Páginas

quarta-feira, 23 de junho de 2010

SILENCIE-SE...


Por alguns instantes, deixe de lado o pensamento inquietante, o problema que parece não ter solução, tudo o que é conflitante, o desespero que as vezes é a própria ilusão...

Silencie-se!
A água mais barrenta fica clarinha sem movimento.
Deixe a sua mente livre, leve, pronta para soluções.
O agitado corre tanto e não chega a lugar nenhum, o desesperado quando está se afogando, morre antes, o aflito é quase sempre o que leva a pior parte, por isso, diante da maior dificuldade,
silencie-se, acalme-se...

Não espalhe a sua dor, seja reservado.
Não aumente o problema, não comente.
Não prolongue o sofrimento. Não o valorize!
Espere um pouco, antes de gritar, antes de dar aquele tapa que coça a mão, antes de falar aquele palavrão.
Espere...

Olha o tempo!
Ele não corre, nem atrasa, simplesmente anda.
É você quem se deixa levar pelo tic-tac.
Se espera a angústia, ele parece não ter fim, se é muita alegria, ele voa.
Então, se o momento é de sofrimento, é tempo de oração, de jejum e meditação.
Se é alegria e contentamento, é tempo de interiorizar-se, de curtir o momento, de relaxar ao sol, de dizer: é o meu momento!

Isso!
Agora é vida nova!
Novo tempo, novo momento.
Cheire-se, respire o seu próprio perfume, valorize-se, goste mais de você.
Tudo é possível ao que crê.
Então, acredite um pouco mais em você.
E prepare-se para vencer.

Paulo Roberto Gaefke

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget