Páginas

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

SONHE COM AQUILO QUE VOCÊ QUISER...


Seja o que você quer ser, porque você possui apenas uma vida e nela só se tem uma chance de fazer aquilo que quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem a importância das pessoas que passam por suas vidas.

Clarice Lispector

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

SONHOS POSSUEM ASAS...


Sonhos possuem asas.
Asas do desejo,
Asas da esperança,
Asas do amor,
Asas da fé.
Desejo que seu novo ano seja de PAZ.
Que a ESPERANÇA nunca o abandone.
Que a FÉ seja sua companheira constante.
Que o AMOR faça parte do seu dia-a-dia.
Que você nunca abandone seus SONHOS.
Que você nunca perca suas asas.

Hoje é um novo dia!
Um novo nascer do sol!
Um novo começo!
Uma nova chance!
Basta sonhar e acreditar!

Felicidade, Amor, Alegria e Paz
É o que eu desejo para você.

FELIZ 2010!!!

domingo, 27 de dezembro de 2009

AMOR OU AMIZADE? OS DOIS...


No finalzinho da entrevista que Pedro Bial deu à Marília Gabriela, quando foi questionado sobre relacionamentos, ele deu uma lição que serve para todo mundo: trate seu amor como você trata seu melhor amigo.

Sei que isso parece falta de romantismo, mas é o conselho mais certeiro.
Não era você que estava a fim de uma relação serena e plenamente satisfatória? Taí o caminho.
Vamos tentar elucidar como isso se dá na prática.
Comecemos pelo exemplo que o próprio Bial deu: você foi convidado para o casamento de uma prima distante que mora onde Judas perdeu as botas, você tem que ir porque ela chamou você pra padrinho.
Como é que os casais costumam combinar isso?
"Não tem como escapar, você vai comigo e pronto". Ou seja, um põe o outro no programa de índio e nem quer saber de conversa.
É assim que você convidaria seu melhor amigo? Não. Você diria: "Putz, tenho uma roubada pela frente que você não imagina.
Me dá uma força, vem comigo, ao menos a gente dá umas risadas...".
Ficou bem mais simpático, não ficou? Como esta, tem milhões de situações chatas que você pode aliviar, apenas moderando o tom das palavras.
Pro seu marido: "Você nunca repara em mim, não deu pra notar que cortei o cabelo? Será que sou invisível?" Mas pra sua melhor amiga: "Ai, pelo visto meu cabelo ficou medonho e você está me poupando, né? Pode dizer a verdade, eu agüento".
Pra sua mulher: "Você já se deu conta da podridão que está este sofá? Não dá pra ver que está na hora de trocar o tecido?" Mas pra sua melhor amiga: "Deixa a pizza por minha conta, eu pago, assim você economiza pra lavar o sofá. A não ser que este seja um novo estilo de decoração..."
Risos + risos+ risos.
Maneire. Trate seu amor como todas as pessoas que você adora e que não são seus parentes.
Trate com o mesmo humor que você trata seu melhor amigo, sua melhor amiga.
Até porque, caso você não tenha percebido, é exatamente isso que eles são.
"Grandes Realizações são possíveis quando se dá importância aos pequenos começos"

Martha Medeiros

sábado, 26 de dezembro de 2009

Coldplay - Viva La Vida

Coldplay - Clocks

NÃO SEI...


Se você ainda não sabe qual é a sua verdadeira vocação, imagine a seguinte cena:
Você está olhando pela janela, não há nada de especial no céu, somente algumas nuvens aqui e alí... aí chega alguém que também não tem nada para fazer e pergunta:

- Será que vai chover hoje?
Se você responder "com certeza"...a sua área é Vendas:
- o pessoal de Vendas é o único que sempre tem certeza de tudo.
Se a resposta for "sei lá, estou pensando em outra coisa"... então a sua área é
Marketing:
- o pessoal de Marketing está sempre pensando no que os outros não estão pensando.
Se você responder "sim há uma boa probabilidade"...você é da área de
Engenharia:
- o pessoal da Engenharia está sempre disposto a transformar o universo em números.
Se a resposta for "depende"...você nasceu para Recursos Humanos: - uma área em que qualquer fato sempre estará na dependência de outros fatos.
Se você responder "ah, a meteorologia diz que não"...você é da área de Contabilidade:
- o pessoal da Contabilidade sempre confia mais nos dados no que nos próprios olhos.
Se a resposta for "sei lá, mas por via das dúvidas eu trouxe um guarda-chuvas":
- então seu lugar é na área Financeira que deve estar sempre bem preparada para qualquer virada de tempo.
Agora, se você responder "não sei" há uma boa chance que você tenha uma carreira de sucesso e acabe chegando à diretoria da empresa.
De cada 100 pessoas, só uma tem a coragem de responder "não sei" quando não sabe.
Os outros 99 sempre acham que precisam ter uma resposta pronta, seja ela qual for, para qualquer situação.
"Não sei", é sempre uma resposta que economiza o tempo de todo mundo e pré dispõe os envolvidos a conseguir dados mais concretos antes de tomar uma decisão.
Parece simples, mas responder "não sei" é uma das coisas mais difíceis de se aprender na vida corporativa.
Por quê?
Eu sinceramente "não sei".

Max Gehringer

DEFINIÇÕES...


Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue.
Lembrança é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta um capítulo.
Angústia é um nó muito apertado bem no meio do sossego.
Preocupação é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair de seu pensamento.
Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa.
Certeza é quando a idéia cansa de procurar e pára.
Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.
Pressentimento é quando passa em você o trailer de um filme que pode ser que nem exista.
Vergonha é um pano preto que você quer pra se cobrir naquela hora.
Ansiedade é quando sempre faltam muitos minutos para o que quer que seja.
Interesse é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.
Sentimento é a língua que o coração usa quando precisa mandar algum recado.
Raiva é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes.
Tristeza é uma mão gigante que aperta seu coração.
Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma.
Amizade é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros.
Culpa é quando você cisma que podia ter feito diferente mas, geralmente, não podia.
Lucidez é um acesso de loucura ao contrário.
Razão é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato.
Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele.
Paixão é quando apesar da palavra ¨perigo¨ o desejo chega e entra.
Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado.
Não... Amor é um exagero... também não.
Um dilúvio, um mundaréu, uma insanidade, um destempero, um despropósito, um descontrole, uma necessidade, um desapego?
Talvez porque não tenha sentido, talvez porque não tenha explicação, esse negócio de amor, não sei explicar.

Mário Prata

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

O GRANDE BARATO...


O grande barato da vida é olhar para trás e sentir orgulho.
É viver cada momento e construir a felicidade aqui e agora.
Claro que a vida prega peças. O bolo não cresce, o pneu fura, chove demais, perdemos pessoas que amamos...
Mas, pensa só:
Tem graça viver sem rir de gargalhar, pelo menos uma vez ao dia? Tem sentido estragar o dia por causa de uma discussão na ida pro trabalho?
Eu quero viver bem... E você? 2009 foi um ano cheio de coisas boas, mas também de problemas e desilusões, tristezas e perdas, reencontros...
Normal...
2010 não vai ser diferente. Muda o século, o milênio muda, mas o Homem é cheio de imperfeições, a natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja, mas, e aí? Fazer o quê? Acabar com seu dia? Com seu bom humor? Com sua esperança?
O que eu desejo pra todos nós é sabedoria. E que todos nós saibamos transformar tudo em uma boa experiência. O nosso desejo não se realizou?
Beleza... Não estava na hora, não deveria ser a melhor coisa para esse momento (me lembro sempre de uma frase que ouvi e adoro: 'cuidado com seus sonhos, desejos, eles podem se tornar realidade').
Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano...
Mas, se a gente se entender e permitir olhar o outro e o mundo com generosidade, as coisas ficam diferentes. Desejo para todo mundo esse olhar especial!
2010 pode ser um ano especial, se nosso olhar for diferente.
Pode ser muito legal, se entendermos nossas fragilidades e egoísmos e dermos a volta nisso.
Somos fracos, mas podemos melhorar.
Somos egoístas, mas podemos entender o outro.
2010 pode ser o máximo, maravilhoso, lindo, especial!
Depende de mim... De você.
Pode ser... E que seja!'

Arnaldo Jabor

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

O QUE VAI MUDAR?


O que vai mudar na sua vida se eu desejar-lhe um Feliz Natal?
Nada, absolutamente nada.

Talvez alguns resquícios de boas energias te refresquem por alguns instantes.
Talvez até arranque um sorriso na hora, mais nada.

Agora, se eu sair e plantar uma simples árvore, e cuidar dela, em cada novo natal, ela será seu presente.
Presente que pode representar muito para cada um de nós.

Se eu sair, e na rua recolher um animalzinho ferido, abandonado, rejeitado e lhe der um lar, em seu nome estarei trazendo alegria, e a cada natal, você saberá que um coraçãozinho, se alegra por você.

Se eu visitar aquele asilo, e em seu nome, entoar canções, ler histórias, simplesmente conversar, ouvir com atenção a experiência de vida, desses idosos que ali estão, quanta emoção!
Seu Natal terá mais brilho, mais cor, coração...

Se eu der de comer ao que pede no portão, ao que hoje só tem o viaduto como teto, se eu falar de esperança e acolher cada criança, eu levarei seu nome em forma de luz, e seu Natal terá mais um convidado, que sentará a mesa com você,
e ceiará feliz com todos os presentes.
E se você olhar na parede, naquele retrato de Cristo na cruz, verá que a cruz está vazia.
Jesus sentou-se a mesa e convida: vem cear!

Este é o meu desejo real de um Feliz Natal.
Feliz natal com Cristo.

Paulo Roberto Gaefke

ATALHOS...


Quanto tempo a gente perde na vida?
Se somarmos todos os minutos jogados fora, perdemos anos inteiros.
Depois de nascer, a gente demora pra falar, demora pra caminhar,
aí mais tarde, demora pra entender certas coisas, demora pra dar o braço a torcer.
Viramos adolescentes teimosos e dramáticos.
Levamos um século para aceitar o fim de uma relação, e outro século para abrir a guarda para um novo amor, e já adultos demoramos para dizer a alguém o que sentimos, demoramos para perdoar um amigo, demoramos para tomar uma decisão.
Até que um dia a gente faz aniversário.
37 anos. Ou 41. Talvez 50.
Uma idade qualquer que esteja no meio do trajeto.
E a gente descobre que o tempo não pode continuar sendo desperdiçado.
Fazendo uma analogia com o futebol, é como se a gente estivesse com o jogo empatado no segundo tempo e ainda se desse ao luxo de atrasar a bola pro goleiro!
Ou fazer tabelas desnecessárias.
Que esbanjamento!
Não falta muito pro jogo acabar.
É preciso encontrar logo o caminho do gol.
Sem muita frescura, sem muito desgaste, sem muito discurso.
Tudo o que a gente quer, depois de uma certa idade, é ir direto ao assunto.
Excetuando-se no sexo, onde a rapidez não é louvada, pra todo o resto é melhor atalhar.
E isso a gente só alcança com alguma vivência e maturidade.
Pessoas experientes já não cozinham em fogo brando, não esperam sentados, não ficam dando voltas e voltas, não necessitam percorrer todos os estágios.

Queimam etapas.
Não desperdiçam mais nada.
Uma pessoa é sempre bruta com você?
Não é obrigatório conviver com ela.
O cara está enrolando muito?
Beije-o primeiro.

A resposta do emprego ainda não veio?
Procure outro enquanto espera.

Paciência só para o que importa de verdade.
Paciência para ver a tarde cair.
Paciência para sorver um cálice de vinho.
Paciência para a música e para os livros.
Paciência para escutar um amigo.
Paciência para aquilo que vale nossa dedicação.
Pra enrolação, atalho!

Martha Medeiros

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

DESAFIE-SE...


Desafie-se!
Crie "possibilidades" na sua vida.
Se você é vítima da timidez, suba num banquinho na praça, leia uma poesia (ainda que de olhos fechados), e não espere os aplausos, apenas sorria de contentamento.

Se você sofre com alguma fobia, experimente cutucá-la aos poucos.
Se o medo é de altura, suba na cadeira de casa e feche os olhos, imagine-se no Everest...
O sonho é livre, e é todo seu.

Se o pavor é de lugares fechados, se tranque nos braços de alguém, e bem apertado diga:
- não deixe espaço meu bem!

Se você treme com medo de bichinhos, sejam baratas, grilos ou borboletas, eu te respeito e até aceito, mas só para contrariar, pegue uma foto do bicho, e coloque como alvo para brincar com dardos.
De tanto ver a foto, você é capaz de se acostumar, e sentir o medo se esvaziar...

Fobias, medos, situações difíceis, todos nós guardamos em nossos "cantinhos da alma", um espaço escuro, um quartinho úmido, "uma sexta-feira 13 cheia de gatos pretos", que as vezes saem para nos assombrar.

Sabe qual é o melhor remédio?
ALEGRIA em tudo o que plantar.
ALEGRIA no caminhar e no falar.
Ser a própria certeza de que tudo vai passar.

Sorria, o" medo tem pavor da alegria", e foge assustado com a risada espontânea, remédio que age de forma instantânea, e dura uma eternidade.
Porque o riso de hoje, é aquilo que amanhã, chamamos de felicidade.
Seja Feliz!

Paulo Roberto Gaefke

FOFOCAR...


"Quem faz intrigas sobre a vida alheia quer ter algo de sua autoria, uma obra que se alastre e cresça, que se torne pública e que seja muito comentada. Algo que lhe dê continuidade. É por isso que fofocar é uma tentação. Porque nos dá, por poucos minutos, a sensação de ser portador de uma informação valiosa que está sendo gentilmente dividida com os outros.

Na verdade, está-se exercitando uma pequena maldade, não prevista no Código Penal. Fofocas podem provocar lesões emocionais. Por mais inocente ou absurda, sempre deixa um rastro de desconfiança.

Onde há fumaça há fogo, acreditam todos, o que transforma toda fofoca numa verdade em potencial. Não há fofoca que compense. Se for mesmo verdade, é uma bala perdida. Se for mentira, é um tiro pelas costas."

Martha Medeiros

OI JESUS, EU SOU O ZÉ...


Cada dia, ao meio dia, um pobre velho entrava na igreja e, poucos minutos depois, saía. Um dia, o sacristão lhe perguntou o que fazia, pois havia objetos de valor na igreja.

Venho rezar, respondeu o velho.
Mas é estranho, disse o sacristão, que você consiga rezar tão depressa.
Bem, retrucou o velho, eu não sei rezar aquelas orações compridas. Mas todo dia, ao meio dia, eu entro na igreja e falo: "Oi, Jesus, eu sou o Zé, vim Lhe visitar".
Num minuto, já estou de saída. É só uma oraçãozinha, mas tenho certeza que Ele me ouve.
Alguns dias depois, Zé sofreu um acidente e foi internado num hospital. Na enfermaria, passou a exercer grande influência sobre todos.
Os doentes mais tristes tornaram-se alegres e, naquele ambiente onde antes só se ouviam lamentos, agora muitos risos passaram a ser ouvidos.
Um dia, a freira responsável pela enfermaria aproximou-se do Zé e comentou: os outros doentes dizem que você está sempre tão alegre, Zé...
O pobre enfermo respondeu prontamente: é verdade, irmã. Estou sempre muito alegre! E digo-lhe que é por causa daquela visita que recebo todos os dias. Ela me faz imensamente feliz.
A irmã ficou intrigada. Já tinha notado que a cadeira encostada na cama do Zé estava sempre vazia. Aquele velho era um solitário, sem ninguém.
Quem o visita? E a que horas? Perguntou-lhe.
Bem, irmã, todos os dias, ao meio dia, ele vem ficar ao pé da cama por alguns minutos, talvez segundos... Quando olho para Ele, Ele sorri e me diz: "Oi, Zé, eu sou Jesus, vim te visitar".
A história é singela e seu autor é desconhecido.
No entanto, o ensinamento que contém nos faz refletir profundamente.
Fala-nos da fé, da simplicidade, da dedicação e da perseverança.
Quem de nós dispõe, como o Zé, diariamente, de alguns minutos para falar com Jesus?
Muitos ainda confundimos a oração com um amontoado de palavras que vão saindo da boca, destituídas de sentimento e de humildade.
Quantos de nós temos tal perseverança, tanto nas horas de alegria quanto nas de dor, para elevar o pensamento a Jesus, confiando-lhe a nossa intimidade, com a certeza de que ele nos ouvirá?
A oração é uma ponte que se distende da alma opressa para que o alívio possa chegar.

"É o fio misterioso, que nos coloca em comunhão com as esferas divinas."
"É um bálsamo que cura nossas chagas interiores."
"É um templo, em cuja doce intimidade encontraremos paz e refúgio".
Enfim, "para as sombras da nossa alma, a oração será sempre libertadora alvorada, repleta de renovação e luz."

É importante que cultivemos a fé inabalável nas soberanas leis que regem a vida e das quais o Sublime Galileu nos trouxe notícias.
É preciso orar, ainda que a nossa oração seja singela, mas que seja movida pelo sentimento.

"Orando, chegarás ao Senhor, que te deu, na prece, um meio seguro de comunicação com a infinita bondade de Deus, em cujo seio dessedentarás o espírito aflito..."

Texto da Equipe de Redação do Momento Espírita

domingo, 20 de dezembro de 2009

TUDO NA VIDA VALE A PENA...


Arrisque-se, ficar em casa com a cabeça no travesseiro só irá aumentar o sentimento de fraqueza, vazio e tristeza dentro do seu coração.
Lave o rosto, ponha uma roupa e bote a cara para apanhar.
Não há nenhuma experiência na vida que não deixará um rastro permanente em você.
Não há nenhuma decepção na vida que não trará a superação e a experiência.
Quem vence não sai ganhando tanto quanto o vencido.
Talvez, só passar pela vida não seja de todo mal e sim o melhor que possamos fazer.
Isto não faz de nós fracassados e piores do que aqueles que escreveram suas biografias.
Aceite as coisas que a vida lhe traz.
A vida muda porque tem que mudar.
E por mais que você tente, certas coisas nunca voltarão a serem as mesmas, aceite isso e conviva com isso.
Não leve a vida como um trem que segue seu caminho pré-determinado por um trilho, mas sim como um avião que não tem limite assim como o horizonte não conhece seu fim.
Faça do infinito sua meta, como aquele que por não saber que era impossível, foi lá e fez.
Acredite nas pessoas, todos erram, inclusive você.
O importante na vida não é que você se enganou sobre as pessoas, mas que você pode mudar sua opinião sobre elas.
Acima de tudo, acredite no amor. Acredite que ele muda sim, tudo a sua volta para melhor.
O universo conspira para que as coisas dêem certo pra você, acredite nisso.
Não perca as oportunidades únicas na sua vida, agarre-as com vontade, mesmo que o medo fale mais forte.
Não deixe o medo ser o dono de tua vida, ele poderá te salvar de algumas, mas poderá te impedir de muitas.
Tenha sempre, isso é importante, "atitude".
Tome a iniciativa, de o primeiro passo, largue antes da partida. Quem sai na frente tem mais chance de chegar na frente.
Não use filtro solar, use bronzeador. Exponha-se para a vida e absorva tudo que de bom ela te ensinar.
Não se proteja das decepções, enfrente-as e às vença. Saiba que sempre após as tormentas vem a calmaria.
Ame sua família, ela é seu refúgio e seu pilar de sustentação. Mas não a procure somente nas horas ruins.
Partilhe suas felicidades, seus medos e suas tristezas com aqueles que são responsáveis pela sua passagem pela vida.
Mesmo que não seja de sangue, sua família são aqueles que você tem para toda a vida. Seus país, seus avôs, seus irmãos, um amigo, um cachorro ou um papagaio.
Acredite no valor da amizade. Ela existe, pode acreditar. Confie, ame, chore, brinque e lute por seus amigos.
Entre na frente de balas de canhão por eles, eles entrariam na frente por você.
Curta sua vida, se divirta, mas tenha responsabilidade.
Ninguém admira pessoas com idade elevada que curtam a vida com irresponsabilidade como se tivessem 18 anos.
Beba, se quiser. Fume, se quiser. Mas lembre-se do que aquilo lhe fará a longo prazo e talvez a curto prazo.
Não se lamente caso um cigarro lhe traga a doença e não fale que você não precisava daquilo. Você achava que precisava quando o fez.
Assuma seus erros, conserte-os. Se não conseguiu, peça desculpas e levante a cabeça.
Seus erros serão admirados conforme a atitude que irá tomar para lhes superar.
Lembre-se daqueles que se foram não como um adeus, mas como um até logo. Acredite, você os reencontrará.
As pessoas vêm e vão, aceite, mas não as esqueça.
Seja feliz, e faça os outros felizes.
Ser feliz não é ter tudo perfeito na vida, é ver a felicidade nas pequenas coisas, no sorriso de uma criança que lhe sorriu na fila do supermercado sem ao menos ter porquê; em um simples beijo entre dois velhinhos em uma praça; ou até mesmo na televisão fora do ar, saia de casa, dê uma volta e encontre-se com quem te faça feliz.
A felicidade não se esconde, ela se mostra, da bandeira, e quer ficar ao seu lado. Não vire as costas para ela.
Chame-a aos poucos que ela te visitará. Trate-a bem para que ela venha morar em sua casa.
E acima de tudo, não viva sozinho. Encontre o amor e compartilhe-o. As pessoas são mais felizes quando tem alguém em quem deitar a cabeça nos ombros, fechar os olhos e suspirar ate brotar nos lábios um doce "Eu Te Amo".
Afinal de contas, viver vale a pena. Se vale!
Mateus Henrique

SONHE...


Sonhe com as estrelas, apenas sonhe, elas só podem brilhar no céu.
Não tente deter o vento, ele precisa correr por toda parte, ele tem pressa de chegar, sabe-se lá aonde.
As lágrimas?
Não as seque, elas precisam correr na minha, na sua, em todas as faces.
O sorriso!
Esse, você deve segurar, não o deixe ir embora, agarre-o!
Persiga um sonho, mas, não o deixe viver sozinho.
Alimente a sua alma com amor, cure as suas feridas com carinho.
Descubra-se todos os dias, deixe-se levar pelas vontades, mas, não enlouqueça por elas.
Abasteça seu coração de fé, não a perca nunca.
Alague seu coração de esperanças, mas, não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-as.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!

Circunda-se de rosas, ama, bebe e cala, o mais é nada.
Segue o teu destino, rega as tuas plantas, ama as tuas rosas, o resto é a sombra de árvores alheias.

Fernando Pessoa

MEU NOME É DESAFIO...


O problema só é problema quando se apresenta.
Logo depois do choque inicial, ele passa a ser desafio.
Por isso é tão gratificante vencê-lo, e por isso nos esforçamos.
Mas porque os problemas dão tanto medo e fazem sofrer?
Os problemas representam o desconhecido, e ninguém gosta de entrar em uma rua escura, tarde da noite e em bairro desconhecido.
Mas, no dia seguinte, a mesma rua sob a influência do sol, se transforma, é outra,
e pode até acabar sendo as ruas da nossa futura casa.

Você já andou pela sua casa de madrugada sem acender nenhuma luz?
Já foi até o banheiro ou assaltar a geladeira sem tropeçar em nada?
Tenho certeza que foi preciso um tempo para o seu cérebro assimilar o trajeto
e guardar a informação de que você pode andar no escuro sem medo, sem riscos.
Assim, os problemas quando se apresentam são como quartos escuros, onde precisamos tatear as paredes e objetos para chegar até a luz.

Tudo pode ser vencido, mesmo que demore anos, que passe muito tempo aos olhos da "vida moderna e imediatista" que não sabe esperar, ainda assim, quando "chegamos lá" onde muita gente apostou que não conseguiríamos chegar, a satisfação é tão grande que nos esquecemos do início, onde acreditávamos em "problemas".

O verdadeiro problema está em desacreditar da nossa capacidade de SUPERAÇÃO.
E superação é o mover-se com determinação no sentido contrário da dor, é mover os olhos para outra direção, é olhar para frente, ainda que ás lágrimas deixem a visão meio embaçada, é saber que após a grande tempestade, o sol vai se abrir, o chão vai florir
e tudo recomeça para quem não deixou de acreditar.

Tá com problemas?
Que bom!
"São desafios que vem testar a sua capacidade de vencer a própria duvida.
Depois deles, você será muito melhor.
Acredite em você."

Paulo Roberto Gaefke

Josh Groban - "You Are Loved" - Awake Live

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

COISAS QUE APRENDI COM VOCÊ...


Essa é uma mensagem que todos os pais deveriam ler, porque seus filhos estão olhando você e memorizando o que você faz, não o que você diz.

"Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você pegar o primeiro desenho que fiz e prendê-lo na geladeira, e, imediatamente, eu tive vontade de fazer outro para você.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você dando comida a um gato de rua, e eu aprendi que é legal tratar bem os animais.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você fazer meu bolo favorito para mim e eu aprendi que as coisas pequenas podem ser as mais especiais na nossa vida.

Quando você pensava que eu não estava olhando, ouvi você fazendo uma oração, e eu aprendi que existe um Deus com quem eu posso sempre falar e em Quem eu posso sempre confiar.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você fazendo comida e levando para uma amiga que estava doente, e eu aprendi que todos nós temos que ajudar e tomar conta uns dos outros.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você dando seu tempo e seu dinheiro para ajudar as pessoas mais necessitadas e eu aprendi que aqueles que têm alguma coisa devem ajudar quem nada tem.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu senti você me dando um beijo de boa noite e me senti amado e seguro.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você tomando conta da nossa casa e de todos nós, e eu aprendi que nós temos que cuidar com carinho daquilo que temos e das pessoas que gostamos.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi como você cumpria com todas as suas responsabilidades,
mesmo quando não estava se sentindo bem, e eu aprendi que tinha que ser responsável quando eu crescesse.

Quando você pensava que eu não estava olhando eu vi lágrimas nos seus olhos, e eu aprendi que, às vezes,
acontecem coisas que nos machucam, mas que não tem nenhum problema a gente chorar.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi que você estava preocupada e
eu quis fazer o melhor de mim para ser o que quisesse.

Quando você pensava que eu não estava olhando foi quando eu aprendi a maior parte das lições de vida que
eu precisava para ser uma pessoa boa e produtiva quando eu crescesse.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu olhava para você e queria te dizer:
Obrigado por todas as coisas que eu vi e aprendi quando você pensava que eu não estava olhando!"

(Autor Desconhecido)

DEFEITOS...


Tenho um monte de defeitos, e quem não os tem?
O estranho é que alguns defeitos eu carreguei durante muito tempo como se fossem qualidades. Sabe aquelas pessoas que falam tudo o que pensam na cara dos outros, e acreditam que esta é a sua melhor qualidade, e saem magoando todo mundo com a sua "sinceridade"?
Pois é, algo assim, só depois de muito tempo, fui percebendo que aquilo não era qualidade, mas um defeito que era ligado a uma carência ou medo, não sei direito, só sei que a dor que eu via refletida nas pessoas que eu gostava e até aquelas que tentavam se aproximar de mim, foi me mostrando que eu estava errado.

A grande qualidade dos defeitos, se é que podemos dizer assim, é de mostrar que não somos perfeitos, e que estamos realmente num caminho de evolução.
Conforme o tempo vai passando, nossas experiências vão apontando caminhos, e chega aquele momento onde podemos fazer as nossas escolhas, é o tal do "livre-arbítrio", que tanta gente comenta, mas as vezes não explica...

Agora, uma coisa precisa ficar bem claro: não queira mudar para agradar alguém!
Se você tentar mudar para agradar a geral, vai se decepcionar, pois nem Jesus Cristo, com toda a sua "santidade" conseguiu ou, consegue unanimidade, tem muita gente que ama, mas existem um outro tanto que desconhece, que não suporta, que não aceita suas idéias.
Imagine as nossas idéias?

Mude primeiro por você, quando sentir que aquela sua "mania", que você até acredita que é uma "qualidade", está prejudicando a sua vida, os seus relacionamentos, o seu trabalho e até afastando às pessoas da sua convivência. É hora de deixar cair a ficha é a hora de mudar.

Mas, preste atenção: não se maltrate, não fique se recriminando, o grande barato da descoberta dos nossos erros é a possibilidade de consertar ou amenizar algumas das "besteiras" que fizemos, através daquela palavra mágica "desculpe-me!"... eita palavrinha poderosa quando dita com sinceridade.
Ah! esqueci de te avisar: errar continua sendo humano demais, por isso, errou, faça de novo, até acertar, pois o grande erro é pensar que não se pode melhorar, seja lá o que for.
Eu acredito em você!

Paulo Roberto Gaefke

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

VASO RACHADO...


Certo carregador de água tinha 2 grandes potes, cada um pendurado numa ponta de um cabo, o qual ele carregava sobre seus ombros. Um dos potes tinha uma rachadura, enquanto o outro pote era perfeito e sempre levava a porção completa de água até o final da longa caminhada.
O pote rachado chegava só com a metade.
Por 2 anos isto se repetiu diariamente, com o carregador trazendo apenas um pote e meio de água.
Naturalmente, o pote perfeito estava orgulhoso de seu desempenho, perfeito para o propósito a que tinha sido feito.
Mas o pobre pote rachado estava envergonhado de sua própria imperfeição, e miserável por ser capaz de alcançar apenas metade daquilo a que tinha sido feito para fazer.
Depois de 2 anos do que sentia ser uma falha insuportável, ele um dia falou ao carregador perto de um riacho:

- Estou envergonhado de mim mesmo, disse o pote, e eu quero me desculpar com você.
- Por quê? - perguntou o carregador.
- Do que você está envergonhado?
- Tenho conseguido, nestes últimos 2 anos, entregar apenas metade de meu carregamento porque esta rachadura faz com que a água vaze por todo o caminho.

Por minha causa, você tem que realizar todo este trabalho, e você não recebe todo o valor de seus esforços, disse o pote.
O carregador sentiu pena do velho pote rachado, e em sua compaixão ele disse:

- Enquanto nós voltarmos à casa, eu quero que você note as flores lindas que há ao longo da trilha.

De fato, à medida que eles subiram a colina, o velho pote rachado notou o sol que aquecia as lindas flores silvestres ao lado da trilha, e isto o animou um pouco.
Mas ao final da trilha, ele ainda se sentia mal porque tinha vazado metade de seu carregamento, e novamente se desculpou com o carregador por sua falha.
O carregador disse ao pote:

- Você notou que havia flores apenas em seu lado da trilha, mas nenhuma do lado do outro pote?
É porque eu sempre soube da sua rachadura,e eu aproveitei isso para o bem.
- Eu plantei sementes de flores do seu lado da trilha, e a cada dia enquanto eu voltava do riacho, você as regou. Por 2 anos eu tenho sido capaz de colher estas lindas flores para decorar a minha mesa.

Sem você ser do jeito que você é, e com a rachadura que você tem eu nunca teria esta beleza para embelezar a minha casa.

domingo, 13 de dezembro de 2009

A FELICIDADE PODE DEMORAR...


Às vezes as pessoas que amamos nos magoam, e nada podemos fazer senão continuar nossa jornada com nosso coração machucado.
Às vezes nos falta esperança. Às vezes o amor nos machuca profundamente, e vamos nos recuperando muito lentamente dessa ferida tão dolorosa.
Às vezes perdemos nossa fé, então descobrimos que precisamos acreditar, tanto quanto precisamos respirar... é nossa razão de existir.
Às vezes estamos sem rumo, mas alguém entra em nossa vida, e se torna o nosso destino.
Às vezes estamos no meio de centenas de pessoas, e a solidão aperta nosso coração pela falta de uma única pessoa.
Às vezes a dor nos faz chorar, nos faz sofrer, nos faz querer parar de viver, até que algo toque nosso coração, algo simples como a beleza de um pôr do sol, a magnitude de uma noite estrelada, a simplicidade de uma brisa batendo em nosso rosto.
É a força da natureza nos chamando para a vida.

Você descobre que as pessoas que pareciam ser sinceras e receberam sua confiança, te traíram sem qualquer piedade.
Você entende que o que para você era amizade, para outros era apenas conveniência, oportunismo.
Você descobre que algumas pessoas nunca disseram eu te amo, e por isso nunca fizeram amor, apenas transaram...

Descobre também que outras disseram eu te amo uma única vez.
E agora temem dizer novamente, e com razão, mas se o seu sentimento for sincero poderá ajudá-las a reconstruir um coração quebrado.
Assim ao conhecer alguém, preste atenção no caminho que essa pessoa percorreu, são fatores importantes: a relação com a família, as condições econômicas nas quais se desenvolveu.
(dificuldades extremas ou facilidades excessivas formam um caráter), os relacionamentos anteriores e as razões do rompimento, seus sonhos, ideais e objetivos.

Não deixe de acreditar no amor. Mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá.
Manifeste suas idéias e planos, para saber se vocês combinam. E certifique-se de que quando estão juntos, aquele abraço vale mais que qualquer palavra.
Esteja aberto a algumas alterações, mas jamais abra mão de tudo, pois se essa pessoa te deixar, então nada irá lhe restar.

Tenha sempre em mente que às vezes tentar salvar um relacionamento, manter um grande amor, pode ter um preço muito alto se esse sentimento não for recíproco.
Pois em algum outro momento essa pessoa irá te deixar e seu sofrimento será ainda mais intenso, do que teria sido no passado.

Pode ser difícil fazer algumas escolhas, mas muitas vezes isso é necessário.
Existe uma diferença muito grande entre conhecer o caminho e percorrê-lo.
A tristeza pode ser intensa, mas jamais será eterna.
A felicidade pode demorar a chegar, mas o importante é que ela venha para ficar e não esteja apenas de passagem...

Luiz Fernando Veríssimo

Campanha de incentivo a leitura

POEMA EM LINHA RETA...


Nunca conheci quem não tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.
E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo,
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
Para fora da possibilidade do soco;
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.
Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe - todos eles príncipes - na vida...
Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó príncipes, meus irmãos,
Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo?
Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra?
Poderão as mulheres não os terem amado,
Podem ter sido traídos - mas ridículos nunca!
E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
Eu, que venho sido vil, literalmente vil,
Vil no sentido mesquinho e infame da vileza.

Fernando Pessoa

QUASE...


Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase.
É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.
Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou.
Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.
Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cór, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz.
A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai.
Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza.
O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.
Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém,preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.
Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo.
De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.
Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar.
Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

(Autoria atribuída a Luís Fernando Veríssimo, mas que ele mesmo diz ser de Sarah Westphal Batista da Silva, em sua coluna do dia 31 de março de 2005 do jornal O Globo)

sábado, 12 de dezembro de 2009

QUEM AMA DIVIDE

TV destrói

UM PONTO

POSSESSO

Quando a Morte está Ocupada

CÃO TRAIDO

4x4 WaveRunner

BEAUTY CHANGED

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

SABOREIE SEU CAFÉ...


Um grupo de ex-alunos, todos muito bem estabelecidos profissionalmente, se reuniu para visitar um antigo professor da universidade. Em pouco tempo, a conversa girava em torno de queixas de estresse no trabalho e na vida como
um todo. Ao oferecer café aos seus convidados, o professor foi à cozinha e retornou com um grande bule e uma variedade de xícaras - de porcelana, plástico, vidro, cristal; algumas simples, outras caras, outras requintadas;
dizendo a todos para se servirem.
Quando todos os estudantes estavam de xícara em punho, o professor disse:
"Se vocês repararem, pegaram todas as xícaras bonitas e caras, e deixaram as simples e baratas para trás. Uma vez que não é nada anormal que vocês queiram o melhor para si, isto é a fonte dos seus problemas e estresse.
Vocês podem ter certeza de que a xícara em si não adiciona qualidade nenhuma ao café. Na maioria das vezes, são apenas mais caras e, algumas vezes, até ocultam o que estamos bebendo. O que todos vocês realmente queriam era o café, não as xícaras, mas escolheram, conscientemente, as melhores xícaras... e então ficaram de olho nas xícaras uns dos outros.
Agora pensem nisso: A Vida é o café, e os empregos, dinheiro e posição social são as xícaras. Elas são apenas ferramentas para sustentar e conter a Vida e o tipo de xícara que temos não define, nem altera, a qualidade de Vida que vivemos. Às vezes, ao concentrarmo-nos apenas na xícara, deixamos de saborear o café que Deus nos deu."
Deus coa o café, não as xícaras... Saboreie seu café!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

COMO SER AGRADAVEL...


Um jardineiro tratava com cuidado da propriedade de influente juiz de Direito.
Pouco se falavam, e sua relação beirava a frieza.
O juiz raras vezes se dirigia àquele empregado para transmitir alguma orientação mas, naquele dia, foi ao seu encontro para dar sugestões sobre onde plantar uma e outra árvore.
As orientações foram passadas de forma direta, séria, sem rodeios e gentileza.
Num determinado momento, mudando o rumo da conversa, o jardineiro disse:
Sr. Juiz, o senhor tem uma excelente distração!
Estive admirando seus lindos cães. Penso que o senhor já conseguiu vários primeiros lugares em exposições!
O efeito dessa pequena dose de apreciação foi grande.
Sim. - respondeu o juiz, esboçando sorriso orgulhoso.
Os meus cães me servem de excelente distração. Gostaria de ver o meu canil?
Passou quase uma hora mostrando-lhe os cães e os prêmios que eles tinham recebido.
Ele mesmo foi buscar os pedigrees e explicou os cruzamentos responsáveis por tanta beleza e inteligência.
Depois de um tempo, o juiz, de cenho já muito modificado, virou-se para o jardineiro e perguntou:
Tem algum filhinho?
A pergunta pegou o jardineiro de surpresa, pois nunca antes lhe havia sido feito um questionamento pessoal.
Sim, tenho. - respondeu, timidamente.
Bem, ele não gostaria de um cachorrinho?
Oh, o seu contentamento não teria limites! - afirmou o homem com sorriso nos olhos.
Pois bem, vou dar-lhe um. - disse o juiz.
Então começou a ensinar como alimentar o cãozinho. Parou um pouco.
Você esquecerá de tudo quanto eu lhe disser. É melhor que eu escreva.
O juiz entrou, escreveu à máquina o pedigree e as instruções sobre alimentação e as entregou ao jardineiro, junto com o cachorrinho valioso.
Gastou mais de uma hora de seu tempo explicando, ensinando, pois havia sido conquistado pelo comportamento agradável daquele homem simples.
Analisando melhor toda cena, veremos que o jardineiro nada mais fez do que um rápido elogio, proferindo algumas palavras agradáveis ao outro.
O juiz, sentindo-se valorizado, teve prazer em estender a conversa e ainda deixou brotar em si um sentimento de fraternidade, pensando no outro, em seu filho, terminando por lhe oferecer um presente.

Gentileza gera gentileza.
Ser agradável contagia e derruba qualquer cenho carregado, qualquer mau humor momentâneo.
Numa sociedade onde tantas palavras desagradáveis correm soltas aqui e ali, onde tantas reclamações e xingamentos incendeiam os ânimos e machucam as almas, faz-se importante aprender a ser agradável.
Ser agradável sempre, independente da situação que estejamos vivendo, independente de como estamos sendo tratados e recebidos.
Agindo assim filtramos o ambiente pesado do mundo, e espalhamos o perfume da fraternidade.
Tal comportamento traz sempre frutos bons e surpreendentes pois representa, em sua essência, o amor.

Redação do Momento Espírita inspirado no cap. 6, do livro Como fazer amigos e influenciar pessoas, de Dale Carnegie, ed. Companhia Editora Nacional.

RENOVAÇÃO...


Vejo daqui, do lugar mais alto, seres humanos correndo como baratas tontas, atrás do vento que soprou mais forte,
atrás do sonho embalado em papel celofane dourado, atrás da imagem que ele mesmo criou, fantasias da perturbação...

Almas aflitas entregando-se ao sofrimento, perdidas em desejos tão tolos, jogadas ao vento:
a vida é tão simples, pede atitudes serenas, pede dedicação ao bem, elevação de pensamentos, e os homens se perdem em disputas tolas.

Uns querem ser mais sábios, e humilham o próximo, outros querem ser mais fortes, e massacram os indefesos.
Há os que querem ser mais belos e deformam o corpo.
Vaidade tola, tempo perdido, sofrimento desnecessário.

A vida tem estradas definidas.
Rotas seguras que o homem pode seguir, mas ele insiste em criar atalhos, criando pontes que levam o nada ao lugar nenhum.
Estradas de ilusão, terra de sonhos vãos...

Será que há tesouro maior que uma família reunida?
Será que existe bem mais valioso que a saúde?
Será que existe jóia mais valiosa que a paz?
Será que há festa mais preciosa que uma boa noite de sono?
Será que existe roupa mais bela que o próprio corpo?
Será a formatura, mais importante que o conhecimento adquirido?

É chegado o tempo de definir de verdade, o que importa para sua vida, para sua felicidade.
Esquecer as dores do passado, construir um novo dia, com tijolos firmes da esperança, porque a eternidade é uma criança, e você, o alicerce do mundo, base da renovação, haste da flor, deste novo tempo que desejamos, cheio de amizade e amor.

Para que tudo comece mudar, por favor:
- Não desista de você!

Paulo Roberto Gaefke

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

O ESPÍRITO DO NATAL...


Deixa eu ver se o espírito do Natal já está na sua casa.
Não, não quero ver a árvore iluminada na sala, nem quero saber quanto você já
gastou em presentes.
Quero sim, sentir no ambiente a mensagem viva do aniversariante desse Dezembro mágico:toda a família está unida?
O perdão já eliminou aquelas desavenças que ocorrem no calor das nossas vidas?
Não quero ver a sua despensa cheia, quero saber se você conseguiu doar alguma coisa do que lhe sobra, para quem tem tão pouco, às vezes nada.
Não exiba os presentes que você já comprou, mesmo com sacrifício, quero ver aí dentro de você a preocupação com aqueles que esperam tão pouco, uma visita, um telefonema, uma carta, um e-mail...
Quero ver o espírito do Natal entre pais que descobrem tempo para os filhos, em amigos que se reencontram e podem parar para conversar, no respeito do celular desligado no teatro, na gentileza de quem oferece o banco para o mais idoso, na paciência com os doentes, na mão que apóia o deficiente visual na travessia das ruas, no ombro amigo que se oferece para quem anda meio triste, perdido.
Quero ver o espírito de Natal invadindo as ruas, respeitando os animais, a natureza que implora por cuidados tão simples, como não jogar o papel no chão, nem o lixo nos rios.
Não quero ver o Natal nas vitrines enfeitadas, no convite ao consumo, mas no enfeite que a bondade faz no rosto das pessoas generosas.
Por fim, mostre-me que o espírito do Natal entrou definitivamente na sua vida,
através do abraço fraterno, da oração sentida, do prazer de andar sem drogas e sem bebidas, do riso franco, do desejo sincero de ser feliz e de tão feliz, não resistir ao desejo de fazer outras pessoas, também felizes.
Deixe o Natal invadir a sua alma, entre os perfumes da cozinha que vai se encher de comidas deliciosas, no cheiro da roupa nova que todos vão exibir, abrace-se à sua família e façam alguns minutos de silêncio, que será como uma oração do coração, que vai subir aos céus, e retornar com um presente eterno, duradouro:
o suave perfume de Jesus, perfume de paz, amor, harmonia e a eterna esperança de que um dia, todos os dias serão como os dias de Natal.
Feliz Natal para você e para os seus!

Paulo Roberto Gaefke

QUEM TEM PODER...


Muito curiosa é a marcha do ser humano em busca do que ele considera uma grande conquista. E dentro desse contexto, está a sede pela posse do poder.
E o poder tem se constituído numa verdadeira obsessão. Em todos os tempos há os que o buscam de forma incessante, incansável e perturbadora.
Há os que desejam o poder do dinheiro, mas a morte os afasta das propriedades e dos cofres abarrotados, para que experimentem, no país da verdade, as realidades da vida.
Há os que espreitam o poder da política terrena, ansiosos, mas a morte os exclui das decisões bem urdidas, dos conchavos escusos, onde se julgavam fortes, imbatíveis, para que possam identificar as realidades da vida.
Há aqueles que se impõem, respeitados por uns, temidos por muitos, dominando exércitos submissos ao seu comando arbitrário, caprichoso; mas a morte arranca-lhes a espada e a lança, fazendo silenciar a sua voz de comando, conduzindo-os ao contato das realidades da vida.
Em tronos de soberba e crueldade, há os que se envaidecem, os que se vangloriam, tendo os ombros recobertos de púrpura, tendo coroas de gemas e ouro sobre atormentadas frontes. A morte, porém, rouba-lhes o cetro, desaloja-os do trono de ilusão e lhes impõe o conhecimento das realidades da vida.
Há muitos que exercem poder sobre familiares indefesos que, frágeis, suportam ameaças, violências físicas e morais, pondo à mostra seu temperamento ácido. No entanto, chega a morte e lhes desarticula da presunção, desarma-lhes a prepotência, arremessando-os para as realidades da vida.
Nenhum poder tipicamente do mundo resiste às transformações que o tempo a tudo impõe.
Em verdade, somente a vida, a vida do espírito imortal, carrega em suas engrenagens as lentes ideais para que se veja e entenda o que realmente existe como força no mundo todo.
A morte, então, é transformada em eficiente mensageira da realidade, com o objetivo de destronar os orgulhosos, de desmascarar os enganados e desmoralizar os hipócritas.
Do mesmo modo, essa mensageira abençoa os que trabalham com honestidade e lucidez nos campos terrenos, permitindo-lhes usufruir da ventura semeada.
A morte, agindo sobre o corpo físico, determina o final das experiências enlouquecidas da alma sobre a terra, fazendo fechar-se o ciclo de abusos, de desmandos, a fim de que o espírito, esse viajante da evolução, possa cair em si, através de meditações profundas, despertando para as realidades da vida.
Quem detém o verdadeiro poder, no mundo, é todo o indivíduo que se acostumou a construir a paz dentro de si, por meio de árduas disciplinas, conseguindo espalhá-la em derredor.
O verdadeiro poder no mundo pertence àquele que trabalha com honradez, calejando as próprias mãos, simbolicamente, ajudando a iluminar as estradas sombrias do planeta.
Somente aqueles que sabem renunciar aos convites dos vícios do mundo, a fim de conquistar as virtudes sublimes que valorizam o íntimo da criatura, é que são reais detentores do mais grandioso poder: o poder sobre si mesmos.

O poder do mundo é passageiro, é precário, é temporal. O poder do espírito é imorredouro e propicia a verdadeira felicidade a quem o possui.
O poder real é daquele que tudo podendo exigir, torna-se, na terra, o verdadeiro servidor de todos.

(Cap. VI do livro: "Ante o vigor do espiritismo", de Raul Teixeira, ed. Fráter.)

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

O PLANTAR...


Eu tive condições de plantar o amor, plantei paixões imediatas, veio a dor.
Eu podia dividir o pedaço de pão, mas reclamei de barriga cheia, e veio a fome.
Eu podia ser solidário, mas me entreguei a lamentação, restou apenas a solidão.
Eu podia seguir a luz, mas fiquei no canto escuro, quando pediram a minha opinião, fiquei em cima do muro.
Eu podia seguir qualquer caminho, preferi o das facilidades, no começo era sempre florido, mas pouco depois, só infelicidade.
Eu podia sorrir e seguir adiante, mas o choro era mais forte, reclamei da vida, perdi oportunidades e briguei com a morte.
Eu tive tantos amigos, mas abusei deles, exigia tanto que se cansavam, eu me isolei.
O orgulho me cegou, eu me achava superior, na minha ignorância, eu não precisa de Deus.
No meio do caminho de espinhos, sentei e chorei.
Era preciso encontrar uma solução, cansei.
Cansei de sofrer, de sentir-me tão só!
Foi ai que tirei as sandálias, e vi os desvalidos.
Eu era tão orgulhoso, que não ouvia seus gemidos, e pude perceber que podia fazer alguma coisa, eu podia, com as minhas deficiências, servir, dividi meu pão, amparei os caídos, limpei feridas, animei os que desistiam.
E assim, em meio aos problemas dos outros, eu me vi forte, e resistindo a insegurança, me vi menino, homem com alma de criança.
Surpreso, me encontrei fazendo a caridade, lavei a minha alma, encontrei a serenidade.
Entre os mais carentes, descobri que era rico, entre os mais necessitados, descobri o que tinha e não valorizava.
Hoje sigo confiante, tudo faz sentido, até nos problemas vejo uma luz, e posso afirmar com toda certeza:
- a fraternidade é o caminho seguro, que nos aproxima de Jesus.

Paulo Roberto Gaefke
Ocorreu um erro neste gadget