Páginas

domingo, 21 de fevereiro de 2010

MEMÓRIA CURTA...


E aí a gente vai largando as chaves celular, o, o papelzinho com o telefone do marceneiro...
E nunca sabe onde deixou.
Onde foi mesmo que eu larguei a caneta?
Hum, eu conheço aquele cara não sei de onde ...
Como é mesmo o nome dele?
Você também é assim?
Memória fraca, né?
Será que é uma idade que vai chegando ...
Sabedoria Ou será?
Eu gosto de deletar certas coisas da mente.
Se a gente descarta alguns pensamentos, Porque eles e não são importantes mesmo.
Outro dia eu esbarrei numa pessoa no shopping.
Olhei, olhei, e senti que aquele rosto era familiar.
Cumprimentei educadamente, mas não parei para conversar.
Acredito que o meu sorriso foi o suficiente pra disfarçar o esquecimento.
Horas depois, em casa, bingo!
Lembrei de onde eu conhecia aquela cara.
Foi alguém do passado que me magoou.
A Brigou gente e nunca mais se viu.
Senti um alívio danado por não ter lembrado da mágoa naquela hora.
E descobri que memoria curta não é coisa da idade, não ...
É sabedoria mesmo.
Esquecer um ressentimento é coisa de gente grande.
Gente de bem com a vida.
Gente que não se ocupa de remoer mágoas.
Essa coisa de só lembrar o que é importante e feliz é a tal memória seletiva.
Coisa que fazer todo mundo deveria.
O mesmo com os ouvidos e olhos ...
Ouça e veja só o que faz bem pra alma.
Sabedoria isso pra mim é:
Ficar esquecido de episódios tristes.
Surdo de ruídos nocivos.
Cego de visões Distorcidas ...
Enquanto uma falha memória, eu vou ficando melhor como pessoa ...
E só lembrando que não vale a pena.
Necessário é que fazer.
Só o essencial.
Confesso que esqueci onde larguei a chave do carro ...
Mas eu lembrei de uma coisa ótima:
Não tenho a menor idéia do que me aborreceu ontem ...
Porque hoje eu estou muito feliz!

Lena Gino

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget