Páginas

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

PRECONCEITO...


O preconceito é uma "bolsa de veneno", que carregamos dentro de nós, como os "animais peçonhentos", mas com uma grande diferença: os animais só usam o seu veneno para defesa.
Já os seres humanos, usam o preconceito sem medidas.
Normalmente, fruto de um profundo desamor por si mesmo.
Na ausência de valores mais simples, como a humildade.
Sem humildade, o preconceito é como praga nos jardins, tiram a beleza das flores, vai sugando as energias da "boa terra".
Não se fie nas aparências, não se apegue às conquistas materiais.
Não confie no que acumulou, nem nos diplomas, nem nos títulos.
Confie na sua intuição, na simplicidade.
Eu vi num instante:
- uma mansão à beira mar ser engolida pelas ondas,
- um hotel luxuoso desmoronar com o terremoto de minutos,
- carros e mais carros boiando nas ruas inundadas,
- vidas perdidas num prédio que desabou, soterrando documentos, dinheiro e histórias.
Preconceito prá quê?
Se o que te resta na passagem da vida é uma caixa estreita de madeira, onde não importa se é caixa de cebola ou de madeira nobre importada, todas vão apodrecer junto com o corpo que um dia animou a vida.
Humildade diante da vida é reconhecer que somos todos iguais, embora com tantas diferenças aparentes, é reconhecer o Deus que habita em você, no Deus que habita no próximo.
Viver é preciso, amar é fundamental!
Paulo Roberto Gaefke

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget