Páginas

domingo, 8 de fevereiro de 2009

MUDANÇA INTERIOR...


Se eu não me respeito, abro portas em mim, deixo entrar quem quiser, deixo que façam o que quiserem, e nessa permissão, recebo críticas que destroem, perco tempo com quem não interessa, sofro por aceitar opiniões,
me perco em desilusões...
Se eu não me valorizo, fecho portas para mim, o emprego fica pior, o desemprego ronda o meu dia, a esperança vira utopia, os sonhos morrem.
Não acredito nem em mim, nem em ninguém, é uma vida cinza, cheia de inveja, medo e sem sabor, experimento o amargo do fel e do desamor.
Se eu não tenho mais fé em ninguém, me esvazio, tento vencer com a força do braço, perco a sutileza, deixo de insistir na primeira derrota, perco batalha e perco a guerra, o desânimo vive em mim.
Sem a fé vagueio pela Terra, sem rumo e sem fim.
Se eu não me amo, entristeço-me, não vejo as rosas, só os seus espinhos.
Na boca um gosto ruim de contradição, vontade de brigar com o mundo, falta de humor.
As pessoas se distanciam, se afastam com razão, sem amor somos frios, perdemos até a noção, somos frutos verdes, que o vento lança ao chão, pobre de quem nunca amou, de quem secou o coração, é como zumbi sem rumo, é viajante sem direção.
Respeito, valorização, admiração, fé e amor, tudo começa em você, se você quer ter, precisa oferecer, e só se pode oferecer aquilo que se tem.
Comece a mudança, comece em você!
Paulo Roberto Gaefke

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget