Páginas

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

A INTIMIDADE PRECISA SER BEM CUIDADA...


Os tempos mudaram, é verdade, mas a idéia de um casal (jovem ou velho), com compromisso sério ou nem tanto, ser displicente com aparência na
intimidade é muito triste.
De modo geral, tanto homens como mulheres, no início de seus relacionamentos, costumam dar "aquela caprichada" no visual.
Eles não poupam esforços para ficar mais atraentes. Nessas horas vale tudo:
roupas íntimas novinhas, depilação em dia, perfume, sabonete cheiroso.
É o momento do investimento.
As mulheres não fogem a regra, até as que podemos definir como "mais desencanadas" querem no fundo sentir-se atraentes.
Batom, rímel, lingerie ousada, sapatos de salto, perfumes, qualquer coisa é útil quando se está interessada em alguém.
O gostoso disso é que somos todos iguais. Afinal, a preocupação com a estética faz parte do jogo da sedução.
Com o tempo, à medida que aumenta a intimidade, a relação vai perdendo a cerimônia e diminui a preocupação do casal com a estética.
O difícil é entender que se isso faz parte da vida para que tanta propaganda, métodos e produtos para melhorar a aparência? Será que é só para dar conta
dos "sem-compromisso"?
Pouco provável. A intimidade que traz conforto para o espírito, sentimento de proteção e mais um monte de coisas boas para o relacionamento, pode também ser a grande vilã em muitos relacionamentos.
A maioria das mulheres quando deixa uma relação estável precisa refazer sua gaveta de roupas íntimas. Em geral, só tem peças gastas e sem charme.
Com os homens é a mesma coisa. Será que é preciso esperar uma separação para que eles começam a dar importância para aparência, comprar roupas novas e entrar em dieta?
Apesar de estranho, a intimidade faz os casais perderem o pudor, até que passam a ficar em casa de qualquer jeito. Aceitar que isso acontece passa a significar uma prova de amor, mas não é.
De alguma forma, os casais se esquecem do que faziam antes para agradar o companheiro. Esquecem dos banhos intermináveis, de escovar os dentes toda hora para ficar com o hálito fresquinho e de andar sempre cheiroso.
Quem acha que pensar nisso é bobagem pode acabar levando um grande susto. Com medo de ofender, nem sempre o parceiro fala o que pensa.
Aí um dia, sem mais nem menos, recebe um comunicado: "Fui".
Para quem acha que vale a pena mudar o final do filme é bom estar sempre pronto para uma alteração de roteiro. Para isso, seguem algumas dicas:
• Relação nenhuma sobrevive a bafo de onça, chulé, cecê e outras coisitas mais: A higiene pessoal tem que estar sempre em dia. Vale a pena gastar com sabonete, desodorante, pasta de dente e etc. Afinal, nesse roteiro, nada tem hora para acontecer.
• Roupas íntimas sempre em dia. Alças, calcinhas ou cuecas: largas, manchadas, encardidas, judiadas ou sem combinar devem ser jogadas no lixo. Só para lembrar, dizem as más línguas que os homens detestam lingerie bege.
• Se trocar de roupa para ficar em casa: Não vista a mais velha, furada ou super larga! Coloque uma confortável, mas que lhe caia bem. Imagine que um ex ou uma ex-namorada pode a qualquer momento tocar a campainha.
A última coisa que qualquer um ia querer ouvir é: "Nossa, ainda bem que não deu certo".
• Preserve a sua intimidade: Usar o banheiro os dois ao mesmo tempo só se for para tomar banho junto ou passar creme no corpo, para as outras coisas o melhor é fechar a porta.
• Quem usa camiseta ou pijama para dormir cuidado, com o tempo o que era uma graça fica um terror: Mulheres com mais de 30 anos de pijama com motivo infantil ou homem com o pijamão xadrez não estão livres de receber um PT (Perda Total) do companheiro. Não precisa cair no sexy, as lojas estão cheias de pijamas confortáveis e modernos.
De resto, é sempre bom lembrar: Para que dure, uma relação precisa além do amor e respeito de uma boa pitada de sal. Use bem a intimidade e divirta-se!

Lícia Egger Moellwald
consultora na área de Treinamento Corporativo e doutoranda em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget