Páginas

terça-feira, 30 de novembro de 2010

SEMEANDO A ESPERANÇA...


Perguntas:
Por que falar se os olhos querem revelar?
Por que o apertar de mãos tão frio, se existe o abraço que aconchega?
Por que o choro escondido, se o coração está aberto?

Por que o medo do desconhecido que pode se revelar tão bom, se o conhecido é tão ruim?
Por que a ansiedade que faz mal, se a espera do que tanto deseja é tão gostosa?
Por que falar tão alto, se o som da sua voz pode lembrar poesia?

Por que a correria vazia, tanta pressa, se o que você quer alcançar está tão perto?
Por que o desespero pelo que não se tem, se o que você já possui ainda nem foi valorizado?
Por que estuda tanto, sem vontade, se não vai aprender nada, vai apenas decorar?

Por que essa ganância tamanha, se o caixão continua sem mala?
Por que esse medo de amar, se o amor ainda é o melhor remédio.
Por que esse desejo contido de ser feliz, se basta abrir um sorriso, um recomeçar?
O tempo das perguntas já passou...

É tempo de abrir armários, desentocar sonhos, desembrulhar velhos papéis e jogar fora.

É tempo de respostas, e eu te garanto:
não há ninguém melhor do que você mesmo, para saber o que te faz feliz.

Desça do pedestal da ilusão, abra-se para a vida, abra o coração.
Não tenha medo de nada, nem mesmo de admitir, que errou, que sabe que errou, que quer uma chance, um novo tempo; tempo de plantar novas sementes, e colher, os doces frutos da boa vontade.

O melhor está apenas começando.
Acredite!

Paulo Roberto Gaefke

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget