Páginas

terça-feira, 30 de setembro de 2008

CASAMENTO, FRESCOBOL E TÊNIS...


Depois de muito meditar sobre o assunto concluí que, os casamentos (relacionamentos) são de dois tipos: Há os casamentos do tipo jogo de tênis e há os casamentos do tipo jogo de frescobol.

Os casamentos do tipo tênis são uma fonte de raiva e ressentimentos e terminam sempre mal. Os casamentos do tipo frescobol são uma fonte de alegria e têm a chance de ter
vida longa. Explico-me:
Para começar, uma afirmação de Nietzsche, com a qual concordo inteiramente. Dizia ele: "Ao pensar sobre a possibilidade do casamento cada um deveria se fazer a seguinte pergunta: Você crê que seria, capaz de conversar com prazer com esta pessoa até sua velhice?" Tudo o mais no casamento é transitório, mas as relações que desafiam o tempo são aquelas construídas sobre a arte de conversar.
Xerazade sabia disso. Sabia que os casamentos baseados nos prazeres da cama são sempre decapitados pela manhã, terminam em separação, pois os prazeres do sexo se esgotam rapidamente, terminam na morte, como no filme "O Império dos Sentidos". Por isso, quando o sexo já estava morto na cama, e o amor não mais se podia dizer através dele, ela o ressuscitava pela magia da palavra: começava uma longa conversa sem fim, que deveriam durar mil e uma noites.
O sultão se calava e escutava as suas palavras como se fosse música. A música dos sons ou da palavra - é a sexualidade sob a forma da eternidade: é o amor que ressuscita sempre, depois de morrer.
Há os carinhos que se fazem com o corpo e há os carinhos que se fazem com as palavras. E contrariamente ao que pensam os amantes inexperientes, fazer carinho com as palavras não é ficar repetindo o tempo todo: "Eu te amo..."
Barthes advertia: "Passada a primeira confissão, eu te amo não quer dizer mais nada". "É na conversa que o nosso verdadeiro corpo se mostra, não em sua nudez anatômica, mas em sua nudez poética". Recordo a sabedoria de Adélia Prado: "Erótica é a alma".
O tênis é um jogo feroz. O seu objetivo é derrotar o adversário. E a sua derrota se revela no seu erro: o outro foi incapaz de devolver a bola. Joga-se tênis para fazer o outro errar. O bom jogador é aquele que tem a exata noção do ponto fraco do seu adversário, e é justamente para aí que ele vai dirigir sua "cortada", palavra muito sugestiva, que indica o seu objetivo sádico, que é o de cortar, interromper, derrotar.
O prazer do tênis se encontra, portanto, justamente no momento em que o jogo não pode mais continuar porque o adversário foi colocado fora de jogo. Termina sempre com a
alegria de um e a tristeza de outro.
O frescobol se parece muito com o tênis: dois jogadores, duas raquetes e uma bola. Só que, para o jogo ser bom, é preciso que nenhum dos dois perca. Se a bola veio meio
torta, a gente sabe que não foi de propósito e faz o maior esforço do mundo para devolvê-la gostosa, no lugar certo, para que o outro possa pegá-la.
Não existe adversário porque não há ninguém a ser derrotado. Aqui ou os dois ganham ou ninguém ganha. E ninguém fica feliz quando o outro erra, pois, o que se deseja é que ninguém erre. E o que errou pede desculpas, e o que provocou o erro se sente culpado. Mas não tem importância: começa-se de novo este delicioso jogo em que ninguém marca pontos...
A bola: são nossas fantasias, irrealidades, sonhos sob a forma de palavras. Conversar é ficar batendo sonho prá lá, sonho prá cá... Mas há casais que jogam com os sonhos como se jogassem tênis. Ficam à espera do momento certo para a cortada. Tênis é assim: recebe-se o sonho do outro para destruí-lo, arrebentá-lo, como bolha de sabão... O que se busca é ter razão e o que se ganha é o distanciamento. Aqui, quem ganha sempre perde.
Já no frescobol é diferente: o sonho do outro é um brinquedo que deve ser preservado, pois se sabe que, se é sonho, é coisa delicada, do coração.
O bom ouvinte é aquele que, ao falar, abre espaços para que as bolhas de sabão do outro voem livres. Bola vai, bola vem - cresce o amor...
Ninguém ganha para que os dois ganhem. E se deseja então que o outro viva sempre, eternamente, para que o jogo nunca tenha fim.

Rubem Alves é educador, escritor, psicanalista e professor emérito da Unicamp.

"Os limites são físicos... As limitações são mentais"


ALMAS PERDIDAS...


Conheço cada um dos seus gestos os que se perdem no espaço dos minutos e os que ficam gravados na minha memória, os que escrevem a nossa história...
E assim, caminhamos, vencendo os dias, escrevendo um tempo de novidades, acrescentando capítulos a nossa história e sem perceber, escrevemos um romance, "eu e você, você e eu."
Assim, o tempo traz o amadurecimento que nos transforma, sem olharmos no espelho da saudade, encaramos a realidade dos dias, e nos fazemos mais fortes diante dos contratempos, e nos esquecemos das brigas sem sentido, e nos prendemos ao que realmente importa, e o que realmente importa é calmo, é sereno, é como um velho vinho adormecido, desperto pelo abrir da rolha ressequida, safra inebriante, deliciosa, única.
Somos então, almas perdidas que se encontraram, presos na teia do amor, que quanto mais antigo, mais novo, mais rejuvenescidos pelas experiências, por que somos eternos na forma de amar.
"eu e você, você e eu." para sempre, ainda que a eternidade seja um breve espaço no tempo, nós escrevemos a nossa vida num único caderno.
Paulo Roberto Gaefke

AINDA HOJE...


Ainda hoje, um novo vento poderá trazer a chuva, e a semente que foi lançada tempos atrás, se espreme e se lança ao sol, trazendo a muda tão esperada, amanhã será fruto...
Ainda hoje o telefone poderá tocar, e uma empresa te convidar para um novo emprego, um daqueles "currículos" que você espalhou, brotou e o que era desemprego, amanhã será um recomeço...
Ainda hoje entregarão o vestido da noiva, depois de anos de namoro, de lutas e desafios, de bons e maus momentos e até algumas brigas, o que era apenas um casal de namorados, amanhã será a base de uma família...
Ainda hoje o seu bilhete pode estar premiado, depois de anos e anos comprando o mesmo número, sonhando, desacreditando, se revoltando, mas sem desistir uma única vez, o que era utopia, amanhã será realidade.
Onde você estiver, na situação que for, não deixe de plantar boas sementes, de cultivar bons pensamentos, de sonhar os melhores sonhos, de se ver como gostaria de estar, e cada dificuldade, acredite, é apenas o adubo, a chuva que molha a semente dos seus desejos, e ainda hoje, o Pai que tudo vê, poderá te enviar, anjos da realização, e o que era apenas desejo, amanhã será aquilo que os homens sem entenderem, costumam chamar de milagre, Deus chama
simplesmente de "frutos da perseverança".
Não desista dos seus sonhos!
Paulo Roberto Gaefke

sábado, 27 de setembro de 2008

LIMITES...


Somos as primeiras gerações de pais decididos a não repetir com os filhos os erros de nossos progenitores.
E com o esforço de abolir os abusos do passado, somos os pais mais dedicados e compreensivos, mas, por outro lado, os mais bobos e inseguros que já houve na História.
A constatação trazida pelo artigo que circula pela Internet é deveras interessante, e vale a pena ser estudada.
O texto continua, dizendo que Parece que, em nossa tentativa de sermos os pais que queríamos ter, passamos de um extremo ao outro.
Assim, somos a última geração de filhos que obedeceram a seus pais, e a primeira geração de pais que obedecem a seus filhos.
Os últimos que tiveram medo dos pais e os primeiros que temem os filhos.
E o pior: os últimos que respeitaram os pais e os primeiros que aceitam que os filhos lhes faltem com o respeito.
Na medida em que o permissível substituiu o autoritarismo, os termos das relações familiares mudaram de forma radical, para o bem e para o mal.
Com efeito, antes se consideravam bons pais aqueles cujos filhos se comportavam bem, obedeciam a suas ordens e os tratavam com o devido respeito.
E bons filhos, as crianças que eram formais e veneravam seus pais.
Mas, à medida que as fronteiras hierárquicas entre nós e nossos filhos foram se desvanecendo, hoje, os bons pais são aqueles que conseguem que seus filhos os amem, ainda que pouco os respeitem.
E são os filhos que, agora, esperam respeito de seus pais, pretendendo de tal maneira que respeitem as suas idéias, seus gostos, suas preferências e sua forma de agir e viver.
E, além disso, que os patrocinem no que necessitarem para tal fim.
Quer dizer, os papéis se inverteram, e agora são os pais que têm que agradar a seus filhos para ganhá-los e não o inverso, como no passado.
Isto explica o esforço que fazem hoje tantos pais e mães para serem os melhores amigos e dar tudo a seus filhos.
Os filhos precisam perceber que, durante a infância, estamos à frente de suas vidas, como líderes capazes de sujeitá-los quando não os podemos conter, e de guiá-los enquanto não sabem para onde vão.
Se o autoritarismo suplanta, humilha, o permissível sufoca.
Apenas uma atitude firme, respeitosa, lhes permitirá confiar em nossa idoneidade para governar suas vidas enquanto forem menores.
Vamos à frente liderando-os e não atrás, carregando-os, e rendidos à sua vontade.
É assim que evitaremos que as novas gerações se afoguem no descontrole e tédio no qual muitos estão afundando, descuidados.
Os limites abrigam o indivíduo. Com amor ilimitado e profundo respeito.

Allan Kardec, na questão 208 de O livro dos espíritos, pergunta: O Espírito dos pais tem influência sobre o do filho após o nascimento?
Há uma influência muito grande – respondem os Espíritos – como já dissemos, os Espíritos devem contribuir para o progresso uns dos outros.
Pois bem, os Espíritos dos pais têm como missão desenvolver o de seus filhos pela educação. É para eles uma tarefa: se falharem, serão culpados.

Redação do Momento Espírita com base em texto recebido pela internet, atribuído a Mônica Monastério, e no item 208 de O livro dos Espíritos, de Allan Kardec.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

ÚLTIMAS PALAVRAS FAMOSAS...


Ninguém me assistiu na minha primeira defesa; antes,
todos me desampararam. Que isto lhes não seja imputado.
- 2 Timóteo 4:16

Dias antes da sua morte, Gandhi escreveu: "Tudo à minha volta são trevas; estou a orar por luz." Ao contrário, as últimas palavras registadas do evangelista D. L. Moody foram: "Este é o meu triunfo; este é o dia da minha coroação! É glorioso!" Em ambos os casos, as suas ultimas palavras foram importantes expressões das suas perspectivas da vida, da morte, e de tudo o resto.
Além de algumas saudações pessoais, as últimas palavras escritas por Paulo não foram tanto sobre o que ele tinha feito na vida e no ministério mas antes como ele via as pessoas. O que torna isto ainda mais importante é que algumas dessas palavras foram sobre pessoas que o tinham desiludido.
Relativamente a um indivíduo que o tinha prejudicado ao opor-se ao seu ministério, Paulo confiou no Senhor para lidar com ele. E quando considerou os que o tinham abandonado quando ele foi preso, pediu aos outros que lidassem com eles graciosamente: "Ninguém me assistiu na minha primeira defesa, antes todos me desampararam. Que isto lhes não seja imputado." (2 Timóteo 4:16). As suas últimas palavras foram de compaixão e bondade em vez de dureza e de retaliação.
As nossas últimas palavras revelarão a graça de Cristo ou a amargura de um coração ferido? A nossa resposta afectará as palavras que usarmos hoje. - Bill Crowder
QUE PALAVRAS DEIXARÁS COMO LEGADO?
2 Timóteo 4:9-18, Bíblia

NÃO ESPERE QUE ALGUÉM JOGUE A SUA VACA NO PRECIPÍCIO... ATIRI-A ANTES!


Esta parábola é uma das minhas preferidas, pois faz com que pensemos sobre mudança, segurança, risco, potencial… tudo o que faz parte do mundo empreendedor. Já fiquei esperando que as pessoas atirassem minhas vacas no precipício e a frustração do início deu lugar a novas oportunidades. Hoje, não espero que venha alguém para fazer isso por mim, mesmo com um certo medo, já atirei muitas vaquinhas e garanto que foram as melhores coisas que fiz e até penso: “Porque não atirei antes?”
Leia a parábola e assim, você entenderá melhor o que quero dizer.

“Um filósofo passeava por uma floresta com um discípulo, conversando sobre a importância dos encontros inesperados. De acordo com o mestre, tudo que está diante de nós nos oferece uma chance de aprender ou ensinar. Quando cruzavam a porteira de um sítio que, embora muito bem localizado, tinha uma aparência miserável, o discípulo comentou: - O senhor tem razão. Veja este lugar… Acabo de aprender que muita gente está no paraíso, mas não se dá conta disso e continua a viver em condições miseráveis.
- Eu disse aprender e ensinar – retrucou o mestre. Constatar o que acontece não basta; é preciso verificar as causas, pois só entendemos o mundo quando entendemos as causas.
Bateram à porta da casa e foram recebidos pelos moradores: um casal, três filhos, todos com as roupas sujas e rasgadas.
- O senhor está no meio desta floresta, não há nenhum comércio nas redondezas – observou o mestre ao pai de família. Como sobrevivem aqui?
E o homem, calmamente, respondeu.
- Meu amigo, nós temos uma vaquinha que nos dá vários litros de leite todos os dias. Parte desse produto nós vendemos ou trocamos, na cidade vizinha, por outros gêneros de alimentos. Com a outra parte, produzimos queijo, coalhada e manteiga para o nosso consumo. E assim vamos sobrevivendo.
O filósofo agradeceu a informação, contemplou o lugar por um momento e foi embora. No meio do caminho, disse ao discípulo:
- Pegue a vaquinha daquele homem, leve-a ao precipício e jogue-a lá embaixo.
- Mas ela é a única forma de sustento da família! - espantou-se o discípulo.
O filósofo permaneceu calado. Sem alternativa, o rapaz fez o que lhe pedira o mestre, e a vaca morreu na queda. A cena ficou gravada em sua memória.
Muitos anos depois, já um empresário bem-sucedido, o ex-discípulo resolveu voltar ao mesmo lugar, contar tudo à família, pedir perdão e ajudá-los financeiramente.
Ao chegar lá, para sua surpresa, encontrou o local transformado num belíssimo sítio, com árvores floridas, carro na garagem e algumas crianças brincando no jardim. Ficou desesperado, imaginando que a humilde família tivesse precisado vender o sítio para sobreviver. Apertou o passo e foi recebido por um caseiro muito simpático.
- Para onde foi a família que vivia aqui há dez anos?
- Continuam donos do sítio.
Espantado, ele entrou correndo na casa, e o senhor logo o reconheceu. Perguntou como estava o filósofo, mas o rapaz nem respondeu, pois se achava por demais ansioso para saber como o homem conseguira melhorar tanto o sítio e ficar tão bem de vida.
- Bem, nós tínhamos uma vaca, mas ela caiu no precipício e morreu – disse o senhor. Então, para sustentar minha família, tive que plantar ervas e legumes. Como as plantas demoravam a crescer, comecei a cortar madeira para vender. Ao fazer isso, tive que replantar as árvores e precisei comprar mudas. Ao comprar mudas, lembrei-me da roupa dos meus filhos e pensei que talvez pudesse cultivar algodão. Passei um ano difícil, mas quando a colheita chegou eu já estava exportando legumes, algodão e ervas aromáticas.
Nunca havia me dado conta de todo o meu potencial aqui: ainda bem que aquela vaquinha morreu!”
Atirar a vaca pode ser mudar de ramo de negócio, buscar novas oportunidades, mudar de emprego, fechar um negócio, sair da sociedade que há muito você deseja, enfim, mude… faça algo diferente para descobrir suas reais potencialidades.
Mesmo que sua vaca seja bonitinha… talvez esteja na hora de atirá-la!

SEJA O GUARDIÃO DE SUA VIDA...


No mundo dos negócios problemas não faltam, porém o empreendedor não fica preso a eles, vai em busca de soluções. Não fica preso no passado, vai em busca do futuro, por isso, hoje postei a parábola abaixo:

Certo dia, num mosteiro zen-budista, com a morte do guardião foi preciso encontrar um substituto. O grande Mestre convocou então todos os discípulos para determinar quem seria o novo sentinela. O Mestre, com muita tranqüilidade, falou:
- “Assumirá o posto o primeiro monge que resolver o problema que vou apresentar.”
Então, ele colocou uma mesinha magnífica no centro da enorme sala em que estavam reunidos e, em cima dela, pôs um vaso de porcelana muito raro, com uma rosa amarela de extraordinária beleza a enfeitá-lo e disse apenas:
- “Aqui está o problema!” Todos ficaram olhando a cena. O vaso belíssimo, de valor inestimável, com a maravilhosa flor ao centro. O que representaria? O que fazer? Qual o enigma?
Nesse instante, um dos discípulos sacou a espada, olhou o Mestre, os companheiros, dirigiu-se ao centro da sala e … ZAPT … destruiu tudo, com um só golpe. Tão logo o discípulo retornou ao seu lugar, o Mestre disse:
- “Você será o novo Guardião do Castelo.”
Moral da História: Não importa qual o problema. Nem que seja algo lindíssimo. Se for um problema, precisa ser eliminado. Um problema é um problema. Mesmo que se trate de uma mulher sensacional, um homem maravilhoso ou um grande amor que se acabou. Por mais lindo que seja ou, tenha sido, se não existir mais sentido para ele em sua vida, tem que ser suprimido.
Muitas pessoas carregam a vida inteira o peso de coisas que foram importantes no passado, mas que hoje somente ocupam um espaço inútil em seus corações e mentes. Espaço esse indispensável para recriar a vida. Existe um provérbio oriental que diz: “Para você beber vinho numa taça cheia de chá é necessário primeiro jogar o chá fora, para então, beber o vinho.”
Limpe a sua vida, comece pelas gavetas, armários, até chegar às pessoas do passado que não fazem mais sentido estar ocupando espaço em seu coração. O passado serve como lição, como experiência, como referência. Serve para ser relembrado e não revivido. Use as experiências do passado no presente, para construir o seu futuro. Necessariamente nessa ordem!

TUDO NA VIDA TEM SEU PREÇO...


Encontrei essa parábola e acredito estar muito ligada à nossa vida empreendedora.

“Era uma vez um rei, que vivia bastante inquieto e constantemente se questionando onde residia o verdadeiro sentido da vida. Convocou os sábios e súditos do seu reino e deu-lhes a seguinte missão:
- Pesquisem, estudem, leiam, escrevam, sintetizem, no tempo que lhes for necessário, e tragam pra mim qual o verdadeiro sentido da vida de um ser humano.
Sentindo o peso da responsabilidade que o rei lhes havia incumbido, isolaram-se, durante vários anos e, finalmente, retornaram, levando-lhe vários livros. O rei sequer pegou nos livros e disse:
- Certamente, o sentido da vida não pode ser assim, tão complexo. Voltem e tragam algo mais simples, mais objetivo. Desolados, eles saíram da presença do rei e, poucos meses depois, retornaram. Desta feita, trazendo apenas um livro. Mais uma vez, o rei disse que queria algo mais objetivo, direto.
Decepcionados, mais uma vez foram tentar cumprir a missão que o rei lhes havia designado. Uma semana depois, retornaram, todos felizes e entusiasmados, trazendo apenas um pedaço de papel, que estava escrito o seguinte:
NÃO EXISTEM ALMOÇOS GRÁTIS!
O rei disse:
- Finalmente, vocês acertaram! Nada na nossa vida é de graça; tudo tem um preço, um investimento, uma parcela de dedicação e sacrifício. O sentido da vida de um homem, portanto, reside nele buscar e conquistar as suas realizações, os seus objetivos e, com isso, ser motivado, produtivo e feliz.”
Quando decidimos empreender, encontramos muitos obstáculos que precisamos superar porque nossa motivação para a realização é muito maior.
Hoje, conversando com um amigo, ele me disse que muitas pessoas dizem: “Nossa, você tem tão pouco tempo com essa empresa, mas está tão bem!”. Porém, o que as pessoas esquecem que há 10 anos ele vem construindo tudo o que está colhendo hoje e isso exigiu e exige muita dedicação e persistência, pois nada vem fácil, mas traz uma grande satisfação quando se alcança seus sonhos.

VENCEDOR X PERDEDOR...


Encontrei este texto que poderia chamar Empreendedor X Fracassado, pois demonstra exatamente como o empreendedor vive seus dias e enfrenta seus problemas, leia e reflita:

Quando um vencedor comete um erro, diz: “Me desculpe sim, eu me equivoquei”.
Quando um perdedor comete um erro, diz: “Não foi minha culpa”.
Um vencedor trabalha mais duro que o perdedor e tem mais tempo.
Um perdedor está sempre “muito ocupado” para fazer o que é necessário.
Um vencedor enfrenta e supera o problema.
Um perdedor da voltas e nunca consegue resolvê-lo.
Um vencedor se compromete.
Um perdedor faz promessas.
Um vencedor diz: “Eu sou bom, porém não tão bom como eu gostaria de ser”.
Um perdedor diz: “Eu não sou tão ruim como tantos outros”.
Um vencedor escuta, compreende e responde.
Um perdedor somente espera uma oportunidade para falar.
Um vencedor respeita aqueles que são superiores a ele e trata de aprender algo com eles.
Um perdedor resiste àqueles que são superiores a ele e trata de encontrar seus defeitos.
Um vencedor se sente responsável por algo mais do que somente o seu trabalho.
Um perdedor não colabora e sempre diz: “Eu estou fazendo a minha parte”.
Um vencedor diz: “Deve haver melhor forma de fazê-lo…”.
Um perdedor diz: “Esta é a maneira que sempre fizemos.”

PESSOAS QUE NOS DESAFIAM E NOS MANTÊM VIVAS...


Leia esta parábola para fazermos uma análise de como são importantes as pessoas que mantêm nossos neurônios funcionando e nossa energia em alta:

“Havia um sábio reverenciado pelo povo como homem de Deus. Nem um dia se passava sem que uma multidão se postasse à sua porta buscando os conselhos, a cura ou a bênção do santo homem. Cada vez que o sábio falava, as pessoas ouviam atentamente tudo o que ele dizia, bebendo suas palavras.
Entretanto, havia na platéia um sujeito desagradável, que não perdia a oportunidade de contradizer o mestre. Notava as fraquezas do sábio e caçoava de seus defeitos, para a consternação dos discípulos, que começaram a considerá-lo o diabo em vida.
Bem, um dia o “diabo” ficou doente e morreu. Todos suspiraram de alívio. Exteriormente, mantiveram a apropriada aparência solene, mas no coração estavam alegres, pois as palestras inspiradas do mestre não mais seriam interrompidas, nem seu comportamento criticado por aquele herege desrespeitoso.
Por isso as pessoas ficaram surpresas ao ver o mestre mergulhado em genuína tristeza no funeral de seu maior crítico.
Quando, mais tarde, um discípulo perguntou-lhe se lamentava o destino eterno do morto, ele disse:
- Não, não. Por que deveria lamentar nosso amigo que agora está no céu? Era por mim mesmo que eu lamentava. O homem, afinal, era o único amigo que eu tinha. Agora estou cercado de pessoas que me reverenciam. Ele era o único que me desafiava. Com sua partida, temo parar de crescer.”
Muitas vezes, as pessoas reclamam de seus concorrentes, de clientes exigentes, de sócios críticos, porém são essas pessoas que avivam nossas vidas, que nos fazem pensar, movimentar, fazer coisas diferentes, enfim, crescermos e assim, podemos ter a possibilidade de a cada dia nos tornarmos melhores.

A VIDA...


Encontrei nos meus arquivos este texto fabuloso de Henfil e gostaria de compartilhar com vocês, pois a vida empreendedora é cheia de obstáculos, mas são eles que fazem nossa vida ter mais sentido.

Por muito tempo eu pensei que a minha vida fosse se tornar uma vida de verdade.
Mas sempre havia um obstáculo no caminho, algo a ser ultrapassado antes de começar a viver, um trabalho não terminado, uma conta a ser paga.
Aí sim, a vida de verdade começaria.
Por fim, cheguei a conclusão de que esses obstáculos eram a minha vida de verdade.
Essa perspectiva tem me ajudado a ver que não existe um caminho para a felicidade.
A felicidade é o caminho!
Assim, aproveite todos os momentos que você tem. E aproveite-os mais se você tem alguém especial para compartilhar, especial o suficiente para passar seu tempo; e lembre-se que o tempo não espera ninguém.
Portanto, pare de esperar até que você termine a faculdade;
Até que você volte para a faculdade
Até que você perca 5 quilos
Até que você ganhe 5 quilos
Até que você tenha tido filhos
Até que seus filhos tenham saído de casa;
Até que você se case;
Até que você se divorcie;
Até sexta à noite;
Até segunda de manhã;
Até que você tenha comprado um carro ou uma casa nova;
Até que seu carro ou sua casa tenham sido pagos;
Até o próximo verão, outono, inverno;
Até que você se aposente
Até que a sua música toque;
Até que você termine seu drink
Até que você esteja sóbrio de novo;
Até que você morra;
E decida que não há hora melhor para ser feliz do que… AGORA MESMO…!
Lembre-se:
“Felicidade é uma viagem, não um destino”.
Henfil

DEUS NUNCA ERRA...


Um rei que não acreditava na bondade de DEUS. Tinha um servo que em todas as situações lhe dizia: Meu rei, não desanime porque tudo que Deus faz é perfeito, Ele não erra Nunca…!!!
Um dia eles saíram para caçar e uma fera atacou o rei. O seu servo conseguiu matar o animal, mas não pôde evitar que sua majestade perdesse um dedo da mão. Furioso e sem mostrar gratidão por ter sido salvo, o nobre disse: Deus é bom…??? Se Ele fosse bom eu não teria sido atacado e perdido o meu dedo. O servo apenas respondeu: Meu Rei, apesar de todas essas coisas, só posso dizer-lhe que Deus é bom; e ele sabe o porque de todas as coisas O que Deus faz é perfeito. Ele nunca erra…!!! Indignado com a resposta, o rei mandou prender o seu servo. Tempos depois, saiu para uma outra caçada e foi capturado por selvagens que faziam sacrifícios humanos. Já no altar, prontos para sacrificar o nobre, os selvagens perceberam que a vítima não tinha um dos dedos e soltaram-no: ele não era perfeito para ser oferecido aos seus deuses.
Ao voltar para o palácio, mandou soltar o seu servo e recebeu-o muito afetuosamente. Meu caro, Deus foi realmente bom comigo…!!! Escapei de ser sacrificado pelos selvagens, justamente por não ter um dedo…!!! Mas tenho uma dúvida: Se Deus é tão bom, por que permitiu que você, que tanto o defende, fosse preso…???
Meu rei, se eu tivesse ido com o senhor nessa caçada, teria sido sacrificado em seu lugar, pois não me falta dedo algum. Por isso, lembre-se: tudo o que Deus faz é perfeito . Ele nunca erra…!!! Muitas vezes nos queixamos da vida e das coisas aparentemente ruins que nos acontecem, esquecendo-nos que nada é por acaso e que tudo tem um propósito. Todas as manhãs, ofereça seu dia a Deus…!!!
Peça para Deus inspirar os seus pensamentos, guiar os seus atos, apaziguar os seus sentimentos. E nada tema, pois DEUS NUNCA ERRA…!!!

POR ONDE FOR...


Por onde quer que você vá, leve a alma cheia de delicadeza, gestos amorosos de gentileza, uma palavra amiga que conforta, um exercício diário de paciência, um amor próprio que contagia, uma vontade de ficar perto de você, ser inesquecível...
Não se deixe levar pela situação, o que parece sem saída é apenas um teste, uma das maneiras de crescer e vencer.
O problema é a oportunidade de amadurecer, de vencer a si mesmo, e sentir o gosto da vitória, fruto adocicado que perfuma a alma.
Você é o retrato da perfeição, ainda que sem poder enxergar, ainda que lhe falte membros no corpo, ainda que esteja paralisado na cama, com poucos recursos de fala, ainda assim, a sua alma tem um perfume, uma expressão que exala o que vai dentro de você.
Por isso, cultive bons pensamentos, olhe tudo com os olhos do bem, ame tudo e todos que passarem pela sua vida,
por que você é mais do que seus olhos vêem, você é fundamental!
Por onde você for, seja simplesmente amor.
Paulo Roberto Gaefke

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

O PODER DA PACIÊNCIA...


Mas o fruto do Espírito é: . . . longanimidade.
- Gálatas 5:22


Já todos ouvimos a oração: " Senhor, torna-me mais paciente - e fá-lo agora!"
Porque será que a paciência se evapora quando estamos atrasados para um compromisso importante e somos apanhados num engarrafamento de trânsito? Ou quando corremos para uma fila de "10 unidade ou menos" numa loja, para depois descobrirmos que quem está à nossa frente tem 16 unidades!
Sermos forçados a esperar aumenta o stress e diminui o nosso fusível. Quando isso acontece, não só falhamos em ser pacientes como prejudicamos o trabalho do Espírito nas nossas vidas.
A paciência não é apenas uma virtude; é fruto do Espírito (Gálatas 5:22) - o que significa que demonstrar impaciência revela o fruto azedo do nosso coração decaído em vez da doçura de Jesus nas nossas vidas. Como Deus é um Deus paciente, quando abandonamos a paciência perdemos a oportunidade de mostrarmos ao nosso mundo a glória de Deus nas nossas vidas.
Explosões de impaciência apenas demonstram que estamos mais preocupados com a nossa própria agenda do que com as necessidades e lutas dos outros. Por conseguinte, no meio do stress, respiremos todos fundo e desviemos a atenção de nós próprios ao amarmos pacientemente os outros em vez de nós mesmos.
A paciência dá-nos o privilégio de partilharmos com os outros o refrescante fruto de Deus. - Joe Stowell

SÊ PACIENTE. MOSTRA AO MUNDO O QUE DEUS É REALMENTE.

TUDO TEM O SEU TEMPO...


1 Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu:
2 há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou;
3 tempo de matar e tempo de curar; tempo de derribar e tempo de edificar;
4 tempo de chorar e tempo de rir; tempo de prantear e tempo de saltar de alegria;
5 tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar;
6 tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de deitar fora;
7 tempo de rasgar e tempo de coser; tempo de estar calado e tempo de falar;
8 tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz.

CASA ABENÇOADA...


Quer um motivo para lutar?
Lute pela sua família.
Ainda não tem uma?
Lute para formar a sua.
Santifique o seu lar respeitando o ambiente, deixe os problemas lá na rua.
Entre na sua casa como se fosse um templo, um refúgio seguro da sua paz. Não permita que ele seja desrespeitado!
Evite os gritos, palavrões e desavenças aposte na palavra que santifica, no diálogo que edifica, no amor que tudo provê, tudo perdoa, tudo espera.
Corte programas e filmes que nada acrescentam, coloque bons livros e boas leituras, ensine as crianças desde pequenas, o valor de uma boa leitura, o sentido do respeito.
Eduque-ás e não precisarás repreende-lás.
Espalhe flores pela casa, ainda que seja um humilde barraco, ainda que sejam flores que nasceram ao léu, e quando tudo estiver limpo e arrumado, faça uma prece sentida para trazer um convidado, que vai fazer a sua casa ser na Terra, um pedacinho do céu, um lugar que dá prazer em voltar, um recanto de luz, um lar abençoado, que pode receber Jesus.
Paulo Roberto Gaefke

terça-feira, 23 de setembro de 2008

ENTREGUE-SE...


Entregue-se!
Deixe a vida inundar a sua alma com esperança; andamos tão apressados que não temos mais tempo, vivemos da busca inútil pelo contentamento, pagando as prestações dos nossos excessos, sofrendo pelo que ainda não temos,
um descontentamento sem fim...
Entregue-se!
Deixe-se levar pela correnteza do simples, valorize os pés, as mãos, os olhos, a boca, o corpo que pede atenção constante, para tudo que pede pressa, um pouco mais de paciência.
Para o que pode ser resolvido, decisões, para o que não pode ser resolvido, uma desculpa, para o que pode ser evitado, uma atitude.
Que a paz envolva as suas decisões.
Entregue-se!
No abraço dos filhos, dos irmãos, ao carinho dos amigos, o beijo apaixonado de quem te ama, a fidelidade do seu animal de estimação, tudo o que realmente importa.
Não deixe de contemplar o céu, tenha tempo para as flores, para andar descalço.
Entregue-se para Deus, para o que realmente vale a pena.
O resto é ilusão, tempo perdido, e a felicidade é estar de bem com você, em paz com suas decisões, entregue-se ao amor que pede passagem.
Seja feliz!
Paulo Roberto Gaefke

OLHAR DE AMOR...


"Quanto maior a dificuldade, tanto maior é o mérito em superá-la."
Henry Ward Beecher

Foi um choque para aquela jovem mãe quando recebeu o diagnóstico de câncer.
Sucederam-se os tratamentos e, naquele dia, após o internamento, quando ela voltava para casa, se sentiu muito triste. Ela estava consciente da sua aparência. Estava sem cabelos, por causa da radioterapia.
Sentia-se desencorajada. Seu marido continuaria a amá-la? E seu filho? Ele tinha apenas seis anos.
Quando chegou em casa, sentou-se na cozinha, pensando em como explicar a seu filho porque estava tão feia.
Ele apareceu na porta e ficou olhando-a, curioso. Quando ela iniciou o discurso que ensaiara para ajudá-lo a entender o que via, o menino se aproximou e se aconchegou em seu colo, quietinho, a cabeça recostada em seu peito.
Ela acariciou a cabecinha do filho e disse: "você vai ver como daqui a pouco o meu cabelo vai crescer e eu vou ficar melhor, como era antes".
O menininho se levantou, olhou para ela, pensativo. Depois, com a espontaneidade da sua infância, respondeu: "seu cabelo está diferente, mãe. Mas o seu coração está igualzinho."
A mãe não precisava mais esperar por daqui a pouco para melhorar. Com os olhos cheios de lágrimas, ela se deu conta de que já estava muito melhor.
O essencial é invisível aos olhos, dizia o pequeno príncipe, no livro de Antoine de Saint Exupéry. Quem ama vê além da aparência física e é isto que ama: a essência.
Por isto os casamentos em que o amor é o autêntico laço de união perdura, apesar dos anos transcorridos. Para quem têm olhos de amor, o olhar penetra além do corpo físico que perdeu um tanto do vigor e já não apresenta a exuberância plástica dos verdes anos.
Para esses, o amor amadurece a cada ano, solidificando-se a cada dificuldade enfrentada, a cada óbice superado, a cada batalha vencida.
Enquanto os cabelos vão sendo prateados pelo exímio pintor chamado tempo, e a artista plástica chamada idade vai colocando pequenos sinais na face, aqui e ali, o amor mais cresce.
O sentimento se engrandece à medida que o passo deixa de ser tão vigoroso e um se apóia no outro para descer os degraus, para subir uma escadaria.
A solidariedade se torna mais intensa, enquanto a vista se embaça um pouco e o extraordinário computador que é o cérebro já não consegue fazer as corretas equações matemáticas, para aquilatar se dá ou não tempo para atravessar a rua. Uma mão segura a outra, muda, para afirmar: esperemos um pouco.
Envelhecer ao embalo do amor é maravilhoso. Desfrutar do aconchego um do outro é reconfortante.
Felizes os casais que envelhecem juntos. Felizes os filhos que sabem aproveitar da companhia generosa de pais e avós que o tempo alcançou.

De todos os momentos da vida os mais preciosos são os desfrutados com amor.
Quando as dificuldades se avolumam, os problemas crescem, os dias solitários chegam, é maravilhoso ter momentos de carinho para serem recordados.
Momentos que recebemos ou que ofertamos. Momentos que nos fizeram extremamente felizes. Momentos que, revividos, pelos fios invisíveis do pensamento, ainda nos reconfortam e aquecem o coração.
Por tudo isso, ame muito e permita-se amar por seus amores.
Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no cap. O Prognóstico de Rochelle M. Pennington, do livro Histórias para Aquecer o Coração das Mães, ed. Sextante.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

RESERVADO PARA VOCÊ...


Como é bom chegar em um lugar e encontrar uma vaga reservada para nós.
Como é bom sentir-se "aguardado", chegar e provocar alegria, contentamento.
Como é bom trilhar o caminho do bem, e fazer isso tão naturalmente, que nem se sente...
Sinta ainda hoje, que Deus reservou um lugar para você, que Ele preparou uma mesa em um banquete, que deixou uma vaga com o seu nome no estacionamento, que na grande festa da vida, você é convidado especial, e para tomar posse de tudo, só é preciso acreditar, o convite é a sua determinação, a chave que abre a porta é a fé, e o que te espera é só o melhor.
Hoje, nem um dia a mais, nem a menos, hoje é o dia perfeito para sorrir e acreditar, ainda que a sua situação diga não, ainda que as pessoas a sua volta digam não, mesmo que tudo seja cinza ou nublado, mesmo com a saúde debilitada, o convite está feito, a sua mesa reservada, a sua festa programada: você foi convidado para ser feliz.
Não desista dos seus sonhos, do amor que deseja, da paz que busca, da conquista mais gostosa, Deus é contigo, escreveu seu nome no Livro da Vida, e envia anjos para seguir com você, aonde quer que vá.
Segue confiante, hoje é o seu dia, um dia reservado para você.
Acredite: você é especial!
Paulo Roberto Gaefke

domingo, 21 de setembro de 2008

VIVA COMO AS FLORES...


Em um antigo mosteiro budista, um jovem monge questiona o mestre ...
Mestre, como faço para não me aborrecer?
Algumas pessoas falam demais, outras são ignorantes.
Algumas são indiferentes.
Sinto ódio das que são mentirosas.
Sofro com as que caluniam.
Pois viva como as flores! - advertiu o mestre.
- Como é viver como as flores? - perguntou o discípulo.
Repare nas flores, continuou o mestre, apontando os lírios que cresciam no jardim.
Elas nascem no esterco, entretanto, são puras e perfumadas.
Extraem do adubo malcheiroso tudo que lhes é útil e saudável...
...mas não permitem que o azedume da terra manche o frescor de suas pétalas.
É justo angustiar-se com as próprias culpas, mas não é sábio permitir que os vícios dos outros o importunem.
Os defeitos deles são deles e não seus.
Se não são seus, não há razão para aborrecimento.
Exercite, pois, a virtude de rejeitar todo mal que vem de fora.
Isso é viver como as flores.

"Paciência e tempo dão mais resultado que força e raiva." (La Fontaine)

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

MANIFESTO DE AMOR...


Manifeste o seu descontentamento com a vida sim!
Pode reclamar aos quatro cantos da sua situação, dos amores desfeitos, da falta de oportunidades, lamente a falta de sorte e até da falta de carinho, mas não se perca no rio de lamentações, pois elas impedem a visão das coisas novas.
Manifeste a sua alegria pelas coisas simples, pelo dia que nos dá a oportunidade de recomeçar, pelo sol que nos dá oportunidade de crescer, pela chuva que promete uma boa safra, pelos rios que insistem em seguir seu curso,
pelos mares que guardam tantos tesouros, pela sua infinita capacidade de mudar.
Mude!
Mude a lamentação e exiba um sorriso, ainda que meio amargo pela dor, ainda que contrariado pela decepção,
ainda que ressentido pelo luto, ainda que dolorido pela doença.
Ainda assim, há uma esperança no ar, um vento de coisas novas, de alegrias, uma chuva de renovação e surpresas.
só é preciso acreditar!
Manifeste então, o desejo de mudar, de trocar o velho dissabor por um novo amor, lembrando sempre, que o amor é simples, exige apenas o respeito mútuo, que o amor pode ser exercido sempre, com quem conhecemos e com o desconhecido, o amor é a força da mudança, que te toma pelas mãos feito criança, e te impulsiona para a conquista,
da felicidade, da eternidade que existe em cada um de nós, que somos frutos dele mesmo, do amor, sublime amor.
Paulo Roberto Gaefke

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

ANTECIPAÇÃO...


Não sofra antes da hora, pare de tentar prever o futuro, não espere respostas das cartomantes, nem mesmo o "grande guru" vai te responder, sobre o que só você pode mudar, pois em tudo que colocares verdadeira dedicação, ainda que pareça perdido, poderá ser recuperado.
Não se deixe levar pela correnteza, mesmo na pior Tsunami, quem se manteve na fé e na certeza de viver, sobreviveu,
então não serão essas pequenas ondas que vão te abalar.
Olhe para o alto, veja o céu que Deus te presenteou, é um grande espelho onde se reflete a gloria do Pai, se esse mundo é apenas uma fração do Universo, que tamanho terá esse Deus que o construiu?
Esse Deus que construiu o Universo, é o mesmo que criou a sua vida, e se em tudo vemos a perfeição, não seria diferente em você.
Por isso: na doença, enxergue a saúde te revestindo, na tristeza, sinta a alegria de estar aqui, na pobreza, veja as possibilidades que se abrem, na dor, deixe-se envolver pelo "Espírito Consolador", e diante do impossível, use a fé que vê além do visível, e o que não era, será, o que não existia, existirá, e o alivio para a alma será para sempre,
eterno como o Pai Criador, como você mesmo, eterno filho do amor.
Paulo Roberto Gaefke

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

EU QUERO, EU POSSO, EU ME TRANSFORMO...


Eu estou consciente e tenho o poder de pensar como eu quero. Tenho o direito de pensar no que eu quero para o meu próprio bem. Eu tenho e posso impor ao meu mundo interior tudo aquilo que eu quiser. E quero me sintonizar com o melhor. Esqueço, a partir de agora, a pessoa que eu fui, sobretudo meus vícios de pensamentos. Penso apenas na paz. Penso nela, permitindo que seu perfume toque minha aura e atinja todas as áreas da minha vida, todos os cantos do meu corpo. Penso na paz com uma mensagem de ordem e equilíbrio perfeito. Deixo fluir na minha cabeça a consciência do 'eu posso'. Eu posso estar na paz. Impor essa paz é praticar o meu poder pessoal com responsabilidade divina, obtida por herança natural. O melhor para mim é um grande sorriso no peito. É a felicidade barata e fácil a que tenho direito. É tão simples pensar que o melhor está em mim! A beleza está em mim. A suavidade está em mim. A ternura, o calor, a lucidez e o esplendor das mais belas formas do universo estão em mim. Aí eu me abro inteira, viro do avesso e sinto que não há fronteiras nem barreiras para mim. Sinto que o limite é apenas uma impressão. Sinto que cada condição foi apenas a insistência de uma posição. Sinto que sou livre para deixar trocar qualquer posição por outra melhor. Sou livre para descartar qualquer pensamento ruim, qualquer sentimento ou hábito negativo, qualquer paixão dolorosa. Porque eu sou espírito. Sou luz da vida em forma de pessoa. Ah, universo, eu estou aberta para o melhor para mim. Eu sei que muitas vezes sou levada por uma série de pensamentos ruins. Mas é porque eu não conhecia a força da perfeição. Eu não conhecia a lei do melhor. Agora eu me entrego, me comprometo comigo, com o universo e contigo. Vou manter a minha mente aberta. Esse momento me desperta, me traz a inspiração ao longo do dia onde se efetiva a luz que irradia para quem insiste no próprio aperfeiçoamento. Não quero pensar nas minhas fraquezas. Quero olhar bem fundo nos meus olhos e ver como eu sou bonita, como fiz e faço coisas maravilhosas e como o meu peito está cheio de vontade. Eu assumo a responsabilidade sobre essas vontades e me projeto com força nessa identidade de saber que eu posso, sim, fazer o melhor. Despertar o meu espírito é viver nele. É ter a satisfação de ser eu mesma. É poder ser original, única, pequena e grande ao mesmo tempo. Sei agora que o melhor está a meu favor. Meu sucesso, aliás, é o sucesso de Deus que se manifesta em mim como pessoa em transformação. Eu sinto como se tivesse sentado nessa cadeira da solidez universal porque eu estou no meu melhor. Porque sou o sucesso da eternidade, porque estou há milhares de anos seguindo e não fui destruída. Porque o universo garante. Grito dentro de mim mesma: de todas as coisas da vida, o melhor ainda sou eu. O melhor sou eu!

VIVER...


"Viver uma verdadeira experiência amorosa é um dos maiores prazeres da vida.
Gostar é sentir com a alma, mas expressar os sentimentos depende das idéias de cada um.
Condicionamos o amor às nossas necessidades neuróticas e acabamos com ele.
Vivemos uma vida tentando fazer com que os outros se responsabilizem pelas nossas necessidades enquanto nós nos abandonamos irresponsavelmente.
Queremos ser amados e não nos amamos, queremos ser compreendidos e não nos compreendemos, queremos o apoio dos outros e damos o nosso a eles.
Quando nos abandonamos, queremos achar alguém que venha a preencher o buraco que nós cavamos.
A insatisfação, o vazio interior se transformam na busca contínua de novos relacionamentos, cujos resultados frustrantes se repetirão. "
Cada um é o único responsável pelas suas próprias necessidades.
Só quem se ama pode encontrar em sua vida Um Amor de Verdade.

REENCARNAR, PRA QUÊ?


Assim como as pessoas têm muito medo de morrer porque não sabem o que irão encontrar na outra dimensão, os espíritos que estão vivendo no astral têm medo de reencarnar. Esquecer o passado e mergulhar no mar encalpelado do mundo, enfrentar seus próprios limites e os desafios de seu crescimento é assustador. Controlar as emoções, ordenar a mente, experimentar as próprias idéias e enfrentar os resultados requer coragem, persistência. Ficar entregue ao próprio discernimento, tomar decisões, ser responsável pelo próprio destino atemoriza. Para o espírito, reencarnar é como vestir um escafandro e mergulhar nas profundezas do oceano. O corpo de carne tem um metabolismo lento, muito diferente da vida astral, onde tudo é mais dinâmico e rápido. Lá, a força do pensamento materializa rapidamente os objetivos, de acordo com a capacidade de cada um, criando e movimentando os elementos.Aqui, na Terra, nossos projetos levam muito mais tempo para se tornar realidade. Para construirmos um edifício levamos muitos meses, enquanto lá eles o fazem em algumas horas..- Como?! Há prédios no astral? – alguns vão perguntar.Há prédios, ruas , cidades, tudo. O que chamamos de astral são os mundos das outras dimensões do universo. Cada um deles gravita em determinada faixa de ondas, possui um magnetismo próprio e, para os que vivem lá, tudo é tão sólido quanto para nós é nosso mundo.Não os podemos ver porque nossos olhos enxergam apenas em limitada faixa de percepção, o que não os impede de continuar existindo. A limitação é nossa. Os micróbios existem, mas só os podemos ver se tivermos um microscópio. - Se eles têm medo, porque reencarnam? Para reeducar o emocional. No astral as emoções são muito mais fortes e profundas. A tristeza, o remorso, o arrependimento, a frustração, a mágoa tornam-se insuportáveis e chega um momento em que, cansado de suporta-las, o espírito aceita nascer na Terra. Para ele, o esquecimento será uma bênção. O magnetismo lento permitirá que ele medite mais, experimente, reflita, conheça-se melhor e amadureça. Reencarnar na Terra é começar de novo. Todas as lembranças do passado são guardadas no inconsciente temporariamente e, embora possam influenciar intuitivamente o espírito reencarnado, ele estará em sintonia com o cérebro do novo corpo, que como um filme virgem vai registrar as novas experiências. Não é genial? A vida, mágica e divina, vai tecer os acontecimentos, juntar pessoas, de acordo com as necessidades daquele espírito, e criar estímulos a que ele se torne mais consciente, liberte-se dos antigos padrões de crença que o levaram ao sofrimento. Se ele aproveitar, voltará ao astral mais lúcido e feliz.
A vida é um eterno agora, e nós continuaremos sendo o que fizermos de nós, seja onde for que passemos a viver. Enfrentar nossas dificuldades desde já, fazer nosso melhor, é construir nossa paz.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

APARÊNCIAS...


Talvez, dentro de um ônibus apertado, ou em seu carro velhinho, ao ver alguém passando com o carro zero que você tanto sonha, você inveje essa pessoa, sem saber que ali está uma pessoa aflita, com prestações atrasadas e perto de perder o que nem conquistou.
Não se deixe levar pelas aparências, nem se fie em palavras ou discursos, observe os atos, os resultados.
Não se preocupe em ser o gênio da escola, já vi os "menos inteligentes" da sala, anos depois se transformares em donos de empresas, e até aqueles que fugiram da escola, chegarem a presidência...
Por isso:
Não olhe para o que você tem, nem se apegue ao que disseram, as pragas que rogaram, ou o que deixaram de dizer,
não procure pelos diplomas na parede, olhe para dentro de você, para os seus objetivos.
Não importa quanto você tem, mas quanto quer ganhar.
Não importa o que vai fazer, mas como vai fazer, por isso, alma querida, faça sempre o seu melhor.
Olhe para os objetivos como se fossem montanhas, e avance, passo a passo, degrau por degrau, em breve, apesar do cansaço e dos tropeços, a montanha vai diminuindo e ficando cada vez menor, e você, com a vitória nas mãos, cada vez maior.
Paulo Roberto Gaefke

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

TEMPESTADES...


Aos olhos de quem assiste de longe, depois da tempestade que sacudiu a vila, restou apenas os escombros de uma vida, restos de uma história que agora jazem no chão.
Fotografias, eletrodomésticos, móveis, tudo destruído e embolados pela lama.
Lágrimas...
Mas, para o dono da casa existe algo mais, em cada canto de parede uma história, emoções que não contam no censo, lutas, conquistas, celebrações, derrotas, contratempos e decepções, tudo embolado com a lama.
Mas ninguém vê.
Sentimentos...
Eis o que resta de toda vida, as emoções vividas, o bom combate travado, o que sentimos e guardamos na alma.
sempre:
o cheiro da nossa fronha, não o travesseiro, a sensação da nossa cama, não o colchão, o conforto da nossa roupa, não a etiqueta da calça, a proteção do nosso calçado, não a origem do sapato.
o amor que sentimos, não o que esperamos de alguém.
Certezas...
Tudo pode estar no chão agora, podem ter roubado tudo de você, a sua paz, o seu chão, até a sua liberdade,
só não deixe que roubem as suas certezas, o que você já tem em seu interior, o conhecimento, a vivência, o amor.
São esses os materiais que você precisa agora e sempre, para reconstruir a sua "casa" depois do furacão,
e enquanto todos enxergam destroços, você, com esperança e certeza, vai enxergar a vida que se abre para "o reconstruir", e tudo começa agora, com essa vontade louca de ser feliz!
Não desista de você!
Paulo Roberto Gaefke

domingo, 14 de setembro de 2008

JOTA QUEST - SÓ POR HOJE...

NOITES TRAIÇOEIRAS...

Feche os olhos, eleve seus pensamentos a DEUS e confia Nele!

O HOMEM TRISTE...


"Nunca subestime o poder de suas ações. Com um pequeno gesto você pode mudar a vida de uma pessoa. Para melhor ou para pior." Autor Desconhecido

O Homem Triste Você passou por mim com simpatia, mas quando viu meus olhos parados indagou em silêncio o porque vagueio pelas ruas. Talvez por isso apressou o passo, e ainda que eu quisesse chamar, a palavra desfaleceu na boca. É possível que você suponha que eu desisti do trabalho, no entanto ainda hoje bati de porta em porta em vão. Muitos disseram que ultrapassei a idade para ganhar o pão, como se a madureza do corpo fosse condenação à inutilidade. Outros, desconhecendo que vendi minha melhor roupa para aliviar a esposa enferma, me despediram apressados, crendo que fosse eu um vagabundo sem profissão. Não sei se você notou quando o guarda me arrancou da frente da vitrine, a gritar palavras duras, como se eu fosse um malfeitor vulgar. Contudo, acredite, nem me passou pela mente a idéia de furto. Apenas admirava os bolos expostos, recordando os filhinhos a me abraçar com fome, quando retorno à casa. Talvez tenha observado as pessoas que me endereçavam gracejos, imaginando que eu fosse um bêbado, porque eu tremia, apoiado ao poste. Afastaram-se todos com manifesto desprezo, mas não tive coragem de explicar que não tomo qualquer alimentação há três dias. A você, todavia, que me olhou sem medo, ouso rogar apoio e cooperação. Agradeço a dádiva que me ofereça em nome do Cristo que dizemos amar, e peço para que me restitua a esperança, a fim de que eu possa honrar com alegria o dom de viver. Para isso, basta que se aproxime de mim sem asco, para que eu saiba apesar de todo meu infortúnio que ainda sou seu irmão. .

Essa é a mensagem de um homem triste, quiçá como tantos que vemos perambulando pelas ruas. É bem verdade que alguns são de fato pessoas que se comprazem na ociosidade. Todavia há os desafortunados que apesar de trabalhar a vida toda, não puderam ajuntar moedas para o sustento próprio e da família, e que chegada a madureza, são condenados pela sociedade a viver como réprobos, embora sejam pessoas dignas. É comum observarmos homens e mulheres puxando um carrinho de papéis e outros objetos recicláveis, para prover o próprio sustento. São nossos irmãos de caminhada evolutiva, que não tem coragem de viver na mendicância, por isso trabalham com dignidade. Muitos de nós, no entanto, nos enfadamos com essas criaturas que atrapalham o trânsito com seus carrinhos indesejáveis. O que não nos damos conta é que além do peso do carrinho, têm ainda que carregar sobres os ombros o peso da humilhação e do desprezo impostos por uma sociedade indiferente. É verdade que todos nós estamos colhendo o que plantamos, e que aqueles que passam por essas situações precisam dessas experiências para crescerem espiritualmente. Entretanto, são nossos irmãos, filhos do mesmo Pai Criador, e merecedores sem dúvida - no mínimo - do nosso respeito. Se não os podemos ajudar, que não os atrapalhemos, jogando-lhes palavras amargas, nem menosprezando-os, dificultando ainda mais a sua caminhada.
Página do espírito Meimei, recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier em reunião pública da Comunhão Espírita Cristã na noite de 11/11/1961, em Uberaba-MG.

sábado, 13 de setembro de 2008

AMAR PODE DAR CERTO...


O ser humano só pode existir em paz consigo mesmo se puder se relacionar com uma pessoa a quem diga, com palavras e gestos, “EU TE AMO” e de quem ouça com total sinceridade “EU TAMBÉM TE AMO”.
Mas amar supõe evoluir todos os dias, conhecer o outro cada vez melhor, construir com ele um lugar no mundo em que as pessoas, ao entrar, sentirão que ali existe vida, carinho sincero, vontade de acertar.
Nos momentos de crise ou de mágoa, dizer “EU TE AMO” ao parceiro é ter a coragem de lhe dizer que ele fez algo de que você não gostou.
Nos momentos de alegria e êxtase, dizer “EU TE AMO” é saber compartilhar essa alegria com quem você ama, abrindo seu coração sem reservas.
Nos momentos de dor, dizer “EU TE AMO” é talvez não dizer nada, mas deixar evidente ao outro que você está ao seu lado aconteça o que acontecer.
Nos momentos em que você perceber que errou, a melhor maneira de dizer “EU TE AMO” é simplesmente dizer “desculpe-me pelo meu erro”.
Nos momentos em que o outro errou, e está triste porque cometeu o erro, a melhor maneira de dizer “EU TE AMO” é se aproximar lentamente dele, colocar a mão em seu ombro e dizer suavemente “tudo bem, já ficou para trás”.
“AMAR PODE DAR CERTO” é a frase mais simples possível para traduzir a convicção de que nascemos para AMAR E SER AMADOS, e que nossa felicidade consiste em realizar essa missão.
Roberto Shinyashiki

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

FOME DE AMOR...


Uma vez Renato Russo disse com uma sabedoria ímpar: 'Digam o que disserem, o mal do século é a solidão'. Pretensiosamente digo que assino embaixo sem dúvida alguma.
Parem pra notar, os sinais estão batendo em nossa cara todos os dias.
Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes, danças e poses em closes ginecológicos, chegam sozinhas e saem sozinhas.
Empresários, advogados, engenheiros que estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e, sozinhos.
Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, os novíssimos 'personal dance', incrível.
E não é só sexo não, se fosse, era resolvido fácil, alguém duvida?
Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão 'apenas' dormir abraçados, sabe essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega?
Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção.
Tornamo-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a 'sentir', só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós.
Quem duvida do que estou dizendo, dá uma olhada no site de relacionamentos ORKUT, o número de comunidades como: 'Quero um amor pra vida toda!', 'Eu sou pra casar!' até a desesperançada 'Nasci pra ser sozinho!' Unindo milhares ou melhor milhões de solitários em meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis.
Vivemos cada vez mais tempo, retardamos Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever essas bobagens (mais que verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa.
Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio, démodé, brega. Alô gente! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer ridículos, abobalhados, e daí?
seja ridículo, não seja frustrado, 'pague mico', saia gritando e falando bobagens, você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta mais (estou muito brega!), aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso a dois.
Quem disse que ser adulto é ser ranzinza?
Um ditado tibetano diz que se um problema é grande demais, não pense nele e se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele?
Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo ou uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser estabanada; o que realmente não dá é continuarmos achando que viver é out, que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me aventurar a dizer pra alguém: ' vamos ter bons e maus momentos, e uma hora ou outra um dos dois ou quem sabe os dois vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida'.
Antes idiota que infeliz...
Arnaldo Jabor

HÁ SOLUÇÃO PARA AS DORES DO CORAÇÃO...


Remédios curam enfermidades do corpo, e fortes dores desaparecem até mesmo sem deixar marcas.
E o que é grande se torna pequeno.
Também é assim com as emoções, com as frustrações, os desenganos.
De uma dor, que aparenta ser um grande mal, vai restar um bem, se você sentir que ela é necessária e que se converte em peça indispensável para a sua felicidade.
Quanto mais lhe entendemos o significado, menos a dor dói.
A dor compreendida não é dor, é elevação da alma.
Lourival Lopes

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

DIA DE MUDAR...


Hoje é um dia especial para você: é dia de realizar, sabe aquele sonho que você arquivou?
Pois bem, hoje é dia de resgatá-lo e o melhor: realizá-lo.
Hoje é aquele dia em que tudo vai dar certo, e até o que era para dar errado vai ser transformado, e mesmo sem esperar, seu telefone vai tocar, o emprego desejado vai chamar, o aumento salarial vai estar na sua conta, a divída vai ser parcelada em suaves prestações, o amigo que sumiu volta cheio de saudades, as brigas em casa vão cessar, o parente chato vai viajar para bem longe, e até o seu chefe, o "mala", vai acordar de bem com a vida, e não se surpreenda: ele vai te elogiar.
Porque hoje é um dia especial, é quase dia santo, dia reservado para transformar a sua vida e como tudo tem um preço, nada é de graça, comece desde já a melhorar a sua aparência, coloque o seu melhor sorriso no rosto, abuse das gentilezas, distribua favores, abra portas, beije, abrace às pessoas, seja reflexo do dia que você deseja, do mundo que você sonha...
E assim, nessa troca gostosa de energias, Deus vai ficar tão encantado com a sua disposição, que não vai ter outra atitude senão enviar anjos que vão te cercar de muito carinho e atenção, e o que era sonho, será realizado, porque você transformou o seu interior, deixando de ter apenas "fé", para ter a certeza de merecer o melhor, e assim será!
Paulo Roberto Gaefke

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

É FATO...


É fato! A vida segue seu curso independente da nossa dor.
A natureza continua produzindo frutos, os pássaros seguem cantando, e a esperança continua seu caminho, passando aqui e acolá onde é chamada.
E a nossa dor permanece solitária... É fato!
Todos tem o direito de viver e curtir o seu luto.
Todo mundo pode chorar pelo que perdeu, até pelo que deixou de fazer ou ganhar, pelo rompimento inexplicável, pelo fim do casamento, pela sociedade que não deu certo.
O que não deve é seguir em lágrimas...
É fato! As lágrimas embaraçam a visão, impedem o caminhar, o descobrir.
Quem segue chorando não vê: o novo amor que passa, o filho que ficou e cresce, o novo negócio que aparece.
Os amigos que não nos esquecem, os que sofrem ainda mais e precisam de um apoio, a cruz vazia que mostra a vitória do Cristo, a vida que se abre em oportunidades. De crescer, de viver e de seguir viagem.
É fato: você importa sim! Por isso, tire a capa da dor, fuja do papel de vítima e segue confiante, ainda que pareça vazio, o mundo está cheio, cheio de oportunidades para servir, preencher-se do bem e da paz, paz que eu te desejo, hoje e sempre, amém.
Paulo Roberto Gaefke

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

CARÊNCIA MALVADA...


Bateu uma tristeza inesperada, uma saudade inexplicável do que não foi, um desejo pelo que não aconteceu, uma lembrança do que não vivemos...
Ah! carência malvada que tortura. Que me deixa na dúvida, me confunde. Não consigo encontrar o amor, e por isso, não gosto do que vejo em mim, me esqueço de coisas simples, até de gostar de quem gosta de mim.
As vezes me pego amargurado, e por vezes, sinto-me amargo, e preciso pedir desculpas para os amigos, pedir perdão por palavras duras, pelo carinho que não dei...
Das lembranças que me afogam, vejo um rosto indefinido, sinto no ar um perfume sem marca, cheio da paixão que me sufoca, e as lágrimas vem em abundante riacho, esvaziando o coração, marcando o peito, que de tanta dor se cansa, e eu me pergunto, em meio ao pranto, onde andará o meu amor?
Ah! carência malvada que tortura, nem a maior paciência te atura.
Paulo Roberto Gaefke

domingo, 7 de setembro de 2008

ESTOU APRENDENDO...


Estou aprendendo a aceitar as pessoas, mesmo quando elas me desapontam, quando fogem do ideal que tenho para elas, quando me ferem com palavras ásperas ou ações impensadas.
Não é fácil aceitar as pessoas assim como elas são, não como eu desejo que elas sejam, mas como elas são! É difícil, muito difícil, mas estou aprendendo. Estou aprendendo a amar. Estou aprendendo a escutar, escutar com os olhos e ouvidos, escutar com a alma e com todos os sentidos.
Escutar o que diz o coração, o que dizem os ombros caídos, os olhos, as mãos irrequietas. Escutar a mensagem que se esconde por entre as palavras corriqueiras, superficiais; Descobrir a angústia disfarçada, a insegurança mascarada, a solidão encoberta.
Penetrar o sorriso fingido, a alegria simulada, a vangloria exagerada. Descobrir a dor de cada coração. Aos poucos, estou aprendendo a amar. Estou aprendendo a perdoar pois o amor perdoa, lança fora as mágoas, e apaga as cicatrizes que a incompreensão e insensibilidade gravaram no coração ferido.
O amor não alimenta mágoas com pensamentos dolorosos. Não cultiva ofensas com lástimas e autocomiseração. O amor perdoa, esquece, extingue todos os traços de dor no coração. Passo a passo, estou aprendendo a perdoar, a amar.
Estou aprendendo a descobrir o valor que se encontra dentro de cada vida, de todas as vida, valor soterrado pela rejeição, pela falta de compreensão, carinho e aceitação, pelas experiências duras vividas ao longo dos anos, Estou aprendendo a ver nas pessoas a sua alma, e as possibilidades que Deus lhes deu.
Estou aprendendo, mas como é lenta a aprendizagem! Como, é difícil amar, amar como Cristo amou! Todavia, tropeçando, errando, estou aprendendo… Aprendendo a pôr de lado as minhas próprias dores, Meus interesses, minha ambição, meu orgulho quando estes impedem o bem-estar e a felicidade de alguém. Como é duro amar!!!

ESSA VAIDADE...


Ele terminou com você. Mas te trata super bem, sempre dando a entender que podem voltar a ficar juntos. Maldade? Não, os homens não são tão cruéis assim.
E, sim, VAIDADE! Ele na verdade, só quer te deixar sob a influência dele, dependente, sob seu controle; tipo uma tv em stand by que ele pode ligar quando não tiver nada melhor para fazer. Ou, simplesmente, pra sentir que você ainda gosta dele: ele não te quer, mas quer que você fique com ele na cabeça. Vai entender, coisa de homem com o ego maior que tudo.
Portanto, não se iluda: se ele quisesse estar com você, ele estaria!
Por que ele te enrola? Vaidade! Por que você prefere terminar um relacionamento a terminarem com você? Vaidade! Por que você finge que está bem mesmo despedaçado por dentro? Vaidade! Por que você não liga pro cara mesmo morrendo de vontade? Vaidade! Ai, o amor deixa de ser só sentimento e começa a virar jogo. E um jogo onde todos perdem.
Cansei de jogar, porque cansei de perder. Não sei se é ser burra demais, mas eu quero um amor sem competições, sem orgulhos bestas, sem egoísmos, sem blefes ou cartas na manga.
Sim, eu tenho medo, mas quero aprender a me entregar sem “poréns” (E quero alguém que se entregue também.) O “talvez”, o “se” e o “mais ou menos” não deveriam fazer parte do vocabulário sentimental. Afinal, amor é “sim” ou “não”.

DECLARAÇÃO DE AMOR...

video

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

FRUTO DA VIDA...


Choro, mas não é tempo de lágrimas, pois preciso ver o futuro.
Penso, mas é tempo de agir, preciso seguir o caminho.
Ando, mas é preciso correr, tenho tanto para conquistar.
Falo, mas deveria fazer silêncio, é tempo de fazer mais.
Pergunto, mas deveria ensinar, passei por tantas dificuldades.
Olho, mas nem sempre enxergo, há ainda uma nuvem no meu olhar.
Vigio, mas deveria dormir, abandonar-me em mim mesmo.
Canso, mas deveria ter mais energia, seguir adiante, não olhar para trás.
Amo, mas ainda não me amam, mas não desisto do amor.
Creio, e sei que Deus me ouve, ainda que eu não entenda o que Ele responde.
Sonho, porque a noite cai e adormeço, e quando o dia vem, vem a certeza: eu posso ser feliz.
Viva o dia que se instala em mim, o sol que me aquece e faz lembrar, que algo em mim está melhor.
Amadureço e reflito, ainda na dor, hoje sou muito melhor, e sigo assim, sou o fruto amadurecido do tempo, do amor que transborda em mim.
Paulo Roberto Gaefke

PERSISTIR...


Antes que o dia termine, cuide para não deixar seus sonhos encostados no canto das lamentações,abandonados ao parecer do impossível.
Não sem ao menos tentar,não sem ao menos idealizar um plano de metas.
Triste não é o "não realizar", triste é o abandonar do barco, é nem começar a corrida, é o medo de ter medo,é o não tentar...
Persiste! Ainda que as lágrimas impeçam a boa visão, ainda que as pessoas digam não, ainda que o tempo mude e o vento sopre para outra direção, ainda assim, o ponto final ainda pode ser reescrito, e é assim que os vitoriosos conseguem conquistar: quando vencem a si mesmos.
Não há segredo, nem mistério, há sim, uma força além do normal, um estado de confiança que ultrapassa as dificuldades, pois quem espera que a vida seja feita de pétalas, acaba se espetando no primeiro espinho, e sangrando desiste, e chorando se lamenta.
Persiste! Segue esse caminho que você traçou, sabendo que toda montanha tem duas faces, logo depois da cansativa subida vem a descida, se está muito calor, logo vem a chuva, e depois do longo inverno, a Primavera traz o renascer.
O Sol ainda brilha lá fora, mas é preciso sair de casa para senti-lo! Tenha coragem, persiste, ainda que seja noite, amanhã será o seu dia de brilhar!
Paulo Roberto Gaefke

LOGO ALI...


Ali, logo ali tem alguém que te chama, te conhece pelo nome, pega na sua mão, fala de poesia e flores, faz você rir.
Lembranças vão chegando, como num velho filme, fotografias criam vida.
Detalhes, delicadezas da alma que se eternizam, Você ri, e até se esquece de que não está só, faz tempo que você não ri assim.
E você sente saudades de alguém que está na foto, mas não está mais aqui, e você chora...
Há quanto tempo você não chora assim? Logo ali, na esquina do seu pensamento, o amor sai de trás do seu armário do tempo, e te abraça, um abraço gostoso, naquele silêncio onde ouvimos o respirar.
E você fica naquele abraço gostoso, não sabe se ri ou se chora, mas gosta de sentir o amor sincero, quase que eterno...
Logo ali, dentro de você, mora uma pessoa extraordinária, que as vezes se faz tão pequena, as vezes se esquece de viver, de amar o quanto merece, de receber o amor que precisa, e que se esconde na tristeza.
Desperte! O amor é chama que precisa ser avivada, a alegria precisa ser cultivada, a paz é um bem maior que devemos buscar, e você, você é o melhor de tudo isso, fonte inesgotável de esperançade dias e tempos melhores.
Logo ali, dentro de você, mora a melhor pessoa que você pode conhecer: você!
Paulo Roberto Gaefke

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

SEGUE...


Segue a luz, ainda que fraquinha, ainda que se apague no trajeto, não desista de buscar o bem, ele sempre reconhece quem o busca.
Segue o rastro da felicidade, ainda que meio apagado, ainda que desapareça.
A felicidade já se faz presente, no instante em que a buscamos.
Felizes os que sabem busca-lá, ainda que não a encontrem no primeiro instante, tem um motivo a mais para sorrir, vive confiante.
Segue o perfume do amor, ainda que não esteja forte, ainda que desapareça no ar, e te deixe perdido no caminho.
O amor é a estrada perfeita, ainda que tenha curvas perigosas, ainda que seja mal iluminada.
O amor é a própria luz, a paz e a felicidade, tudo o que buscamos e precisamos, tudo se funde num só lugar, no coração de quem ama.
Não desista de caminhar, segue a Luz, ela brilha em você!
Paulo Roberto Gaefke
Ocorreu um erro neste gadget