Páginas

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Eis a sublime estupidez do mundo: quando nossa fortuna está abalada – muitas vezes pelos excessos de nossos próprios atos – culpamos o sol, a lua e as estrelas pelos nossos desastres;
como se fôssemos canalhas por necessidade, idiotas por influência celeste; escroques, ladrões e traidores por comando zodíaco; bêbados, mentirosos e adúlteros por forçada obediência a determinações dos planetas;
como se toda a perversidade que há em nós fosse pura instigação divina.
E a admirável desculpa do homem devasso – responsabilizar uma estrela por sua devassidão.

William Shakespeare, Rei Lear

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget