Páginas

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

QUE DELÍCIA DE AMOR...


Mostre-se, mas não se revele.
Dê-se, mas não se entregue.
Ame, mas não se escravize, viva intensamente cada momento, mas não fique preso ao que já passou.
Deixe um pouco de mistério no ar, mesmo depois de 40 anos de casados, 5 anos de romance, ou da eterna amizade de infância, não importa, guarde um pouco de si mesmo, para entregar na hora certa, para surpreender...

O amor pede renúncia, mas exige mistério, o amor pede entrega, mas exige novidade, o amor quer o tudo, mas existem horas que queremos o nada, o amor exige respeito, individualidade e interesses comuns.

Para viver esse grande amor, mesmo que seja com a mesma pessoa de sempre, crie fantasias que possam ser vividas a dois, não se esconda atrás de reclamações, nem fique cobrando o que não podem te oferecer, arranque na força de um beijo, no abraço inesperado, na força da união dos corpos que pedem amor, ou na exaustão de um braço largado...

O melhor do amor é a dedicação que podemos oferecer, sem cobranças, sem exigências, faça por que ama, ame pelo que te faz amar, assim, o amor tem sabor de paixão, e paixão tem gosto de vida...
Que delícia de amor você pode viver hoje?

Paulo Roberto Gaefke

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget