Páginas

terça-feira, 20 de setembro de 2011

O INSTINTO...

O que é que o seu instinto lhe diz?
Já parou para pensar e analisar seus sentidos?
O que é que realmente te move?
Você caminha para algum lugar, ou é empurrado pela "massa" que vai pegar o trem?
Você realmente tem sonhos e desejos, ou simplesmente repete uma velha fórmula.

Aquela que você jura que é a melhor para você.
Por exemplo, tem gente que acredita piamente, que só será feliz quando encontrar o "amor da sua vida", e esse amor, é uma pessoa idealizada, pintada em 7 cores celestiais, tudo perfeito.
Mas nada na vida é perfeito...

Esses sonhos lembram aqueles apartamentos decorados, aqueles que você vai ver no estande de vendas.
Tudo arrumadinho, sem pó, sem gordura...
Não tem criança, não tem cachorro...
Não tem um bife na chapa soltando gordura pra todo lado...
Não tem gente usando o banheiro, soltando pum... (Jesus!)
Tudo é "fake", falso, como esse amor que muitos sonham.
A realidade é bem diferente.

Por isso, siga o seu instinto...ele aponta caminhos.
Ele revela que nem tudo e nem todos são confiáveis.
Quantas vezes seu instinto disse não e você, na cara de pau, disse sim e quebrou a cara.
Quantas vezes ouviu aquela vozinha dizendo vá por aqui, e você, que as vezes é uma mula teimosa, foi por ali, e ali estava o seu "problema".
E lá dentro, o instinto, a sua consciência dizia:
- Não te avisei!

Pare de dar murros em pontas de facas afiadas!
Chega de fazer besteiras e mais besteiras.
De querer cuidar de quem não se cuida.
De querer beijar quem não quer os seus beijos.
De trabalhar onde não te valorizam.
De entregar o corpo e alma pelo que não vale nem a roupa.
Ouça o seu instinto que diz que você não é "os outros", não dá para se comparar, não dá para inventar.

O instinto é o seu amigo que diz, que você precisa se amar, acreditar em você.
Seguir pela estrada de pedras espalhando sementes de girassóis, assim, na volta, tudo será belo e florido.
Fruto do seu trabalho, da sua maneira de ver o mundo.
O mundo é belo e você também!

Eu acredito em você
Paulo Roberto Gaefke

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget