Páginas

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

SE DEUS EXISTE...


Se deus existe, creio no verbo querer, e quero que esteja tanto na palavra quanto no gesto.
Se ele existe, não quis provar-se visível. Preferiu ser vento, a nos levar de nós mesmos e trazer-nos de volta, feito ondas perpétuas no desfazer e fazer dos beirais das águas.
Se deus existe, não deve ser lá nada exigente. Deixou livre para a gente, o arbítrio de sermos ruins, ruins e bons, até que por uma tal lei que, esta sim, sabemos que existe, a da ação e reação, possamos ser apenas bons.
Se ele existe, creio que não faça questão de letras maiúsculas. Afinal, o respeito mora mais em atitudes ocultas que vistas.
Se deus existe, ninguém ainda o descobriu de vez. Pois é visto de um jeito por vez, por cada um que o chama de deus.
Se ele existe, deve ser o que chamam de amor e também o que não chamam. Pois a luz só existe na sombra, e o silêncio, depois do barulho.
Então, se deus existe, para tudo o que vivemos, entre prazeres indescritíveis e dores horríveis, deve haver um porquê. Um porquê, que explique porque nascemos onde nascemos, porque somos filhos de quem somos, ou porque, mesmo crendo em deus, agimos de forma tão contrária à que agiria aquele que para a maioria, o representou na Terra.


Victor Chaves

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget