Páginas

sábado, 1 de maio de 2010

SE O MOMENTO PEDE...


Procurai viver com serenidade, ocupando-vos das vossas próprias coisas e trabalhando com vossas mãos, como vo-lo temos recomendado.

I Tessalonicenses 4,11

Se a hora pede serenidade;
observe a sua respiração, vigie os pensamentos.
Se não somos capazes de governá-los, ficamos como barcos a deriva, perdidos, sem rumo, sem saída.

Se a hora pede vigília;
abra bem os olhos, preste muita atenção, suba até o mais alto, para ter uma nova visão, uma estrada pode ser longa, se vista do chão, um problema pode ser enorme, se visto apenas com a razão, mas pode ser muito menor, se for abraçado pela emoção.

Se a hora pede esforço, não te detenhas, faça o que precisa ser feito.
Se a jornada é longa, caminhe,

se o trabalho é árduo, faça-o sem reclamar, se a solidão é medonha, seja solidário, se o medo chegar, não deixe de orar, se a dor for maior, deixe-se confortar.
Só não deixe de lutar!

Somos mais do que imaginamos, podemos mais do que pensamos.
Somos sementes germinadas do poder Criador, frutos maduros da vida, que se enche de amor, para dizer a cada ser vivente:
ser feliz é uma realidade, para quem se baseia na verdade, e vive cada dia, como oportunidade,
de aprender e crescer, trabalhar e sonhar, errar e acertar, perdoar e amar, num indo e vindo sem fim, como uma onda no mar.

Somos o resultado do que criamos com nosso poder infinito de espalhar sementes.
Somos livres para semear, mas teremos que colher tudo que germinar.
Por isso, por onde for, espalhe somente, sementes de amor.

Paulo Roberto Gaefke

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget