Páginas

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

O JUGO SUAVE...


Em conhecida passagem do Evangelho, Jesus afirma:
Vinde a mim, todos vós que estais aflitos e sobrecarregados, que eu vos aliviarei.
Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei comigo que sou brando e humilde de coração e achareis repouso para vossas almas, pois é suave o meu jugo e leve o meu fardo.
O convite é tentador, pois o Mestre promete alívio para as dores humanas.
Também garante repouso para as almas, ao afirmar que Seu jugo é suave e Seu fardo é leve.
Em um mundo turbulento, alívio, repouso, suavidade e leveza são autênticos tesouros.
Em meio à correria da vida moderna, é possível ser rico de tudo, menos de paz.
Por vezes, as tarefas e os compromissos surgem esmagadores.
Na busca de sucesso e de bens materiais, as pessoas perdem a noção do que realmente importa.
As horas de trabalho são multiplicadas, talvez desnecessariamente.
Para comprar um carro mais novo ou uma casa maior, abre-se mão de um precioso tempo de repouso ou meditação.
A convivência familiar torna-se algo secundário.
Garante-se que os filhos tenham acesso às melhores escolas, mas se abre mão de transmitir-lhes valores.
Os jovens são instruídos, mas não educados.
Para lucrar bastante, profissionais deixam de lado a ética.
Passam a ter vergonha de si próprios, enquanto ganham muito dinheiro.
Com o objetivo de terem companhia, ainda que temporária, muitas mulheres abdicam de sua dignidade feminina.
Para parecerem modernos, jovens aceitam experimentar cigarros, bebidas e drogas.
Tudo parece valer a pena, desde que seja possível surgir aos olhos alheios como bem-sucedido.
Entretanto, a alma permanece carente de paz.
As conquistas materiais cintilam, mas os seus possuidores adoecem, desenvolvem problemas de sono e distúrbios psicológicos os mais diversos.
São ricos de coisas e de distrações, mas lamentáveis em seu desequilíbrio.
Estão conquistando o mundo, mas perdendo a si próprios.
Nesse contexto turbulento, convém recordar as palavras do Cristo.
Ele ofereceu alívio, repouso, suavidade e leveza.
São genuínos tesouros, que ninguém pode roubar.
Oscilações da Bolsa de Valores, desemprego, doenças e traições, nada consegue afetar o verdadeiro equilíbrio espiritual.
Quem adquire paz de espírito jamais a perde.
Mas é importante observar que Jesus não apenas fez o oferecimento.
Também recomendou que se aprendesse com Ele, que é brando e humilde de coração.
Ou seja, é preciso seguir os exemplos do Cristo, a fim de se viver em paz.
Ele enfatizou a importância da brandura e da humildade.
Assim, para não se perder nas ilusões mundanas, importa manter-se humilde.
Igualmente convém desenvolver brandura, não se imaginar em combate feroz com os semelhantes.
Não é preciso vencer ninguém para ser feliz.
Instruir-se e trabalhar, pois isso é necessário à vida.
Mas não gastar tempo em disputas vãs ou ilusões passageiras.
Jamais admitir corromper a própria essência, mesmo diante das maiores tentações.
Havendo dúvida sobre a conduta correta, recordar a figura digna e sábia de Jesus.
Ter em mente os sublimes exemplos do Cristo é o melhor antídoto contra ilusões que apenas causam sofrimentos.
Segui-los pode não ser fácil, mas eles constituem um jugo suave, na medida em que propiciam a verdadeira paz.
Pense nisso.
Redação do Momento Espírita.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget