ele te sustentará, você vai sobreviver, não se afogará.
Porque o amor tudo pode, Permite tudo, tudo transforma.
Por isso, impressione-me de verdade, mesmo com pesar e dor, nunca deixe de amar.

Paulo Roberto Gaefke

É PRECISO TER CORAGEM PARA VER DEUS


O Complô de Deus ...
Paulo Roberto Gaefke em algum lugar do passado

De onde vem essa brisa, na noite em que a solidão me ataca?
De onde vem tantos cheiros que inebriam a minha alma tão vazia?
Parece um complô contra a minha tristeza, quero chorar e faltam-me às lágrimas,
Quero me acabar, e sinto o renovo da vida em cada estrela que insiste em brilhar.
Por que o mundo não se acaba comigo, com o desespero que sinto agora?
Por que quero sentir a dor ea vida insiste em mostrar-me a sua exuberância?
Por que será que quero parar de respirar eo ar gelado da noite me refrigera os pulmões?
Deus ...
Deus, quem é você insiste em me fazer viver que?
Por que não me deixa morrer só, neste canto da minha vida tão pequenina?
Onde estava quando eu comecei a sofrer como cachorro abandonado?
Onde andou quando fui largado, quando todos ficaram contra mim?
Onde eu Deveria te procurar quando a dor me queimava a alma?
Fui em diversas igrejas, no campo, nas ruas e até na beira do mar, gritei teu nome, implorei ajuda, mas não te percebi ...
Deus, por que não me deixa aqui, Próprios entregue aos meus pensamentos, ao sofrimento que me corrói a alma?
Esse vento que não para de soprar, e que me alivia a dor, e você?
Essas estrelas que não cansam de brilhar, e você?
Essa lua imensa que me traz tantos sonhos, Você?
E quando o dia amanhecer, e trazer uma nova manhã, o sol que vai me aquecer é Você?
Será que eu estava cego todo esse tempo, até os passarinhos que cantam na minha janela enviados, eram teus? Era Você?
Será que essa vontade de viver, de recomeçar, de lutar e vencer, será que é Você?
Perdão!
Estavas tão perto e eu nem te percebi, uma dor me cansou, o orgulho me cegou, a minha visão imediatista me deixou assim, cego, perdido, mudo.
Sem a Capacidade de Te Reconhecer onde sempre esteve: aqui, dentro de mim, por isso, decidi viver.

Paulo Roberto Gaefke

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

CANÇÃO DAS MULHERES...


Que o outro saiba quando estou com medo, e me tome nos braços sem demais perguntas fazer.
Que o outro note quando preciso de silêncio e não vá embora batendo a porta, mas entenda que não o amarei menos porque estou quieta.
Que o outro aceite que me preocupo com ele e não se irrite com minha solicitude, e se ela for excessiva saiba me dizer isso com delicadeza ou bom humor.
Que o outro perceba minha fragilidade e não ria de mim, nem se aproveite disso.
Que se eu faço uma bobagem o outro goste um pouco mais de mim, porque também preciso poder fazer tolices tantas vezes.
Que se estou apenas cansada o outro não pense logo que estou nervosa, ou doente, ou agressiva, nem diga que reclamo demais.
Que o outro sinta quanto me dói a idéia da perda, e ouse ficar comigo um pouco em lugar - de voltar logo à sua vida, não porque lá está a sua verdade mas talvez seu medo ou sua culpa.
Que se começo a chorar sem motivo depois de um dia daqueles, o outro não desconfie logo que é culpa dele, ou que não o amo mais.
Que se estou numa fase ruim o outro seja meu cúmplice, mas sem fazer alarde nem dizer "Olha que Estou tendo muita paciência com você!"
Que se me entusiasmo por alguma coisa o outro não a Diminua, nem me chame de ingênua, nem queira fechar essa porta Necessária que se abre para mim, por mais tola que lhe pareça.
Que quando sem querer eu digo uma coisa bem inadequada diante de mais pessoas, o outro não me exponha nem me ridicularize.
Que quando levanto de madrugada e ando pela casa, o outro não venha logo atrás de mim reclamando: "Mas que chateação essa sua mania, volta pra cama!"
Que se eu peço um segundo drinque no restaurante o outro não comente logo: "Pôxa, mais um?"
Que se eu eventualmente perco a paciência, perco a graça e perco uma compostura, o outro ainda assim me ache linda e me admire.
Que o outro - filho, amigo, amante, marido - não me Considere sempre disponível, sempre Necessariamente compreensiva, mas me aceite quando não estou podendo ser nada disso.
Que, finalmente, o outro entenda que mesmo se às vezes me Esforço, não sou, nem devo ser, a mulher-maravilha, uma mulher mas apenas uma pessoa: vulnerável e forte, Incapaz e gloriosa, assustada e Audaciosa -.

Lya Luft

DIANTE DA VIDA...


Diante da injustiça eu até chorei, mas fui forte e acreditei:
- Sou inocente, nada temerei.

Diante das barreiras financeiras, me apavorei.
Mas criei coragem, e lutei.
Trabalhei duro, aprendi economizar um.
Venci quando aprendi a valorizar cada tostão.

Diante do desapontamento, desanimei.
Mas, vi com bons olhos os erros alheios.
Percebi que todos erramos, e perdoei.

Diante do sonho inatingível, suspirei.
Mas percebi o quanto era importante para mim, lutei, perseverei e conquistei.

Diante do "não" machuca que, recuei.
Fiquei cheio de orgulho ferido, melindrei.
A humildade me trouxe uma razão de volta, insisti e venci. Isso é o que importa.

Diante da pessoa amada, errei.
Trai, me perdi em Passageiras ilusões.
Quase a perdi, chorei e me apavorei.
Mas, com a força do amor, reconquistei.
Por tudo o que já passei, por tudo que ainda vou passar.
Sou hoje, um fruto amadurecido pelas experiências.
Nem sempre perder, ganhar Nem sempre, tudo "experenciar".

Se a dor me maltratou, também me ensinou.
Se a perda foi dolorosa, também foi valiosa.
Hoje sei dar valor para o que realmente merece, não quero mais o que é fútil, carece não.

Meus amigos, minha família, meus livros, meu bairro e meus vizinhos, que plantei uma árvore, o amor que semeei ...
Hoje, a minha oração é de gratidão, só peço pelos meus, não preciso de mais nada, somente o amor de Deus.

Paulo Roberto Gaefke

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

NÃO DEIXE...


Não nem deixe de lutar, de acreditar.
Tudo pode mudar!
Tudo pode ser diferente, desde que as mudanças que você Deseja ver no mundo, já Estejam na sua casa.
Então, não demore. Comece agora a sua revolução. Deixe um cheirosa sua casa limpa,. Armários arrumados, bolsas e sapatos bem guardados.
Mas, o mais importante, seja rica ou Casébre Casa de Madeira: Respeite o Ambiente!
Evite gritos, palavrões, desavenças.
Sua casa tem que ser seu santuário, um local de repouso, de encontro, de paz.
Não deixe que pessoas de fora contaminem o ambiente.
Não leve seus problemas do trabalho, da escola para casa ... antes, deixe tudo na soleira da porta e ao entrar em casa, sorria!
Ainda que Esteja com dor de dente, é melhor acreditar e sorrir, que não é apenas uma casa, é o seu lar!
Deus entre pela porta da sua casa permaneça presente, sempre!
Amém.

Paulo Roberto Gaefke

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

VERSOS CONFUSOS DA ALMA...


Sou o fruto do tempo, e vivo em eterno conflito, entre o que a minha alma eo Deseja que a vida pode me dar.
O que eu quero é sempre conquistado com muita luta e perseverança, nada me cai do céu, nem vem de graça pelo vento, muito trabalho e tenho determinação, choro e lágrimas se misturam com a conquista da Alegria, e muitas vezes, um quer Esperança fugir, me abandonar, mas a minha certeza vai buscá-la ...

Sou o fruto maduro das paixões, dos amores que vivi e daqueles que desejei e não pude viver, do amor sou escravo: é o meu oxigênio!
Se estou só, é a certeza de um novo amor que me leva, a certeza de que irei te encontrar em breve, me motiva.
O meu amor é sempre semente, que rego com carinho, que trato com o adubo da emoção.

Sou fruto do invisível, do imponderável ", tenho mistérios que são insondáveis, verdades absolutas que as vezes se decompõem", e um desejo de eternidade que vem da alma.
Sou parte da centelha Divina, e Deus habita em mim, minha luta é ser melhor do que já fui um dia, verdade em crescer, amadurecer na experiência, viver uma fé que ainda não tenho, ter uma paz que busco na passagem do tempo, Tempo que sempre me diz: é hora de amar, eo amor, é sempre uma oportunidade, um chamado, um recomeçar ...
Não tenha medo de amar!

Paulo Roberto Gaefke

domingo, 24 de janeiro de 2010

EU TE AMO!


Ah, se já perdemos a noção da hora
Se juntos já jogamos tudo fora
Me conta agora como hei de partir

Ah, se ao te conhecer
Dei pra sonhar fiz tantos desvarios
Rompi com o mundo queimei meus navios
Me diz pra onde é que ainda posso ir

Se nós, nas travessuras das noites eternas
Já confundimos tanto as nossas pernas
Diz com que pernas eu devo seguir

Se entornaste a nossa sorte pelo chão
Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu

Como, se na desordem do armário embutido
Meu paletó enlaça teu vestido
E o meu sapato ainda pisa no teu

Como, se nos amamos feito dois Pagãos
Teus seios ainda estão nas minhas mãos
Me explica com que cara eu vou sair

Não, acho que estás te fazendo de tonta
Te dei meus olhos pra tomares conta
Agora conta como hei de partir

Tom Jobim e Chico Buarque

SOLIDÃO...


Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo...
Isto é carência.

Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar...
Isto é saudade.

Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos...
isto é equilíbrio.

Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida...
Isto é um princípio da natureza.

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado...
Isto é circunstância.

Solidão é muito mais do que isto.
Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma...

Chico Buarque de Holanda

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

EXPRESSE SEUS SENTIMENTOS...


Freud já dizia “nada é meramente psíquico ou meramente somático..."

Você pode se enganar e enganar muitas pessoas fazendo o papel de bonzinho, de coitadinho ou contar mentiras para não ferir essa ou aquela pessoa. Você pode esconder tudo de todo mundo, mas o seu corpo sente e reage as agressões que você tem cometido contra ele.
Se você continua naquele relacionamento que não suporta mais, naquela rotina que tira a sua alegria, naquela sociedade que já se desgastou, naquele emprego que rouba o seu prazer, ou naquela amizade mais falsa que nota de R$ 60,00, o seu corpo vai sentir essas emoções e como uma bateria, vai carregar e armazenar esses sentimentos, até que um dia vai explodir como bomba atômica.

Desde crianças, somos obrigados a segurar ás emoções. Muitos pais ensinam que chorar é "sinal de fraqueza", "masturbação é pecado", "sexo é vergonhoso e ter prazer é coisa de pessoas sem vergonha". Desde muito pequeno, vamos sendo castrados em nossos sentimentos e emoções e quando podemos tomar nossas próprias decisões, em nome de "convenções da sociedade", seguramos nossa raiva, nossa indignação, não abraçamos nossos amigos, não beijamos mais por uma vergonha besta e ridícula. A menina não abraça a menina por ter medo de ser chamada de "sapatão", o menino não abraça o menino com medo de ser chamado de "bicha" e os homossexuais, escondem seus sentimentos com medo de serem rechaçados pela família e pela "comunidade".

Assim, vamos armazenando sentimentos que precisam sair de alguma forma, e normalmente, todas as emoções se traduzem em raiva e/ou tristeza, uma sombra que se esconde por trás de sua aparente figura. Quanto mais tempo você sofrer calado, mais doente vai ficar...

Carl e Stephanie Simonton dirigem o "Cancer Counseling and Research Center de Dallas", Texas , ele é um médico radioterapeuta, especializado no tratamento do Câncer. Stephanie é formada em Psicologia. Eles defendem a idéia de que as doenças sofrem grande influência psicológica. O casal, concluiu que uma doença não é só um fato físico, e sim, um problema que diz respeito à pessoa como um todo; corpo, emoções e mente. As emoções e a mente tem uma certa função na reação ao Câncer e na sua recuperação.

O Câncer, por exemplo, surge como uma indicação de problemas em outras áreas da vida da pessoa, agravados ou compostos de uma série de "problemas" que surgem de 6 a 18 meses antes de aparecer o Câncer. Foi observado que as pessoas reagiram a esses "problemas" com um sentimento de falta de esperança, desespero, desistindo de lutar por uma vida melhor. Acredita-se que essa reação emocional dispara um conjunto de reações fisiológicas que diminuem as defesas naturais do corpo, tornando-o mais frágil e favorecendo à produção de células anormais.

Por isso, nada de ficar guardando as suas emoções em uma caixa de orgulho e falsos pudores.
Quer gritar? Grite!.
Quer reclamar? Reclame.
Quer comer jiló? Coma.
Quer se separar? Separe-se.
Pare de esconder os sentimentos, a vítima com certeza será você.
Eu acredito em você

Paulo Roberto Gaefke

RESPIRE FUNDO!


Respire fundo!
Agora solte o ar.

É o tempo exato de brecar a ação e pensar.
Estamos na era da correria.
Tudo é para "ontem de manhã".
O papel, o documento,
a viagem, o passeio, o relacionamento,
o sexo, a conversa, a risada,
tudo tem que ser rápido,
transparente como filme plástico.
As vezes contido, escondido, drástico...

Respire fundo!
Antes de reclamar do motorista ao lado.
Antes de gritar com os filhos que não param de brincar.
Antes de falar uma palavra que possa machucar.
Antes que o seu coração saia pela boca.
Antes que a vida toda se perca no seu falar.
Agora é preciso respirar...

O tempo está sempre onde deveria estar!
Não acredite que o tempo passou rápido demais,
é você quem está deixando-o escorrer pelos dedos.

As oportunidades vão passando, como numa tela gigante.
O bebe já cresceu e você perdeu.
O amor já morreu e você nem percebeu.
O cabelo está branqueando, e você vai pintando.
Pensamos que vivemos, e vamos nos enganando...

Respire fundo!

Abrace-se demoradamente...
Repita baixinho:
- eu vou cada vez melhor!
- eu tenho tempo para ser feliz, fazer o que gosto,
abraçar quem eu amo.
- Eu me abraço, eu me amo.
- Abraço o mundo inteiro na minha consciência,
me encho de amor e paciência.

Solte o ar, você recobrou o poder de amar!

(PS: repasse para os amigos que andam estressados demais)
Paulo Roberto Gaefke

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

O TEMPO CERTO...


Muita gente anda esperando o tempo certo para realizar este ou aquele sonho.
Deixam o vestibular para o ano que vem, a pós para depois, a reforma para Agosto...

Agimos como se fossemos donos do tempo.
Como se a eternidade fosse apenas um caminho que passa na rua da nossa casa.
Definimos prioridades que no final das contas, nem eram tão prioritários assim...

As vezes nossos sonhos ficam guardados, esperando na fila das decisões.
Ficam como galhos pesados encostados no chão do tempo.

Nossas orações ainda são eternos pedidos imediatistas.
Pedimos para apagar o fogo, mas ainda não aprendemos evitar o incêndio.

É tempo de realizar!
Colocar os sonhos da alma como prioridade.
O tempo é o agora.
E o agora é já!

Pare de ser expectador da vida!
É hora de tomar uma atitude que te leve ao encontro do que tanto deseja!
Na decisão cabe tudo!
- O sonho mais louco, a aventura mais insana.
Se é para ser feliz, não aceite metade, nem migalhas.

A vida é este rio.
Ele vai continuar o caminho, com ou sem a sua atitude.

Então sonhe alto.
Voe para o horizonte.
Encontre o sol, passeie pela lua.
Perceba e sinta a proximidade de Deus.
Remova as teias de aranha dos velhos projetos.
Hoje o convite vem do mais alto:
- É o seu dia de realizar.
É tempo de amar.
Comece por você.
Ame-se!
Distribua esse amor.
A vida devolve tudo na mesma medida com que nos lançamos.
Sem hesitação, diga bem alto:
- Eu vou realizar o que tanto desejo.
Eu posso e mereço.
É o próprio tempo quem diz:
- é tempo de ser mais feliz!
Não desista dos seus sonhos, eles te levarão a plenitude do ser.
Creia no seu poder de realizar e vencer!

Paulo Roberto Gaefke

VOCÊ TEM MEDO DE QUÊ?


Você tem medo de quê?
De dizer não para aquela pessoa querida mesmo sabendo que o sim significa problemas no futuro?
Você tem medo de quê?
De admitir que se enganou com uma pessoa, que errou na dose do sentimentalismo e fechou os olhos para a realidade que todos viam?
Aceitar que o fim de um relacionamento já chegou há muito tempo e você, só você insiste em manter as aparências?
Você tem medo de quê?
De falar para a família e os verdadeiros amigos o quanto os ama e, por isso, fica calado imaginando que todo mundo sabe disso?
De perder o emprego medíocre e, por isso, se submete a tirania de um local que você não se sente bem?
Você tem medo de quê?
De aceitar que seu atual estado é reflexo apenas dos seus atos, das suas atitudes, algumas vezes impensadas e feitas de pura ansiedade…
Você tem medo de quê?
De sair da capa de vítima e encarar de frente seus sonhos, suas necessidades e descobrir que pode realizá-los?
De questionar velhos conceitos e mudar tudo para viver melhor?
Você tem medo de quê?
De aceitar que Deus existe e que nos pede ação sempre, trabalho sempre, boa vontade sempre, perdão sempre, amor sempre.

Não tenha medo de ser feliz, arrisque-se, aventure-se.
Caiu? Levante-se.
Errou? Comece de novo.
Perdoe sempre.
Esqueça o que passou, construa o hoje, viva o hoje.
Ame-se sempre!

Paulo Roberto Gaefke

ANTES QUE A NOITE CAIA...


“Ser como um rio que flui silencioso no meio da noite.
Não temer as trevas da noite se há estrelas no céu, refleti-las.
E se o céu se enche de nuvens como o rio, as nuvens são água; refleti-las também sem mágoa nas profundidades tranqüilas.”
Manoel Bandeira

Todos os rios são únicos, representam a própria vida no seu esforço de chegar ao mar.
Que nada te detenha no caminho da felicidade, nada te perturbe, nem o desamparo do momento, nem a solidão da viagem…
Seja um rio, ainda que neste instante, você se sinta apenas um fio d'água, uma nascente…
Lá na frente, você será corredeira, e vai sim, chegar ao mar, ser feliz em ser mar.

Paulo Roberto Gaefke

VOCÊ PRECISA TER SONHOS...


Você precisa ter sonhos, para que possa levantar-se todas as vezes que cair.
Acreditar, que a toda hora, acontecerá coisas boas e mudará o rumo da sua vida.
Você precisa ter sonhos grandes e pequenos, os pequenos, são as felicidades mais rápidas, os grandes, lhe darão força para suportar o fracasso dos sonhos pequenos.
Você tem que regar os teus sonhos todos os dias, assim como se rega uma planta, para que cresça ...
Você precisa dizer sempre, a você mesmo:
vou conseguir! vou superar! vou chegar no meu sonho!
Fazendo isso, você estará cultivando sua luz, a luz de sempre ter esperanças, que nunca poderá se apagar, pois ela é a imagem que você pode passar para as outras pessoas, e é através dessa luz que todos vão lhe admirar, acreditar em você e te seguir.
Mire na Lua, pois se você não puder atingi-la, com certeza irá conhecer grandes estrelas... ou, poder ser uma delas.

Obrigada por regar o meu sonho e alegrar o meu dia!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

SIMPLESMENTE...


Entre o que desejamos e o que temos, existe uma barreira, uma distância, que pede muito mais do que o desejo puro e simples, exige dedicação e por vezes um certo sofrimento, paciência e abnegação, um preço para cada conquista, que nem todos estão dispostos a pagar.

Por isso, há os que vencem, e há os que nunca alcançam.
Gente que vê a estrada florida, e outros que permanecem no charco, há os que encontram, e os que nunca se acham.

Muitos desistem no meio, outros nem começam, mas os que persistem, vencem a si mesmos, são os que recolhem pedras com as mãos, aqueles que não temem a noite escura, porque não enxergam os problemas, olham para a frente, para o futuro, com a lanterna da insistência nas mãos, e vão passando obstáculos, suando muito, porque toda vitória é fruto maduro, da perseverança e da transpiração.

Se o seu sonho te parece impossível, saiba que a esperança é o estopim, que acende a dinamite da determinação, e que todo aquele que crê e persevera, acaba encontrando mais do que espera, na curva da vida que os tolos chamam de sorte, que os determinados munidos da paciência, reconhecem de longe, alcançando o sucesso, chamam sabiamente de “consequência”.

Paulo Roberto Gaefke

O SORRISO...


Sorria para o dia!
Um sorriso tem a força de muitos remédios, quando o recebemos no leito de um hospital, quando estamos solitários na doença.
Um sorriso tem o poder de reabilitar as forças, quando estanos desistindo de alguma coisa, quando a nossa vontade é vencida pelo desânimo.
Um sorriso tem o dom de acalmar; a criança que chora, mesmo com fome, o velho que se lamenta, mesmo diante da dor, o homem angustiado, mesmo diante da humilhação, a mulher desenganada, mesmo diante da cirurgia, ao animal ferido, mesmo abandonado,
ao cristão abatido, mesmo sem fé, ao servo humilde, mesmo diante das injustiças.
O sorriso é a porta aberta da felicidade interior, é dádiva que ilumina não apenas o rosto, mas toda a alma, é um bem sem preço, que estimula o que recebe, alimenta quem o dá, e toca sinos lá longe, lá no alto, direto e sem mistérios, o sorriso é como luz, é mensageiro divino de uma força maior, de um amigo que tudo vê, o amigo Jesus .
Sorria!

Paulo Roberto Gaefke

AMOE É POESIA...


Mais que a dor da perda, existe a incerteza, aquela dúvida quanto ao futuro, será de dor?
Será que somos capazes de viver mais uma vez o amor?
Sim!
Nós somos capazes de viver o amor várias vezes, experimentá-lo em diversas gradações, como no amor filial, no amor familiar,
no amor ao nosso animalzinho de estimação.
que pode ser um gatinho, ou um elefante, que importa o tamanho?
O que conta é a sua capacidade de “entregar-se”, e é na entrega que o amor faz diferença.
A entrega, não é a submissão aos caprichos do outro, nem alienar-se, virar um zumbi sem vontade, nem viver a vida da pessoa amada, mas a capacidade de amar sem medidas.
Ser nos momentos felizes, a própria felicidade, compartilhar, e nas dificuldades,ser o ponto de apoio, compactuar.
Aquela pessoa que só no olhar, acalma, já transmite a segurança, se precisar, segura na nossa mão, como criança.

Amor é entrega sim!
Amor cheio de regras não é amor, é contrato.
Amor cheio de pontos negativos não é amor, é bateria velha.
Amor cheio de conselhos não é amor, é uma reunião.
Amor cheio de melindres e “não me toques”, não é amor, é uma consulta de analista.
Amor sem respeito também não é amor, pois antes de mais nada, o amor se respeita, se admira, se vale de cada sílaba para forma um verso, e esse verso, é a união do “eu + você”, compondo uma rima, e se quer definir, o amor é isso: o amor é poesia!
Paulo Roberto Gaefke

ORAÇÃO DO CRER...


Em ti Senhor, eu deposito as minhas esperanças, mas lhe peço, que isto não me torne um conformado, por isso, arregaço às mangas e vou a luta, segurando em mãos poderosas, invisíveis, mas firmes o bastante para me sustentar.

Em Ti senhor, eu confio e me entrego, mas te peço, que não me falte forças, diante das dificuldades que eu sei que virão.
Mesmo agora, diante dos tropeços, apenas me sustente, me ajude a levantar.
De pé e com a sua mão, sou mais forte, sou capaz de ver o mundo com outra cor.

EmTi Senhor, eu deposito, meu único e maior tesouro, a minha vida, pois com o livre-arbítrio que me o senhor me deu, posso dá-la a quem quiser, posso ir para a direita ou para a esquerda, passar pela porta ou sentar mendigando.
E eu, por crer em Ti, resolvi seguir adiante, lutar para dar mais um passo, longe da ilusão das coisas fáceis, do brilho do “ouro dos tolos”, dos falsos ídolos, e das palavras doces dos querem apenas roubar, eis me aqui, pronto para Te adorar.

Em Ti,eu repouso, e trabalho, e sigo amando, ainda que não me amem, trabalhando. ainda que não reconheçam, pois só de Ti espero justiça, e sei que em quem posso confiar.
Eis a vida, o caminho, a verdade, a Luz do mundo é o teu brilho, nesse amado Jesus, que é Teu filho, me encontro, mesmo sem entendê-lo, pois Ele é a perfeição, e eu, apenas emoção, eterno aprendiz do Universo.

Em ti eu creio, sigo e venço.
Para sempre, amém.

Paulo Roberto Gaefke

UM PEDAÇO DE VOCÊ...


“Um pedaço de você já ficou no tempo,quando você deixou de ler um bom livro, quando não acreditou naquele amigo…

Quando não aproveitou aquele instante para falar de amor, quando não abraçou seu pai e nem beijou a mãe.
Um pedaço de você se perdeu na curva, quando abandonou o seu sonho sem tentar, quando aceitou trabalhar onde não gostava,
quando fazia o que não suportava…

Quando disse sim, quando queria dizer não, quando deixou o amor morrer antes de nascer, por medo de sofrer
Um pedaço de você ficou parado, quando você não quis fazer um novo percurso, quando se conformou com o velho, quando ficou parado vendo o povo correr…
Quando votou em branco, se podia escolher, quando não apareceu quando era esperado.
A vida pede atitude em cada instante, e passa por cima de quem se cala, de quem aceita, de quem acredita que tudo
está irremediavelmente perdido.
A vida desacata quem não se aceita, humilha quem não se valoriza, ensina com amor os que amam sem medidas, ensina com dor, os que fogem das lições.
Um pedaço de você quer tudo, outro quer se esconder.
Assim, cabe a você, só a você, dosar ansiedade e apatia, ter um tempo para criar e outro para executar…
Falar e ouvir, ensinar e aprender, caminhar e correr…
Amar e ser amado, falar baixo e gritar, ter um tempo para refletir.
Só não vale cruzar os braços!
Só não vale não ser você!
Só não vale esquecer:
Que nada é mais importante que você!”

Paulo Roberto Gaefke

O LEITE, O AMIDO E A FÉ...


No fogão o leite fervia em uma caneca.
A pessoa que olhava para não derramar, resolveu colocar um pouco de amido e misturar. Vendo que o leite engrossava, resolveu colocar algumas gotas de baunilha para aromatizar.

O cheiro ficou muito bom, e então, resolveu de estalo, acrescentar um pouco de aveia. E o leite simples que fervia no fogão, virou um delicioso mingau, cheio de nutrientes, encorpado e substancioso.

Você, quando abatido pelo peso dos problemas no dia a dia, é como o leite fervendo no fogão. As vezes tão fraco e tão ralo que mal consegue ferver.
Outras vezes, de tão cheio de “negatividade” e pensamentos de derrota, lembra o leite azedo

Mas, quando você se liga a Deus com amor,
o amido que é a fé se mistura na sua vida e começa um processo de “engrossar” sem volta. Você ganha uma força extra, se sente mais capaz para realizar o que até então, pensava não ter forças, ou até acreditava que não merecia.

A fé é esse amido que agrega forças na sua determinação.
A aveia, é a conquista daquilo que tanto desejava, que vem melhorar ainda mais a sua existência:
- As conquistas materiais, empréstimos de Deus para o seu conforto,
- As conquistas espirituais, tesouros que não se perdem, eternos.
- As conquistas emocionais e os laços familiares, soma e resultado das conquistas anteriores.
Porque aquele que tem fé conquista o mundo.

Ah! a baunilha, é o aroma daqueles que tocados profundamente pela fé, modificam suas vidas, se santificam pelo amor ao próximo, pelo desejo de sempre querer melhorar.
Por onde andam deixam um aroma de baunilha, são rastros de luz:
o perfume de Jesus.
Quando somos tocados pela fé, que não é fanatismo, mas um elo de amor que nos liga ao Criador, somos tomados por uma força até então desconhecida que nos impulsiona para a vitória sobre nós mesmos.
A força do Amor!

Paulo Roberto Gaefke

PRESENTE SEM IGUAL...


A vida premia todo mundo todos os dias, com um presente sem igual:
a possibilidade de transformar situações, do sonho para o mundo real.

O bebe que gatinha se esforça e caminha.
A criança se aplica e escreve a primeira letrinha.
A professora se esforça e vê o resultado na turma.
O médico dá o melhor de si e salva vidas, ainda que vire a noite e não durma.

O gari varre com alegria e a rua fica linda.
A cabeleireira usa a tesoura com maestria, os cabelos ganham vida, tudo brilha.

O orador se inflama, fala, convence, apaixona.
O cozinheiro coloca amor nos temperos, a comida espalha “perfume-convite” pelo ar, o amor pelo que se faz, impressiona.

Dedicação, amor, carinho, gosto pelo que faz, são as molas que impulsionam a vida.
A faxineira esforçada é a mais requisitada, a costureira caprichosa tem gente na fila, o bar dos amigos, vive lotado.
A comunidade unida, transforma favela em vila.

E assim, vivendo a plenitude da alegria, a vida traz o seu presente, o dia.
O dia se abre em oportunidades para os que já aprenderam:
não é tempo de lamentação inútil, é tempo de construir um novo tempo, então é hora de ser útil.

Acreditando na mobilização dos anjos, na conjunção dos planetas, na certeza plena de que Deus existe, rege tudo, o mar, o céu e os cometas.
Tudo fez grandiosamente, porque nos ama profundamente.

É tempo de prosperar!
Paulo Roberto Gaefke

PEDAÇOS...


Um pedaço de mim reclama tempo para viver, outro assume a responsabilidade e quer apenas trabalhar.
Um pedaço de mim quer viver um grande amor, e entrega-se sem medidas, o outro tem medo, já sofreu decepções e por ele, nunca mais me apaixonaria.
Um pedaço de mim é brincalhão e vive rindo, outro é triste, tem momentos de puro isolamento.
Um pedaço de mim quer vencer, é pura euforia, Outro quer apenas viver, deixar a vida me levar…
Um pedaço de mim sofre com a dor dos outros, outro quer que eu cuide apenas das minhas dores, que não são poucas, já que vivo
em conflito…
Entre o que eu sou e o que eu gostaria de ser, entre o que tenho e aquilo que gostaria de ter, existe um pedaço de mim que sente-se satisfeito, o outro grita por novidades, por consumo, por gente, por beijos e amores inconstantes.
Nesse turbilhão, acordo todos os dias, tentando unir esses dois lados que coexistem em mim, e que por mais diferentes que sejam,
ainda assim, só querem mesmo, o melhor para mim.
Hoje eu junto o ser e o querer, o que fui e o que desejo ser, para cumprimentar a vida, abraçar meus sonhos e pedir passagem
simplesmente para ser feliz.

Paulo Roberto Gaefke

AS FORMIGAS, UMA LIÇÃO...


Observando algumas formigas no jardim aqui de casa, percebi que todas seguiam uma mesma rota carregando folhas maiores que elas mesmas, mas, seguiam firme em direção ao formigueiro, que descobri, estar poucos passos adiante, o que para elas deveria representar uma grande viagem.

De repente percebo que uma delas está com uma folha exageradamente grande nas costas, deveria ser pelo menos vinte vezes maior que ela, e seu esforço era notado a distância. Fiquei ali imaginando o orgulho dessa formiga presunçosa, carregando aquela folha gigantesca e como ela deveria estar ansiosa em mostrar a formiga rainha como ela era forte, como ela era capaz, quem sabe até ganharia uma promoção.???

Enquanto a fila de formigas seguia em direção ao formigueiro, essa formiga girava em volta de si mesma, sem conseguir sair do lugar, seu esforço era tão grande que mal avançava um passo, voltava dois para trás, estava tão cega, tao entretida na sua luta de carregar aquele mundão nas costas que nem percebeu que todas as formigas largaram as folhas para escapar do pé de um menino que vinha correndo atrás de uma bola. As formigas escaparam por pouco, mas nossa amiguinha não teve a mesma sorte, morreu esmagada, agarrada a sua folha gigante.

Assim como a formiga, nós seres humanos inteligentes e sensíveis, vez em quando queremos carregar mais coisas em nossas costas que podemos suportar, os problemas dos outros, as dores do mundo e a ganância de querer sempre mais, de ser mais e melhor e quando acordamos para a realidade estamos esmagados pelo peso de nossa insensatez.
Cuide mais de você, o dia passa, as pessoas passam, o tempo passa, mas você fica, você será a sua eterna companhia, todos podem até fugir de você, mas você não pode fugir desse encontro com você mesmo, com a sua paz interior, com a sua felicidade.
Por amor a você, carregue apenas a sua mala, e de preferência, o mais vazia possível!

Paulo Roberto Gaefke

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

PEQUENO TRATADO SOBRE A MORTALIDADE DO AMOR...


Todos os dias morre um amor.
Quase nunca percebemos, mas todos os dias morre um amor. Às vezes de forma lenta e gradativa, quase indolor, após anos e anos de rotina. Às vezes melodramaticamente, como nas piores novelas mexicanas, com direito a bate-bocas vexaminosos, capazes de acordar o mais surdo dos vizinhos.
Morre em uma cama de motel ou em frente à televisão de domingo.
Morre sem beijo antes de dormir, sem mãos dadas, sem olhares compreensivos, com gosto de lágrima nos lábios. Morre depois de telefonemas cada vez mais espaçados, cartas cada vez mais concisas, beijos que esfriam aos poucos. Morre da mais completa e letal inanição.
Todos os dias morre um amor.

Às vezes com uma explosão, quase sempre com um suspiro.
Todos os dias morre um amor, embora nós, românticos mais na teoria do que na prática, relutemos em admitir. Porque nada é mais dolorido do que a constatação de um fracasso. De saber que, mais uma vez, um amor morreu. Porque, por mais que não queiramos aprender, a vida sempre nos ensina alguma coisa.

E esta é a lição: amores morrem.
Todos os dias um amor é assassinado.
Com a adaga do tédio, a cicuta da indiferença, a forca do escárnio, a metralhadora da traição.
A sacola de presentes devolvidos, os ponteiros tiquetaqueando no relógio, o silêncio ensurdecedor depois de uma discussão: todo crime deixa evidências.
Todos nós fomos assassinos um dia. Há aqueles que, feito Lee Harvey Oswald, se refugiam em salas de cinema vazias. Ou preferem se esconder debaixo da cama, ao lado do bicho-papão.
Outros confessam sua culpa em altos brados, fazendo de pinico os ouvidos de infelizes garçons.
Há aqueles que negam, veementemente, participação no crime, e buscam por novas vítimas em salas de chat ou pistas de danceteria, sem dor ou remorso.
Os mais periculosos aproveitam sua experiência de criminosos para escrever livros de auto-ajuda com nomes paradoxais como "O Amor Inteligente", ou romances açucarados de banca de jornal, do tipo "A Paixão Tem Olhos Azuis", difundindo ao mundo ilusões fatais aos corações sem cicatrizes.
Existem os amores que clamam por um tiro de misericórdia: corcéis feridos.
Existem os amores-zumbis, aqueles que se recusam a admitir que morreram.
São capazes de perdurar anos, mortos-vivos sobre a Terra teimando em resistir à base de camas separadas, beijos burocráticos, sexo sem tesão. Estes não querem ser sacrificados, e, à semelhança dos zumbis hollywoodianos, também se alimentam de cérebros humanos, definhando paulatinamente até se tornarem laranjas chupadas.

Existem os amores-vegetais, aqueles que vivem em permanente estado de letargia, comuns principalmente entre os amantes platônicos que recordarão até o fim de seus dias o sorriso daquela ruivinha da 4a. série, ou entre fãs que até hoje suspiram em frente a um pôster do Elvis Presley (e, pior, da fase havaiana). Mas titubeio em dizer que isso possa ser classificado como amor (Bah, isso não é amor. Amor vivido só do pescoço pra cima não é amor).

Existem, por fim, os amores-fênix.
Aqueles que, apesar da luta diária pela sobrevivência, das contas a pagar, da paixão que escasseia com o decorrer dos anos, da TV ligada na mesa-redonda ao final do domingo, das calcinhas penduradas no chuveiro e das brigas que não levam a nada, ressuscitam das cinzas a cada fim de dia e perduram - teimosos, e belos, e cegos, e intensos. Mas estes são raríssimos, e há quem duvide de sua existência.

Alguns os chamam de amores-unicórnio, porque são de uma beleza tão pura e rara que jamais poderiam ter existido, a não ser como lendas. Mas não quero acreditar nisso.

Um dia vou colocar um anúncio, bem espalhafatoso, no jornal.
PROCURA-SE: AMOR-FÊNIX
(ofereço generosa recompensa)

Alexandre Inagaki

sábado, 16 de janeiro de 2010

A IMPORTÂNCIA DA AMIZADE...


Um dia, durante uma conversa entre advogados, me fizeram uma pergunta:

- O que de mais importante você já fez na sua vida?

A resposta me veio a mente na hora, mas não foi a que respondi pois as circunstâncias não eram apropriadas.
No papel de advogado da indústria do espetáculo, sabia que os assistentes queriam escutar anedotas sobre meu trabalho com as celebridades. Mas aqui vai a verdadeira, que surgiu das profundezas das minhas recordações:

O mais importante que já fiz na minha vida, ocorreu em 08 de outubro de 1990. Comecei o dia jogando golfe com um ex-colega e amigo meu que há muito não o via. Entre uma jogada e outra, conversávamos a respeito do que acontecia na vida de cada um. Ele me contava que sua esposa e ele acabavam de ter um bebê. Enquanto jogávamos chegou o pai do meu amigo que, consternado, lhe diz que seu bebê parou de respirar e que foi levado para o hospital com urgência.

No mesmo instante, meu amigo subiu no carro de seu pai e se foi. Por um momento fiquei onde estava, sem pensar nem mover-me, mas logo tratei de pensar no que deveria fazer:

- Seguir meu amigo ao hospital ? Minha presença, disse a mim mesmo, não serviria de nada pois a criança certamente está sob cuidados de médicos, enfermeiras, e nada havia que eu pudesse fazer para mudar a situação.

- Oferecer meu apoio moral? Talvez, mas tanto ele quanto sua esposa
vinham de famílias numerosas e sem dúvida estariam rodeados de amigos e familiares que lhes ofereceriam apoio e conforto necessários, acontecesse o que acontecesse. A única coisa que eu faria indo até lá, era atrapalhar.

Decidi que mais tarde iria ver o meu amigo. Quando dei a partida no meu carro, percebi que o meu amigo havia deixado o seu carro aberto com as chaves na ignição, estacionado junto as quadras de tênis. Decidi, então, fechar o carro e ir até o hospital entregar-lhe as chaves.

Como imaginei, a sala de espera estava repleta de familiares que os consolavam. Entrei sem fazer ruído e fiquei junto a porta pensando o que deveria fazer. Não demorou muito e surgiu um médico que aproximou-se do casal e em voz baixa, comunica o falecimento do bebê.

Durante os instantes que ficaram abraçados, a mim pareceu uma eternidade, choravam enquanto todos os demais ficaram ao redor daquele silêncio de dor. O médico lhes perguntou se desejariam ficar alguns instantes com a criança. Meus amigos ficaram de pé e caminharam resignadamente até a porta.

Ao ver-me ali, aquela mãe me abraçou e começou a chorar. Também meu amigo se refugiou em meus braços e me disse:

- Muito obrigado por estar aqui !

Durante o resto da manhã fiquei sentado na sala de emergências do hospital, vendo meu amigo e sua esposa segurar nos braços seu bebê, despedindo-se dele. Isso foi o mais importante que já fiz na minha vida.

Aquela experiência me deixou três lições:

Primeira: o mais importante que fiz na vida, ocorreu quando não havia absolutamente nada, nada que eu pudesse fazer. Nada daquilo que aprendi na universidade, nem nos anos em que exercia a minha profissão, nem todo o racional que utilizei para analisar a situação e decidir o que eu deveria fazer, me serviu para naquelas circunstâncias: duas pessoas receberam uma desgraça e nada eu poderia fazer para remediar. A única coisa que poderia fazer era esperar e acompanhá-los. Isto era o principal.

Segunda: estou convencido que o mais importante que já fiz na minha vida esteve a ponto de não ocorrer, devido as coisas que aprendi na universidade, aos conceitos do racional que aplicava na minha vida pessoal assim como faço na profissional. Ao aprender a pensar, quase me esqueci de sentir. Hoje, não tenho dúvida alguma que devia ter subido naquele carro sem vacilar e acompanhar meu amigo ao hospital.

Terceira: aprendi que a vida pode mudar em um instante.

Intelectualmente todos nós sabemos disso, mas acreditamos que os infortúnios acontecem com os outros. Assim fazemos nossos planos e imaginamos nosso futuro como algo tão real como se não houvesse espaços para outras ocorrências. Mas ao acordarmos de manhã, esquecemos que perder o emprego, sofrer uma doença, ou cruzar com um motorista embriagado e outras mil coisas, podem alterar este futuro em um piscar de olhos. Para alguns é necessário viver uma tragédia para recolocar as coisas em perspectiva.

Desde aquele dia busquei um equilíbrio entre o trabalho e a minha vida.

Aprendi que nenhum emprego, por mais gratificante que seja, compensa perder férias, romper um casamento ou passar um dia festivo longe da família.

E aprendi, que o mais importante da vida não é ganhar dinheiro, nem ascender socialmente, nem receber honras.

O mais importante da vida é ter tempo para cultivar uma amizade.

ALGUMAS MANEIRAS DE FAZER ALGUÉM FELIZ...


Dê um beijo.
Um abraço.
Um passo em sua direção.
Aproxime-se sem cerimônia.
Dê um pouco de calor, do seu sentimento.
Sente-se perto e fique por algum tempo.
Não conte o tempo de se doar.
Liberte um imenso sorriso.
Rasgue o preconceito
Olhe nos olhos.
Aponte um defeito, com jeito.
Respeite uma lágrima.
Ouça uma história ou muitas, com atenção.
Escreva uma carta e mande.
Irradie simplicidade, simpatia, energia.
Num toque de três dedos, observe as “coincidências”.
Não espere ser solicitado, preste um favor.
Lembre-se de um caso.
Converse sério ou fiado.
Conte uma piada.
Ache graça.
Ajude a resolver um problema.
Pergunte: Por quê? Como vai?
Como tem passado?
Que tem feito de bom?
Que há de novo? E preste atenção.
Sugira um passeio, um bom livro, um bom filme.
Diga de vez em quando, desculpe, muito obrigado,
Não tem importância, que há de se fazer, dá-se um jeito.
Tente de alguma maneira ...

E não se espante se a pessoa mais feliz for você!!!

APRENDI QUE SE PODE APRENDER...


Aprendi que quando se está apaixonado.... dá pra notar!
Aprendi que quando uma pessoa me diz...
"Você alegrou meu dia", isso alegra minha vida.
Que ser criança é mais importante que deixar de ser.
Que nunca deves rejeitar um presente de uma criança.
Que sempre posso orar por alguém quando não tenha outro modo de ajudá-lo.
Que não importa o quanto a vida exige que sejas sério.
Todos nós necessitamos um amigo com quem possamos dar gargalhadas.
Que algumas vezes, tudo o que uma pessoa necessita é uma mão para segurar e um coração para entender.
Que a vida é como uma espiral: quanto mais se aproxima do final, mais rápido caminha.
Que o dinheiro não compra "classe ".
Que essas pequenas coisas que acontecem diariamente, são as coisas que fazem a vida espetacular.
Que debaixo do duro aspecto das pessoas, ha alguém que quer ser apreciado e amado.
Que Deus não fez tudo num só dia, então, o que me faz pensar que eu posso?
Que ignorar os fatos... não os muda.
Que é o amor, e não o tempo, que cura todas as feridas.
Que cada pessoa que conheces merece ser presenteada com um sorriso.
Aprendi que ninguém é perfeito... até que te apaixonas por alguém.
Aprendi que as oportunidades nunca se perdem, que devemos aproveitá-las.
Aprendi que as pessoas devem dizer palavras suaves e ternas, porque no futuro poderão ter que engolí-las.
Que um sorriso, é a maneira mais barata de ficar muito mais bonito.
Aprendi que se pode aprender... Ensina-me.
Aprendi de você o que é ser querido.

OBRIGADO(A) POR TUA AMIZADE.

AMOR E LOUCURA...


Contam que uma vez se reuniram todos os sentimentos e qualidades do homem em um lugar da terra.

Quando o ABORRECIMENTO havia reclamado pela terceira vez, a LOUCURA, como sempre tão louca, lhes propôs:
-Vamos brincar de esconde-esconde?
A INTRIGA levantou a sobrancelha intrigada e a CURIOSIDADE sem poder conter-se perguntou:
-Esconde-esconde? Como é isso?
-É um jogo, explicou a LOUCURA, em que eu fecho os olhos e começo a contar de um a um milhão enquanto vocês se escondem, e quando eu tiver terminado de contar, o primeiro de vocês que eu encontrar ocupará o meu lugar para continuar o jogo.
O ENTUSIASMO dançou seguido pela EUFORIA.
A ALEGRIA deu tantos saltos que acabou pôr convencer a DÚVIDA e até mesmo a APATIA que nunca se interessavam pôr nada. Mas nem todos quiseram participar.
A VERDADE preferiu não esconder-se. "Para que, se no final todos me encontram?"
A SOBERBA opinou que era um jogo muito tonto (no fundo o que a incomodava era que a idéia não tivesse sido dela).
A COVARDIA preferiu não arriscar-se.
-Um, dois, três, quatro... –Começou a contar a
LOUCURA.
A primeira a esconder-se foi a PRESSA, que como sempre caiu atrás da primeira pedra do caminho.
A subiu aos céu e a INVEJA se escondeu atrás da sombra do TRIUNFO, que com seu próprio esforço tinha conseguido subir na copa da árvore mais alta.
A GENEROSIDADE quase não consegue esconder-se, pois cada local que encontrava, lhe parecia maravilhoso para algum de seus amigos. Se era um lago cristalino, ideal para a BELEZA. Se era a copa de uma árvore, perfeito para a TIMIDEZ. Se era o vôo de uma borboleta, o melhor para a VOLÚPIA. Se era uma rajada de vento, magnífico para a LIBERDADE.
E assim acabou escondendo-se em um raio de sol.
O EGOÍSMO ao contrário, encontrou um, local muito bom desde o início. Ventilado, cômodo, mas apenas para ele.
A MENTIRA escondeu-se no fundo do oceano (mentira, escondeu-se atrás do arco-íris). E a PAIXÃO e o DESEJO no centro dos vulcões.
O ESQUECIMENTO, não recordo-me aonde escondeu-se, mas isso não é o mais importante.
Quando a LOUCURA já estava lá pelo 999.999, o AMOR ainda não havia encontrado um local para esconder-se, pois todos já estavam ocupados, até que encontrou uma roseira e, carinhosamente, decidiu esconder-se entre suas flores.
A primeira a aparecer foi a PRESSA, apenas a três passos de uma pedra.
Depois escutou-se a discutindo com Deus, no céu, sobre zoologia.
Sentiu-se vibrar a PAIXÃO e o DESEJO nos vulcões.
Em um descuido, a LOUCURA encontrou a inveja e claro, pôde deduzir onde estava o TRIUNFO. O EGOÍSMO, não teve nem que procurá-lo: ele sozinho saiu disparado do seu esconderijo, que na verdade era um ninho de vespas.
De tanto caminhar a LOUCURA sentiu sede e ao aproximar-se de um lago, descobriu a BELEZA. A DÚVIDA foi mais fácil ainda, pois a encontrou sentada sobre uma cerca sem decidir de que lado esconder-se.
E assim foi encontrando a todos. O TALENTO entre a erva fresca, a ANGÚSTIA em uma cova escura, a MENTIRA atrás do arca-íris (mentira, na verdade estava no fundo do oceano) e até o ESQUECIMENTO, que já havia esquecido que estava brincando de esconde-esconde.
Apenas o Amor não aparecia em nenhum local.
A LOUCURA procurou atrás de cada árvore, embaixo de cada rocha do planeta e em cima das montanhas. Quando estava a ponto de dar-se pôr vencida, encontrou um roseiral.
Pegou uma forquilha e começou a mover os ramos, quando, no mesmo instante, escutou um doloroso grito. Os espinhos tinham ferido o AMOR nos olhos.
A LOUCURA não sabia o que fazer para desculpar-se.
Chorou, rezou, implorou, pediu perdão e até prometeu ser seu guia.

Desde então, desde que pela primeira vez se brincou de esconde-esconde na terra, o AMOR é cego e a LOUCURA sempre o acompanha.
Desconheço a autoria...

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

PORQUE USAR A ALIANÇA NO DEDO ANELAR?

DOM DAS CRIANÇAS...


Hoje faço coisas como adulto que adoraria poder fazer quando era criança. Como por exemplo, quebrar nozes com a palma da mão na pia. Quando pequeno, dependia de um martelo e minha mãe ficava de olho com medo de algum acidente, e quando conseguia quebrar a noz, ela esmigalhava...
Mas, é justamente da infância, que trago um sentimento que hoje, como adulto, já não posso praticar com a mesma simplicidade de antigamente. É um dom que acompanha as crianças, é o "dom da reconciliação".

Lembro-me que nas disputas de bola ou em qualquer outra brincadeira na rua, às vezes, um amiguinho discutia com o outro, e por vezes, até saia nos murros "tolos" da raiva infantil. Na mesma tarde, ou no máximo no dia seguinte, lá estávamos todos nós brincando de novo, irmanados em uma alegre diversão, as vezes com bolas furadas, carrinhos feito de latas, e jogos que estimulavam a doce competição que as crianças sabem entender como ninguém...

Hoje eu sei, que o dom da reconciliação das crianças, passa pela inocência do perdão, que é o esquecimento completo daquilo que gerou a desavença, coisa que os adultos não conseguem fazer.
Passamos dias ruminando na memória a cena que "insultou o nosso orgulho" e queremos revanche. Arquitetamos planos de vingança, não como nos planos do "Cebolinha", mas com perversidade, como pais que se separaram e infernizam a vida dos filhos falando mal da pessoa que deixou de ser marido/esposa, mas não deixou de ser pai/mãe.

Por isso, a alma de todo mundo carrega um vazio, um gosto estranho de que está faltando um sabor na vida. Por mais que o homem cresça em mestrados, mba's, tecnologias de ponta e outras formas de evolução, fica o sentimento de que ainda temos muito o que aprender.

Se quer refletir sobre a inocência perdida, ou se não acredita que "algo de bom ficou para trás", deixa esta palavra de Jesus te relembrar algo esquecido:
"Então lhe apresentaram uns meninos para que os tocasse; mas os discípulos ameaçavam os que lho apresentavam. O que, vendo Jesus, indignou-se e disse-lhes:
Deixai vir a mim os pequeninos, e não os embaraceis, porque o Reino de Deus é daqueles que se lhes assemelham. Em verdade vos digo que todo aquele que não receber o Reino de Deus como uma criança, não entrará nele. E abraçando-os, e pondo as mãos sobre eles, os abençoava.
(Marcos, X: 13-16).

Que Jesus possa te abraçar e abençoar a sua vida. Derramando bençãos de serenidade, paz, doçura e reconhecimento da alma infantil que habita em você.
Muita paz
Paulo Roberto Gaefke

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

QUINDINS NA PORTARIA...


Estava lendo o novo livro do Paulo Hecker Filho, Fidelidades, onde, numa de suas prosas poéticas, ele conta que, antigamente, deixava bilhetes, livros e quindins na portaria do prédio de Mário Quintana: "Para estar ao lado sem pesar com a presença". Há outras histórias e poemas interessantes no livro, mas me detive nesta frase porque não pesar aos outros com nossa presença é um raro estalo de sensibilidade.

Para a maioria das pessoas, isso que chamo de um raro estalo de sensibilidade tem outro nome: frescura.

Afinal, todo mundo gosta de carinho, todo mundo quer ser visitado, ninguém pesa com sua presença num mundo já tão individualista e solitário.
Ah, pesa. Até mesmo uma relação íntima exige certos cuidados.

Eu bato na porta antes de entrar no quarto das minhas filhas e na de meu próprio quarto, se sei que está ocupado.
Eu pergunto para minha mãe se ela está livre antes de prosseguir com uma conversa por telefone.
Eu não faço visitas inesperadas a ninguém, a não ser em caso de urgência, mas até minhas urgências tive a sorte de que fossem delicadas.
Pessoas não ficam sentadas em seus sofás aguardando a chegada do Messias, o que dirá a do vizinho.
Pessoas estão jantando.
Pessoas estão preocupadas.
Pessoas estão com o seu blusão preferido, aquele meio sujo e rasgado, que elas só usam quando ninguém está vendo.
Pessoas estão chorando.
Pessoas estão assistindo a seu programa de tevê favorito.
Pessoas estão se amando.
Avise que está a caminho. Frescura, jura? Então tá, frescura, que seja.
Adoro e-mails justamente porque são sempre bem-vindos, e posso retribuí-los, sabendo que nada interromperei do lado de lá.
Sem falar que encurtam o caminho para a intimidade.
Dizemos pelo computador coisas que, face a face, seriam mais trabalhosas.
Por não ser ao vivo, perde o caráter afetivo?
Nem se discute que o encontro é sagrado.
Mas é possível estar ao lado de quem a gente gosta por outros meios.
Quando leio um livro indicado por uma amiga, fico mais próxima dela.
Quando mando flores, vou junto com o cartão.
Já visitei um pequeno lugarejo só para sentir o impacto que uma pessoa querida havia sentido, anos antes. Também é estar junto.
Sendo assim, bilhetes, e-mails, livros e quindins na portaria não é distância: é só um outro tipo de abraço.

Martha Medeiros

TODO DIA EXISTE DEUS...


Um dia me perguntaram se eu acreditava em Deus.
Eu então lhes respondi da maneira como eu pensava.
Entre a lua e as estrelas num galope, num tropel,
Pisando nas nuvens brancas eu vi Deus passar no Céu.

Todo dia existe Deus...
No sorriso da criança, no canto dos passarinhos,
No olhar, na esperança...

Todo dia existe Deus...
Na harmonia das cores, na natureza esquecida,
Na fresca aragem da brisa, na própria essência da vida...

Todo dia existe Deus...
No regato cristalino, pequeno servo do mar,
Nas ondas lavando as praias, na clara luz do luar...

Todo dia existe Deus...
Na escuridão do infinito, todo ponteado de estrelas,
Na amplidão do universo, no simples prazer de vê-las...

Todo dia existe Deus...
Nos segredos desta vida, no germinar da semente,
Nos movimentos da Terra, que gira incessantemente...

Todo dia existe Deus...
No orvalho sobre a relva, na natureza que encanta,
No cheiro que vem da terra, e no sol que se levanta...

Todo dia existe Deus...
Nas flores que desabrocham perfumando a atmosfera,
Nas folhas novas que brotam anunciando a primavera...

Deus é capaz, Deus é paz,
Deus é a esperança, é o alento do aflito,
O Criador do Universo, da luz, do ar, da aliança...

Deus é a justiça perfeita, que emana do coração.
Ao perdoar quem ofende, Ele é o próprio perdão...

Será que você não viu ainda o rosto de Deus
No colorido mais belo dos olhos dos filhos seus?

Deus é constante e perene, é Divino, de tal sorte
Que sendo a essência da vida é o descanso na morte...

Não há vida sem a volta e não há volta sem vida.
A morte não é a morte, é só a porta da vida...

Todo dia existe Deus...
No ciclo da natureza, neste ir e vir constante,
No broto que se renova, na vida que segue adiante,
Em quem semeia bondade, em quem ajuda o irmão
Colhendo felicidade, cumprindo a sua missão...

Todo dia existe Deus...
No suor de quem trabalha, no calo duro das mãos,
No homem que planta o trigo, no trigo que faz o pão,
Você pode sentir Deus dentro do seu coração...

Rita Pando
Direitos reservados à Paróquia Santa Catarina - Vila Santa Catarina - São Paulo - SP

NÃO TE AMO MAIS...


"Não te amo mais.
Estarei mentindo dizendo que
Ainda te quero como sempre quis.
Tenho certeza que
Nada foi em vão.
Sinto dentro de mim que
Você não significa nada.
Não poderia dizer jamais que
Alimento um grande amor.
Sinto cada vez mais que
JÁ TE ESQUECI!
E jamais usarei a frase:
EU TE AMO!
Sinto, mas tenho que dizer a verdade:
É tarde demais..."

Leiam este texto de cima para baixo e depois de baixo para cima.
Isto é que é competência em se expressar.
As mesmas palavras com sentidos tão distintos.

Obs.: Não é de Clarice Lispector

A INTIMIDADE PRECISA SER BEM CUIDADA...


Os tempos mudaram, é verdade, mas a idéia de um casal (jovem ou velho), com compromisso sério ou nem tanto, ser displicente com aparência na
intimidade é muito triste.
De modo geral, tanto homens como mulheres, no início de seus relacionamentos, costumam dar "aquela caprichada" no visual.
Eles não poupam esforços para ficar mais atraentes. Nessas horas vale tudo:
roupas íntimas novinhas, depilação em dia, perfume, sabonete cheiroso.
É o momento do investimento.
As mulheres não fogem a regra, até as que podemos definir como "mais desencanadas" querem no fundo sentir-se atraentes.
Batom, rímel, lingerie ousada, sapatos de salto, perfumes, qualquer coisa é útil quando se está interessada em alguém.
O gostoso disso é que somos todos iguais. Afinal, a preocupação com a estética faz parte do jogo da sedução.
Com o tempo, à medida que aumenta a intimidade, a relação vai perdendo a cerimônia e diminui a preocupação do casal com a estética.
O difícil é entender que se isso faz parte da vida para que tanta propaganda, métodos e produtos para melhorar a aparência? Será que é só para dar conta
dos "sem-compromisso"?
Pouco provável. A intimidade que traz conforto para o espírito, sentimento de proteção e mais um monte de coisas boas para o relacionamento, pode também ser a grande vilã em muitos relacionamentos.
A maioria das mulheres quando deixa uma relação estável precisa refazer sua gaveta de roupas íntimas. Em geral, só tem peças gastas e sem charme.
Com os homens é a mesma coisa. Será que é preciso esperar uma separação para que eles começam a dar importância para aparência, comprar roupas novas e entrar em dieta?
Apesar de estranho, a intimidade faz os casais perderem o pudor, até que passam a ficar em casa de qualquer jeito. Aceitar que isso acontece passa a significar uma prova de amor, mas não é.
De alguma forma, os casais se esquecem do que faziam antes para agradar o companheiro. Esquecem dos banhos intermináveis, de escovar os dentes toda hora para ficar com o hálito fresquinho e de andar sempre cheiroso.
Quem acha que pensar nisso é bobagem pode acabar levando um grande susto. Com medo de ofender, nem sempre o parceiro fala o que pensa.
Aí um dia, sem mais nem menos, recebe um comunicado: "Fui".
Para quem acha que vale a pena mudar o final do filme é bom estar sempre pronto para uma alteração de roteiro. Para isso, seguem algumas dicas:
• Relação nenhuma sobrevive a bafo de onça, chulé, cecê e outras coisitas mais: A higiene pessoal tem que estar sempre em dia. Vale a pena gastar com sabonete, desodorante, pasta de dente e etc. Afinal, nesse roteiro, nada tem hora para acontecer.
• Roupas íntimas sempre em dia. Alças, calcinhas ou cuecas: largas, manchadas, encardidas, judiadas ou sem combinar devem ser jogadas no lixo. Só para lembrar, dizem as más línguas que os homens detestam lingerie bege.
• Se trocar de roupa para ficar em casa: Não vista a mais velha, furada ou super larga! Coloque uma confortável, mas que lhe caia bem. Imagine que um ex ou uma ex-namorada pode a qualquer momento tocar a campainha.
A última coisa que qualquer um ia querer ouvir é: "Nossa, ainda bem que não deu certo".
• Preserve a sua intimidade: Usar o banheiro os dois ao mesmo tempo só se for para tomar banho junto ou passar creme no corpo, para as outras coisas o melhor é fechar a porta.
• Quem usa camiseta ou pijama para dormir cuidado, com o tempo o que era uma graça fica um terror: Mulheres com mais de 30 anos de pijama com motivo infantil ou homem com o pijamão xadrez não estão livres de receber um PT (Perda Total) do companheiro. Não precisa cair no sexy, as lojas estão cheias de pijamas confortáveis e modernos.
De resto, é sempre bom lembrar: Para que dure, uma relação precisa além do amor e respeito de uma boa pitada de sal. Use bem a intimidade e divirta-se!

Lícia Egger Moellwald
consultora na área de Treinamento Corporativo e doutoranda em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP.
Ocorreu um erro neste gadget