Páginas

sexta-feira, 29 de junho de 2012

A LIÇÃO DO SKATE

Eu vi o tempo escorrendo pelo ralo das lamentações.
Meus olhos ainda cheio de lágrimas não entendiam.
A vida ali, mostrando-me a necessidade da mudança.
E eu parado, olhando para o problema que me afligia.
Até que a situação ficou insustentável e o coração apertado.
Busquei ajuda em todos os lados, e nada me consolava.
Na verdade, nenhuma terapia adiantava.
Tudo simplesmente se agravava.


Até que numa manhã de um dia qualquer, vi uma pessoa que só tinha o dorso,
se arrastando em cima de um skate.
Pedia licença, e não um favor, para seguir para o trabalho distante.
Horrorizado com a minha própria fraqueza.
Sentei-me na calçada e chorei.


Senti uma mão no meu ombro, e alguém perguntando.
Se poderia me ajudar com alguma coisa.
Era aquela pessoa em seu skate que voltara, só para me ajudar.


Perguntei-lhe então, onde arrumava tanta disposição?
Como enfrentar a vida naquela situação?
Ele me olhou nos olhos e disse.
- Tudo provém de Deus.
Se eu me revoltar, me revolto contra Ele.
Se eu me desesperar, me desespero contra Ele.
Se eu parar, desrespeito Ele.
Se eu não fizer pelo menos o possível para a minha situação, como poderei esperar o impossível?


Irmão, sinto a sua aflição.
Levanta, caminha e segue por um novo rumo.
Se esta estrada não te levar onde quer chegar, experimente a outra, ou aquele atalho lá longe.
Só não pare para se lamentar.
O tempo não apita na curva, não faz como o trem.
Simplesmente passa, simplesmente vem.
Siga em paz.

Paulo Roberto Gaefke

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget