Páginas

quinta-feira, 16 de maio de 2013


É possível que alguém seja um bom conselheiro mesmo quando é consultado sobre os assuntos em que, pessoalmente, não tem sido bem sucedido?

É curioso, mas isso pode acontecer: uma pessoa pode ter o dom de "dar" ao outro uma visão de bom senso que não costuma ter para uso próprio!

Uma pessoa pode ser bom conselheiro sentimental para seus amigos; porém, ao avaliar sua condição, não conseguir se valer da mesma sabedoria.

Muitos são os que se dedicam mais aos outros do que a si mesmos: só conseguem dar para terceiros, como se cuidar de si fosse um crime grave.

Ser incapaz de cuidar de si e só se dedicar aos outros não é ser virtuoso: tamanha generosidade desequilibra demais a balança da justiça.

Quando alguém dá demais aos outros está sendo injusto consigo e reforçando a pior parte da alma daqueles que são "vítimas" de sua dedicação!

Flávio Gikovate

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget