Páginas

terça-feira, 18 de setembro de 2012

SABEDORIA...

A calunia corresponde a uma falsa acusação intencional e deliberada cujo objetivo é denegrir a imagem de uma pessoa perante um dado grupo.

Num contexto competitivo, o caluniador pode agir assim com o intuito de, desqualificando o rival, atrair a simpatia e aprovação das pessoas.

Num clima mais pessoal é a inveja a força motriz da calúnia: ela pretende desqualificar alguém que nos incomoda em razão de suas qualidades.

Muitas são as situações de disputa em que o vencedor não é o melhor e o mais capaz: ganha quem não tiver remorso por aplicar golpes baixos.

As pessoas legais, as que se preocupam com o bem-estar dos interlocutores, deveriam aprender a se defender melhor dos que não são como elas.
Ser capaz de lidar bem com contrariedades, com eventos desagradáveis ou frustrantes, com pessoas deselegantes é essencial para a serenidade.

A tolerância também é essencial para a aceitação da nossa condição: os mais sábios não se insurgem contra a incerteza acerca do nosso futuro.

Entre os importantes ingredientes da sabedoria destaco o controle da vaidade e sua tendência competitiva, a humildade e também a tolerância.

Nem sempre os mais sábios são os mais velhos: muitos idosos tendem a se tornar cada vez mais intolerantes e não costumam ficar mais humildes.

Quem está em busca de sabedoria se ocupa de entender seus sentimentos e gestos: presta muita atenção ao que acontece "da carne para dentro"!

A busca da sabedoria passa pela capacidade de administrar bem a vaidade, dando mais ênfase à autoestima, ou seja, do juízo que faço de mim.

Para atrairmos os olhares de admiração dos que nos cercam temos que nos ocupar com a aparência e com o sucesso nos itens que eles valorizam.

Um item indispensável para quem pretende ser mais sábio é não ser tão competitivo: não se trata de ser melhor ou pior do que outras pessoas!
A sabedoria corresponde a um estado de serenidade e grande prazer que deriva do entendimento satisfatório de si mesmo e da condição humana.

Encontrar-se com a sabedoria é difícil e trabalhoso; porém, muita gente poderá chegar lá. Fama e fortuna sempre irão contemplar a uns poucos.

São poucas as pessoas que, hoje em dia, buscam a sabedoria. A maioria está voltada para atividades competitivas, essas sim muito valorizadas. No mundo competitivo, todos querem fazer prevalecer suas ideias.

Os mais sábios querem que sobrem as ideias que esclareçam melhor os fatos! Eles não se apegam demais a elas, pois sabem que, mais dia, menos dia, serão substituídas por outras mais abrangentes. Além disso, amam aprender e se aprimorar. Assim sendo, não têm medo do tédio, que só atinge os que estão satisfeitos com o que já sabem.

Flávio Gikovate

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget