Páginas

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

NOSSOS SONHOS...

O que fazemos quando dormimos? Pergunta muito comum, e para a qual muitos de nós não temos resposta.
Há tantas teorias a respeito do sono e dos sonhos que até confundem as criaturas.
Perguntado aos Benfeitores Espirituais, em O Livro dos Espíritos, sobre o assunto, estes responderam que o "Sonho é a lembrança do que o Espírito viu durante o sono."


O sono liberta, parcialmente, a alma do corpo permitindo-lhe entrar em relação com o Mundo dos Espíritos.
Através dos sonhos, poderemos visitar entes queridos já desencarnados, ir a países distantes, entrar em contato com pessoas vivas.
A alma, independente durante o sono, procura sempre seus interesses. Busca as orgias junto aos espíritos inferiores ou vai em busca de luz e esclarecimento em companhia de espíritos elevados.


Mesmo quando dorme, a alma mantém seu livre-arbítrio, sua livre vontade.
Mas, por que nem sempre nos lembramos dos sonhos? Será porque não sonhamos?


Sendo o corpo físico constituído de matéria pesada e grosseira, dificilmente conserva as impressões que o Espírito recebeu, porque a este não chegaram por intermédio dos órgãos corporais.
Em outras palavras, as vibrações do Espírito parcialmente liberto pelo sono são distintas das vibrações do Espírito revestido do corpo físico.
Isso explica porque, muitas vezes, o sonho é lúcido, repleto de cores, sons, imagens, e quando acordamos perdemos totalmente a lembrança. Ficamos apenas com as sensações no fundo da alma.
O cérebro, que é o instrumento pelo qual a mente se expressa em nível físico, é ainda muito grosseiro para registrar as impressões sutis que a mente liberta é capaz de registrar. É como se o cérebro não conseguisse decodificar as informações que lhe chegam durante o desprendimento pelo sono.
Por esse motivo é que alguns sonhos nos parecem truncados, sem nexo, ou com grandes lacunas.
É por isso também, que misturamos coisas e fatos do dia-a-dia com outras que não dizem respeito ao nosso mundo físico.


Pessoas há, que sonham com determinada situação e essa situação se concretiza no decorrer dos dias. São os chamados sonhos premonitórios. O Espírito antevê, durante o sonho, o que irá ocorrer no dia seguinte, nos próximos dias, ou em futuro distante.
Como disse um Santo, nós morremos todas as noites através do sono.
Quando, pelo processo de desencarnação, se romperem em definitivo os laços que unem o corpo à alma, esta estará liberta.


É no sonho que muitos gênios vão buscar inspiração para suas invenções. Isso explica porque é que uma idéia, não raro, surge em diversos pontos do Planeta.
Também durante o sono, homens perversos entram em contato com Espíritos que ainda se comprazem no mal, e buscam idéias para seus crimes.
Dessa forma, antes de nos entregarmos ao sono, é conveniente que façamos uma prece, rogando a Deus Sua proteção para que possamos ter sonhos instrutivos e saudáveis.

Texto da Redação do Momento Espírita com base na perg. 400 e seguintes do cap. VIII, da 2ª. parte de O livro dos espíritos, de Allan Kardec, ed. Feb.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget