Páginas

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

ETIQUETA NO TRABALHO & SOCIAL...


Em reuniões de negócios, trabalho, treinamentos e ambientes sociais, você deve adotar atitudes que evidenciem educação, hábitos e comportamentos adequados. Evite as seguintes atitudes:

Aperto de mão fraco, mão flácida, tipo casca de banana. Aperto de mão muito forte (quebra-nozes). O aperto de mão fraco passa a mensagem de que quem cumprimenta com mão frouxa não considera a outra pessoa. Aperto de mão "britadeira": sua mão é sacudida para cima e para

baixo rispidamente.

Apertar a mão de alguém segurando um objeto (Ex.: caneta).

Apertar a mão do outro com a mão molhada, suada ou sebosa.

Dar tapinhas ou tapões nas costas dos outros.

Contar piadas inoportunas, sem gosto.

Fazer perguntas indiscretas.

Fumar. Está cada vez mais fora de moda. Quem fuma ao lado de outra pessoa mostra profundo desrespeito pela saúde dos outros. Procure um lugar reservado.

Roer unha, tirar "bife" dos dedos. Mascar chicletes, chupar balas. Pior: com ruídos desagradáveis.

Ficar "secando" os atributos físicos dos outros, de modo específico. Ex.: os seios.

Assoar o nariz fortemente, depois dar uma olhada no material expelido.

Uso do telefone celular Não use celular em teatros, cinemas, ônibus, restaurantes, reuniões de negócios ou sociais, salas de aula, igrejas, auditórios. Pendurar o celular na cintura em ambientes sociais; deixá-lo muito amostra e no volume mais alto.

Coisas desagradáveis: usar celular no supermercado e atrapalhar a fila do caixa. Fazer chamadas e recebê-las de modo que todo mundo note, falando alto. Isto em qualquer lugar.

Contar vantagens pessoais repetidamente. Pessoa arrogante, faz questão de mostrar seus "vastos" conhecimentos, realizações, poder, conquistas. Gênero maioral ou "estrela". Adora citar a si mesma em situações de sexo, romance, trabalho, aventuras, sendo sempre um "sucesso".

Fazer pose de "não me toque". Olhar com "nariz empinado", com ar esnobe.

Ao conversar num grupo de pessoas, ficar falando e olhando para uma só, deixando as demais de lado.

Olhar vago, perdido num ponto qualquer mostrando atitude de desinteresse.

Ficar calado, isolado, dando a impressão de que não aprecia os outros.

Fazer o tipo pessoa "confiada"; faz e diz coisas sem pedir permissão.

Ficar tirando sarro dos outros.

Ver sexo em tudo que pensa, fala, pega. Ex.: "Pô, o Zeca adora uma linguiça, hem, Zeca.

Hem! Confessa, Zeca!" Todo mundo pratica sexo desde que o mundo é mundo, mas tem aquelas pessoas que gostam de falar alto, estão cheias de sacanagem e adoram se expor para mostrar que são as maiorais.

Falar muito alto, para todo mundo ouvir.

Fazer elogios exagerados. Dar cantadas, diretas e indiretas.

Ao conversar com alguém, tirar o foco desta, ficar olhando para as outras pessoas que passam.

Segurar o braço do interlocutor ao conversar, ficar abraçando, passando a mão. Pessoa pegajosa.

Tentar ser íntimo de uma pessoa que acaba de conhecer. Ficar agarrando a outra pessoa.

Agir como criança o tempo todo para ser engraçadinho.

Inserir em sua fala palavras estrangeiras para mostrar que é moderno ou para impressionar.

Viver se fazendo de vítima, falando mal do trabalho, chefe ou governo.

Contar piadas preconceituosas: sogra, loiras, homossexuais, raciais, gaúcho, português.

Ser superextrovertido. Dar risadas escandalosas.

Ser tagarela: falar o tempo todo. A outra pessoa está falando e o tagarela corta. Monopolizar a conversa.

Mostrar que você sabe tudo. Agir como se tivesse sempre a razão.

Ser sempre do contra. Alguém diz algo, você fala: "Não é bem assim, li no jornal que a situação vai piorar..."

Coçar o ouvido e verificar se saiu cera. Depois cumprimentar com a mão sebosa.

Homens: não cocem “aquilo” na frente dos outros.

Espirrar sem colocar um lenço ou pelo menos a mão, projetando saliva e outros materiais.

Palitar os dentes. Pior: olhar o corpo estranho que saiu.

Bocejar, abrindo uma boca enorme, expondo as restaurações dentárias.

Deixar a porta do banheiro aberta ao sair ou entrar nele.

Impontualidade: pessoa que sempre tem uma desculpa para justificar atrasos.

 
Conclusão:

Tudo o que você faz e expõe ao público denunciará sua personalidade, se é uma pessoa de bom gosto, bem educada, esclarecida e segura. Some pontos!

Texto de Flávio Pereira, Cérebro & Comunicação - Desenvolvimento Pessoal.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget