Páginas

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

QUANDO DIGO DEUS...

Quando digo Deus, os olhos se fecham e a luz me ilumina...
Quando digo Deus, vejo meu tamanho real e espanto-me com minha vaidade...
Quando digo Deus, minha ignorância me envergonha...
Quando digo Deus, meu orgulho se abate...
Quando digo Deus, minha angústia de futuro se alivia...
Quando digo Deus, a correria desenfreada da vida perde o sentido...
Quando digo Deus, a ambição que atormenta desaparece...
Quando digo Deus, a arrogância dos sábios se dissolve no ar...
Quando digo Deus, a prepotência dos poderosos se desfaz na poeira
Quando digo Deus, os caminhos se abrem para novos destinos...
Quando digo Deus, a chama do amor começa a me aquecer devagar...
Quando digo Deus, a vida se transforma numa caminhada mais leve...
Quando digo Deus, olho meus companheiros com esperança e afeto...
Quando digo Deus, os braços se abrem para as crianças...
Quando digo Deus, o pão fica mais saboroso em minha boca...
Quando digo Deus, o canto embala o meu trabalho...
Quando digo Deus, o sono vem e alivia o meu cansaço...
Quando digo Deus, o abraço e o beijo se purificam...
Quando digo Deus, a palavra amor faz sentido...
Quando digo Deus, minha voz é uma canção levada pelo vento...
Quando digo Deus, a noite cai em silêncio e a paz invade meu coração...
Quando digo Deus, é como se visse o milagre do amanhecer...
Quando digo Deus, não preciso dizer mais nada.

Douglas Tufano

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget