Páginas

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

SORTE É PRA QUEM QUER...


Por um lugar onde passavam muitas pessoas, um mendigo sentava-se na calçada e ao lado colocava uma placa com os dizeres:

"Vejam como sou feliz! Sou um homem próspero, sei que sou bonito, sou muito importante, tenho uma bela residência, vivo confortavelmente, sou um sucesso, sou saudável e bem humorado".

Alguns passantes o olhavam intrigados, outros o achavam doido e outros até davam-lhe dinheiro.
Todos os dias, antes de dormir, ele contava o dinheiro e notava que a cada dia a quantia era maior.

Numa bela manhã, um importante e arrojado executivo, que já o observava há algum tempo, aproximou-se e lhe disse:

"Você é muito criativo! Não gostaria de colaborar numa campanha da empresa?".

"Vamos lá. Só tenho a ganhar!", respondeu o mendigo.

Após um caprichado banho e com roupas novas, foi levado para a empresa.
Daí para frente sua vida foi uma seqüência de sucessos e a certo tempo ele tornou-se um dos sócios majoritários.

Numa entrevista coletiva à imprensa, ele esclareceu de como conseguira sair da mendicância para tão alta posição.
Contou ele:

- Bem, houve época em que eu costumava me sentar nas calçadas com uma placa que dizia que eu era um pobre coitado que mal conseguia sobreviver.
As coisas iam de mal a pior quando, certa noite, achei um livro e nele atentei para um trecho que dizia:
"Tudo que você fala a seu respeito vai se reforçando. Por pior que esteja a sua vida, diga que tudo vai bem. Por mais pobre que seja você, diga a si mesmo e aos outros que você é próspero”.
Aquilo me tocou profundamente e, como nada tinha a perder, decidi trocar os dizeres.
E a partir desse dia tudo começou a mudar, a vida me trouxe a pessoa certa para tudo que eu precisava, até que cheguei onde estou hoje.

Tive apenas que entender o Poder das Palavras.

O universo materializa em nossa vida todas as nossas crenças.

Uma repórter, ironicamente, questionou:
- O senhor está querendo dizer que algumas palavras escritas numa simples placa modificaram a sua vida?

Respondeu o homem, cheio de bom humor:

- Claro que não, minha ingênua amiga!

Primeiro eu tive que acreditar nelas!".

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget